Helio Fernandes esportivo: Flamengo, Fluminense e Botafogo, diminuíram as chances das semifinais. Cresceram: Olaria, Boavista e Americano. Neymar e Rogério Ceni, nomes do dia, o Bellucci não ganha de ninguém, nem o Massa.

Ontem tratei de vários, muitos, diversos desses acontecimentos. Continuo com os que acabaram muito tarde. Naturalmente sem o charme e a esportividade do encontro de Lula e Dilma em Portugal. E o desastre, sem charme e esportividade, de Michel Temer assumindo a Presidência da República, mesmo que seja por dez dias.

O Flamengo mais surpreendente do que tudo. Duas vezes perdendo para o Madureira (antes por 1 a 0, depois por 3 a 1), modificou o jogo e a esperança, empatou por 3 a 3. E ainda podia ter feito o quarto e garantido a vitória, realmente era exagero.

Com Luxemburgo, completou 17  jogos sem perder, mas seria equívoco vernacular, dizer que está “invicto”. Não apresentou nenhuma atuação segura, garantida, convincente. Faz o torcedor se desesperar, até o namoro com Ronaldinho Gaúcho ameaça passar para uma fase de protesto.

Ainda não passou, porque Luxemburgo e até Dona Patricia Amorim estão na frente, receberam as primeiras vaias por causa das tolices da não contratação de Adriano.

Se o Flamengo estivesse ganhando bem e dando alegria, Adriano não seria lembrado. Acontece que o Flamengo precisa mesmo é de um centroavante, Adriano não hesitou: “Vim para jogar no Flamengo”. Logo, logo, Luxemburgo saiu na frente com a afirmação: “Adriano não se encaixa na nossa FILOSOFIA de trabalho”.

Absurdo, e dito por Luxemburgo, era demais. Mas Dona Patrícia, que fora d’água é completamente diferente da campeoníssima dentro d’água, veio também com sua FILOSOFIA: no dicionário dela não existe SIM ou NÃO, uma palavra é dominante e invencível, TALVEZ. Podiam ter feito o que fez o Corinthians. Um contrato com a “cara” do Adriano, multas, punições em dinheiro. E até muitas “DEMISSÕES POR JUSTA CAUSA”, que o Adriano referendou.

Agora, esse grito de “Adriano”, o Luxemburgo, com reflexos e ruídos nos ouvidos de Dona Amorim, ficará sendo interminável. Dona Amorim não fala, deixa isso para o treinador, que é indefensável. Luxemburgo ainda não percebeu que depois do Flamengo, a não ser que seja campeão, vem o nada em cima do nada.

Flamengo e Vasco (este menos) decepcionaram 22 mil pessoas no Engenhão, e não sei quantas pela televisão. Depois de Ricardo Gomes, o eliminado (no primeiro turno) Vasco da Gama, agora é o primeiro do seu grupo. Não foi brilhante, não fez gol, mas se alguém foi melhor, sem dúvida foi o seu time.

O Fluminense é o terceiro do seu grupo, ainda tem chances, cada vez mais distantes. E é preciso não exagerar as palavras. Na vitória que salvou o clube na Libertadores, usaram e abusaram da palavra herói e do sucedâneo heroísmo. Fred, que é um jogador razoável, dá cotovelada por trás, atinge o adversário, cai no chão pedindo falta, não é um bom exemplo para a utilização da palavra.

Três pequenos (Olaria, Boavista e Americano) na tabela, com melhores chances de classificação. Longe do futebol, a Fórmula 1 em massa, com o brasileiro disputando o último ano, pelo menos na Ferrari.

Não quero falar (nem quis ontem) sobre a “europedização” de jogarem bananas em cima de Neymar, a cada grande jogada que fazia. Prefiro lembrar de Lincoln, assassinado há 145 anos, precisamente por lutar contra a escravidão e a favor dos negros. E parabenizar a Corte Suprema dos EUA, que em 1964 acabou com a discriminação nos transportes. Mas o racismo não tem fim.

Outros fatos isolados, mas destacados e destacáveis. 1 – Rogério Ceni marcou o tão esperado centésimo gol, e não foi de pênalti e sim de falta, muito bem batida. E merecidíssima. Mais merecido ainda: é o maior salário do São Paulo.

2 – O São Paulo ganhou do Corinthians, mesmo desfalcado de Lucas, um dos dois melhores jogadores do Brasil (por que não do mundo?) na faixa dos 19 anos. E que na manhã de ontem, em Londres, encantava jogando pela seleção de Mano Menezes.

3 – O outro, glorificado primeiro, é Neymar. Sem ele o Santos não fica tão forte. Ontem, o primeiro foi feito por Tiago Alves, que completou 18 anos.

4- Mas bateram tanto nele, que 15 minutos depois saía, quase não podia andar. 5 – No importante Master Mil de Miami, Del Porto derrutou o sueco Soderling, número 4 do ranking.

6 – O argentino já foi número 4. Mas depois de 8 meses parado e uma cirurgia na mão, caiu para 183. Ontem já era 51 e qualquer que seja sua atuação nesse Máster, terminará abaixo de 40.

7 – O terceiro gol do Santos (que seria o da vitória) foi marcado por Jonatan. Deve ser o mais bonito da rodada.

8 – No sábado (quarta tem Copa do Brasil), Fluminense, Flamengo e Botafogo decidem se chegam às semifinais do segundo turno. Não enfrentam nenhum dos três que estão na frente deles, uma satisfação. É essa a palavra?

9 – Luxemburgo, ontem, se defendia (?) dos gritos de “Adriano, Adriano”, respondendo: “Já estamos na final”. Queria deixar claro que, mesmo não se classificando agora, pode ser campeão. A afirmação é verdadeira, o título também?

10 – Para terminar, a certeza de que o Brasil inteiro tem: Muricy vai para o Santos. Segundo ele, “com infraestrutura melhor do que a do Fluminense”. E vai melhorar de salário, os 700 mil das Laranjeiras se transformarão em 1 milhão na Vila Belmiro.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *