Informação ao general Eduardo Ramos: quem estica a corda é o próprio Jair Bolsonaro

Ficheiro:Luiz Eduardo Ramos em 23 de julho de 2019.jpg – Wikipédia ...

Ramos diz que se disfarçou para não ser reconhecido no protesto

Pedro do Coutto

O general Luiz Eduardo Ramos, ministro-chefe da Secretaria de Governo, em uma entrevista à Veja que circulou ontem, e que deu margem a reportagem de Naira Trindade e Gustavo Maia, O Globo de hoje, afirmou não haver perspectiva de golpe militar no país, mas é preciso, acrescentou, a oposição não esticar demasiadamente a corda. A posição inicial de Ramos é democrática. Porém a conjunção “mas” é sempre restritiva à frase anterior.

Portanto, a advertência à oposição cria uma dubiedade contestada pelos partidos políticos, inclusive dos parlamentares que apoiam o Palácio do Planalto.

VAI PARA A RESERVA – Defendendo sua colocação o ministro anuncia que vai passar para a reserva, acumulando portanto o posto no Exército com sua condição atual.  O general Ramos revela ter decidido passar para a reserva porque, diz ele, “fui muito criticado pelos meus companheiros de farda. Não me sentia bem. Não tenho o direito de estar aqui como ministro e haver qualquer leitura equivocada. Conversei com o ministro da Defesa e com o Comandante do Exército e vou pedir para ir para a reserva.”

Na minha opinião, e aliás na dele, general, ele cometeu um erro ao sobrevoar de helicóptero com o presidente Bolsonaro e descer próximo a manifestação antidemocrática que pedia o fechamento do STF e do Congresso Nacional. Tanto que ao se aproximar do Palácio do Planalto colocou um boné na cabeça e óculos escuros para não ser reconhecido.

Para mim quando a pessoa oculta algo é porque tacitamente admite que sua presença no local não é adequada. Quem oculta tenta encobrir o fato. Como dizia Santiago Dantas, nenhuma posição é legítima, quando quem a ocupa não pode dizer seu verdadeiro nome.

ORDENS ABSURDAS? – Enquanto isso o presidente Bolsonaro afirmava, matéria de Carolina Brígido, que os militares não cumprem ordens absurdas. Ordens absurdas, digo eu, tem um autor ou autores, elas, não surgem do vento. Portanto, nesses casos é fundamental apontar-se quem mandou cumprir absurdos.

A citação é uma resposta de Bolsonaro em relação ao despacho do ministro Luiz Fux, do STF, concedendo liminar impetrada para acentuar que as Forças Armadas não são um poder moderador, e sim sua tarefa é cumprir o que está de fato no artigo 142 da carta, na defesa da pátria e na garantia dos poderes constitucionais.

O presidente da República na nota oficial, encerrou elogiando a decisão de Luiz Fux, que decorreu de representação formulada pelo PDT. Tudo bem. Mas é necessário que o Palácio do Planalto explique melhor o verdadeiro sentido contido no texto do presidente da República.  Mais um caso de ameaça velada através da conjunção “mas”, que deixa tudo no ar.

21 thoughts on “Informação ao general Eduardo Ramos: quem estica a corda é o próprio Jair Bolsonaro

  1. Todos os generais cooptados pelo governo Bolsonaro são Ministro da Defesa sim, senhor! Eles ministram a DEFESA dos altos empregos (sinecuras) e regalias dos seus familiares!

  2. De fato, foi duramente criticado pelo Comando do Exército por sua absurda posição. Como pode um militar da ativa, mesmo a um milímetro de vestir o pijama, tomar de forma tão clara uma posição política e que obviamente atende seus interesses particulares?

  3. “Querem aproximar-se todos do trono: é essa a sua loucura – como se a felicidade eștivesse no trono! Muitas vezes é a lama que está no trono ou então é o trono que assenta na lama. Aos meus olhos, são todos loucos, macacos trepadores e pessoas febris.”…………………….Nietzsche

  4. Pedro do Coutto e seus sempre bons artigos, que nos possibilitam postar nossos aplausos e concordâncias.

    Caso permitires, Pedro, segue o meu pitaco:

    A política não serve para os militares porque os militares não servem à política.

    Todas às vezes que a política se intrometeu nas decisões que não lhe dizia respeito, guerra!
    Todas às vezes que os militares quiseram ser políticos, guerra!

    O parlamento e as FFAA são instituições distintas, que jamais vão andar de mãos dadas ou no mesmo tempo, na mesma era, igual etapa, em face do conservadorismo dos militares, e porque assim deve ser.

    A História registra que não houve nação que alcançasse o desenvolvimento com militares no poder mas, em compensação, temos exemplos inúmeros de políticos no poder que foram corruptos, incompetentes e mal intencionados com o seus próprios povos e nações, que chegaram até destruí-los.

    O poder é mais difícil que conquistar uma posição inimiga, esteja essa em melhores condições de instalações e defesa contra o ataque.
    Pode-se vencer, mas precisa-se calcular o preço a ser pago, caso contrário teremos uma vitória de Pirro.

    Bolsonaro e sua forma de governar estão ocasionando ao Exército o período de sua maior descrença quanto à eficiência e eficácia das FFAA, que o povo se habituou ao longo do tempo.

    Generais, que até então eram nossas reservas morais, sucumbem ao instável presidente, sua truculência, seus desaforos com o povo, sua falta de competência, eficácia, e respeito aos cidadãos brasileiros, afora seus desafios como se ainda fosse um guri jogando bola, e sendo o dono da bola, ainda por cima!

    Assistimos, perplexos, declarações de militares que mais ainda aprofundam as péssimas situações desse governo com os poderes, e até com ele mesmo!

    Bolsonaro regata a imparcialidade das FFAA que permitiram, em nome da “democracia”, que fôssemos roubados, explorados e manipulados por décadas pelas instituições, inclusive o Executivo, evidentemente.

    O presidente por ser ex-militar, obtém uma espécie de autorização do Exército para fazer as suas bobagens costumeiras, demonstrando força e poder, e com os generais ameaçando o STF e parlamento para que não estiquem a corda em demasia!

    Agora, generais, almirantes e brigadeiros, agora??!!

    Depois de trinta anos de corrupção, venalidades, o país tendo perdido trilhões de dólares pela falta de políticas de governo, de uma conduta adequada em benefício do povo e país, da falta de seriedade de seus ex-presidentes, de outros trilhões de dólares roubados do erário nessas três décadas … os senhores ameaçam o parlamento e o Supremo, declarando que não vão aceitar julgamentos políticos??!!
    Mas, então, os senhores generais estão no poder para quê??!!

    A menos que confirmem o que escrevi acima, que militares no poder é guerra – muito bem, faz parte da filosofia militar guerrear, lutar, combater, pois para isso existem.
    No entanto, se o recado político foi dado às instituições, que fiasco!

    De certa forma, seria o mesmo que Alcolumbre comandar uma tropa de paraquedistas descendo atrás das linhas inimigas, e Maia comandando um exército que tomará as suas fortalezas, ou seja, derrota iminente ou, o que seria mais degradante, ambos, o presidente do congresso e da câmara, comandando Ordem Unida para senadores e deputados!
    Quero dizer … cada um na sua.

    Militar ou se comporta com neutralidade, imparcialidade, alheio completamente à política ou, então, acontecerão críticas aos borbotões porque se intrometeram onde não deviam, simples.

    Volto a frisar:
    Se, somente agora, os militares querem participar da política, erraram profundamente o tempo dessa incursão, e não terão em seu favor o elemento surpresa.
    Não sabem como agir; não sabem nada de estratégias e táticas políticas; essas situações não são ensinadas nos cursos militares, menos ainda na Escola Superior de … Guerra!

    De certa forma, constamos nesse momento, o infeliz casamento de dois militares no poder, afora o escandaloso paradoxo:
    O capitão é quem manda e, o general, é quem obedece.
    Ambos, mais os assessores na maioria militares, querem ser políticos!

    Não dá!
    Percebe-se que estão enfiando os pés pelas mãos.
    Logo, crises na política e nas FFAA, em decorrência, no resto que envolve o Brasil e sua população.

      • Espectro, meu guri,

        Sabe como é, tenho de aproveitar meus últimos momentos da melhor maneira possível!

        Lamento e reconheço que me faltam habilidades, cultura, conhecimentos, refinamentos … agora é tarde para eu me arrepender de não ter estudado.

        Outro abraço, meu caro amigo.
        Te cuida, meu!
        Mais saúde e muito paz, e para os teus amados também.

  5. Limongi,

    Digamos que no local de sofrimento, onde existem leitos para pessoas com dores, que suas vidas estejam escapando por entre seus dedos, o hospital, temos tempo para pensar, e muito.

    Ai daqui, ai dali, ai de cá, em cada intervalo a gente está pensando, fazendo aquela famosa retrospectiva da existência.
    O duro, Limongi, é quando a contabilidade apresenta débito e não crédito!

    Então, o sobressalto, a preocupação, pois não há mais como debelar o prejuízo de uma vida que poderia ter sido e não foi ou o que foi e não poderia ter sido!
    Sem ser um jogo de palavras, a verdade é que percebemos estar frente à frente ao desconhecido:
    O que haverá depois dessa vida?
    Serei bem recebido ou serei repudiado pelos que lá se encontram?
    Ou não há nada.
    Uma vez que os olhos se fecham para sempre, a escuridão eterna, o vazio absoluto.

    Por outro lado, o Criador não perderia o Seu precioso tempo em nos elaborar, criar, e depois encerrar a nossa participação em uma de suas moradas abruptamente ou, lá pelas tantas, em frações de segundos, que será a nossa jornada se comparada à eternidade que nos espera.

    Simplesmente teríamos vidas inúteis!
    Por que o respeito?
    Por que a obediência às leis?
    Por que a consideração?
    Por que …. por que … e ficaríamos pronunciando essa expressão até o fim dos tempos sem resposta!

    Dentro de um hospital, inerte em um de seus leitos, sendo atendido por ANJOS em formas de seres humanos, enfermeiras e atendentes, médicos e o pessoal da limpeza, presentes quartos duas vezes ao dia para deixá-los impecáveis, só resta mesmo a reflexão.

    Não há discussões políticas, paixões mundanas – apesar de eu ter convidado CINCO enfermeiras para se casarem comigo! -, o sujeito baixado em um hospital não está à mercê de doenças, não, Limongi, mas de si mesmo!

    Então, eu dizia para mim mesmo, que sou um rebelde.
    Que negócio é esse de eu esmorecer, entregar o jogo, jogar a toalha, pedir penico?

    Nada.
    Quando eu sair do hospital, pensava, vou me esforçar sobremaneira para deixar as minhas ideias, pensamentos, conclusões, interpretações críticas, apoios, agradecimentos, reverências … vou postar meus sentimentos, mais que a ideia que tenho da política, e infinitamente valorizando as amizades que arrebanhei nesses quase dez anos de TI!

    E, tu és o exemplo clássico do tempo perdido que eu tive:
    Quanta encrenca para nada.

    Pois, agora, eis-nos nos dando bem, com respeito, admiração, e enaltecendo a idade que temos agregada à experiência adquirida em sete décadas, setenta anos, mais do que o dobro que viveu … Cristo!

    Che, a cada baixa hospitalar minha, confesso que digo para mim mesmo:
    – Chicão, te comporta. Juízo, se saíres dessa de novo!

    Obrigado pelo comentário.
    Acredito que Jesus me ama, mesmo.
    Se não for assim, se não me amar, serei o seu contratempo, pois para alguma tarefa ou serviço Ele me trouxe para este mundo, e me levará de volta de onde vim, indiscutivelmente!

    Abraço, Limongi.
    Te cuida, meu!
    Saúde e paz, muita paz!

    • Vida longa para você Bendl.
      Tu já dissestes tudo e muito bem.
      Precisamos debater exaustivamente esse tema.
      E Pedro do Couto sempre atento na cena política, vislumbrou o perigo.
      No simples fato de comentar sobre o golpe, já insinua a sua preparação.
      Já disseram, não é mais questão de se, e sim quando.
      Dá tristeza, melancolia, depressão, agonia com esse êxtase anti democrático.
      O país não avançará sem as Instituições do Estado em pleno funcionamento.
      Governos passam, o Estado Nação permanece ativo e altaneiro.
      Somente maus Brasileiros diversionistas e que flertam com a desagregação da nação, que o maior exemplo é a Venezuela, pois bem, quando vier a destruição do arcabouço Federativo, quem se habilitará a juntar os cacos do cristal quebrado?
      Lembrem- se os golpistas, do exemplo da União Soviética: Gorbachev inventou a Perestroika e a Glasnot. Boris Yeltsen um alcoólatra e maluco venceu as eleições e dividiu o país. A segunda potência mundial, perdeu seu poderio, deu território e hoje não é nem sombra do que já foi um dia.
      Lutem pelo Brasil e esqueçam seus interesses individuais. O Poder é efêmero e se esvai com um sopro do Criador. Alguém poderia prever o massacre do coronavirus, em janeiro deste ano?
      Sei que não se preocupam com o julgamento da história, mas, pensem nos seus netos, no país que vão entregar para eles, dividido destruído, e endividado.
      A união de todos os brasileiros, independente de ideologias, religiões, lados é medida que se impõe.

      • Meu caro amigo, Roberto Nascimento,

        Obrigado por me desejares vida longa.
        O mesmo quero para a tua existência, pois precisamos de pessoas do teu nível, gabarito, quilate, e utilíssimo à nação e povo em razão de teus conhecimentos e cultura!

        Independente de idealizarmos um governo que o Brasil necessita e merece, a nossa tarefa é de fazer a parte que nos cabe nessa reconstrução brasileira neste momento.

        Difícil?
        Che, eu diria impossível!

        Mas, enquanto eu estava no Exército, o verdadeiro, legítimo, e não esse conglomerado de tropas e mais nada, e encasteladas nas casernas, tínhamos um lema:
        “O difícil é prá já; o impossível para daqui um pouco”!

        Mãos à obra, Roberto!
        Conta sempre comigo.

        Abração.
        Te cuida, meu!
        Saúde e paz.

  6. Prezado Blend,
    Feliz volta e boa recuperação.
    Neste momento entrei aqui no Blog e percebi sua volta.
    Estou um pouco distante daqui.

    Sou frequentador daqui desde 2009, mas nestes últimos 4 anos apareceu o Netflix (adoro cinema), o WhatsApp (estou em Grupos e tenho umas 85 pessoas adicionadas) e gosto de interagir. Também estou lendo e relendo alguns livros.
    Tento dividir meu resto de tempo de vida com coisas que sempre gostei de apreciar. Música, Cinema, Futebol e um pouco de Leitura. Daí veio a Internet e agora o WhatsApp.

    Também tenho meus problemas de saúde. Tenho uma doença rara (desde 2007) que não mata, mas quando ataca o sofrimento é tamanho que até arrependo-me de ter nascido.
    Um médico falou na TV Globo que a dor causada pelo mal “Nevralgia do Trigêmeo” é a 3ª pior que existe.
    Aliás, já foi matéria na Veja e quando o Google mostra as 10 piores dores, lá está citada esta minha doença.
    Também a TV Record mostrou uma reportagem e nela entrevistou uma senhora que tinha esse mal e estava a 8 dias sem poder falar.
    Até onde sei ainda não se sabe o que provoca essa doença e na maioria dos pacientes ela vai e volta. Eu tomava 60 Tegretol 400mg e ficava bom. Começava a beber e com um ano o sofrimento voltava.
    O Neurologista me dizia que álcool tinha tudo a ver.
    Em 20015 abandonei a bebida e a dor não mais voltou com força total. Fazem 5 anos que não mais tomo remédio e nestes mesmo 5 anos sem beber atacou-me umas 4 vezes, mas com pouca intensidade.
    Em matéria na Internet um Neurologista falou que mesmo que se faça uma cirurgia a dor pode retornar tempos depois.
    Coloque aí no Google: Nevralgia do Trigêmeo.

  7. Prezado João da Bahia,

    Obrigado pelas boas-vindas.

    Che, mas o que foste arrumar prá tua vida??!!
    A Neuralgia do trigêmeo é famosa pela dor insuportável que ocasiona no ser humano!

    Comenta-se que nem sempre a cirurgia resolve essa doença, que ocasiona dores terríveis nos dentes, boca, ouvidos, até mastigar dói demais!

    Lamento, profundamente, que sofras desse mal, João da Bahia, então a minha solidariedade e abraço caloroso, pois imagino – só imagino! -, o que não deves padecer quando tens essas recaídas!

    Agora, pergunto por que nunca nos avisaste desse teu padecimento?!
    Precisamos saber da situação de nossos amigos ou colegas comentaristas sobre a saúde de cada um, se possível.
    Temos de ser sensíveis às suas doenças, seus sofrimentos, suas dores.
    Não podemos apenas discutir, debater, e deixarmos de lado que poderíamos estar lidando com essas questões, porém em níveis mais elevados, respeitosos, menos acarretar bate-bocas desnecessários!

    Olha, mesmo tendo residido em vários Estados do Brasil, em Brasília ANTES DA SUA INAUGURAÇÃO, muitas outras cidades, conheci apenas uma pessoa que sofria dessa neuralgia, só uma!
    Ele foi meu colega no Exército, e teve de dar baixa antes do seu tempo por isso, que o tirava do serviço por vários dias!

    Nessas alturas, João da Bahia, anota o meu watts, que também faculto aos demais amigos da TI, pois não me importa quem saiba do meu e-mail, que publiquei várias vezes e, agora o meu watts, pois assim poderemos trocar “figurinhas”, CASO QUISERES, caso contrário, deleta:

    (51) 99912-2001

    Usa e abusa, meu!

    Abração, João.
    Te cuida, meu!
    Saúde, muita saúde e paz.

  8. Abrindo o leque dos trogloditas, estamos esquecendo do Paulo Guedes. O sonho dele é comandar a Economia sob o regime totalitário, sem dar satisfações ao Congresso e ao Judiciário, conforme sua situação no Chile de Pinochet, no mais cruel, assassino do Salvador Allende, presidente deposto pelo seu Ministro do Exército, portanto, um traidor.
    Guedes sabe, que seu Projeto de Capitalização da Previdência, só passa sob regime ditatorial.
    Guedes quer vender o Banco do Brasil, a CEF, a Petrobrás, terceirizar a Receita Federal, reduzir drasticamente as carreiras e Instituições do Estado brasileiro.
    Guedes como Ricardo Salles tem outro sonho: flexibilizar tudo que for possível, Ibama, IPHAN, COAF, Imetro, Radares nas Estradas, terras indígenas, liberar o garimpo total. O Brasil não vai aguentar tanta destruição.
    Precisamos começar a orar.

  9. Errata: …conforme sua atuação no Chile de Pinochet o mais cruel….o ditador mais cruel das Américas…
    Na ditadura, os economistas aprovam todas as maldades contra o povo e abrem o caminho dos lucros para empresários e banqueiros amigos.

  10. Quem está esticando a corda verdadeiramente?
    Quem todo domingo prega o fechamento do Congresso e do Supremo ao lado dos manifestantes Integralistas.
    Só um cego não enxerga isso.
    Alguns generais comprometem o respeito que o povo têm borlas Forças Armadas, só pretenderem falar em nome do estamento militar, ao ocuparem postos na administração pública, no governo, que é passageiro.
    Como bem disse o ministro Barroso, os militares precisam evitar a entrada no varejo político. Não e bom para o país, nem para os militares. O varejo da política é de uma sordidez incomensurável.

  11. Bendl, o que importa é que, finalmente, unimos nossos espíritos, forças, determinação e esperanças em torno da legítima e necessária fraternidade. Desunidos, fazíamos a alegria dos néscios. Empoleirados em suas vidinhas e anonimato. Abração com sabor de domingo iluminado pelos deuses da candura , do afeto e do respeito mútuo.

  12. Nada igual à sabedoria dos experientes:

    “Desunidos, fazíamos a alegria dos néscios.”

    Nada mais a dizer, a não ser o meu aplauso à conclusão irretocável que chegaste, Limongi.

    Outro abraço.
    Segue te cuidando.
    Saúde, muita saúde e paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *