Homem é preso no aeroporto de Brasília com US$ 280 mil escondidos na meia

 (Policia Federal/Divulgação)

Deu no Correio Braziliense

A Polícia Federal deteve na noite de sexta-feira (13/12), no Aeroporto Internacional de Brasília, um homem de 41 anos que levava em suas meias 280 mil dólares (o equivalente a 652 mil reais), além de R$ 13.950. As cédulas estavam escondidas em um meião de futebol.

De acordo com as primeiras informações, o suspeito, cuja identidade não foi revelada, embarcou em um voo que saiu de São Paulo com destino a Brasília. Tão logo desembarcou no saguão do aeroporto, o homem foi abordado por agentes da PF e preso.

O homem foi levado para a Superintendência da Polícia Federal, no Setor Policial Sul. Ao ser interrogado, preferiu ficar em silêncio. Ele foi liberado, mas poderá responder a inquérito pelo crime de lavagem de dinheiro.

Conforme regras da Receita Federal, qualquer passageiro que pretenda viajar com dinheiro em espécie, em valores superiores a R$ 10 mil, tanto em moeda nacional quanto estrangeira, é obrigado a declarar a quantia.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGNão foi informado a que partido o cidadão é filiado. Parece que não é do PT, porque, se fosse, o dinheiro viria na cueca, feito o assessor do irmão de Genoino, deputado José Nobre Guimarães (PT-CE), que foi mais modesto e só carregava 100 mil dólares. (C.N.)

14 thoughts on “Homem é preso no aeroporto de Brasília com US$ 280 mil escondidos na meia

  1. Então, se o cidadão retira, digamos, 11 mil de sua conta, quer viajar com dinheiro, é seu prazer, e compra uma passagem aérea de Sampa para o Rio tem que informar a PF o que lhe pertence legalmente também, isto é, ser tutelado ? Por que ele tem que dar satisfação do que lhe pertence legalmente para a polícia? É a ditadura do sistema bancário que não admite que o cidadão carregue dinheiro? Quem garante que alguém depois não lhe assalta por dizer o que tem no bolso a um AGENTE DE AUTORIDADE? Por causa desse oba-oba de misturar corrupção de governo com gente decente que não se relaciona com governos, nas periferias das cidades policiais revistam os bolsos de cidadão pobres e negros e lhes retira o que tem. No Brasil o que temos não nos pertence, a menos que venhamos a declarar para um policial. Ridículo. Assim, mais dia menos dia, o guarda de esquina vai começar a abusar. E a carneirada aceita calada.

  2. O crime pode não dar em nada, mas aborrece e preocupa o honesto, Vocês se lembram do caso do pasteleiro chinês? Vendeu sua pastelaria, comprou 30 mil dólares, uma micharia que a Receita permite que o cidadão tenha sem declarar, numa dessas casas de câmbio que vendem e compram moedas LIVREMENTE, resolveu deixar o país com a mulher e os filhos pequenos, ficou temeroso de declarar no aeroporto o fruto de seu suor, se é que sabia desses regulamentos e subportarias que ninguém é obrigado a conhecer, teve seu dinheiro apreendido, foi preso, levado a um presídio no Rio e no sia seguinte ESTAVA LÁ MORTO. Um ano depois a mulher retornou para buscar OS REAIS no judiciário (os dólares foram furtados pelo governo ou seus agentes) e ainda perdeu dinheiro e marido por causa dessa DITADURA DOS BANQUEIROS. Nenhuma autoridade ou AGENTE DE AUTORIDADE se responsabilizou. Detalhe. Se os câmbios vendem com autorização, por que TUTELAR O CIDADÃO DEPOIS QUE ELE COMPROU? Ou será que é para afaná-lo? Qual dos comentaristas aqui quer mostrar sua carteira de dinheiro para policial na rua? Não vale policial familiar.

  3. Se esse dinheiro fosse ganho honestamente, não precisaria carregar na meia, nem preferir ficar calado
    no interrogatório feito pela PF. Esse valor pode ter sido fruto de roubo, de chantagem ou outro
    tipo qualquer de corrupção, mesmo assim ele foi liberado. Local da origem do dinheiro: SÃO PAULO,
    destino do dinheiro: BRASÍLIA. É muita grana, dá para desconfiar.

    • Não precisaria porquê? Eu gosto de viajar com efetivo. Não posso dispor do que me pertence legalmente, se não me submeto à tutela de um policial? Retiro pessoalmente da agência bancária que sou correntista. E daí? Assim, se precisar em SAMPA, não tenho que me submeter a limite imposto por agência bancária que desconheço e que não me ofereça segurança de guichê reservado. Se querem combater a corrupção, vão nas fontes onde jorram, porque essa legislação é pretexto para violar direitos individuais e para robotizar as pessoas em proveito do sistema financeiro. Nos EUA isso também já foi denunciado como manobra para controlar e espionar a vida privada das pessoas. Essas resoluções do Banco Central são todas elaboradas nos gabinetes do banqueiros para servir a eles.

  4. Primeiro: Todos são obrigados a conhecerem as leis do país onde vivem e declarar dinheiro faz parte da lei,
    Segundo: Se o meliante viajava de São Paulo para Brasília, poderia retirar o dinheiro em um banco em Brasília. É o que os honestos fariam,
    Terceiro: A declaração de bens em moedas é exigência em todos os países. Na entrada e na saída. Excessão: quando a amante carrega o dinheiro.
    Quarto: Este meliante não era do PT. Estes levam na cueca.

    • Ninguém é obrigado a conhecer PORTARIAS E RESOLUÇÕES de Banco Central e/ou Polícia Federal. Menos ainda cumprí-las SOB PENA DE PRISÃO E DE CORRER RISCO DE MORRER NAS MÃOS DE UM DESSES AGENTES DE AUTORIDADE OU SEUS CÚMPLICES. Quero ver se um desses AGENTES DE AUTORIDADES ou mesmo um DELEGADO DA FEDERAL tem peito de prender um juiz federal, um general ou qualquer figurão do sistema, baseado em suas PORTARIAS E RESOLUÇÕES, e levá-los a um presídio por querer manter em seus bolsos 11 mil reais em efetivo SEM LHES DAR SATISFAÇÕES.

  5. Engraçado…

    Quando aquele casal de missionários foi preso nos Estados Unidos com dinheiro escondido, não teve conversa!
    Quando aquele jovem disse, jocosamente, ao policial do aeroporto que estava com uma bomba, mas era de encher pneu de bicicleta, não adiantou explicações.
    Quando a sobrinha do então presidente Bill Clinton foi presa por porte de maconha, não teve papo: foi algemada!

    Ora, isto aqui não é um país. É uma colônia de [1(4…>4…P+74 !

  6. Aquele casal religioso foi preso nos EUA por deduragem daqui ou por alguma suspeita local em andamento anterior. Casal de bobos amadores a dirigir uma igreja. Poderia remeter boa parte via cabo ou levar alguns cheques cheques de algum doleiro de confiança. O sistema mundial predominante é capitalista e só vale quem tem, como dizia a velha propaganda do Faraco Loterias. Lá, na prática em 2011, se declarava quantia acima de 10 mil dólares (muito mais de 10 mil reais) e eles nem se preocupavam em contar. Este ano, nem se necessitou declarar em papelada. Apenas verbalmente e nem necessário foi mostrar o dinheiro. Quem viaja duro corre sérios riscos em caso de algum problema de saúde. Esses seguros que vendem aí são umas porcarias na prática. Piores que os dentários daqui da Golden Dental do Rio que nada cobrem. Nossos consulados são imprestáveis para emergência. Só funcionam rapidamente para os figurões do governo ou limitadamente sob pressão da mídia. A saleta do de N.York, na Av. das Américas, parece a do INSS e o tratamento dado é pior. Só atendem o público em meio expediente, provavelmente assim também trabalham, e seus funcionários defecam e se locomovem para turistas brasileiros. Comprovem quando lá estiverem, caso se disponham a perder tempo precioso de estadia. Os funcionários de imigração, principalmente os dos Estados Unidos e os da Europa, apreciam e respeitam turistas com dinheiro e desprezam e destratam os zé mané.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *