Incompetência do governo Temer ameaça levar o país a uma guerra civil

Como a PM-DF permitiu que isso acontecesse?

Carlos Newton

A oportunidade foi excelente. As centrais sindicais – todas elas, sem exceção – desta vez se uniram para protestar e investiram pesado na convocação, gastando recursos próprios para bancar transporte, estadia e alimentação de dezenas de milhares de militantes, que viajaram a Brasília com objetivo específico de botar para quebrar, como se dizia antigamente. Em alguns ônibus que interceptou, a Polícia Rodoviária Federal apreendeu facões, barras de ferro e bastões de madeira a serem usados na balbúrdia. Os manifestantes levaram até coquetéis molotov e explosivos, e um jovem ativista perdeu os dedos quando a bomba explodiu prematuramente.

Tudo isso é grave, gravíssimo, porque prenuncia uma guerra civil que está só começando e vai se agravar nos próximos dias, se o inconsequente governo de Michel Temer insistir nessa política suicida de misturar problemas trabalhistas e questões sindicais, como se fossem a mesma coisa, pois na verdade são muito diferentes.

IRRESPONSABILIDADE – O bom senso recomendava que o governo mandasse retirar da pauta as reformas da Previdência e da CLT, para acalmar os ânimos. Mas o presidente Temer fez justamente o contrário, ao pressionar as lideranças da base aliada a aprovar logo as propostas, ambas altamente controversas.

Com o poder desmoronando sob seus pés, cercado de ministros e assessores corruptos, mesmo assim o governo Temer sonha em seguir em frente. Sem criatividade, o presidente adota a mesma estratégia de seus antecessores Lula da Silva e Dilma Rousseff, alegando estar sendo vítima de perseguição política, quando todos sabem que as verdadeiras vítimas são as instituições brasileiras e o interesse público.

Agarrando-se na simulação, Temer procurou se aproveitar do estrago que os sindicalistas fizeram em Brasília nesta quarta-feira , com apoio dos movimentos sociais, dos petistas e de seus aliados. E para se fazer de vítima, o presidente então convocou as Forças Armadas para patrulhar a Praça dos Três Poderes e justificar sua permanência no poder.

TRADUÇÃO SIMULTÂNEA – As aparências enganam. Não cabe às Forças Armadas esse tipo de policiamento, não têm condições nem verbas para fazê-lo. Quem dispõe de escudos, máscaras, coletes, balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo e spray de gás de pimenta é a Polícia Militar. A convocação das Forças Armadas é apenas figurativa, uma fugidia demonstração de força, pois o próprio ministro da Defesa Raul Jungmann logo anunciou que os militares só devem ficar por 48 horas, vejam a que ponto chega a desfaçatez dessa gente.

O pior é que Jungmann atribuiu a decisão de convocar os militares a um pedido que teria sido feito pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que imediatamente deu entrevista desmentindo. Não pediu nada. Foi decisão do Planalto, em manobra de objetivo meramente político.

Mas isso já não interessa. O importante é que o grave problema seja enfrentado de frente para ter solução, mas ninguém nem se preocupa sequer em equacioná-lo.

O GRANDE DESAFIO – No momento, a reforma da CLT não é mais a questão a ser abordada. O grande problema é a República Sindicalista que foi se consolidando através dos tempos e se tornou um braço do PT, financiado pela contribuição anual obrigatória dos trabalhadores e pelos repasses do Sistema S (Sesc, Senai etc.). É a República Sindicalista que está em jogo, por isso todas as centrais sindicais estão unidas nesta guerra.

Se o governo mirasse o interesse público, se apressaria em separar as questões, sem querer resolvê-las simultaneamente. A reforma da CLT é uma coisa e já está parcialmente feita, com a terceirização radical, enquanto a questão sindical é outro departamento. Misturar as estações é uma política explosiva, que ameaça a democracia, mas Temer e sua gangue não estão nem aí.

MISSÃO PRINCIPAL – Nesse aspecto, o maior desafio brasileiro é derrubar a República Sindicalista, e as Forças Armadas realmente devem ser convocadas com esta finalidade. E, por ora, é preciso esquecer a reforma da CLT terceirizada e concentrar esforços na derrubada da contribuição anual e dos repasses obrigatórios do Sistema S.

O pior problema nacional é este, mais grave até do que o crescimento da dívida pública, passível de ser solucionado sem a ocorrência de uma guerra civil, que as centrais sindicais já estão declarando, com apoio dos exércitos do Stédile, do Boulos, dos Black Blocs, da UNE, do PT, da Mídia Ninja e do Fora do Eixo, entre outros supostos movimentos sociais, se é que podemos chamá-los assim.

###
PSA convocação das Forças Armadas recebeu apoio imediato em Brasília, porque o governo de Rodrigo Rollemberg (PSB) é totalmente omisso, em termos de Saúde, Educação e Segurança, conforme informou nesta quarta-feira José Carlos Werneck aqui na Tribuna da Internet, ao destacar que o ministro Jungmann não teve nem mesmo a delicadeza de consultar o governo do Distrito Federal, antes de Temer baixar o decreto. Ou seja, Rollemberg é um governador inteiramente desprestigiado. (C.N.)

19 thoughts on “Incompetência do governo Temer ameaça levar o país a uma guerra civil

  1. Muito bom dia a todos! Rollemberg está conseguindo ser pior que Roriz, Arruda e AgNULO juntos, incrívelmente! O GDF “caiu no colo” de Rollemberg quando Arruda insistiu em uma candidatura impossível em função da Lei da Ficha Limpa. Em Brasília e, no Brasil em geral, parece existirem apenas dois tipos de políticos: os que roubam mas fazem e, os que roubam e nada fazem! Os nossos representantes não nos representam mais há muito tempo! Representam a si, seus próprios interesses, aos seus financiadores e seus interesses. Geralmente esses interesses são relacionados a licitações, a dinheiro, a verbas públicas e a corrupção. Temos que fechar e reformar todas as instituições antes de reabri-las! Recomeçar do zero. Fazer uma mudança cultural onde o brasileiro comum pare de olhar apenas para o próprio umbigo e passe a ter senso de coletividade. Passe a cobrar seus direitos lembrando sempre que também tem obrigações . Temos que ensinar cidadania e educar uma nação que hoje anda descrente e também doente. Que Deus ajude o Brasil e seu povo!

  2. É isso CN, parabéns pela lucidez (coisa rara neste dias)!
    As mídias em geral têm a obrigação de chamar a sociedade à reflexão!
    A internet não pode se tornar um instrumento vetor da ignorância e violência gratuita!
    É preciso insistir em esclarecer as pessoas acerca dos riscos da barbárie que assola a nação. É preciso Coragem para pensar diferente do comum.
    Cito Nelson rodrigues , para quem, “Toda unanimidade é burra. Quem pensa com a unanimidade, não precisa pensar”.

  3. É claro que o vandalismo não é a solução para o país. Mas a pergunta que não quer calar na boca de quem respeita a Lava Jato: como um presidente desmoralizado eticamente como é o caso de Temer, tem autoridade moral para chamar as Forças Armadas, e mais, como poderá governar o país senão pelo uso da força?
    Extremamente preocupante!

    • Prezada Silvia … Temer conhece muito bem as atribuições de Procurador Geral – pois o foi do Estado de São Paulo … e também foi Secretário de Segurança, tendo criado a primeira Delegacia da Mulher no Brasil.

      Saudações!!!

  4. Os militares estão esperando o que? Guerra civil? No caos já estamos.
    Afinal, o que eles foram fazer no dia 19 do corrente no Planalto, tendo sido chamado o Maia e D; Marcela; ainda não consegui resposta para esta questão.

  5. Não tem guerra civil e sim meliantes da esquerda o qual é um grupo de jovens geralmente com pai e mãe alimentado um marginal. Tivemos varias manifestações e nem um incidente como ontem. Um marginal perdendo a mão demostra a real intenção de realizar o caos, depois da manifestação pró-lula só restou baderneiros ir a rua em ato de vandalismo.

  6. O lula fez do Exército Brasileiro, uma força policial que até hoje policia as ruas do Haiti, com todo o ônus decorrente do fato, pago pelo contribuinte brasileiro.
    Quando a capital do pais é tomada por baderneiros e o policiamento da cidade é incompetente para fazer frente a agressão, o PT e as esquerdas se insurgem contra a medida.
    O Exército nas ruas é o prenúncio de que tudo o que poderá acontecer, terá que ser dentro da lei..
    Contra qualquer tentativa de golpe, as baionetas serão caladas.( Por a baioneta no fuzil, chama-se “calar”)

  7. Então é por isso que o Lula não foi preso???
    Para evitar o que já está acontecendo? De que adiantou?
    Fazer o que e certo da certo. Lula na cadeia, e Exército nas ruas, protegendo a Constituição

  8. O QUE SERIA BADERNA OU VANDALISMO???

    Grande parte da grande imprensa já começou a desqualificar as manifestações populares que estão ocorrendo em Brasília e na cidade do Rio de Janeiro.

    Evidentemente, não somos favoráveis a atos inconsequentes de violência. Aliás, tais atos são sempre praticados por uma minoria dos manifestantes. Alguns excessos são mesmo inevitáveis, em se tratando de uma atuação coletiva e sem controle. Casos há em que a “massa” se torna incontrolável.

    Nada obstante, é preciso contextualizar toda esta situação caótica, motivada pela perda da paciência de uma população carente, que está assistindo a um cenário de corrupção epidêmica e que seria altamente penalizada pelas tais reformas do senhor Temer, que visa satisfazer, mais uma vez, a cobiça desta classe empresarial elitista e hipócrita.

    No Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul, os vencimentos do funcionalismo não estão sendo pagos regularmente e as pensões e aposentadorias estão muito atrasadas.

    Por isso, tomado por muita indignação e alguma dose de emoção, ouso fazer uma espécie de desabafo:

    * Baderna ou vandalismo é um congresso de corruptos modificar cerca de 100 artigos da CLT.

    * Baderna é o negociado sobre o legislado.

    * Baderna é o desemprego cada vez mais crescente.

    * Baderna ou vandalismo é dificultar a aposentadoria das pessoas. Baderna ou vandalismo é diminuir substancialmente a pensão da viúva, quando morre o seu marido.

    * Baderna ou vandalismo é dificultar a aposentadoria dos trabalhadores, enquanto o poder público perdoa altas dívidas de empresários devedores da previdência social;

    * Baderna ou vandalismo é conceder isenções tributárias e renúncias fiscais, quando o poder público corta despesas de cunho social.

    * Baderna ou vandalismo é ser dominado pelo poder econômico.

    * Baderna ou vandalismo é ser governado por um presidente que não tem sequer 10% de aprovação do povo.

    * Baderna ou vandalismo é distribuir rádios e televisões aos amigos endinheirados.

    * Baderna e vandalismo é não ter dinheiro para salvar a vida de um filho, enquanto os “riquinhos” deste país jogam dinheiro “pelo ralo”.

    * Baderna ou vandalismo é ter que chegar às 5 horas da manhã na fila dos hospitais para ser mal atendido ao meio dia ou mais tarde ainda.

    * Baderna ou vandalismo é trabalhar a vida toda e viver eternamente na miséria.

    * Baderna ou vandalismo são os nossos índices de mortalidade infantil e de analfabetismo.

    * Baderna ou vandalismo é a corrupção praticada pela classe empresarial, baderna e vandalismo é a impunidade dos maiores corruptores do país.

    * Baderna ou vandalismo é o Ministério Público Federal e criminosos confessos fazerem, livremente, acordos sobre penas e regimes de cumprimento de penas, subvertendo todos o nosso sistema de justiça criminal.

    * Baderna ou vandalismo é um congresso eleito pelo poder econômico.

    * Baderna ou vandalismo é um presidente da república indiciado em inquérito policial no S.T.F. e “delatado” por várias outras condutas delituosas, etc, etc, etc.

    * Baderna é não fazer “baderna” diante de tantas badernas …

    Afranio Silva Jardim, professor associado de Direito Processual Penal da Uerj. Mestre e Livre-Docente em Direito Processual (Uerj)

  9. Na realidade a vários anos vivemos em uma Guerra Cívil e de Guerrilha.

    De cada 100 homicidios no Planeta Terra 11 são no Brasil Maravilha.

    Das 50 cidades do mundo com as maiores taxas de homicidios, 19 são no Brasil.

    Isto é ou não é uma Guerra Cívil sem ser reconhecida pelas autoridades.

  10. Caro CN … é uma do toma lá dá cá KKK kkk KKK

    Escrevo o amigo: “É a República Sindicalista que está em jogo, por isso todas as centrais sindicais estão unidas nesta guerra.”

    toma lá – proibição de financiamento de empresas aos partidos e seus políticos

    dá cá – não obrigatoriedade do imposto sindical

    kkk KKK kkk

  11. A manchete fala da incompetência do Temer.
    A legenda da foto cita a incompetência da PM-DF.

    Mas quem deveria cuidar disto seria o governador do PSB omisso e conivente (Rollemberg).

    Daí quando o Temer chama as FFAA, os esquerdopatas caem em desespero.

    Sinceramente, fiquei confuso!

  12. Me desculpe esta coluna mas no Brasil existe muito poucos homens de saco roxo e ideológia para isso , o que existe são indignados de plantão , que expressam esta indignação somente através de comentários em coluna de jornal e criticam os que poem a cara à tapa .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *