Jair Bolsonaro demonstrou força nas ruas e isso significa impeachment fraco no Congresso

Bolsonaro chega à avenida Paulista para discursar no 7 de setembro -  Notícias - R7 São Paulo

Uma massa impressionante apoiou Bolsonaro na Av. Paulista

J.R.Guzzo
Gazeta do Povo

O Sete de Setembro veio e foi embora, e as dúvidas que existiam antes mudaram de natureza e de lugar, mas continuam presentes. Antes, a incógnita era: o presidente Jair Bolsonaro vai conseguir mesmo levar multidões para a rua, em seu apoio e contra os seus inimigos?

Isso deixou de estar em discussão: sim, o presidente conseguiu levantar a massa e comandou as maiores manifestações públicas que o Brasil já teve desde a grande onda do “Fora Dilma” em 2016. A questão que se coloca agora é outra. Para que vai servir, na prática, esse apoio todo?

GUERRA ABERTA – Bolsonaro está em guerra com o Supremo Tribunal Federal, e o Supremo Tribunal Federal está em guerra com ele. A presença do povo na rua no Sete de Setembro não parece ter alterado, neste momento inicial, as posições relativas de cada um no confronto.

Sim, Bolsonaro mostrou que a queda da sua popularidade, anunciada pelos institutos de pesquisa e festejada pelos inimigos, não resistiu ao seu primeiro grande teste diante da realidade – ninguém consegue, ao mesmo tempo, estar com a popularidade no chão e lotar a Avenida Paulista como ele lotou – a Paulista e mais uma porção de lugares.

Ao mesmo tempo, não há sinal de que o STF, com multidões ou sem, vai amaciar o seu tiroteio contra o presidente.

INIMIGO Nº 1 – O ministro Alexandre de Moraes, atualmente o inimigo número 1 de Bolsonaro, não vai “pedir para sair”, como recomendou Bolsonaro num dos seus discursos – aproveitando, aliás, para dizer que Moraes deveria deixar de ser “canalha”.

O resto do STF, da mesma forma, não vai mudar de atitude porque a Paulista encheu – o povo, aí, pode protestar, mas não tem força para mudar realmente alguma coisa na prática.

O mundo político, por sua vez, está perdido – não acredita em si próprio, não tem coragem para nada, não é capaz de dar uma única ideia útil, não tem lideranças e só está fingindo atividade, enquanto espera para se juntar ao lado que ficar mais forte.

PRESENTE E FUTURO – Na verdade, a presença da massa na rua parece capaz de influir menos o presente do que o futuro. Bolsonaro forte na avenida é impeachment fraco no Congresso. Eis aí, ao que parece, o principal efeito das manifestações do Sete de Setembro – o impeachment, única maneira indiscutivelmente legal de afastar um presidente (fora as eleições, é claro), precisa conseguir dois terços dos votos dos deputados federais e dos senadores, e isso é tanto mais difícil quanto mais gente Bolsonaro reunir na praça pública.

O mecanismo funciona dos dois lados. Nos casos de Dilma Rousseff e de Fernando Collor, a situação era oposta: a população, nas duas ocasiões, estava na rua para cobrar o impeachment. Deu no que se sabe.

Ninguém vê nenhuma possibilidade de multidões na Avenida Paulista, na Esplanada dos Ministérios ou na praia de Copacabana exigindo o impeachment de Bolsonaro – não depois do que houve no Sete de Setembro. A guerra continua, portanto. Temos um futuro embaçado pela frente.

18 thoughts on “Jair Bolsonaro demonstrou força nas ruas e isso significa impeachment fraco no Congresso

  1. Sempre falei que impeachment sem crime é golpe.
    Teremos mais um ano a alguns meses de novos barracos e boas oportunidades para os responsáveis, muitos aqui da TI, se desculparem de terem apoiado Bolsonaro.

    • Mais ou menos como o da Dilma ,teve muitos crimes e não teve golpe, mas teve “gope .
      Petista não tem jeito, ou está falando mal do Brasil, ou está com mimimi.
      Também pudera, quem tem um ex presidiário como referência está mais perdido do que flamenguista a procura de popularidade.

  2. “Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós.” Abaixo a corrupção e todas as ditaduras, partidária, militar, sindical, midiática, econômica, criminal e milicianas. Basta. Chega das me$ma$. Fora toda$. Democracia Direta Já, com Meritocracia, baseada no Art. 1º, Parágrafo Único, da Constituição da República. DIOS MIO, URGE PUNI-LO$ NAS URNAS EM 2022, posto que, há 131 anos, nas prateleiras dele$, direita, esquerda e centro, NON ECZISTE SOLUÇÃO pacífica, estável, promissora e alvissareira para a política, o país e a população, mas ele$, por egoísmo, má-fé, ambição, interesses pessoais, vaidade e maldade, não passam o bastão para o Leão resolver, satisfatoriamente, o nosso Brasilzão, com o megaprojeto novo e alternativo de política e de nação, o novo caminho para o novo Brasilzão de verdade, a Pátria Grande, orientada pela nossa Constituição. E para impedir o advento da Mega-Solução os loucos puserem na presidência um “Inri Cristo” paraguaio, pra lá de doidão, que está desgraçando ainda mais a vida da população e o futuro da nação. E o pior de tudo é que, em sã consciência, ninguém aguenta mais o blá-blá-blá, o gogó e o trololó do continuísmo da mesmice dos me$mo$, à paisana e fardados, nas versões direita, esquerda e cento, e a bateção de cabeças dos me$mo$. E é ai que se impõe, naturalmente, a LUTA da EVOLUÇÃO, tal seja a Democracia Direta, com Meritocracia, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, o megaprojeto novo e alternativo de política e de nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, versus continuísmo da mesmice da situação, da oposição e puxadinhos dos me$mo$, nas versões direita, esquerda e centro e a Democracia Indireta dos me$mo$, que só convém aos me$mo$ que operam à moda cavalos velhos que já não dão mais no coro, não fazem o que tem que ser feito e nem desocupam a moita, sendo esse, pois, o impasse histórico instalado no país, face ao qual não há mais como tapar o sol com a peneira, sob o aspecto político, não há mais como continuar tergiversando. E o pior de tudo é que o conjunto da população brasuca, ludibriado pelos me$mo$, encontra-se tripolarizado, dividido pela velha política em seus três velhos segmentos políticos, enganoso$, direita, esquerda e centro, e não nos iludamos, nada muda neste país sem passar pelo crivo dos me$mo$, ou por cima dos me$mo$, à paisana ou fardados, enquanto reis do gado, donos dos votos, das armas e do monopólio eleitoral, mesmo que na condição de algozes do conjunto da população acometida pela “Síndrome de Estocolmo”, na seara dos quais, infelizmente, não existe solução de continuidade alvissareira para a política, o país e a população, que não suporta mais ser conduzida à base do charlatanismo onde abundam as “soluções”, que, infelizmente, no campo da verdade, como diria o saudoso Padre Quevedo: ” NON ECZISTEM !!!”, na prateleira dele$, direita, esquerda e centro. https://www.youtube.com/watch?v=J76dtzngRyY

  3. O pior de tudo é que a abertura do impeachment, no caso, é o que ele precisa para virar um ditador, mesmo sem querer querendo, inclusive porque, perdido por um perdido por mil. O impasse está formado, e mesmo no pior momento que um presidente pode ter, ele continua mais forte do que os seus oponentes, como demonstrado no 7/9, p.p., e armado até os dentes, e foi a mídia demotucana golpista que entornou o caldo, com certeza, fazendo de tudo para derrubá-lo com as segundas intenções de colocar Dória no seu lugar, como fizeram contra Dilma, e ato contínuo colocar o Lula na roda de novo e pegá-lo pra capar, em prol de uma possível nova ditadura demotucana federal, à exemplo de SP, expediente esse que ele conhece de cor e salteado, posto que foi tb partícipe do golpe contra Dilma, e se preveniu contra o golpe contra ele. E o melhor e mais inteligente a fazer agora é todos baixarem a bola, situação e oposição, colocar todas as cartas sobre a mesa, principalmente a cartada popular libertária, e todos juntos e misturados, povo, direita, esquerda e centro, encontrar a melhor solução para a política, o país e o conjunto da população, para a felicidade geral da nação.

  4. Mas também, uma opinião dessas:

    “Jair Bolsonaro demonstrou força nas ruas e isso significa impeachment fraco no Congresso”

    Tem que vir do jornalismo nazifascista – que é bem de direita.

    Será que ele vai também dizer que não tem nenhum crime (não político, de responsabilidade, mas criminal mesmo de incitar etc?)

    Se assim, faça o favor? Soltem o Adélio, o Beira Mar, o Celsinho da Vintém, o Jairinho etc.
    Ou será a lei para todos, ou ninguem.

  5. O sujeito comete várias condutas mais do que irresponsáveis – criminosas – ao longo do Desgoverno (se bem que muito antes já cometia) e nunca é responsabilizado por nada.
    É planejar e preparar atentado explosivo para aumento de soldos
    É nomeação de funcionários fantasmas milicianos e parentes, parentes de parentes, vendedor de sacolé, caseiro… esquema de rrachadinha
    É invasão e pesca em área ambiental em período de defeso
    É apologia, defesa de tortura, torturador e à Ditadura
    É campanha defendendo “metralhar a petralhada”
    Enfim… Se fosse negro estaria em outra situação, com certeza. Mas pertencendo à população branca, com apoio de conservadores brancos, defendendo pauta destes… faz de tudo, age contra a lei, que não dá em nada. A lei tem interpretação flexível para estes – porque são quem ocupam os postos chaves dos órgãos e Poderes República.

    • E isso ai. Naõ reuniu força nenhuma. Talvez, vmos exgerar, em todo pais 2.ooo.ooo de pessoas, isto é, de otários e fanaticos. Não chega e 1%., e tem rejeição de 60%. Cade a força.

  6. Força paga com dinheiro de empresários e públco, toda esta força, não representa nada mais que 6%, para decepção deles, vieram de todas as partes do Brasil, financiado por estes empresários, ha´vídeo mostrando que foi distribuído R$ 100,00 reais para cada participante, além de viagens pagas, não é força expontânea e sim de interesses.

  7. Admiro o editor Carlos Newton pelo seu idealismo, por manter-se mais de doze horas agarrado a um computador por pura devoção ao jornalismo, por sua tolerância em manter sem deletar os numerosos disparates e insanidades aqui postados, pelo seu espirito democrático e imparcial que permite que vendedores dos “secos e molhados” a que se referia Millor Fernandes, do tipo do articulista acima, sejam regularmente publicados, o que o deixa blindado contra as acusações de parcialidade que alguns desvairados às vezes tentam lhe impingir.

  8. Se todos os crimes atribuídos a Bolsonaro fossem verdade, Gengis Khan, Átila, Hitler, Stalin, Mao, Pol Pot, o Conde Vlad e Fidel seriam meros frades franciscanos diante da periculosidade do Capitão, e a maioria dos comentaristas daqui matariam de inveja o frade dominicano Tomás de Torquemada.
    Hehehe

  9. É até interessante ler defensor do Bozo como esse Guzzo. Eu reconheço ser uma tarefa inglória, o articulista precisa ser um hábil malabarista. Tentar defender o indefensável é a mesma coisa que decretar uma lei revogando a lei da gravidade.IMPOSSÍVEL!

  10. Depois do fiasco de Bolsonaro, onde mais uma vez teve de engolir as palavras usadas contra o Supremo e, especificamente, contra Alexandre de Moraes e socorrido por Temer, que intermediou uma espécie de trégua entre o presidente e o ministro, eis a terceira via:

    TEMER PARA 2022!!!

    Se nem os militares, principalmente o generalato, conseguem segurar os arroubos e impulsos irresponsáveis de Bolsonaro, que se está caracterizando por um parlapatão e boquirroto, Temer amansou o bicho com a sua calma e ponderação!

    Uma vez que não vamos encontrar um candidato puro para este país – os bons saem correndo da candidatura à presidência -, então que escolhamos Temer como opção para retirar o rebelde e indisciplinado, mal educado e desrespeitoso, inquilino atual do Planalto.

    O Brasil é mesmo uma nação bizarra!

    Dá-lhe, Temer!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *