Imprensa mundial ironiza desfile de blindados e The Guardian fala em ‘República de Bananas’

[object Object]

Repercussão do “desfile” no exterior foi altamente negativa

Jamil Chade
UOL

Com ironia e comentários sobre o desespero do governo para se manter no poder, a imprensa internacional repercutiu nesta terça-feira o desfile militar organizado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O jornal britânico The Guardian citou como críticos qualificaram o ato de “desfile de República de Bananas”, enquanto chegou a ironizar o fato de que imagens de desfiles na China foram usados por aliados do presidente para marcar a data, adicionando um “sentido de absurdo” ao evento.

O jornal e outros pelo mundo destacaram como um ato durou “apenas dez minutos” e contou com tanques que soltavam fumaça.

FOI UM FIASCO – O Guardian também cita a baixa presença de apoiadores e indicou que críticos classificaram o evento de “fiasco”.

Já o jornal francês Le Monde destacou que o desfile era “inédito” nos 30 anos da democracia brasileira. Mas explicou como Bolsonaro vive uma queda de popularidade, diante da morte de 564 mil pessoas no Brasil por conta da pandemia da covid-19. “As pesquisas preveem uma grande derrota contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”, indicou o jornal, sobre um possível confronto em 2022.

O jornal de referência na França ainda cita como, no Brasil, há um temor de um “cenário a la Trump”, numa situação de um presidente que se recusa a deixar o poder. “Bolsonaro, que sabe que as instituições de Brasília são mais frágeis que as de Washington, não faz nada para dar garantias: «Se não tivermos voto impresso em 2022, teremos um problema pior que nos EUA”, disse, em janeiro.

ATO INUSUAL – Em Portugal, na Bélgica, Canadá ou EUA, a imprensa também fez uma relação entre o desfile e a situação pouco confortável de Bolsonaro nas eleições de 2022. Na Espanha, a agência pública EFE chamou o ato de “inusual”.

Usando agências de notícia, o jornal argentino La Nación destacou como “partidários do governo se concentraram diante da presidência, alguns levando cartazes pedindo uma intervenção militar para salvar o Brasil”.

Já a Reuters apontou como “políticos de todo tipo qualificaram o desfile como um ato de “intimidação”.

IMPORTÂNCIA DO GESTO – Entre os governos estrangeiros, a reação foi a de não menosprezar a importância do gesto do presidente. O temor de parte da comunidade internacional é de que isso seja simbólico do comportamento de Bolsonaro e uma tensão que poderia levar a uma instabilidade política inédita.

Para diplomatas estrangeiros ouvidos pela coluna, o ato deixa o presidente – e de certa forma o Brasil – ainda mais isolado.

“Hoje, sair em uma foto com Bolsonaro é comprometedor para muitos líderes pelo mundo”, admitiu um negociador europeu.

10 thoughts on “Imprensa mundial ironiza desfile de blindados e The Guardian fala em ‘República de Bananas’

  1. Interessante essas dos gatos.

    Quando a TI coloca algum artigo que fala do Ciro Gomes, a turma anti – Ciro posta os mesmos comentários já dito em posts anteriores sobre o Ciro. Deviam ter mais um pouco de criatividade.

    A maioria das pessoas do sul e sudeste é preconceituosa em relação ao nordestino.

  2. quem pouco caso faz
    ou tergiversa
    sobre assunto
    de importância capital
    é tolo contumaz
    saudos@ da ditadura milico-servil
    só vê o próprio umbigo
    segue direto pro abismo
    e tenta
    desesperadamente
    levar os outros consigo.

    a imprensa mundial
    foi ao cerne da questão.
    expôs os ridículos
    os teleguiados
    e os insanos
    preocupados com o ego
    deixam de lado mortes EVITÁVEIS
    de centenas de milhares de humanos.

  3. Ironias e piadas ajudam a desopilar o fígado, mas infelizmente não aliviam calamidades públicas como a que estamos vivendo, nunca poderemos ignorar as opiniões internacionais, já quer termos dado provas de não conseguir andar com as próprias pernas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *