Jair Bolsonaro não se retrata e jornalista desfecha ataque ao presidente da Anvisa

Para 39% dos brasileiros, Bolsonaro não fez nada de bom até agora, aponta Datafolha | Jovem Pan

Bolsonaro deu entrevista à Jovem Pan e tocou no assunto

Carlos Newton

Como se esperava, o presidente Jair Bolsonaro não aceitou se retratar perante os técnicos da Anvisa, em função da carta aberta divulgada pelo dirigente da Agência, contra-almirante Antonio Barra Torres. Nesta segunda-feira, o chefe do governo deu entrevista à rádio ‘Jovem Pan’ e disse que não acusou ninguém de corrupto, afirmando que não havia motivo  para o tom agressivo de Barra Torres.

“Eu me surpreendi com a carta dele. Carta agressiva, não tinha motivo pra aquilo. Eu falei: ‘o que está por trás do que a Anvisa vem fazendo?’. Ninguém acusou ninguém de corrupto, tá?  E, por enquanto, eu não tenho o que fazer pra tocante a isso aí” —  declarou o presidente.

E quem se encarregou de atacar o dirigente da Anvisa foi o jornalista Cláudio Magnavita, editor do site do Correio da Manhã, que considerou a carta um desrespeito ao presidente e à hierarquia militar.

###
A GRAVE INSUBORDINAÇÃO DE UM CONTRA-ALMIRANTE

Claúdio Magnavita  Correio da Manhã

O atual presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) serviu de bucha de canhão para a mídia de oposição ao Presidente Jair Bolsonaro esta semana. Antônio Barra Torres virou o protagonista do tolo ato de insubordinação de um oficial general contra o comandante supremo das forças armadas brasileiras.

Ele começa uma nota pública, divulgada neste sábado, 8 de janeiro, se qualificando como oficial general da Marinha brasileira. Ser contra-almirante, aliás, foi o seu principal predicado para ser indicado diretor-presidente da Anvisa. Foi uma indicação do almirante Flávio Rocha.

Na carta, ele pede que o Comandante das Forças Armadas se RETRATE.  É exatamente isso: um contra-almirante exigindo retratação do presidente da República e comandante chefe das Forças Armadas. 

INTERESSE DA ANVISA – O pior é que o presidente Bolsonaro não fez nenhuma acusação ao cidadão e oficial general da reserva Barra Torres. Ele apenas questionou que interesses a Anvisa teria na liberação da vacina para crianças.

Para piorar a sua situação de motim, o atual presidente da agência assina a nota como contra-almirante RM1 Médico/Marinha do Brasil. Não há dúvidas. É um oficial general da reserva remunerado da Marinha, ocupando uma função de altíssima confiança no Governo Federal, peitando a sua autoridade maior.

Este comportamento, que atropela, inclusive, o comandante-geral da Marinha, almirante Almir Garnier Santos, e o ministro da Defesa, general Braga Netto, aos quais deveria submeter, por hierarquia, o seu desconforto. Com esta atitude, Barra Torres não defende a sua honra. Pelo contrário, macula o uniforme que usou por 32 anos. O respeito à hierarquia é o pilar principal da vida militar.

DEVERIA RENUNCIAR – O mais grave é que este contra-almirante se escuda no mandato de diretor da agência, que termina em dezembro de 2024. Se o brio militar fizesse parte do seu crédito, deveria primeiro entregar a sua carta de renúncia do cargo que ocupa na Anvisa, indicado em 4 de novembro de 2020 pelo próprio presidente, que agora ele confronta.

O comportamento de Barra Torres já emitia sinais de que ele era uma bomba relógio ambulante. O Correio da Manhã, através de duas notas na Coluna Magnavita, já havia feito o registro. No dia da sessão da Anvisa, que aprovaria a primeira vacina, ele apareceu usando um colete de padrinho de casamento. Também, em coletivas, usou e abusou dos símbolos da Ordem de Malta, da qual é cavaleiro, tanto em gravatas, lapela e máscara.  Sinais de uma personalidade incomum, ao ser submetido ao estrelato.

SAIA JUSTA – É lamentável assistir um oficial das forças armadas brasileiras colocando seus colegas de farda em saia justa, principalmente aqueles que endossaram a sua indicação. O respaldo de caserna evitaria um comportamento traidor e torpe.   

Barra Torres reedita, em reverso,  a essência do mesmo compartimento do marinheiro José Anselmo dos Santos, o cabo Anselmo, em 1964.  Entregar a carta de demissão e recolher-se a sua insignificância é que lhe resta a fazer. 

Com a palavra agora, o comandante-geral da Marinha e o seu Estado Maior, que não podem endossar com silêncio o ato insubordinado do diretor, já que usou o nome da Marinha do Brasil.

20 thoughts on “Jair Bolsonaro não se retrata e jornalista desfecha ataque ao presidente da Anvisa

  1. Barra Torres não maculou o uniforme que usa honradamente há mais de trinta anos. Pelo contrário, soube colocar o dever oriundo da missão que lhe foi confiada ao ser designado para presidente da ANVISA, de proteger a saúde do povo brasileiro, acima dos desmandos e irracionalidades assassinas do pior presidente que o Brasil já teve. Honra a sua farda e o seu juramento, ao contrário de um presidente, este sim despido por insubordinação da farda que vestia, cujo comportamento contra a vida do povo que o elegeu joga no lixo da história o juramento solene que fez ao ser empossado. Ao compara-lo com o Cabo Anselmo, agente provocador infiltrado das forças militares que depuseram o legitimamente eleito presidente João Goulart, quando seria muito mais correto compara-lo a José Cândido Felisberto, o “Almirante Negro” imortalizado em bronze na Praça XV do Rio de Janeiro por sua coragem em liderar a revolta contra o comando da Marinha que pôs fim ao tratamento desumano dados aos marinheiros, o diretor de redação do Correio da Manhã enxovalha a história do que já foi um dos maiores jornais brasileiros, e do qual a atual publicação tomou o nome sem ter nenhuma relação com o original, do qual fui leitor fiel até o seu final, e a memória de seus fundadores Paulo e Edmundo Bittencourt e de sua última diretora Niomar Muniz Sodré, que tão corajosamente fez oposição ao governo militar, tendo sido presa e perseguida até o fechamento definitivo do jornal em 1974.
    A história colocará Barra Torres, se não num pedestal de bronze como João Cândido, muito, mas muito acima do atual presidente, que será relegado à sua merecida posição no lixo.

    • Falando do Boçal, o articulista diz: “Ele apenas questionou que interesses a Anvisa teria na liberação da vacina para crianças.” O interesse é SALVAR A VIDA DAS CRIANÇAS, óbvio !!! Barra Torres, com sua indignação, mostra apenas que é um militar digno e honesto, infinitamente superior a esse lixo que que pensa que é a autoridade maior das nossas FFAA. Não estamos em guerra! O lamentável dessa história toda é que elegemos um indivíduo totalmente incapaz, impossibilitado de raciocinar com clareza e que deveria estar internado num hospital para doentes mentais irrecuperáveis.
      Talvez acompanhado desse tal de Cláudio.

    • Tenta criar um mundo paralelo, cheio de ética e bom senso, coisas que o bolsonaro não conhece, tanto quanto não usou em sua declaração.
      O PR se ferrou de verde e amarelo.
      Foi pior que o camarão, essa não vão conseguir tirar das suas entranhas flatulentas.

  2. Bomba relógio???
    Diante de um capitão expulso do exército por insubordinação, é de se perguntar: o que está por trás de Bozo? O que está por trás da Jovem Pan? O que está por trás deste decepcionante artigo da TI?
    EM TEMPO: nunca fui petista, mas também execro a direita estúpida e comprometida.
    Ora essa!!!!

  3. Senhores e Senhoras.

    A Twenty Century FoxBras do Brasil, apresenta mais um capítulo da Novelinha Mexicana Comunista do Quadrilhão dos Irmãos Metralhas.

    Versão brasileira, Herbert Richers

    Petistas realizam abaixo-assinado contra chapa Lula-Alckmin

    Manifesto contrário a indicação do ex-tucano para o cargo de vice-presidente em uma chapa com Lula já conta com mais de 500 signatários

    https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2022-01-11/petistas-abaixo-assinado-chapa-lula-alckmin.html

  4. Bolsonaro sempre encontra algum apoio entre os passa pano de plantão e na Imprensa chapa branca apoiadores – no caso da Jovem Klan mais que isso.

  5. É muita inocência acreditar que o Barra Torres vestiu o colete de burocrata da ANVISA e ficou chateado por causa da dúvida do Presidente da República. O real motivo do desentendimento foi a operação da Polícia Federal contra ex-diretores da ANVISA, que escancarou os interesses escusos por trás de decisões “técnica$” e levou a agência para as páginas policiais.

    Junte-se a Operação Rarus, com a RECUSA da ANVISA em demonstrar, para os pagadores de impostos, os critérios “técnicos” por trás da autorização para o uso da vacina experimental em crianças e qualquer cidadão, com mais de dois neurônios, ficaria com a pulga atrás da orelha.

    O fundamental na resposta do Bolsonaro ao jornalista da JP foi o “POR ENQUANTO, não tenho o que fazer”. A batata da ANVISA está assando em fogo brando.

    • Entendeu bem o que ele propõe? Que a vacinação em massa seja terminada APÖS a vacinação de reforço e a COVID passe a ser tratada como a gripe significa que, depois que TODO O MUNDO esteja completamente vacinado, inclusive com a dose de reforço, essa vacina seja renovada nos períodos necessários pela queda da imunidade (que ainda não se sabe exatamente quais são) e de cada vez adaptada às novas variantes. Se você não sabe, é exatamente assim que se procede com a gripe, que, se não houvesse esse processo de vacinação, seria uma doença muito mais mortal do que é. Ou você não sabe que quase a totalidade da população brasileira é imunizada todo o ano contra a gripe, que a vacina muda de ano em ano, que esse ano inclusive surgiu antes da hora uma nova variante que não responde às vacinas atuais?

  6. Senhor jornalista Cláudio Magnavita,como é publico e notório que o Presidente Jair Bolsonaro não prima pelo respeito e nem honra o cargo e à quem quer que seja , não seria o caso de afasta-lo da presidência da República,pois quando não dispõe de argumentos e PROVAS ,ele atribui às pessoas de bem e honestas ,os mesmos crimes que ele e seus comparsas vem cometendo ao longo de seu mandato .

  7. O bolsonaro, idiota de carateirinha, não faz outra coisa a não ser agredir as pessoas de bem, com mentiras, fake news e outras palhaçadas, sempre ameaçando com seu ódio, característica essencial de seu dna, todos aqueles que discordam de seus projetos maléficos ao país, a exemplo da covid-19, que já matou mais de 620 mil brasileiros… Na realidade, trata-se de um psicotada, de alta periculosidade, em fase terminal, rodeado de lambe-botas para a prática de seus inúmeros crimes… #forabolsonaroesuagangue…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *