Itaú é recordista mundial em juros do cartão de crédito, com 632,43% ao ano

Resultado de imagem para juros do cartão CHARGES

Charge do Dorinho, reprodução do Arquivo Google

Vicente Nunes
Correio Braziliense

O Palácio do Planalto já recebeu informações do Banco Central de que os bancos públicos estão abusando na cobrança de juros no rotativo do cartão de crédito. A queixa maior do governo é com a Caixa Econômica Federal, que está cobrando juros maiores do que os bancos privados, como Bradesco e Santander.

Na avaliação de um assessor do presidente Michel Temer, isso é inadmissível, ainda que os bancos sejam livres para definir as taxas de juros.

Pelos registros do Banco Central, a Caixa está cobrando de seus clientes no cartão juros de 581,29% ao ano, quase 100 pontos percentuais acima da média do mercado, de 482,1%.

No Santander, os juros do rotativo do cartão estão em 575,62% ao ano. No Bradesco, em 559,80%.  Dos cinco maiores bancos do país, a menor taxa no cartão de crédito está no Banco do Brasil, de 464,63%, e a mais alta, no Itaú Unibanco, de 632,43%.

“A Caixa, com certeza, será chamada a explicar suas taxas”, frisa o assessor de Temer.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Não é verdade que os bancos estejam livres para cobrar as taxas de juros que bem entenderem. A Constituição foi clara a respeito, embora não tenha sido obedecida, devido à cumplicidade do Supremo com o sistema financeiro, esta é a grande verdade. Depois, no governo FHC, derrubaram a limitação dos juros (artigo 192) e a emenda entrou em vigor já no governo Lula, em 29 de maio de 2003. Na Constituinte, colaborei na Frente Parlamentar Nacionalista, que lutou muito para aprovar a limitação dos juros em 12% ao ano, com dedicação total do deputado Fernando Gasparian (PMDB-SP). Mas não adiantou nada, pois o recordista na exploração da agiotagem é um banco que pertence ao próprio governo brasileiro, com 581,29%. Isso não existe em nenhum país minimamente civilizado, apenas no Brasil. (C.N.)

18 thoughts on “Itaú é recordista mundial em juros do cartão de crédito, com 632,43% ao ano

  1. Este é um dos bancos onde os juros são enormes, pior que agiotagem, o pior é a omissão de governos que vem massacrando o povo com estes juros desumanos, o poder judiciário nada faz, é omisso, fica passivo e o governo não peita estes mercenários do povo brasileiro, não tem moral.

  2. NR diz tudo, FHC foi o liberador das taxas escorchantes, e está ai dando uma de vestal. Infelizmente, o traidor do povo Lula, deu continuidade ao roubo, que faz a miséria crescer.
    200 milhões de escravos do “poder” dos Bancos, a CX, que Getúlio Vargas criou para atender ao trabalhador, virou bandida. Pobre Brasil, até quando vais continuiar a ser estuprado e vilipendiado pela corja que nos desgoverna, te transformando em uma republiqueta democradura.
    Pai Celestial, nos socorra.

    • Caríssimo Theo,

      Tenho propalado alto e bom som QUE, OS DEVEDORES DE CARTÕES DE CRÉDITO NÃO O PAGUEM, DEIXEM DE LADO TIRAR DINHEIRO DA COMIDA, DO ALUGUEL, DA ESCOLA, DE REMÉDIOS, para quitar os malditos cartões!

      Não importa ficar com o nome impedido de se ter crédito por cinco anos, mas o prejuízo se der dinheiro para os agiotas é muito maior!

      Digo mais;

      O plano deve ser bem feito:
      Usar os limites que se dispões para comprar o que se precisa, comida, roupa, estocar outros produtos, tirar o dinheiro que o cartão proporciona, e … não pagar!

      Primeiro:
      Tentar o parcelamento, que o próprio cartão possibilita, e a juros bem menores;
      Segundo:
      Se os valores dessas parcelas forem muito altos, propor mais parcelamento;
      Terceiro:
      Se a empresa não concordar, encerra as negociações, e deixa correrem atrás.
      Quarto:
      Se o cartão ajuizar a ação de cobrança, e levará tempo para isso, prepare-se para no mesmo processo questionar os Judiciário quanto às taxas aplicadas, que são extorsivas, criminosas, e que a empresa apresente em Juízo a sua proposta de cobrança.
      Quinto:
      Até a ação transitar em julgado, vai de cinco a sete anos, tempo suficiente para a pessoa arrumar uns trocados ou propor parte do pagamento em acordo com o cobrador.
      Caso não tiver bem algum para dar em penhora – carro, quadros, terreno -, apenas a casa e salário, descansa, nada poderá lhe ser tirado, e a ação morre na casca!

      Lamento profundamente que tenhamos chegado a este patamar, de agir dessa forma, de não se honrar o compromisso de pagamento, mas foram os bancos que escolheram as armas, então lutemos com eles neste sistema capitalista mais do que selvagem, eu diria aniquilador, massacrante, e salve-se quem puder!

      Agora, deixar de comer, trabalhar, comprar medicamentos, pagar o aluguel, a escola, faculdade, para pagar cartão de crédito, só mesmo muito idiota e babaca!

      A menos que consiga pagar a fatura integral, e não deixe saldo pendente, sob pena de ser explorado e extorquido, caso contrário, em se deixar levar por taxas de juros CRIMINOSAS, só mesmo sendo muito abestado!

      Um abraço, Theo.
      Feliz 2017!

      • Conheço casos que depois de 2 anos o banco aceitou o principal acrescido de mais 15% total sobre o principal
        Quando eles notam que não vão receber e que o valor não compensa entrar na justiça..

          • 1) Prezados, sinceramente, eu não sei se o caminho é esse.

            2) Qdo o Lula era presidente e o prefeito do Rio Cesar Maia fazia oposição a ele, surgiu na cidade um movimento para não se pagar o IPTU.

            3) Ou seja, a cidade quebraria e o Cesar Maia não teria dinheiro para arcar com os compromissos.

            4) Como o prefeito era um bom administrador e economista, o movimento não deu em nada.

            5) No final do ano os inadimplentes tiveram que renegociar suas dívidas com a prefeitura….

            6) Coincidência ou não… quem está quebrado agora é o Estado, por “n” fatores.

            7) Penso que o consumo consciente é uma boa opção: só comprar o que se necessita.

          • Discordo.
            Inicialmente essa atitude cívica e legal, pois dívida não é crime , não atinge somente os bancos, pega também os ladrões do dinheiro público.
            Se a cidade não quebrou com o César Maia, quebrou agora devido a roubalheira, basta ver os ‘legados’ olímpicos do futuro ‘professor’ da Universidade de Columbia.
            Toda vez que o contribuinte vai renegociar dívidas junto às prefeituras tem um bom desconto, isso com as Vara da Fazenda funcionando normalmente, o que não ocorrerá caso o não pagamento seja coletivo.
            O prefeito eleito Crivella já está denunciando a situação financeira da prefeitura, talvez porque ele não vai conseguir fazer o pastoreio da miséria na zona Oeste, conforme ficou claro naquela gravação feita pela PF sobre a nomeação da filha do Garotinho.
            Outro dia você escreveu que no Budismo uma pessoa para ‘pagar’ os seus atos na terra pode reencarnar como um animal, disse ainda que políticos poderiam nascer como ratazanas.
            Dentro desse ‘ rebaixamento’ na escala biológica, acho que uma ratazana daquelas ruim, que destroem o ninho da outra e comem os seus filhotes, pode reencarnar como político…

  3. Em países sérios, o povo, também sério, boicota esse tipo de serviço. Gente estúpida, que tem uma necessidade de ostentar cem vezes maior do que a própria inteligência, se enrola nessa bola de neve de juros de cartão. Os espertos precisam dos idiotas para se darem bem. Só existe explorador onde alguém se sujeita a ser explorado. Pessoas compram coisas que nem precisam, só por ostentação. Sociedade fútil e estúpida, tem mais é que pagar o preço mesmo!

    • Wagner,

      Lamento, mas a causa conforme explicas não é assim tão simplória.

      Admito que o consumismo desenfreado pode levar as pessoas para este resultado, mas decididamente não é a maioria do povo que age dessa maneira!

      Quanto a essa austeridade que propagas, de um povo comedido, calculista, por favor, menos o brasileiro, e considerando o nível de escolaridade que ostentamos, baixíssimo, que também auxiliaria e muito neste controle sobre as finanças pessoais e familiares.

      Os cartões de crédito se tornaram um mal necessário, haja vista o crédito imediato e sem burocracia que se consegue nas lojas onde está o produto que queremos.

      Liberados pelos bancos o dinheiro de “plástico”, a vida desse consumidor deixa de ser comandada por ele mesmo, para ser dirigida pelo gerente do banco ou limites obtidos de crédito, e assim balizar a sua existência.

      Ultrapassar esses limites significa suportar as consequências, tanto no pagamento de juros absurdos e criminosos (a rotatividade do saldo devedor, uma espécie de multa), quanto sujeitar-se a cobranças humilhantes, e reduzir substancialmente a sua existência para arcar com o pagamento de exigências inaceitáveis!

      Ora, então não limites para cobranças de juros?!

      O agiota está definitivamente liberado para cobrar o que quer e imagina do consumidor?!

      E as leis que abordam a usura, onde se encontram?

      Aceito a sociedade ser estúpida, SE ACEITAR AS REGRAS IMPOSTAS PELOS CARTÕES, porém muito inteligente e sagaz, se contestar as taxas impostas, e recorrer ao Judiciário para reclamar seus direitos constitucionais ou, então, não pagar os cartões, agindo exatamente da mesma forma, conforme estabelecido por este capitalismo selvagem, pelos vândalos da economia popular!

    • Virgílio,

      Falando sério, se o povo deixar de pagar as suas contas, certamente uma revolução acontecerá, e para melhor, muito melhor!

      Acontece que a Justiça ficará tão abarrotada de ações, que não terá como atender aos milhões de pleitos dos credores, obrigando a acordos que agradem o devedor ou que este possa arcar com a dívida, porém em condições plausíveis.

      Imagina, de uma hora para outra, o povo deixa de pagar os juros do cheque especial, dos cartões, dos carnês, os empréstimos com débito em conta – desgraçadamente não poderá fazer o mesmo com os consignados -, que baita revolução?!

      OS JUROS CAIRIAM AUTOMATICAMENTE, SEM A INTERVENÇÃO FICTÍCIA DO GOVERNO, UMA PANTOMIMA COM PIROTECNIA DESNECESSÁRIA, pois se quisesse mesmo diminuir as taxas de juros existentes, estas medidas deveriam ter sido tomadas há muito tempo, e não agora, depois de as empresas dos cartões terem abarrotado as suas burras de dinheiro extorquido do povo brasileiro!

  4. A Pinguela para o futuro não tem teto ??????

    Contas públicas têm rombo de R$ 39,1 bilhões em novembro, recorde para o mês
    No acumulado de janeiro e novembro, setor público consolidado, que inclui governo federal, estados, municípios e estatais, registrou déficit de R$ 85,1 bilhões, também recorde para o período.

  5. Prezado Carlos Newton, a vedação de que o sistema financeiro não operasse com taxa de juros acima de 12%, prevista no art. 192, § 3º, da Constituição, caiu com a Emenda 40, de 29/05/2003. Lamento notar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *