Ita enfim deposita os R$ 10 milhes de Adriana Ancelmo na conta da Justia

Resultado de imagem para adriana ancelmo charges

Charge do Sponholz (sponholz.com.br)

Luiz Vassallo
Estado

O Ita depositou na sexta-feira, 21, os R$ 10 milhes bloqueados pelo juiz federal Srgio Moro oriundos de contas da ex-primeira dama do Rio Adriana Ancelmo, absolvida da acusao de lavagem de dinheiro. Apesar de livr-la da imputao, o magistrado mandou bloquear os valores identificados na conta da mulher do ex-governador Srgio Cabral (PMDB-RJ), condenado na Lava Jato. O montante ser encaminhado 7 Vara Federal, do juiz Marcelo Bretas, onde ela responde pela acusao de lavagem de dinheiro de supostas propinas ao peemedebista. Moro chegou a cobrar que o banco depositasse, com urgncia, os valores bloqueados de Adriana.

Ancelmo foi absolvida por Moro em processo no qual o ex-governador do Rio, Srgio Cabral, foi condenado a 14 anos e 2 meses de priso por corrupo e lavagem de dinheiro de propinas de R$ 2,7 milhes no mbito de contratos do Complexo Petroqumico do Rio de Janeiro (Comperj).

BLOQUEIO – Na mesma sentena Moro disponibilizou R$ 11 milhes bloqueados nas contas da ex-primeira-dama e de seu escritrio de advocacia Justia Federal do Rio, onde r no mbito da Operao Calicute, por lavagem de dinheiro e associao criminosa.

Inicialmente, o Ita atrasou os depsitos e foi alvo de notificao de Moro para que depositasse, com urgncia, os valores em face da 13 Vara Federal para que, em seguida, esta envie os R$ 10 milhes a contas indicadas pelo juiz federal Marcelo Bretas.

O Ita Unibanco informou a Moro, no dia 10, “que os valores pertencentes Adriana de Lourdes Ancelmo, no valor de R$ 10.000 000,00, esto bloqueados, mas no foram ainda transferidos para conta judicial pois h um fundo de investimento com prazo de resgate previsto para o dia 19/07/2017”.

ANEXADA AOS AUTOS – A guia de depsito na conta indicada por Moro, datada desta sexta-feira, 21, foi anexada aos autos. Nos prximos dias, a Justia Federal do Paran vai enviar o montante 7 Vara do Rio, que determinou sua priso domiciliar

Segundo a denncia do Ministrio Pblico Federal do Rio de Janeiro, a atuao da ex-primeira dama enquanto advogada desperta “ao menos suspeitas da prtica de atos de ocultao de proveitos decorrentes da atividade criminosa do ex-governador”. A banca Ancelmo Advogados recebeu R$ 35.830.356,84 milhes de dez empresas.

“O escritrio de advocacia da ex-primeira-dama Adriana Ancelmo teve um crescimento vertiginoso durante os dois mandatos de seu marido Srgio Cabral”, afirma a fora-tarefa.

###
NOTA DA REDAO DO BLOG
Adriana Ancelmo j deveria ter perdido o direito priso domiciliar. lamentvel a demora do TRF-1 em julgar o recurso da Procuradoria da Repblica para revogar esse indevido benefcio a ela concedido. (C.N.)

3 thoughts on “Ita enfim deposita os R$ 10 milhes de Adriana Ancelmo na conta da Justia

  1. No chega nem perto do que Srgio Cabral e mulher(conivente) amealharam dos cofres pblicos atravs de propinas, ainda por cima, o mal carter pode ter pena reduzida (trabalho no presdio) mas, desde quando este sujeito trabalha, paga at personal presidirio, quentinhas e servios de limpeza no presdio, preciso que o diretor do presdio venha se explicar, este canalha fez um mal enorme no estado do Rio de Janeiro.

  2. Segundo madame, quando da roubalheira, o casal
    estava em XTASE, dai ento quando roubavam, a adrenalina explodia, era a glria.
    Hoje sobrou a DEPRESSO, em xtase mesmo s a galera dos otrios contribuintes, ao ver a situao da dupla.
    Se esta tendo que devolver o dinheiro, porque roubou, e a grana a prova. Porque ento a absolvio? No uma contradio? Sera que o Moro esqueceu disso? Que coisa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.