Inflação alta, medida por IBGE e FGV, sufoca os segmentos sociais de renda mais baixa

Acidente de Harrison Ford e inflação nas charges deste sábado - Região - Jornal VS

Charge do Tacho (Arquivo Google)

Pedro do Coutto

Num editorial da edição de sábado, a Folha de São Paulo focalizou muito bem o problema da inflação, tanto a calculada pelo IBGE quanto a medida pela Fundação Getúlio Vargas, destacando a diferença essencial entre a dança dos números para os grupos de menor e maior renda. Isso porque o item mais afetado pelo aumento de preços sem dúvida alguma foi a alimentação.

Ocorre que o grupo de menor renda está mais exposto ao aumento de custo de vida, porque a maior parte de suas despesas é com o consumo de alimentos. Para as classes de renda mais alta, o percentual com alimentação é menor.

MAIORIA DO POVO – Então, para mim, a disparada de produtos alimentícios sufoca a maior parte da população. A FGV e o IBGE entretanto, dizem que houve o inverso. Na minha opinião, os cálculos do IBGE e da FVG não refletem a realidade. Os preços subiram muito mais do que os índices apontados pelas duas instituições.

As pesquisas de preços se baseiam nos preços mínimos dos supermercados, mas isso não significa que a população possa praticá-los. Porque num supermercado o feijão está mais barato e o arroz mais caro. Em outro supermercado acontece exatamente o contrário. Os consumidores navegam nas ondas dos preços na estratégia utilizada largamente pelas vendas no varejo.

Mas o que dizer do preço dos remédios? Do reajuste dos alugueis, das tarifas de transporte coletivo? Não acredito que o real fator inflacionário tenha fechado 2020 na convergência entre o IBGE e a FGV.

CRÍTICAS À FOLHA – Em artigo também na Folha de S. Paulo, o ex-prefeito Fernando Haddad despediu-se da coluna semanal que escrevia e criticou duramente a linha editorial do jornalão.  Disse que a Folha estava publicando matérias para evitar que Lula possa ser candidato nas eleições de 2022.

Ou seja, Haddad não leva em consideração a sequência de fatos que impedem o retorno do ex-presidente ao Palácio do Planalto. A própria bancada do PT na Câmara Federal, por maioria de votos, decidiu apoiar a candidatura de Baleia Rossi. A diferença de votos foi pequena, mas seguramente significou uma derrota para Lula, que sempre isolou o PT em qualquer acordo político com o MDB, PSOL e com qualquer outro partido. Salvo quando estava no poder, quando se aliou aos segmentos políticos mais corruptos do país.

5 thoughts on “Inflação alta, medida por IBGE e FGV, sufoca os segmentos sociais de renda mais baixa

    • Gratíssimo pela correção, amigo Duílio Mendes (Tive um grande amigo chamado Duilio, que trabalhava no IBGE). Foi erro mesmo, que eu cometi.

      Abs.

      CN

  1. Não sei não; hoje no jornal da afiliada da Globo aqui em PE foi noticiado que o alho saiu de vinte e três Reais para quarenta e seis. Fui no Extra Bom aqui em Piedade / Jaboatão dos Guararapes e comprei mais alho a dezenove e centavos o kg.
    Podia até ter comprado o alho que estava a mostra e ido vender o mesmo a trinta e cinco Reais o que daria mais de cinquenta por cento no investimento.

  2. Quanto ao Lula quando vejo uma foto recente dele eu só enxergo muito ódio em seu semblante; mas, ele tem o direito legítimo de querer se candidatar novamente pois a corrupção agora não está amparada e muitos liberados e investigações ditas improcedentes “engavetadas ad infinitum”?!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *