Islamitas incendeiam 45 igrejas e matam 5 fiéis no Niger

Islamitas do Niger demonizam o comportamento ocidental

Deu no Correio do Povo

Violentos protestos contra a charge do profeta Maomé na capa do semenário francês Charlie Hebdo deixaram cinco mortos no Niger. Quarenta e cinco igrejas foram incendiadas em Niamey, durante manifestações que degeneraram em violência, no movimento contra a caricatura publicada na semana passada pela revista satírica francesa Charlie Hebdo.

Nesta segunda-feira, o porta-voz da polícia nacional nigeriana Adily Toro, deu entrevista coletiva à imprensa local e correspondentes estrangeiros. “Danos substanciais foram registrado: 45 igrejas, cinco hotéis, 36 depósitos de bebidas, um orfanato e uma escola cristã foram saqueados antes de serem incendiados”, indicou o porta-voz da polícia.

Adily Toro disse também que os protestos, além das cinco mortes anunciadas no sábado, também causaram 128 feridos, e 189 pessoas foram presas pela Polícia do Niger.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG A Guerra Santa (Jihad) já começou faz tempo, mas a opinião pública mundial continua fingindo que não está acontecendo nada de grave. Hoje, os representantes dos países-membros da União Europeia se reuniram pela primeira vez para discutir a questão do islamismo. Antes tarde do que nunca, diz o ditado.(C.N.)

6 thoughts on “Islamitas incendeiam 45 igrejas e matam 5 fiéis no Niger

  1. Eu quero ver até onde o discurso baseado no iluminismo vai manter suas posições. É necessário que se caia logo na real. Os islamismo é incompatível com o mundo ocidental. Então, faça-se o seguinte: os islâmicos pra lá, nós para cá. Quem tiver lá e adotar posição ocidental que venha, quem estiver aqui e for islâmico, boa viagem e nos esqueça.

  2. Direto ao Ponto

    AUGUSTO NUNES _ Veja on line

    O casamento pedófilo legalizado por países islâmicos é uma homenagem ao Profeta que já passara dos 50 anos quando transformou em esposa uma menina com menos de 10

    “O Profeta Maomé é o modelo que seguimos”, informa no vídeo o saudita Ahmad Al Mu’bi. “Ele tomou Aisha como sua esposa quando tinha 6 anos, mas só fez sexo quando ela tinha 9″. O maridão já passara dos 50, dispensou-se de lembrar o oficiante de casamento. (http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/)

    Também lhe pareceu irrelevante ressalvar que, enquanto esperava que Aisha chegasse ao ponto, Maomé não teve de estrangular a libido. O harém que abrigava o time de reservas de Aisha estava ali para que jamais faltasse companhia noturna.

    “Qual é a idade apropriada para a primeira relação sexual?”, interroga-se Ahmad Al Mu’bi no meio do falatório. “Isso varia de acordo com o ambiente e as tradições”, desconversa, caprichando na pose de doutor em aberrações nupciais. Eis aí uma bom tema para devotas de Lula.

    De longe, marilenas chaís e marias-do-rosário contemplam com olho rútilo e lábio trêmulo os turbantes engajados na guerra contra os infiéis em geral e o Grande Satã americano em geral. Se tivessem nascido por lá, saberiam como é a vida de quem é vítima de estupro na infância, mãe na adolescência e avó quando mal conferiu no espelho como é a aparência de uma balzaquiana recentíssima.

    O modelo saudita, adotado em grande parte do mundo islâmico, permite que qualquer adulto de qualquer faixa etária transforme em esposa, e inicie sexualmente. meninas em idade de brincar com bonecas. Em lugares menos primitivos, esse tipo de assassinato da inocência dá cadeia. Até no Brasil.

    Naquelas paragens, o casamento pedófilo é uma homenagem ao Profeta que amava criancinhas.

Deixe uma resposta para Antonio Rocha Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *