Indicação de desembargador ao STF com participação de Gilmar Mendes irrita ministro Luiz Fux

Fux nunca escondeu preferência pelo ministro Luis Felipe Salomão

Jussara Soares
Estadão

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, reagiu negativamente à indicação do desembargador Kassio Nunes Marques à Corte. Fux, segundo relatos feitos ao Estadão, se irritou principalmente por ter visto uma interferência direta do ministro Gilmar Mendes na escolha do indicado do presidente Jair Bolsonaro. O ministro Dias Toffoli também participou da reunião na casa de Mendes que selou o favoritismo do desembargador do Piauí.

O presidente da Corte só soube da escolha do desembargador do Piauí pela imprensa na manhã desta quarta-feira, dia 30. Fux nunca escondeu a preferência pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STF), Luis Felipe Salomão. A vaga da Corte se abre no dia 13 de outubro com a aposentadoria do decano Celso de Mello.

ENCONTRO – A escolha de Bolsonaro por Kassio Nunes foi definida em um encontro nesta terça-feira, dia 29, na casa de Gilmar Mendes. Na tentativa de se aproximar do STF e da classe política, o presidente Jair Bolsonaro pediu ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que fizesse a intermediação para o encontro.

Como mostrou o Estadão, Alcolumbre ligou, então, para Gilmar, que logo providenciou uma reunião em sua casa. O ministro Dias Toffoli, que deixou a presidência do Supremo no último dia 10, também foi convidado para a conversa, que durou de 19h às 21h. Com Kassio Nunes Marques a tiracolo, Bolsonaro fez elogios à Corte e afirmou estar confiante na independência e harmonia entre os Poderes.

O favoritismo de Kassio na corrida ao Supremo pegou boa parte do governo de surpresa na manhã desta quarta-feira, 30. O Estadão apurou que o seu bom trânsito, tanto no Congresso quanto no Judiciário, pesaram a favor da indicação. O desembargador já tinha bom relacionamento com Gilmar e com Toffoli.

ACENO – Outro ponto a favor foi o fato de ele ser do Piauí. A possível indicação de Kassio é um gesto de Bolsonaro ao Nordeste, região da qual o presidente busca se aproximar, já de olho nas eleições de 2022. Nas redes sociais, o senador Ciro Nogueira (PI), presidente do Progressistas, comemorou o favoritismo do conterrâneo.

Segundo integrantes do governo, o nome do desembargador surgiu e se apresentou como uma solução para os problemas de Bolsonaro, que tinha como opções os ministros da Secretaria-Geral, Jorge Oliveira, e da Justiça, André Mendonça. A avaliação é a de que os dois ministros ocupam cargos-chave e a indicação de qualquer um deles implicaria em uma obrigatória mexida no governo.

Apesar do favoritismo de Kassio Nunes, integrantes do governo tratam a indicação dele com cautela. Eles veem no vazamento do nome do desembargador como mais uma estratégia de Bolsonaro para sentir a recepção do possível indicado, assim como ocorreu em outras ocasiões. A avaliação é que Kassio Nunes ainda precisa passar pela “fritura” da base bolsonarista nas redes sociais e, portanto, Bolsonaro ainda pode mudar de ideia.

10 thoughts on “Indicação de desembargador ao STF com participação de Gilmar Mendes irrita ministro Luiz Fux

  1. GilmaRacutaia!

    À medida que for aproximando-se a data da substituição de Celso de Mello, mais se acirrará a disputa entre Augusto Aras e André Mendonça: ambos forçando os mais absurdos livramento em prol da Famiglia Bolsonavírus! Quem der mais leva! Está aberta a contagem!
    Quem teve a chance de ouro para abortar essa facção pandemônica foi o Adélio Bispo!

  2. Gilmar Mendes, Toffoli e Nogueira desqualificaram a indicação. Não serve! Estará lá no STF para garantir a impunidade geral dos corruptos de todas as matizes. Nem adiantará Fux pautar novamente a prisão em 2 instância com esse “garantista” por lá. STF = suprema vergonha nacional!!!

  3. Se tem o aval do Beiçola, do Toffoli cachaça e Ciro ladrão, não serve para consertar nada, apenas para o “Tem que manter isso, viu?”.

    Pobre Brasil!

  4. “Governo Bolsonaro repassou a programa de Michelle R$ 7,5 milhões doados para testes de Covid.

    Empresa Marfrig fez doação ao Ministério da Saúde, mas verba foi parar em projeto de primeira-dama; Casa Civil não comenta” (folha)

  5. O Brasil de hoje é resultado da simbiose entre os poderes. Uma orgia entre os donos do estado encastelados nos gabinetes da nação.

  6. O indicado pelo boçal para a suprema corte tem um bom relacionamento com o GM e o Toffoli, então não deve ser tão boa coisa assim. Bem diz o ditado, dize-me com quem andas e dir-te-ei quem és.

Deixe uma resposta para Norival Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *