Inconstitucionalidade da reforma política

Helio Fernandes

Como eu disse, não pode ser aprovado nada do que está sendo “debatido”. Minha esperança e do país, é que seja mantido o voto direto. Tenho certeza que na Câmara nada disso será aprovado. Os deputados serão prejudicados, a não ser num caso. Que pertençam às cúpulas ou sejam caciques partidários.

Os que são chamados depreciativamente de “representantes do baixo clero”, perderão os mandatos, não entrarão nas listas, qualquer que seja o partido. Portanto, ficarão de fora.

E nem poderão reclamar, NÃO TERÃO VOTO ALGUM, o voto será SOMADO apenas para a cúpula. Se os deputados referendarem o que o Senado está decidindo, estarão mortos politicamente, cometendo haraquiri.

*** 

ÚNICO PONTO POSITIVO

No voto proporcional, acabando as coligações, é o único ponto positivo. Há anos, muitos e muitos anos, clamo, escrevo, maldição contra esses acordos. Agora, com a certeza de que a reforma (?) dificilmente será referendada, torpedearam essas coligações. Muitos parlamentares das mais diversas legendas, depois da ditadura, fizeram coligação com Brizola, Moreira, Marcello, Garotinho, Dona Garotinha, todos. A lei permitia. Membros da Comissão da Reforma Partidária defendiam isso abertamente.

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *