Impossível desconhecer a Constituição

Carlos Chagas

É conhecido o diálogo entre Alexandre e Diógenes, numa praça de Atenas, quando o vencedor dos gregos e futuro conquistador do mundo indagou do genial pensador o que poderia dar-lhe como retribuição por suas lições: fortunas, palácios, honrarias e tudo o mais que fosse. Estavam defronte ao barril onde Diógenes morava, e a resposta surpreendeu e calou Alexandre: “majestade, não me tires aquilo que não me podes dar…” Acontece que o visitante se colocara entre o sol e o visitado, impedindo-o de receber luz e calor.

Vale o mesmo para as relações entre o Congresso e a presidente Dilma. Ela pode prometer tudo a deputados e senadores, desde nomeações até benesses e favores variados, mas não terá sucesso se estiver pretendendo comprar o silêncio e a imobilidade do Legislativo diante das iminentes iniciativas obrigatórias a ser adotadas como reação às sucessivas denúncias de roubalheira no governo. Parece inexorável a abertura de processo de impeachment contra Madame, não porque ela se tenha locupletado na lambança da Petrobras e outras, mas pelo fato de ser a responsável maior pelo que aconteceu. Como presidente da República, não poderia deixar de saber de tudo, do envolvimento de seu partido, de seus aliados e até de seus ministros no desvio de dinheiros públicos para garantir sua reeleição e a permanência da atual quadrilha no poder.

IMPEACHMENT

Dilma não conseguirá tirar do Congresso o dever irrevogável de zelar pela sobrevivência das instituições democráticas. Porque, frente a tantos escândalos denunciados e evidenciados, não sobreviveremos como nação e como estado organizado caso não se faça justiça. Pode ser cruel o afastamento de quem não participou, pessoalmente, do festival de corrupção encenado até antes de seu primeiro mandato, mas fica claro que tudo aconteceu com seu conhecimento. Como imaginar que pudesse fechar-se na redoma de vidro do palácio do Planalto, cercada por inocentes e, mesmo, por coniventes? Até por isso, se fosse verdade, não teria condições de continuar. O país não aguentará três anos e meio de silêncio, depois de tanto tempo com as vísceras expostas.

Como ignorar tudo o que o Ministério Público e a Polícia Federal vem apurando desde o mensalão do período Lula, sem falar na exposição promovida pela mídia e, mais do que tudo, do trabalho que a Abin obriga-se a prestar? É pouco, quase nada, determinar que cada um dos acusados se defenda, até sem afastá-los de suas funções e de seu círculo mais chegado. Por tamanha leniência, para não falar em conluio, logo se abrirá no Legislativo o processo de afastamento da presidente. Assim como Diógenes não passava sem o seu banho de sol, o Congresso também não desconhecerá a Constituição.

4 thoughts on “Impossível desconhecer a Constituição

  1. O Carlos Chagas está muito otimista pensando que o congresso vai abraçar um pedido de impeachment da presidanta. Os eficientes congressistas já estão sendo beneficiados pelos carguinhos do quinto escalão, mais as verbas para construir os puteiros no interior dos interiores e o partido capacho, aquele que nunca deixou de mamar nas tetas do governo não vais ser agora que vai assumir uma postura honesta. O que é bem diferente de ser honesto.

  2. Carlos Chagas, continuas com o “virus de 1964”, que conheces bem. Derrubar, Depor são verbos que gostas de conjugar. E ainda dizes que pode ser cruel o afastamento de quem não participou pessoalmente do festival de corrupção. Mas fica claro que tudo aconteceu com o seu conhecimento.Se é assim como dizes nossas leis estão em conflito. E a individualidade da culpa onde fica? E a presução da inocência ? Se fosse assim para que serviriam os tribunais? Se aparecer um dos envolvidos dizendo: eu dei dinheiro a Dilma ou ao seu marido, seu irmão, sua filha, a confirmar-se fica claro a culpa. Se um secretário disser que ao solicitar dinheiro de uma empresa fazia por ordem direta da presidente, também fica claro. Se o dono de uma empresa disser conversei com a presidente e ficou combinado que daria X para sua campanha em troca de facilidades, também fica claro. Na hipótese que aventas, só os quartéis resolvem com os tanques nas ruas e o fechamento do congresso. Você não esconde esse desejo, mas os tempos são outros. Tem que haver julgamento se for o caso, com amplo direito de defesa. Se disseres que o PT botou Dilma em uma enrascada, cercando-a de gente de má índole, eu concordo. Que a presidente sabia que o partido recebia ajuda financeira das empresas para suas eleiçãoes, claro que sabia. Era a cultura da época com todos partidos recebendo ajuda. Mas que era um tipo sofisticado de crime em que todos conscientemente participavam, até agora não acredito que ela soubesse. Não defendo Dilma, mesmo porque sou trabalhista seguidor de Getúlio, Jango e Brizola, e tenho sobre ela muitas desconfianças. Ao passar 21 anos no PDT, depois dar uma rasteira em Brizola, levando 504 pedetista para o PT, entrou na lista dos suspeitos de terem sido infiltrados pelo general Golbery do Couto e Silva no PDT para desestabilizar Brizola.

  3. Parece inexorável a abertura de processo de impeachment contra Madame, não porque ela se tenha locupletado na lambança da Petrobras e outras, mas pelo fato de ser a responsável maior pelo que aconteceu. Como presidente da República, não poderia deixar de saber de tudo, do envolvimento de seu partido, de seus aliados e até de seus ministros no desvio de dinheiros públicos para garantir sua reeleição e a permanência da atual quadrilha no poder.

    NÃO CONCORDO COM ESSE VIÉS INOCENTADOR SOBRE A ANTA PRESIDANTA!
    AFINAL DE CONTAS QUEM É QUE DISSE ALTO E BOM SOM QUE IA FAZER O DIABO PARA GANHAR A ELEIÇÃO!
    NÃO SÓ FEZ, COMO INCENTIVOU E DEIXOU FAZER! E MAIS AINDA PROVAVELMENTE VENDEU A PRÓPRIA ALMA PARA O TINHOSO! A CONTA ESTÁ CHEGANDO TALVEZ BEM MAIS CEDO DO QUE A ANTA PRESIDANTA MARGINAL PENSAVA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *