Ives Gandra Martins Filho deverá será indicado por Temer para o Supremo

Resultado de imagem para ives gandra filhoJosé Carlos Werneck

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, Ives Gandra Filho, deve ser o nome indicado pelo presidente da República Michel Temer para ocupar a cadeira deixada por Teori Zavascki, no Supremo Tribunal Federal. O presidente pretende fazer o anúncio na próxima semana, para não ser acusado de morosidade e para garantir que a composição da Comissão de Constituição e Justiça do Senado , que sabatinará o novo indicado não seja influenciada por nenhum motivo.

Hoje, o presidente do TST sentou-se na tribuna de honra, próximo ao presidente Michel Temer, e foi citado duas vezes pelo peemedebista durante seu discurso de 20 minutos.

Na solenidade, Michel Temer empossou três novos ministros: Moreira Franco, na Secretaria-Geral, Antonio Imbassahy, na Secretaria de Governo, e Luislinda Valois, na de Direitos Humanos.

Temer vai se encontrar no final de semana com a presidente do Supremo e perguntar o que ela acha da indicação do novo ministro.

POSIÇÕES RETRÓGRADAS – Entre algumas opiniões de Gandra Filho, que fazem parte de livro de sua autoria , “Tratado de Direito Constitucional” publicado em 2012, organizado pelo ministro Gilmar Mendes, pelo advogado Carlos Valder e por seu pai, o renomado tributarista Ives Gandra Martins, consta esta frase: “A mulher deve obedecer e ser submissa ao marido”.

Martins Filho, nesta obra sobre direitos fundamentais, afirma ser contra decisões já tomadas pelo Supremo, como o reconhecimento da união homoafetiva, a liberação das células-tronco embrionárias para pesquisa e a permissão para destruir embriões humanos em pesquisas.

É também contrário ao aborto, ao divórcio e à distribuição de pílulas anticoncepcionais em hospitais públicos. Tal como o pai, Martins Filho integra o Opus Dei, organização católica ultraconservadora, e se declara celibatário.

ABORTO E HOMOFOBIA – Por trás de todas as posições expressas no livro estão duas bandeiras do Opus Dei: o ataque ao aborto em qualquer situação e a defesa da ideia de que só existe família na união de um homem e de uma mulher. “Sendo o direito à vida o mais básico e fundamental dos direitos humanos, não pode ser relativizado em prol de valores e direitos”(…) “Sem vida não há qualquer outro direito a ser resguardado”. O ministro do TST ressalta, no entanto, que “indivíduos de orientação heterossexual e homossexual possuem a mesma dignidade perante a lei” e que a opção dos homossexuais deve ser respeitada.

As pesquisas com células-tronco de embriões, liberadas pelo Supremo em 2008, também recebem um pesado ataque no livro: “O uso de células-tronco embrionárias com fins terapêuticos representa nitidamente processo de canibalização do ser humano, incompatível com o estágio de civilização da sociedade moderna”.

Martins Filho é um dos idealizadores da reforma trabalhista proposta recentemente por Temer e que recebeu críticas de sindicatos. Ele defende a flexibilização de regras trabalhistas.

33 thoughts on “Ives Gandra Martins Filho deverá será indicado por Temer para o Supremo

  1. É a natureza humana? Já viu algum casal (de 2 mulheres) em que umaxxx delaxxxs se torna o macho alfa, e fica controlando a outraxxx? PS: Aqui em casa quem manda é a esposa. PS 2: Só que ninguém obedece.

  2. The more you stir it the more it stinks. A quem podemos apelar?
    Pensar que “A mulher deve obedecer e ser submissa ao marido” não é discriminação?
    Será que esse cara já caiu numa real ou ainda continua colecionando formiguinha? Pô, se esse cara é jurista, eu sou astronauta.

  3. Pingback: Ives Gandra Martins Filho deverá ser indicado por Temer para o STF – Debates Culturais

  4. O Ministro está certo!
    Tem de ser bonitinha, recatada e do lar. Porém tem de ter um lugar ao sol , poi roupa quarada fica mais bonita.
    Também deve casar de branco que é a cor do fogão, da geladeira e da máquina de lavar !

    Uiii hoje eu apanho em casa …
    Kkll

  5. Nós não temos sorte, sempre colocam estes carcamanos para fazer parte da curriola, já sabemos o pensamento deste ministro do TST, é totalmente do lado do empresariado, nós trabalhadores estão ferrados.

  6. Será que a Opus Dei vai dar o pontapé nos fundilhos dos TeleBispoPastores-Caixas Eletrônicos Talebanjélicos e fazer o Primeiro Presidente da Republiqueta de Bananas de Nóis Tolos……?

    Já estão se “espallhando”.

  7. Quantos são os ministros do STF?
    Não são onze?
    Será que não cabe, pelo menos um, pensar diferente dos outros dez?
    Com um representante, unzinho só, nada ficará pendendo, de forma tão “preocupante”, a favor do conservadorismo.

    É tudo uma questão de SABER CONVIVER COM QUEM PENSA DIFERENTE.
    Por sinal, este não é o lema dos mais exaltados liberais, progressistas, inovadores. “revolucionários” do pensamento humano?

  8. Não existe essa de ser submissa ao marido, ‘sim, meu amo e senhor’.

    O bonito, o lindo da relação, é a troca entre iguais, entre o homem e a mulher.

    Nada mais bonito que o homem se aconselhar com sua mulher, esquecer a força física e a natural desenvoltura aprendida nas ruas para se agigantar diante do coração dela.

    Homem também gosta de colo.
    E mulher gosta de dar esse colo.

    Coisa mais antiga e primitiva a desse ministro.

    Da relação entre iguais não posso falar, não conheço.

  9. A vida entre um casal (homem e mulher), se os dois quiserem liderar e comandar, certamente não dará certo, é o caminho da separação.
    Geralmente, na prática, quem lidera é o homem e toma as decisões mais importantes na vida do cônjuge, mas isso não desqualifica a mulher, que tem um papel de suma importância na família. A natureza deu ao homem e a mulher, desigualdades, que unidas formam um só corpo.
    .

  10. Tem que se respeitar a opção sexual do homoxeuais. Duas pessoas do mesmo sexo podem viver juntas como marido e marido ou mulher e mulher, nada contra. O que não se pode é legalizar, tornar oficial, o que vai contra a lei da natureza, que é o casamente entre pessoas do mesmo sexo.

    • Permita-me, Alex, um comentário.
      Não acredito que seja somente “o religioso que só aceita o que lhe convém”.
      Provavelmente a maioria das pessoas age assim, seja ou não religiosa.

      O ideal é que todos convivam respeitando as opiniões contrárias, sem precisar reagir de forma desrespeitosa ou agressiva.

      Há religiões radicais, mas também há políticos radicais, governos radicais, comunistas ou conservadores radicais, etc.
      Destacar a qualidade do religioso como divisor de águas pode ser um equívoco.

  11. kkkkkkkkkkkkkk
    Depois que o ultra vermelho petista Edson Fachin fou saudado como redentor da Lava-Jato, qual o problema de se indicar um ultra-conservador para uma Corte que FINGE QUE PROTEGE A CONSTITUIÇÃO??? O STF não julga mais nada, apenas finge que julga!!! O resultado do julgamento de conchavo de 07.12.2016 foi antecipado pela Monica Bergamo horas antes, inclusive no detalhe de que CElso de Mello seria o primeiro a votar. O STF não julga nem cumpre a lei, agora só faz política rasteira.

  12. É interessante a forma como o jurista é criticado, considerando que sabemos qual é a origem de seu embasamento ético e moral, o difícil aqui é tentar descobrir quais são os parâmetros que os críticos utilizam para estabelecer o que é certo ou errado, afinal na era da pós-modernidade não existe este conceito, mas sim que cada deve construir suas verdades relativas, então o que vale para um pode não valer para o outro, portanto como alguém pode ser questionado sobre sua percepção pessoal em um mundo onde tudo é relativizado? Quem tem moral para determinar o que é certo ou errado?

  13. Só falta o poderoso de plantão voltar a ter o poder de testar a virgem antes do noivo. (Dizem que os senhores feudais tinham esse direito). Agora, com esse nerd hiperbólico, as mulheres que se cuidem.
    Mais um desses para o STF e podemos mudar o seu nome para Cemitério Supremo – só dá múmia!

  14. Deveria ser um cargo pleiteado através de concurso público e onde os postulantes , também , através de sua vida pregressa, devessem provar isenção partidária e ideológica. Ter uma religião, no meu entender , é um ponto positivo
    Em suma ,um tribunal escravo das decisões do Planalto. Salvo engano, 7foram escolhidos por Lula é um por Dilma de um total de 11. É muita isençãorsrsrs.Daí explica muito a situação do Brasil. rsrs

  15. Dado as circunstâncias, quem acha que o ministro Edson Fachin não serve para relator, deveria pelo menos justificar sua insatisfação com a escolha dele e indicar qual do outros três seriam o ideal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *