Isolado, Jair Bolsonaro afirma que ‘jamais’ se comprometeu com partidos

Bolsonaro tem votos, mas não consegue fechar alianças

Leticia Fernandes
O Globo

Com dificuldade de formar alianças, o pré-candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, criticou pelo Twitter, nesta quinta-feira, as notícias de que teria sido “descartado por fulano e cicrano (sic)”, chamadas por ele de “falsa narrativa”. Ele faz referência à relutância de legendas, como PR e PRP, que negociavam a vaga de vice na chapa de Bolsonaro, de se juntarem ao pré-candidato, líder nas pesquisas de intenções de votos.

O PRP rejeitou a aliança com Bolsonaro nesta quarta-feira, após o PSL ter praticamente fechado que o vice do candidato seria o general da reserva Augusto Heleno. Antes, o PR já havia interrompido as negociações. O senador Magno Malta (PR-ES) era preferência de Bolsonaro para compor a chapa, mas o partido também não aceitou.

FAZER DIFERENTE – Apesar disso, o pré-candidato disse nesta quinta que “jamais” se comprometeu com esses partidos ou candidatos. “Queremos fazer diferente. Se for para fazer igual a todos estamos fora sem problema algum. A escolha é dos eleitores”, escreveu.

A maioria da imprensa cria falsa narrativa como se tivesse sido descartado por fulano e cicrano. Jamais me comprometi com nenhum dos citados. Sempre deixei claro que meu partido é o povo e agora tentam desonestamente inverter a situação para mais uma vez nos descredibilizar!

Com o naufrágio aparente de suas duas principais apostas, o pré-candidato corre em busca de uma alternativa. Uma delas é a advogada Janaína Paschoal, filiada ao mesmo PSL de Bolsonaro. O nome dela vinha sendo cotado para a disputa do governo de São Paulo, embora pessoas ligadas ao partido no Estado acreditem que a advogada prefira concorrer à vaga de deputada.

11 thoughts on “Isolado, Jair Bolsonaro afirma que ‘jamais’ se comprometeu com partidos

  1. De tanto afugentarem os apoios de partidos e eleitores, devido as suas línguas cancerígenas. O eleitorado de Bolsonaro e Ciro, dele uma coisa já se sabe: esses eleitores não querem votar nulo ou branco. Diante do vazio dos seus candidatos: vão acabar indo pra rua exigir a soltura do Lula, e assim terem em quem votar.

  2. A Revista Economist critica “caos nos tribunais” do Brasil e diz que “A guerra judicial colocou Lula de volta ao centro da campanha”

    A Economist, em sua nova edição, dedicou uma matéria às “decisões contraditórias” dos juízes no caso do solta e prende de Lula naquele domingo fatídico.

    Foi além disso.

    “A guerra judicial colocou Lula de volta ao centro da campanha”, diz o texto.

    “No Google, a procura pelo seu nome cresceu 50 vezes no dia 8 de julho. Isso aumenta o risco de os brasileiros considerarem a eleição ilegítima caso Lula não possa concorrer. E o caos nos tribunais reforça as preocupações de que o Judiciário se tornou apenas um fórum de política partidária”.

    Mais: “Num país onde apenas o Supremo Tribunal Federal, com 87.000 casos por ano, pode julgar processos criminais contra autoridades, permitindo que muitos acusados de corrupção andem livremente, a sentença de 12 anos de prisão contra Lula parece dura demais”.

    “Se um número suficiente de eleitores acreditar que Lula foi injustiçado, é provável que eles apoiem quem quer que ele indique”.

    A Economist, como se sabe, é ponta de lança do plano bolivariano-catanduvense-incaico-maometano de dominação mundial, juntamente com Neymar e Joelma do Calypso.

    https://goo.gl/qMTvii

  3. O lula para ser registrado como candidato, deve apresentar certas “certidões”, que atestem a sua condição de ficha limpa. Dai vem a pergunta, onde conseguirá uma “capivara” que ateste a sua idoneidade?
    Condenado não pode ter um “nada consta”, no máximo uma declaração da Polícia Federal, de que é um preso disciplinado.
    Preso ou solto, não importa, o TSE não poderá aceitar sua inscrição, por falta de documentos e não precisa nem ser declarado inelegível.
    O lula é carta definitivamente fora do baralho, a não ser que o Tóffoli faça alguma mandraca.

  4. 1) Horário Eleitoral nas TVs já era…

    2) Li ontem no jornalista PHA = Paulo Henrique Amorim…

    3) O Brasil tem 127 milhões de usuários do Facebook e mais as outras redes sociais.

    4) Lembrar que nas últimas eleições, nos EUA, Hilary Clinton sempre aparecia em primeiro lugar e Trump foi eleito…

    5) O Brasil vai por aí…

  5. O PT vai aproveitar a brecha, basta algum juiz ver plausibilidade no pedido para derrubar a inelegibilidade.

    Ideia de negar registro de candidatura de Lula perde força no TSE

    O TSE deve dar a Lula o prazo regulamentar para que ele defenda a própria candidatura presidencial, depois do pedido de registro, no dia 15 de agosto. A ideia de negar liminarmente o registro começa a ser descartada mesmo por magistrados que chegaram a defendê-la.

    integrantes da corte afirmaram que o processo pode durar pelo menos 15 dias —ou até mais. “Podem criar todo tipo de incidente. A criatividade dos advogados é infinita”, diz um dos magistrados.

    Ainda que dê alguma instabilidade ao início da campanha, a conclusão a que se está chegando é que o processo garantiria que a decisão final —de impedimento da candidatura, como é mais provável— não seja contestada.

    O grande debate será o que Lula poderá fazer no período de discussão do registro. Será a primeira vez na história que se definirá como, e se, um candidato a presidente preso participará de atos de campanha até que seu processo chegue ao fim, complementa o jornal.

    https://goo.gl/4csJnY

    • Nenhum outro animal do submundo submarino parece tanto com o PO(L)VO quanto a(o) LULA. E aí, quem nasceu primeiro: o criador ou a criatura? Ou ambos são resultantes da simultaneidade? No plano cartesiano: quem X, quem Y? Existe uma complementaridade entre homem, ator, personagem e telespectador?
      – Com a resposta, Sapo de Toga!

  6. Não gosto do Bolsonaro. pessoa repugnante e candidato sem ideias e projeto (além de ser entreguista). Mas reconheço que é o que tem a melhor estratégia (pelo disso deve entender já que é ex-militar). Bolsonaro não precisa de vice. Se ele quer um vice que agregue, deve procurar fora dos partidos. Se conseguisse encontrar um intelectual de primeira grandeza, cientista, poeta, compositor, filósofo, etc. para ser vice agregaria. Uma chapa militar pura não acresce um voto a Bolsonaro. O problema de Bolsonaro é que nenhum pensador invulgar irá apoia-lo. Só figuras menores querendo alguma fama momentânea.

  7. É patente a vantagem do deputado candidato sobre os demais concorrentes. O teste das ruas comprova isso, por todo o Brasil. No entanto, será impossível vencer o Mecanismo, com essas inauditáveis urnas eletrônicas. Só o voto impresso pode garantir que essa vantagem por todos percebida se confirmará nas urnas. A jornalista que indica o “isolamento” do Bolsonaro é neta do Hélio Fernandes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *