Igreja evangélica ameaça processar advogado do agressor de Bolsonaro

Zanone, o advogado, quer ter 15 minutos de fama

Andreza Matais
Estadão

O departamento jurídico da igreja Testemunhas de Jeová avalia ingressar hoje na Justiça contra o criminalista Zanone Oliveira Junior por ter declarado que foi contratado para defender o agressor de Jair Bolsonaro por uma pessoa ligada à agremiação. Desde que ele fez a afirmação, a igreja tenta contatá-lo para pedir que diga quem da comunidade paga por seus serviços ou se retrate publicamente.

A avaliação é que o advogado envolveu a imagem da igreja no episódio, ajudando a estigmatizá-la ainda mais. “Abominamos o que o agressor fez”, diz a igreja via assessoria.

AQUI NÃO –  A igreja chegou a divulgar nota pública para dizer que “Adélio Bispo de Oliveira (o agressor de Bolsonaro) e sua família não são Testemunas de Jeová ou têm vínculos com ela” e que “lamenta” o ocorrido com o candidato.

Procurado ontem pela Coluna, Zanone já não é mais tão assertivo quanto aos vínculos do contratante. “É uma pessoa que conhece o Adélio do meio evangélico, não necessariamente Testemunha de Jeová”, disse.

O perfil de Zanone no Facebook foi alvo de críticas e ofensas. Ele diz estar acostumado, já que trabalha com casos de homicídio há duas décadas. “Nenhum acusado será julgado sem defensor. Se não for eu, outros virão”, afirma.

FALAS POLÊMICAS – A defesa do agressor de Bolsonaro está compilando polêmicas declarações do candidato sobre mulheres, negros e homossexuais.

Vai alegar que o Código Penal prevê atenuar a pena de crime cometido por “motivo de relevante valor social ou moral”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG Os advogados do esfaqueador não foram contratados por ninguém. Em crimes de grande repercussão, como o que levou o goleiro Bruno à prisão, eles se oferecem para defender gratuitamente os acusados, em busca de 15 minutos de fama. (C.N.)

22 thoughts on “Igreja evangélica ameaça processar advogado do agressor de Bolsonaro

  1. Mas os advogados em momento nenhum falaram que foi a igreja evangélica A, B ou C que os contrataram para defender Adélio Bispo de Oliveira.

    Eles deixaram bem claro que foi um membro anonimo de UMA igreja, que queria ficar no anonimato, que os contrataram.

  2. “O atacante tem um perfil construído com muita riqueza de detalhes para transformá-lo em “Justiceiro Social”.

    As palavras mais usadas na imprensa após o atentado foram: intolerância, ódio, revolta, etc.
    Isto permitiu que a figura de Jair Bolsonaro fosse atacada e desconstruída inúmeras vezes nas horas após o atentado. As motivações apresentadas para o crime sempre deixam uma saída, já “…que BOLSONARO, defende o extermínio de homossexuais, negros, pobres e índios, situação que (o atacante) discorda radicalmente…”

    “Ao definir pelo sigilo Lei de Segurança Nacional, as autoridades tirarão dos olhos da Sociedade os resultados do andamento das investigações. Talvez o único documento a vir a público terá sido o do dia 07 Setembro.”

    Artigo completo:

    http://www.defesanet.com.br/eleicao/noticia/30458/Exclusivo—A-Analise-de-um-Atentado/

    • Muito bom o link. É acintosamente surpreendente que a mídia não tenha interesse pela história do esfaqueador. Pouquíssimas matérias a respeito. Nuncadantes isso aconteceu na mídia.

  3. Se os quatro adevogados não foram contratados por ninguém, então estão mentindo. O que não seria uma novidade. Aliás, a “orientação” que deram para o terrorista solitário deu chabu. O maluco de manual cometeu ato falho – fraude explica – e já entregou que havia mais gente pretendendo dar um susto no capitão. Agora, depois dessa audiência, ninguém cai mais na conversa de insanidade e os adevogados vão ter de tirar um coelho da cartola, ou cair fora, alegando que receberam calote.
    PS: Direto de Florianópolis, uma de seus 15 empregadores anteriores afirmou que durante o período em que lá trabalhou o “lobo solitário” foi exemplar, só dizia algumas coisas estranhas, como “matar políticos”. No currículo do servente de pedreiro desempregado, lá estava: graduado em pedagogia!
    https://ndonline.com.br/florianopolis/noticias/esfaqueador-de-bolsonaro-falou-em-matar-politicos-conta-mulher-que-lhe-deu-emprego-em-sc

  4. ‘mais’,
    processem mesmo !
    não fiquem aí de tetas moles!
    .
    ou ‘cês tão com zonzeira?

    eu era menino, e faz mais de vinte anos,
    o DETENTO 700004553820
    ameaçou processar o Delegado Tuma Júnior
    e, até agora, n.a.d.a !

    ‘cês vão processar ou não vão ??? ??? ???

    se não processarem, poderei dizer que são CONIVENTES !

  5. Os advogados falaram sim que foi alguém ligado á igreja Testemunhas de Jeová, inclusive que fizeram reunião para fazer uma vaquinha e pagá-los. Depois foram dando outras versões. Em nenhum momento os advogados falaram que estão trabalhando de graça.
    E a imprensa está pouco se lixando para a história deste esfaqueador, como se o fato fosse secundário. Imprensa esta que é sensacionalista com qualquer bala perdida. Vai atrás da família, amigos fuça tudo. Neste caso não tem audiência, né? Ignora até notícias como esta:
    https://www.oantagonista.com/brasil/urgente-onyx-lorenzoni-vai-oab-questionar-honorarios-de-advogados-de-agressor-de-bolsonaro/
    Querem empurrar para debaixo do tapete o assunto. Vai ser pior, vai estourar uma surpresa-bomba sobre este caso bem perto das eleições.

    • “Os advogados falaram sim que foi alguém ligado á igreja Testemunhas de Jeová, inclusive que fizeram reunião para fazer uma vaquinha e pagá-los.”

      Pois é isso que estou falando mais acima!

      Os advogados não disseram em nenhum momento que foi a instituição igreja Testemunhas de Jeová quem os contrataram e sim que foi UMA pessoa que pertencia a igreja.

  6. Essa mentira, que foram contratados por uma pessoa da igreja, que não quis se identificar, era muito óbvia.
    Ou eles foram contratados por gente interessada em usar o assassino com declarações políticas, e esses advogados deveriam ser cassados, ou eles querem usar a defesa do assassino como marketing.
    De qualquer forma, esses advogados mentiram descaradamente.

  7. Estão tentando jogar a população contra os evangélicos e religiosos. As igrejas desmentidas com veemência. Não deu certo.

    Pensaram que o cara seria linchado pela multidão. Não aconteceu e também não deu certo.

    O cara consegue 4 advogados renomados em poucas horas depois da tentativa de homicídio.

    Na audiência de custódia, ele cometeu um lapso dizendo que as coisas não aconteceram como “pretendíamos.

    Foram apreendidos 4 telefones celulares e um notebook em sua possessão. Mas ele usou uma Lan House para se comunicar para ficar abaixo do controle do radar.

    Pagou 2 semanas de estadia em uma pensão adiantado e em cash. Tinha dinheiro.

    Viajou pelo Brasil, diferentes estados e cidades. Tinha uma fonte de sustento.

    Fez treinamento na academia de tiro de Florianópolis. Imagine despesas com instrutor, armas e munição. Não é barato.

    O cara foi filiado ao PSOL por 7 anos e esteve na Câmara Federal em 2013 em reunião com um deputado federal, provavelmente de seu partido. Haviam na época 3 deputados do PSOL e um deles era Jean Willys.

    O cara tem cartão de crédito internacional do Itaú. O banco precisa explicar isso.

    Tudo leva a crer que Adélio NÃO é pobre, desempregado, louco ou doente mental ou lobo solitário. Ele é matador profissional contratado pela esquerda para executar um serviço, e a mando de alguém.

    Com certeza os militares estão fazendo investigação paralela, o que a Polícia Federal não descobrir eles descobrirão.

    O melhor para o Adélio é abrir a boca e começar a falar porque da prisão ele não sairá tão cedo. E se sair, será eliminado como queima de arquivo, exatamente como no caso do Celso Daniel.

  8. Esse que se diz defensor do agressor não tem moral. é apenas um quase profissional que quer fama. pode até ter alguém pagando, o que duvido, mas só quer aparecer. De repente o p.c. c do alckimin o contrata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *