Histórias baianas

Sebastião Nery

Octavio Mangabeira, um turbilhão de frases, avô do Mangabeira Unger, o ministro Banda Larga de Lula, dizia embolando a língua: “Pense em um absurdo. A Bahia tem precedentes”.

Diante do Comando da Marinha e ao lado do Mercado Modelo, na praça Visconde de Cairu, na Cidade Baixa, em Salvador, instalaram uma imensa e bela escultura abstrata do grande artista baiano Mario Cravo, que na época custou 100 milhões de cruzeiros: quatro blocos redondos superpostos, como se fossem enormes capacetes ou grandes bolas.

Como era nos tempos da ditadura e ficava ao lado de um quartel de comando, o povo não entendia o que era aquilo e o baiano começou a fazer piada. Uma manhã apareceu a genial pichação, no pé do monumento: “Mario Cravo, 100 milhões/cobrou caro pra chuchu/ só para levantar os bagos/do Visconde de Cairu”.

A arte de Mario Cravo continua lá, plasticamente linda, diante do cais e do mar azul da Bahia. Se fosse para Lula, seria o quê? A mão de Gil?

***
MENTIRAS

No avião, vim lendo o lúcido George Vidor, no “Globo”. Desmoraliza a mentira que os banqueiros mandavam Mailson da Nóbrega dizer a Meirelles, que repetia ao Margarina (Mantega), que repetia a Lula, que repetia ao País:

“A política econômica continua trocando inflação por dívida. Essa troca envolvia antes endividamento externo, e agora não mais. O Brasil já não se endivida em moeda estrangeira e acumula, a cada dia que passa, mais reservas em dólares.Considerando-se apenas a dívida pública interna, o resultado piorou”.

É a “herança maldita” de FHC e a “herança etílica” de Lula para Dilma.

***
SARNEY

Surpreendentes bolos de palmatória levou o senador Sarney, que apareceu de cabeleira nova, pintada de preto como as asas da graúna. No mesmo dia em que ele comentava na “Folha” a intimidade dos macacos com a aritmética (“Nós e os macacos”), saía o relatório da OCDE sobre o baixo aprendizado dos estudantes brasileiros:

O Maranhão, governado por ele e sua trupe por mais de 40 anos (desde 65), obteve o pior resultado entre todos os estados brasileiros.

***
JOÃOZINHO

Baiano gosta de piada. A internet baiana mais ainda:

A professora perguntou a Joãozinho quem foi Sócrates.

– Foi aquele grego que dizia que nada sabia.

– Muito bem, Joãozinho.

– O pior, professora, é que agora o Lula vai dizer que é grego.

Outra píada que faz sucesso na Bahia:

A professora contava na aula que Lula confessou a amigos que seu sonho é ser lembrado como Getulio Vargas. Joãozinho perguntou logo:

– E quando vai ser o suicídio, professora?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *