Janaína Paschoal compara os “direitos humanos” das elites e do povo brasileiro

Resultado de imagem para janaina paschoal

Janaína se compadece com o desamparo dos pobres

Fernando Pawlow

É importante que sejam divulgadas as reflexões da Dra. Janaína Paschoal sobre a questão dos direitos humanos dos réus da Lava Jato, postadas em sua conta no Twitter neste domingo. Na condição de professora de Direito Penal na Universidade de São Paulo, a Dra. Janaína usa dois exemplos colhidos no noticiário (bebê atingido por um tiro e o ex-deputado Rocha Loures em prisão domiciliar) para mostrar as grandes contradições entre os direitos humanos das elites e das camadas carentes da sociedade. Confira as mensagens dela no Twitter.

Nas Faculdades de Direito, quando falamos em Direitos Fundamentais, automaticamente, os alunos excluem as vítimas.

O bebê baleado não é importante para quem ensina e para quem estuda Direito, no Brasil. Quem o baleou, sim.

Que fique claro: não admito torturas, execuções, ou penas cruéis. Mas os Direitos Fundamentais são inerentes a TODO ser humano.

Nada irrita mais um especialista em segurança pública do que tentar conversar com ele sobre o tanto que a violência atinge os pobres.

Lembro de, em um debate, ter deixado um grupo muito irritado, ao falar das mulheres pobres roubadas e estupradas no caminho do trabalho.

As mulheres pobres estupradas somente são lembradas quando as feministas querem usá-las para legalizar o aborto em qualquer situação.

Foras das hipóteses em que os pobres são interessantes aos intelectuais, falar deles é indigesto, é apelativo.

Os Direitos Fundamentais do bebê baleado não são relevantes para os especialistas. Estão preocupados com a tortura sofrida por Loures!

Altos juristas, em sua maioria esquerdistas, discutem manifestos para lutar pelos direitos de quem pede e recebe mala com 500 mil reais.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Muito importante esta manifestação da professora Janaína Paschoal, que sempre demonstra extremada preocupação com a defesa dos interesses do país e da população. Na verdade, existem três países num só, com limites bem delineados – o Brasil das elites, que vivem uma realidade à parte; o Brasil da classe média, que luta para manter a dignidade; e o Brasil dos pobres, que jamais estiveram tão desamparados. Esta é a situação atual dos brasileiros, a qual a Dra. Janaína descreveu com exatidão, apesar da limitação de texto exigida para as mensagens do Twitter. (C.N.)

7 thoughts on “Janaína Paschoal compara os “direitos humanos” das elites e do povo brasileiro

  1. Carlos Newton,obrigado pela publicação.

    Sugiro ao Dr.Jorge Béja que ele escreva a respeito destas notas da dra.Janaína Paschoal.
    Seria artigo precioso, que aproveitaria estas reflexões preciosas.

    Basta de relativizar episódios como estes.

    Abraço do Pawwlow

  2. Dra Janaina: SEJA CANDIDATA O CONGRESSO PRECISA DE GENTE COMO VOCE ! Há de ser eleita com facilidade, no minimo como deputada federal!

    • Nao, preclara professora. Embora de boa intencao, esse convite a jogaria num serpentário somente adequado àqueles ofídios peconhentos, e a senhora nao pertence a esse convívio pernicioso.

    • Medíocre é pouco. O luis castro é um mortadela que cada dia aparece com um nome diferente aqui na Tribuna. Um ladrãozinho do dinheiro público que deveria ir urgentemente para a cadeia.

  3. Se a classe mérdia e a alta sofressem UM POR CENTO da violência que sofrem os pobres moradores das favelas e das periferias das grandes cidades brasileiras, eles mudariam o tal conceito do que seja considerado como um “direito humano”…

    “-Não têm bolos? Ora, que comam brioches!!!”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *