Intervenção militar com Bolsonaro? General Fernando Azevedo e Silva rebate tal absurdo

Nós não queremos negociar nada', diz Bolsonaro em ato contra STF e ...

Manifestantes querem que Bolsonaro governe como “ditador”

Pedro do Coutto

Nas manifestações antidemocráticas de domingo passado em frente ao Palácio do Planalto em Brasília, além de haver faixas a favor do fechamento do Supremo Tribunal e do Congresso, uma delas propunha a intervenção militar com Bolsonaro, representando uma ruptura na Constituição do país. O presidente Bolsonaro participou do episódio acenando para os manifestantes. Portanto, desta vez o caráter subversivo ficou configurado.  Pelo seu silêncio, Bolsonaro revelou-se favorável ao fato.

Entretanto, na tarde de segunda-feira, o General Fernando Azevedo e Silva, ministro da Defesa, divulgou nota oficial afirmando que as Forças Armadas estão ao lado da lei para garantir a democracia, liberdade e a Constituição. Como se constata, o titular da Pasta da Defesa assumiu mais uma vez uma posição contrária daquela que é repetidamente apresentada por apoiadores do presidente da República.

FORTE APACHE – Foi assim também nas manifestações que foram realizadas em frente ao QG de Brasília, o Forte Apache. O general Azevedo reafirma sua posição e a do Exército, Marinha e Aeronáutica na defesa do regime democrático, da lei e da ordem.

O ponto político da questão, o qual não pode ser afastado, é que o general Fernando Azevedo e Silva é o ministro da defesa do governo Bolsonaro. Dessa forma evidencia-se uma colisão entre a posição democrática do general e o silêncio comprometedor do presidente da República.

O ministro da Defesa é mais um a discordar do presidente. No domingo Bolsonaro havia anunciado que estava no limite diante de decisões que o contrariavam. A distonia entre o presidente da República e o ministro da Defesa vai imobilizar qualquer ato de Bolsonaro contra o ministro que nomeou.

OUTRO ABSURDO TOTAL – Os acontecimentos de domingo ainda assinalam mais um absurdo total. Impressionante o radicalismo de setores que pregam o golpe militar em relação aos jornalistas e ao jornalismo. Não suportam que alguém revele a verdade.

Fanáticos e fanatizados na concentração em frente ao Palácio do Planalto praticaram violências contra jornalistas do jornal O Estado de São Paulo. Os protestos foram gerais, tanto contra a faixa pedindo intervenção militar quanto a absurda agressão desfechada contra repórteres e fotógrafos que realizavam seu trabalho. O procurador Aras abriu inquérito para apurar as violências praticadas contra os jornalistas.

MORO SEM SIGILO – Enquanto isso nesta segunda-feira, o ex-ministro Sérgio Moro, através de seu advogado, dirigiu-se ao Procurador Geral Augusto Aras abrindo mão do sigilo em torno de seu depoimento a Polícia Federal, achando que tal decisão vai ao encontro da opinião pública que tem direito a plena informação. O procurador Aras recebeu o requerimento.

Rapidamente o presidente Jair Bolsonaro nomeou e também empossou o delegado Rolando de Souza no cargo de Diretor Geral da Polícia Federal. As atenções gerais voltam-se sobre a substituição ou não do superintendente no Rio de Janeiro, onde correm as investigações sobre as fake news e a atuação de Fabrício de Queiroz.

Portanto, na minha opinião o clima que está envolvendo a política brasileira conduz a que se possa imaginar estarmos na véspera de um desfecho institucional.

6 thoughts on “Intervenção militar com Bolsonaro? General Fernando Azevedo e Silva rebate tal absurdo

  1. Por que o Brasil não se liberta dessa narrativa fantasmagórica tão nefasta do velho “quanto pior, melhor”, protagonizada pelo golpismo ditatorial, o partidarismo eleitoral e seus tentáculos, velhaco$, que, politicamente, não deixa o país fazer ou coisa na vida, nem sequer pensar em resolver o seu presente agregando-lhe perspectivas de futuro, a medida em que o establishment o impede até de colocar na pauta de debates a Terceira Via de Verdade, tal seja a RPL-PNBC-DD-ME, o projeto novo e alternativo de política e de nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir, ou seja, a vacina contra os cânceres que há 130 anos estão matando até as esperanças do povo brasileiro ? Será que um dia se libertará ? Quando ? Como ? Eis as questões. https://www1.folha.uol.com.br/poder/2020/05/bolsonaro-recebe-no-planalto-militar-responsavel-por-repressao-a-guerrilha-do-araguaia-na-ditadura.shtml

  2. Toda esquerda está alvoroçada, querem a todo pano o impedimento do presidente, estão fazendo disso um cavalo de batalha e só vão sossegar quando emplacarem algum comunista no poder.
    E quem não gosta do comunismo, como fica? Se considerarmos a soma dos votos é um ponto a ponderar.
    Vamos imaginar um comunista no poder, um Freixo por exemplo, se usar as táticas stalinistas para deixar todo mundo alegre vai ter que matar os tristes.
    Tudo isso me parece um imenso foguetório e me lembra o Carlos Chagas com seus Cavaleiros de Granada, aqueles que em altas madrugadas saíam em loucas disparadas brandido espadas, cravinotes e liminares e sentenças, para nada.

  3. Para esses vermelhos manifestações democráticas são aquelas decoradas com bandeiras vermelhas e black-blocks vandalizando tudo e assassinando trabalhadores.

    Os delegados escalados para ‘inquirir’ o Dr Moro são … tchan tchan tchan tchan … os mesmos que, dias antes da demissão do ex-juiz, eram os seus subordinados no MJSP. Pode isso, Arnaldo? Não sei … só sei que o blog Antagonista publicou, lá atrás, nota com a seguinte manchete: A PF de Moro.

  4. Pedro, vai catar coquinho. Não entra nessa que não é uma boa. Os militares estão fechados com o Bolsonaro , inclusive as forças auxiliares (policiais, bombeiros, polícia federal, etc..). Não fica dando palpite onde tu não sabes nada. Você já tem idade suficiente para entender onde vai dar isso. Não ajude a esticar mais corda, você pode se machucar.

  5. Nossa, os bolsonaristas estão preocupados mesmo!

    Mas , evidentemente que, a coisa está mais preta do que coroço de ata na boca de um crioulo – como se dizia antigamente -, para os lados do coisa.

  6. Quando as bolsonaretes pedem “intervencao militar com o Bozo” e porque essas mesmas bolsonaretes sabem que se os militares assumirem o poder, os primeiros que irao cair serao o Bozo e seus filhos tao bocais quanto o pai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *