Institutos de pesquisa vão se desmoralizar novamente

Carlos Newton

É impressionante, intrigante e desmoralizante a discrepância entre os resultados das pesquisas eleitorais no Brasil. Nunca antes na História deste país se viu nada igual. A apenas uma semana de uma eleição presidencial da maior importância, dois institutos famosos (Ibope e Datafolha) dão o mesmo resultado, em duas pesquisas seguidas: Aécio Neves, do PSDB, com 51% dos votos válidos, e Dilma Rousseff, do PT, com 49%. Estatisticamente, a possibilidade desse idêntico resultado se apresentar em quatro pesquisas seguidas, feitas no intervalo de uma semana, é como acertar na Loteria. E o instituto Vox Populi deu Dilma na frente na mesma ocasião, embora em situação de empate técnico.

O mais surpreendente e curioso, porém, é que na mesma época outro conhecido instituto de pesquisas, o Sensus, divulgou resultados totalmente diversos. Na semana passada, foi um assombro: dava Aécio Neves 17,6 pontos à frente de Dilma Rousseff. Quer dizer, a pesquisa da Sensus trazia uma inaceitável e desmoralizante diferença de 15,6 pontos percentuais em relação ao Ibope e ao Datafolha.

Agora, em pesquisa divulgada esta sexta-feira, o Sensus volta a mostrar o candidato Aécio Neves com grande vantagem sobre a presidente Dilma Rousseff, embora a candidata do PT tenha até avançado expressivamente.

10,8 PONTOS DE DIFERENÇA

Segundo o levantamento do Sensus, divulgado no site da revista IstoÉ, Aécio teria 56,4 por cento dos votos válidos (que excluem brancos, nulos e indecisos), contra 43,6 por cento de Dilma. Ou seja, 12,8 pontos de frente. Na pesquisa anterior do Sensus, a vantagem do tucano era muito maior: 58,8 a 41,2 por cento. Ou seja, 17,6 por cento, indicando que em uma semana Dilma teria avançado 4,8 pontos, nada mal.

Pelo eleitorado total, o placar favorável a Aécio no Sensus seria de 49,7 a 38,4 por cento, e na semana passada estaria em 52,4 a 36,7 por cento. Os eleitores que planejam votar em branco ou anular seus votos ou estão indecisos somam 12 por cento, ante 11 por cento no levantamento anterior. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

Esses números enlouquecidos e discrepantes deixam perplexos os candidatos, os partidos e os eleitores. Quem estará mais parte da realidade das intenções de voto: a dupla Ibope/Datafolha ou o Sensus? Ninguém sabe.

Nosso amigo e colaborador Sebastião Nery, uma lenda do jornalismo político brasileiro que honra essa Tribuna da Internet, aposta que o Sensus é que está no caminho certo. Nery conhece o diretor desse instituto, Ricardo Guedes, e garante a seriedade do trabalho dele.

A nós, só resta aguardar e cobrar depois. A única certeza é de que novamente os institutos de pesquisas sairão desmoralizados, seja qual for os resultados das urnas. Ah, Brasil!

12 thoughts on “Institutos de pesquisa vão se desmoralizar novamente

  1. O caso é que o PT está no governo há 12 anos e usa de tudo que o estado tem de faturamento, para roubar. É muito dinheiro. Só da Petrobrás eram 2 ou 3% do seu faturamento (bilhões).
    Grande parte desse roubo, pela quadrilha que nos governa, era destinado à compra de apoio.
    Então não é de se surpreender com os 3 institutos de “pesquisa” – Data F, ibopi e Voquis P – com o que eles fizeram no 1º turno em que mostravam com seus números falsos de que Aécio nem chegaria nele.

    Enfim, urge a alternância de poder, para desalojar, pelo menos por algum tempo, a criminalidade que nos governa.

  2. Pesquisas influenciam o eleitorado? nem todo, mas a maioria do eleitorado,
    que não se interessa por política, alguns são levados a alienação pela pobreza,
    e miséria. Pesquisas, são pagas, quem paga tem o direito de exigir.
    Essas pequisa que dão o empate técnico, é para tentar a reação da Dilma, mas
    a cada debate ela afunda mais.
    Não precisav ter bola de cristal, para saber que o Aécio iria ao segundo turno

  3. desculpem, completando o comentário acima: e vai ganhar as eleições com
    boa margem de votos, isso porque o Aécio tem a compostura que um Presidente
    deve ter, e as pessoas mais esclarecidas politicamente, são formadoras de opiniões.

  4. É evidente que os institutos de pesquisa foram ou induzidos ou cooptados para forçarem um empate técnico. Isso é de enorme interesse e ajuda ao governo. Na prática a diferença pró Aécio é muito maior. Categorias importantes estão integralmente contra o governo. Por exemplo: médicos e trabalhadores na saúde; militares; evangélicos; aposentados. Todos com seus familiares, pelo menos. É muita gente de um lado. O surpreendente, ao menos pra mim, foi saber que pela pesquisa do Ibope um número razoável de atendidos pelo Bolsa Família não votam na Dilma! Esperava que entre estes ela tivesse 110% dos votos.

    • Os APOSENTADOS – T O D O S -, junto com seus familiares e amigos; os que não se aposentaram ainda, e

      seus familiares e amigos, TODOS têm OBRIGAÇÃO MORAL de dar o troco a este “governo” absolutamente

      corrupto que, ademais, concedeu a quem TRABALHOU por décadas, um reajuste de menos da metade do

      que foi concedido a quem NÃO TRABALHA E NÃO QUER ESTUDAR, no tal bolsa “família”!

      VAMOS, T O D O S, DAR O TROCO EM 26 DE OUTUBRO ! ! !

      É uma questão de HONRA !

  5. Lendo os comentários acima, concordo mais com a linha do Mauro do que com a do Nélio.
    Tenho, por onde ando, perguntado se o voto é no Aécio/PSDB, ou para tirar do governo a Dilma/PT.
    O sentimento maior é pela substituição.
    Mesmo porque, grande parte da população esta sem vinculação com partido.
    SDS
    Vitor.

  6. Sr. C. N. Já ficou evidente que o Sensus jogou pra plateia do PSDB no momento que realizou uma pesquisa no quintal aecista. Esse tipo de pesquisa peca em muito e nem preciso findar o texto.

  7. Reitero o meu comentário usual sobre as pesquisas de intenção de voto: DEVERIAM SER PROIBIDAS PELA JUSTIÇA ELEITORAL !!!!

    Efetivamente, quando executadas dentro de metodologia acompanhada com muita seriedade, até podem refletir com alguma exatidão através da estatística, para onde vão os números naquele momento da apuração.
    Todo mundo sabe disso… é aquela historinha da nuvem que se move…
    Mas, eleitoralmente, há muito já ficou claro que se transformou em instrumento de indução ao voto, principalmente, antes e durante o período eleitoral, com muita freguesia…
    Existem candidaturas que “decolam” até antes mesmo da serem oficializadas (?) . Tal qual essa, do chargista Cabral (?), imaginada para este artigo, excelente, do Moderador.

  8. Mesmo a “lenda” do jornalismo, o Sebastião Nery querendo, claro que não é verdade, não pode um instituto dar a Dilma na frente e o Sensus dar o Aécio com 17% na frente. Ficaria surpreso se o Nery discordasse do Sensus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *