Inquérito contra Moro já virou uma investigação sobre o presidente Bolsonaro

Guerra de versões sobre vídeo de reunião do Planalto mostra que ...

Celso de Mello está buscando a verdade com muita obstinação

Carlos Newton

Como todos sabem, o ponto-chave do inquérito/processo contra Sérgio Moro é o vídeo da reunião ministerial do dia 22, que pode confirmar as principais acusações que o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública fez contra o presidente Jair Bolsonaro. As requisitar a gravação, na quarta-feira, dia 6, o relator Celso de Mello citou os responsáveis pela manutenção do tape e deu 72 horas para o Planalto entregar o vídeo.

Os intimados foram o chefe da assessoria especial da Presidência, Célio Faria Júnior, o secretário de Comunicação Social, Fábio Wanjngarten, e o ministro Jorge Oliveira, da Secretaria-Geral da Presidência.

“GABINETE DO ÓDIO” –  Quem comanda a maior parte da assessoria. conhecida como “Gabinete do Ódio”, é o vereador Carlos Bolsonaro. Diante da decisão judicial, ele agiu exatamente como seria de se esperar de um elemento de sua índole, e logo ordenou que dessem sumiço ao vídeo  com que o presidente Bolsonaro até ameaçara “desmascarar” Sérgio Moro.

E o esquema de Carluxo seguiu em frente. Primeiro, o Planalto vazou para o site “O Antagonista” que Célio Faria Júnior, responsável pelo vídeo, teria ficado com o cartão de memória e só devolvido nesta terça-feira, sem nenhuma gravação.

Procurado pelo Estadão, o servidor do “Gabinete do Ódio” se assustou e tentou tirar o corpo fora: “Não é da minha competência gravar, manter, ou trabalhar qualquer tipo de mídia na Presidência da República. Essa competência é da Secom (Secretaria Especial de Comunicação)”, disse Faria Júnior. “Se existe ou não o vídeo, quem pode responder é a Secom”, disse.

SILÊNCIO TOTAL – Também assediado pela imprensa, Fábio Wanjngarten, chefe da Secom, foi procurado pelo Estadão, mas não se pronunciou nem respondeu aos questionamentos sobre existência do vídeo e protocolos sobre gravação e armazenamento das reuniões ministeriais.

Somente depois que o Estadão publicou no seu site uma explosiva reportagem é que Faria Júnior enviou uma nova mensagem ao jornal dizendo que a Secom faz “registros curtos e pontuais” com a finalidade de divulgar a agenda presidencial.

“As reuniões realizadas na Presidência da República são eventualmente gravadas pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom), com a única finalidade de divulgar as imagens da agenda Presidencial, na sua maioria registros curtos e pontuais”, escreveu Célio, enfatizando “que não compete à Assessoria Especial do Presidente da República o registro de imagens de reuniões, tampouco o arquivo de eventuais registros.”

ERA OUTRA MENTIRA – A informação era ardilosa. Na verdade, acontece exatamente o contrário, A Secom sempre filma toda a reunião. depois extrai pequenos trechos para divulgação ou distribuir aos ministros como subsídios a novos debates.

Como não dava para manter tamanha manipulação, no final da tarde o Planalto jogou a toalha e o chefe da Advocacia-Geral da União, José Levi, pediu ao ministro Celso de Mello que cancele o pedido do vídeo na íntegra, porque estava gravadas declarações “delicadas” sobre política interna e externa.

Na tarde desta quinta-feira, dia 7, a derradeira tentativa, com a AGU pedindo que seja apresentado apenas o trecho da gravação mencionado pelo ex-ministro Moro. Ou seja, o vídeo existe na íntegra.

FALTAM OS DEPOIMENTOS – O arremate serão os depoimentos de três ministros do núcleo duro do Planalto – generais Braga Netto (Casa Civil), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Eduardo Ramos (Secretaria de Governo).

No vídeo da reunião do dia 22, o mais importante é que Augusto Heleno aparece dizendo a Bolsonaro que ele não tem direito de acompanhar os inquéritos da Polícia Federal do Rio de Janeiro.

Moro está confiante de que eles falarão a verdade. É claro que isso acontecerá. No Planalto quem mente é Bolsonaro e o pessoal do “Gabinete do Ódio”. 

###
P.S. 1 – Ontem, o Jornal Nacional mostrou uma cena triste, com o general Braga Netto (Casa Civil) corroborando a linha  anterior de defesa que o “Gabinete do Ódio” até já abandonou. Disse ele que as reuniões não são gravadas na íntegra, às vezes sim, às vezes não. Foi deprimente assistir a essa  cena. Espera-se que Heleno, Braga e Ramos não se omitam . Aliás, os três generais sabem que o Brasil sempre espera que cada um cumpra o seu dever, como dizia o almirante Francisco Barroso. (C.N.) 

29 thoughts on “Inquérito contra Moro já virou uma investigação sobre o presidente Bolsonaro

    • Claro que vão cumprir com o seu dever.
      A segurar suas boquinhas.

      De outra banda,os Generais estão contaminado s pelo VÍRUS da insensatez.

      Foram fazer o quê no STF ??
      Intimidar o Sr. Dias Toffoli,com transmissão clandestina.
      Pagou o mico,assinou o vale,eles gravam tudo.

      Moro tem razão !!!!

  1. Aqui não vão hipóteses possíveis, frutos da “clarevidência”, de dons sobrenaturais e de algo do gênero.Nada disso, A análise resulta da lógica, Há prazos processuais e prazos judiciais.. Aqueles são os previstos na lei. Estes, os fixados pelo juiz. Acaba nesta sexta-feira o prazo de cinco dias (judicial, portanto) fixado pelo ministro Celso de Mello para que o governo federal (no caso, o presidente da República) entregue o vídeo que gravou a reunião ministerial na qual o ex-ministro Moro diz que sofreu pressão verbal do presidente para realizar substituições no comando da Polícia Federal da maneira que Bolsonaro queria.

    O vídeo ainda não foi entregue. E se o prazo vencer sem a entrega, a hipótese mais plausível e fundamentada nas leis penais que virá do punho do ministro Celso de Mello pode e deve ser a que vai a seguir:

    Numa só decisão, o ministro resolve indeferir tanto o primeiro pedido de reconsideração da requisição do vídeo quanto o segundo pedido ,que veio depois, o de excluir, ao talante da presidência, trecho e passagens do vídeo que, segundo o Planalto, são “sensíveis” por envolveram tratativas de “assuntos estratégicos nacionais”.!!.

    E na mesma decisão, por estar o prazo de cinco dias já vencido, o ministro determina a instauração de investigação, inquérito policial ou até mesmo processo contra o presidente da República por crime de desobediência e, ao mesmo tempo, ordena a busca e apreensão do vídeo, diligenciando a Polícia Federal e Oficiais de Justiça “ad hoc”, nas dependências do Palácio do Planalto e/ou em qualquer outro local que a polícia entender que o vídeo pode estar guardado, para não dizer escondido.

    Celso de Mello não vai acolher o pedido da Advocacia-Geral da União para reconsiderar a decisão que requisitou o vídeo, seja para dispensar a prova, seja para admiti-la editada como defende o Planalto. A uma, porque não existe assunto “sensível” e nem “estratégico do interesse nacional” que possa o governo, a tal pretexto, alegar para não exibir a fita a um ministro da Suprema Corte Brasileira, E se tanto for verdade, o próprio ministro, que será o primeiro a ter acesso ao vídeo, cuidará de preservar o tal “interesse estratégico nacional”, excluindo a parte (ou as partes) que não possam ser divulgadas e mostradas ao público.

    A duas, porque, se houver mesmo as tais passagens que não convém serem mostradas ao público, devem ser registros de explosões verbais com palavras de baixo calão, palavrões mesmo, socos na mesa, dedo em riste e outras tão ou até muito mais impróprias para aquela reunião ministerial, impróprias para o ambiente em que foram proferidas, e inadmissíveis no vocabulário de servidores públicos nos mais altos cargos da República, sob o comando do Chefe da Nação.

  2. Jorge Béja, bom dia, prezado Dr. … creio que designar o Presidente da República de Chefe da Nação é algo discordante com nossa Cidadã de 1988 … que o chama de Chefe do Poder Executivo – e só.

    Na França, é o Presidente quem garante a Independência do Judiciário … como o amigo deve saber – pois é da Sorbonne.

    • É verdade, prezado Lionço Ramos Ferreira. Assim chamei porque, desde criança, assim ouvida meu querido Pai se referir ao presidente da República. Retifico, então. Mas Chefe da Nação não é quase sinônimo, titulo reverencial ao de Chefe do Poder Executivo?. Mas sua observação está mesmo corretíssima. Doravante cuidarei e assim não denominar mais.
      Saúde. Muita saúde.

      • O senhor definiu muitíssimo bem … é quase sinônimo … porém, nossa Cidadã aplica melhor Montesquieu do que a própria França, né?

        E seu querido Pai conheceu a Cidadã?

        Há quem entenda que Presidente da República seja Chefe da Nação, Chefe de Estado, Chefe de Governo, Supremo Mandatário etc etc etc e, portanto, manda … o os acontecimentos recentes nos mostram que Congresso e STF também mandam, certo?

        Obrigado pela atenção de tão ilustre e humano Jurista.

        • Sim, Lionço Ramos Ferreira, meu querido e muito amado Pai, que dele a saudade não me larga e ele vive em mim, conheceu e chegou a estudar a Constituição Federal de 1988 por mais 9 anos desde sua promulgação.

  3. Bolsonaro e sua corja estão mesmo com medo.

    Se meteu com quem não devia, e achou que ia escapar ileso como se estivesse se metendo com a laia do luiz inácio. Se deu muito mal, e é bom entregar as fitas para não ficar pior.

    A que nível chegamos com esse inquilino do planalto que parece não ter honradez para mais nada, e afunda cada vez mais em mentiras e grosserias com o olhar impávido de militares que deveriam se posicionar de forma clara e na defesa da pátria.

    Daqui para frente, a sociedade brasileira deve assistir coisas piores desse cafajeste.

  4. Eu acredito no Braga Neto, no Espírito Santo, no Saci Pererê, acredito na Fada Madrinha e no não sei mais o quê.
    Toda essa confusão e, cá pra nós, palhaçada ministerial acontece quando o povo está sofrendo, morrendo, se fudendo, sem a quem recorrer – nem Deus nessa hora aparece a não ser nas preces que não trazem nada de novo.

  5. Aquele discurso do ex-general Braga Neto de que partes da reunião podem ou não terem sido gravadas é de uma mentira que não tem igual.
    Esse tipo de registro é outro: Fotográfico
    Se uma câmera estava no tripé o que era feito, senão a filmagem (completa) do evento?
    Aliás, cumpre ao órgão da comunicação da Presidência fazer os registros e armazená-los, conforme previsão legal.
    Como uma imagem vale mais do que mil palavras – e que dirá de um vídeo (!) – o Bolsonaroo está com medo, assim como os generalecos, porque provará de uma vez que a interferência do Presidente e que os militares não são diferentes dos corruptos.

  6. Cn, vc continua supondo e inventando coisas. O Supremo está avisado pelas Forças Armadas e pelo Executivo, que ele deve proceder dentro de seus deveres constitucionais. Não há nada na reunião ministerial que que indique que o presidente interveio em algum inquérito da PF. Você sabe disso! Hoje o STF se sente acuado e alguns ministros como o Barroso, estão muito descontentes com a atuação da imprensa. Você sabe o porque!. Vamos relatar a verdade. CN, você não é o Copelli. Você é melhor que isso. Abraços.

    • E o STF está exercendo os seus deveres constitucionais
      O Poder Executivo que não!
      As Forças Armadas, muito menos.
      Nenhum Presidente no mundo saiu de sua “casa” para ir na de outro Poder sem seguir protocolos.
      Alguma vez na Casa Branca dos EUA, ou qualquer outro país, teve um Presidente saindo até a Suprema Corte?

  7. O termo correto é: Ala de militares da reserva ! A partir do momento que fazem parte do governo e passam a perceber salários para essas novas funções creio que é possível haver novos entendimentos quanto as suas atitudes perante situações que envolvam seu atual empregador.

    • Pior é que eles ganham dos dois lados.
      Pega o nome deles e vai no portal da transparência
      R$ 40, 50, 60 mil…
      Isso me deixa indignado.
      Também é assim com policiais civis e militares, ou quaisquer outros servidores, que passam a integrar Secretárias do Executivo do Estado ou Município, ou mesmo gabinete de Senadores, Deputados, Vereadores…
      Ora, se deixam de exercerem as funções no órgão de origem, por que recebem de um e ainda as funções do outro?
      Lembro do Beltrame e da Marta quando Secretários de Segurança e Chefe da Polícia no RJ, contracheques acima de R$ 50 mil…
      Isso é uma vergonha!
      Pior do que isso é saber que Maitê Proença recebe pensão do pai (ex-governador) falecido até hoje. Que absurdo é esse(?) Alegado direito adquirido sobre a sociedade…

  8. Carlos Newton, no artigo está escrito que “No Planalto quem mente é Bolsonaro …”.

    Lamentavelmente, o alcunhado “mito” já está sendo chamado de “miNto” …

    Fico muito triste pois, afinal, votei nele.

  9. Do admirado editor Carlos Newton: “Celso de Mello está buscando a verdade com muita obstinação”. Poderia ter evocado o Padre Quevedo e o seu “isso não ecziste”, como gosta muitas vezes de escrever lembrando aquela interessante figura.
    O próprio despacho decisório em sua redação se revela uma contradição brutal de seu signatário, tendo em vista que o STF proíbe condução coercitiva de réus e investigados para depoimento.
    Instrumento utilizado em investigações já havia sido suspenso em decisão liminar de Gilmar Mendes. No julgamento, 6 (Celso de Mello estava entre eles) dos 11 ministros votaram contra a medida, enquanto 5 votaram pela manutenção.

    https://g1.globo.com/politica/noticia/maioria-do-stf-proibe-definitivamente-a-realizacao-de-conducoes-coercitivas.ghtml

    O que está claro para o Clube Militar e grande parte da população brasileira: Clube Militar responde Celso de Mello: “Leviano, mal educado, grosseiro!”. E avisa: “Ele tem ódio do governo e dos militares!”.

    E tem mais para esclarecer: Em 14 de Junho de 2018, o STF aboliu a condução coercitiva em depoimentos.
    Ontem, 6 de Maio, o ministro Celso de Mello assinou um documento onde pede a convocação de três generais do Planalto para depor e, caso se neguem, que sejam conduzidos “debaixo de vara”, foi esse o termo usado.

    https://www.youtube.com/watch?v=TwtL7ml_5M8

    PS.: O ministro nomeado por Sarney deveria ser no mínimo preso e processado. Mas claro, não estou a dizer que será, pois não temos o Espírito de Piton ou Mãe Dináh e somos avessos a “forçar a barra”.

    PS. 1: E ninguém larga a mão do presidente Bolsonaro. O único capaz de enfrentar essas canalhices.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *