Isolamento e pandemia causam problemas psíquicos, diz o psiquiatra Ednei Freitas

Dr. Ednei Freitas, numa reunião no Hospital Getúlio Vargas

Jorge Béja 

Mais de oito anos depois de escrever e postar artigos na Tribuna da Internet (TI), hoje volto aos tempos em que fui repórter (1968 a 1972). Redator-repórter da Rádio Nacional do Rio de Janeiro e repórter do Jornal do Brasil. Naqueles anos fiz muitas matérias. E entrevistei gente famosa que veio ao Rio: Christiann Barnard, o médico cirurgião sul-africano que fez o primeiro transplante de coração no mundo; Jiddu Krishnamurti, filósofo, escritor e pensador indiano; Brigitte Bardot, Candice Bergen, a médica Ana Aslan, Alain Delon…e muitos outros

E agora, 50 anos depois, volto a ser repórter por um dia e entrevisto o renomado  psiquiatra e psicanalista Ednei José Dutra de Freitas. Ele é meu vizinho aqui no bairro da Tijuca, RJ. É meu amigo. É leitor e comentarista da TI. E por causa do estrago à saúde mental que a pandemia tem causado em todos nós, em toda a Humanidade, fui ouvir o Dr. Ednei a respeito. E a ele fiz perguntas do interesse da coletividade e obtive respostas importantes, científicas e úteis para todos nós. Vamos à entrevista.

Quais as consequências para a saúde mental advindas do período de isolamento durante a pandemia?
Devido ao rápido avanço da doença e ao excesso de informações disponíveis, algumas vezes discordantes, o isolamento pode gerar consequências graves na saúde mental  do indivíduo. Dentro deste contexto, a saúde mental é um componente essencial para a saúde como um todo. Assim, cabe parafrasear a definição de saúde mental elaborada pela OMS: é um estado de bem-estar no qual um indivíduo realiza suas próprias habilidades, pode lidar com o estresse normal da vida, trabalhar produtivamente e é capaz de contribuir com sua comunidade. Deste modo, pode-se afirmar que, juntamente com a pandemia, a sensação do isolamento social desencadeia angústia, insegurança, medo, depressão e até ideias suicidas, infelizmente.

Há estratégias para enfrentá-las? Em caso positivo, quais seriam?
É preciso fornecer atendimento humanizado às pessoas afetadas pela covid-19. Um paciente tratado de forma humana pode ter melhoria na imunidade e acelerar o processo de cura. Isso é especialmente importante. Além disso, também na sociedade é necessário haver apoio psicossocial. Ajudar outras pessoas pode beneficiar tanto quem recebe apoio quanto quem auxilia. Por exemplo, consulte por telefone os vizinhos ou conhecidos que precisam de assistência extra. Enfrentar uma crise em comunidade é muito mais fácil do que de forma individual.

Quais os sintomas para a saúde mental decorrentes dessa mudança brusca no estilo de vida das pessoas?
Em 1987, quando trabalhei em Natal, fui designado exatamente para tratar de pacientes de uma epidemia que não tinha cura na época: a Aids. A doença era absolutamente mortal, e me lembro de um paciente de família abastada que sabia que ia morrer logo, mas tinha esperança de estar vivo até que pudesse festejar a Festa de São João. Mas ele não pôde realizar o sonho. A gravidade da doença desestabilizava também as equipes médicas. Uma enfermeira teve um surto psicótico repentino, fora de seu horário, raspou toda a pintura da geladeira do setor de Aids. Tivemos de licenciá-la para tratamento psiquiátrico.

Os transtornos psiquiátricos podem se manifestar para quem teve Covid-19 e ficou curado? E para seus parentes?
Há transtornos psiquiátricos que podem se manifestar no isolamento social e também nos portadores da Covid-19, especialmente quando o paciente e seus familiares já têm alguma propensão. Não tenho lido artigos de epidemiologistas que falam a respeito da saúde mental de pacientes curados pela Covid-19.  Mas sabemos que há aflição e desesperança, sobretudo quando ocorrem dificuldades no tratamento, sem vagas ou sem equipamentos nas UTIs, que levam ao desespero os pacientes e seus familiares, como temos visto nos noticiários de TV.

A impossibilidade de familiares verem seu ente querido no caixão e sepultá-lo pode causar transtornos?
Sem dúvida. Essa impossibilidade agrava a dor dos parentes e até de amigos das vítimas fatais.

Sendo a máscara facial uma necessidade, e não sendo costume usá-la pelos brasileiros, seu uso forçado também pode trazer danos à estabilidade mental?
Realmente, o uso forçado de máscara pode produzir mal estar psíquico, mas algumas pessoas desobedecem as recomendações de uso de máscara porque não conseguem fazê-lo. Nosso organismo não é feito para vivermos com máscaras, mas devemos usá-las para evitar o contágio. O pior é que, em muitas ocasiões, os governos estaduais e municipais, em jogo de cena, obrigam as pessoas a colocar a máscara quando estão em espaços abertos e semidesertos, onde não é necessário, e permitem não usar a máscara em igrejas, cultos e outras atividades, para atender a apelo de religiosos e empresários.

14 thoughts on “Isolamento e pandemia causam problemas psíquicos, diz o psiquiatra Ednei Freitas

  1. Excelente artigo.

    Mas talvez o Dr. Ednei Freitas ainda não tenha analisado uma outra consequência da pandemia e necessidade de se permanecer em isolamento social:

    – O aumento expressivo no consumo de bebidas ALCOÓLICAS dentro dos lares, em família ou por pessoas que vivem sozinhas, por causa do também chamado “confinamento”.

    Obviamente isso é causado pelo medo, apreensão e estresse perante uma pandemia que está se prolongando no tempo. Em nosso país ela já matou mais de 82 mil pessoas e causou sofrimento a centenas de milhares de outras.

    Mas o uso de bebida alcoólica pode causar COMPULSÃO, uma dependência química (viciação), e também de hábito social.

    O vício da bebida alcoólica é milenar nesta Terra, e muitos de nós já o tivemos em reencarnações passadas. Portanto poderemos retomá-lo agora, se começarmos a abusar de drinques alcoólicos, pois os circuitos neurais ainda existem em nossos corpos espirituais.

    Basta dar “o primeiro gole”, conforme é tão bem ensinado aos dependentes nos nobres grupos de Alcoólicos Anônimos, que tanto ajudam a milhões para se manterem distantes do vício.

    E quem hoje diz beber “apenas socialmente” pode se tornar o dependente de amanhã, pois o “socialmente” vai se tornando “continuamente” sem que a pessoa perceba.

    • Sr. Isac Mariano,

      Agradeço-lhe pelas generosas palavras de aprovação às minhas respostas e, também, as lúcidas perguntas do Dr. Jorge Béja, nesta entrevista.

      Mas o senhor colaborou também, ao citar uma outra consequência da pandemia e a necessidade de se permanecer em isolamento social: O aumento do alcoolismo, especialmente nas pessoas confinadas que já sejam alcoolistas : com o estresse, as pessoas abusam mais de bebidas alcólicas. Foi uma falha minha ao não dizer isso na entrevista. Muito obrigado ! Aproveito para colocar aqui uma outra consequência mórbida que eu também deveria haver citado: O aumento do tabagismo, que afeta gravemente os pulmões (entre outros órgãos) , já que a ansiedade e estresse provocados pelo confinamento impele o fumante de fumar mais do que costuma.

      Atenciosamente,

      Ednei José Dutra de Freitas

  2. Bom a todos..
    Oxalá sabe o faz Sapo de Tofa.. Concordo consigo.. O cara é tão sem noção, que ficou esculhambando a situação da pandemia que acabou no que deu.. Ele tem a sorte de ser presidente e se tratar nos Albert Einsteins da vida e bem cuidado.. Mas a batata dele está assando… Abs a todos..

  3. Eu estou em profunda depressão, pois tendo votado no “tosco destrambelhado” pensando(?) que iria colocar o nosso querido Brasil nos trilhos o mesmo piora tudo.
    O bendito é tão destrambelhado que libera o uso de mascaras dentro de templos e igrejas.
    Não dá para Acreditar.
    Talvez em minhas alucinações eu grite “Volta Lula”.

  4. Bom artigo, Dr. Ednei Sempre equilibrado e contido nas suas manifestações. Os comentários que seguem a noticia são reais e verdadeiros. Parabéns a equipe

  5. Um advogado célebre e um médico de renome, só podiam qualificar a TI de maneira absoluta, em comparação aos blogues existentes.

    Béja não escreve bem, somente, mas provou ser um excelente questionador;
    Freitas demonstrou seus conhecimentos como especialista na conduta humana porque psiquiatra e psicanalista, hoje um profissional requisitadíssimo para amenizar as tensões e anseios da obrigação de se ficar em casa.

    Resultado:
    Uma entrevista primorosa, pertinente, primordial, que vai ao encontro de perguntas e dúvidas da maioria do povo, atualmente entre o isolamento social e a necessidade do convívio com outras pessoas, que não apenas quem reside na mesma casa.

    Enfim, precisamos de ajuda, de orientação, de especialistas que nos ensinem como aliviar o peso desse distanciamento, de modo que não surja nos seres humanos que mais sofrem quando impedidos de ir e vir livremente, por sequelas graves e irrecuperáveis.

    Precisamos de opções, alternativas, meios de nos amenizar a carga emocional negativa, as tensões muitas vezes insuportáveis, a vontade de romper com as determinações governamentais.

    Lamento muito que, além da gravidade da pandemia, e suas milhares de mortes no Brasil, mais de 83 mil vítimas fatais, que o povo ainda tenha de sobreviver enclausurado.
    Pior:
    sem dinheiro, desempregado, empobrecendo, desanimado, desesperado, desesperançado … que, indiscutivelmente, mais problemas teremos de enfrentar não só nesses dias de terror, quanto depois de a pandemia for controlada, que será a retomada da normalidade, de novo a busca por trabalho, e lamber as feridas abertas ocasionadas pela doença e isolamento social.

    Não sei se teremos estrutura física e psíquica para tanto, confesso.
    Tenho a impressão que a carga emocional e mental que tem o povo brasileiro é demasiada para a sua capacidade.
    Antevejo muita dificuldade de retomada da vida anterior, significando a necessidade imperiosa de se mudar a trajetória de existências que se acostumaram a viver sem a pandemia.

    Brilhante postagem.
    Aplaudo e comemoro o assunto em tela porque necessário e oportuno.

    Meus respeitos ao entrevistador e entrevistado.
    Ambos soberbos e magníficos nas perguntas e respostas.

    • Prezado Francisco Bendl,

      Não tenho palavras suficientes para agradecer seu sempre bem-vindo (em tudo o que o senhor comenta na TI , e em especial seus comentários de aprovação da entrevista, tanto das perguntas feitas pelo entrevistador quanto pelas respostas dadas pelo entrevistado.

      Aproveito o ensejo para me manifestar sobre o senhor e seus textos na TI com meus protestos de alta estima e elevada consideração.

      Receba os meus melhores cumprimentos,

      Ednei José Dutra de Freitas

  6. UM ADENDO

    O presidente Jair Bolsonaro não leu esta  matéria, como não lê as recomendações da OMS, dos infectologistas e cientistas brasileiros, continua a ignorar as informações da ABIN, de todos os especialistas médicos (intensivistas, infectologistas. de todos os órgãos de espionagem e inteligência militar de que dispõe, inclusive deixando de imitar o negacionista Donald Trump , ídolo de Bolsonaro) , ignora as informações dadas pela grande imprensa e ontem passeou de moto no palácio do Planalto parando para conversar com garis do Palácio do Planalto, sem usar máscara à distância de menos de um metro dos garis, colocando em risco de contaminar de coronavírus os garis que trabalham no Palácio do Planalto.

    As imagens estão em todos os jornais impressos ou televisivos de credibilidade. O negacionismo de Jair Bolsonaro sobre os cuidados de confinamento, e a seu mando, recentemente, contra a opinião da OMS, as orientações das autoridades médicas do Brasil, dos epidemiologistas da  Fiocruz, em seu pensamento negativista obrigou seu pau mandado general Pazuelo, a firmar novo documento  recomendando o uso de cloroquina, que já está demonstrada que não faz efeito no sentido de auxiliar no tratamento do coronavírus e, além disso, pode matar o paciente, especialmente por arritmia cardíaca, infarto do miocárdio, entre outros efeitos colaterais.

    Num país sério como a Itália, qualquer indivíduo, sabendo que está infectado por coronavírus (confirmado três vezes no exame de PCR de Bolsonaro) , se um indivíduo, de qualquer casta a que pertencerem, os cidadãos que saem à rua, não fazem quarentena, e se aproximam sem máscara , uma vez flagrados pela polícia era preso imediatamente.

    Não pode o presidente Bolsonaro deixar de ser diagnosticado com Psicopatia – mais especificamente o Transtorno de Personalidade Narcisista, transtorno mental que já descrevi nesta TI. sobre a sintomatologia desta doença mental, que , pelas características da doença e sua indiferença, falta de compaixão com os brasileiros afetados (incluisive a avó de sua esposa, por quem Michelle foi criada) pela virose , e negação de que o Brasil tenha uma virose transmissível, coloca pessoas em perigo de contaminação pelas aglomerações provocadas por Bolsonaro, inclusive colocando crianças no colo e as beijando sem máscara, dando abraços em apoiadores sem máscara, e se apresenta sem máscara quando seus fanáticos eleitores, em frente ao Palácio do Planalto, que pedem ditatura com Bolsonaro, incitamento para que os militares fechem o Congresso, fechem o STJ , pedem a volta do AI-5, aos quais o Presidente acena e abraça,  e Bolsonaro coloca um general (Pazuelo) que sequer é médico ou profissional de Saúde, e sim intendente da Marinha, sem qualquer experiência com saúde, como seu pau mandado, e Bolsonaro recentemente mandou Pazzuelo escrever uma recomendação escrita, que a cura do Covid-19 pode ser obtida com a cloroquina e a hidroxi-cloroquina (que segundo informa Bolsonaro, ele mesmo continua usando o fármaco inócuo e com vários efeitos colaterais e mortais durante a própria doença que o Presidente contraiu), Seu ministério da Saúde gastou até agora somente um terço da verba constitucionalmente carimbada para socorrer a Saúde dos brasileiros, entre outros absurdos mais.

    A atitude de ontem de Bolsonaro, como poderia não deixar de ser, é destaque negativo nos maiores jornais da Europa, dos Estados Unidos, e até mesmo na África, em Angola, em seu mais importante jornal, intitulado : (Novo Jornal}, cujo acesso está no link abaixo : http://www.novojornal.co.ao/internacional/interior/covid-19-presidente-brasileiro-esta-infectado-com-o-novo-coronavirus-89602.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *