Janot só não pediu a prisão de Temer junto com Loures devido ao foro privilegiado

Resultado de imagem para janot e temer charges

Charge do Kacio (kacio.art.br)

Carlos Newton

A luta entre o procurador-geral Rodrigo Janot e o presidente Michel Temer é muito desigual, como se fosse de gato e rato, desde o início fica-se sabendo quem vai vencer. No caso, a vantagem do gato não são as garras, o tamanho avantajado, os dentes e a agilidade, a diferença é que o procurador Janot sabe com absoluta clareza todos os possíveis argumentos que a defesa do presidente pode usar, mas Temer ainda não tem a noção exata das provas testemunhais e materiais que se acumulam contra ele.

ERRO PRIMÁRIO – Já ficou claro que a defesa está a cargo do advogado Antonio Mariz e do ministro Torquato Jardim, cuja nomeação foi um erro primário de Temer, porque presidente da República não pode ser defendido em juízo pelo ministro da Justiça, quem dispõe desta competência exclusiva é o advogado-geral da União. Portanto, Temer deu uma bobeada. Deveria ter nomeado Torquato Jardim para a Advocacia-Geral da União, seguindo o exemplo da então presidente Dilma Rousseff, que tirou José Eduardo Cardozo do Ministério da Justiça, para que pudesse defendê-la no processo do impeachment.

Além disso, ficou claro que Torquato Jardim também não serve como defensor, fala demais, diz bobagens, inventa jurisprudência que jamais existiu, é um desastre. Só resta mesmo o criminalista Mariz, pois Temer não tem a menor confiança na ministra Grace Mendonça, da AGU, nem permite que ela se aproxime dos autos.No caso de Temer deu  tudo errado, o velho amigo e colega de bancada Osmar

Como se sabe, Serraglio se sentiu humilhado ao ser demitido da pasta da Justiça, voltou à Câmara e deixou o suplente Rocha Loures sem foro especial. E o resultado final da mancada é que Loures, operador de propinas para Temer, já está recolhido ao presídio da Papuda, onde se prepara para fazer uma devastadora delação premiada.

LUTA DESIGUAL – Nessa reta final, a maior dificuldade de Mariz é não saber a dimensão das provas já coletadas contra Temer. Como o inquérito só está começando agora, é fase de investigação, nem todas as provas testemunhais e materiais já foram anexadas, mas o procurador Janot e o ministro-relator Edson Fachin têm pleno conhecimento delas, por isso estão confiantes e agem com um rigor impressionante, fazendo com que Temer e Mariz reajam de forma ridícula, ao denunciarem “intenções políticas” em procedimentos meramente judiciais.

Temer sabe que está liquidado, é só questão de tempo. Não esperava que Loures fosse logo preso. Quando recebeu a informação, na manhã de sábado, ficou tão desorientado que pegou o avião de volta a São Paulo, para se reunir com o advogado Mariz. Com isso, demonstrou enorme fragilidade, não se portou como um presidente da República. Deveria ter ligado para Mariz e ordenado que pegasse um jatinho em Congonhas e voasse para Brasília. Os dois são ricos, o aluguel do jatinho sai por R$ 20 mil, é mixaria para eles. Mas Temer estava apavorado, não pensou em mais nada, voltou para São Paulo menos de 10 horas após ter desembarcado em Brasília. E o Planalto ainda diz que a delação de Loures não preocupa o presidente…

PROVAS ABUNDANTES – O fato concreto é que já existem provas abundantes contra Temer, inclusive os documentos apreendidos na casa de Loures e no gabinete na Câmara Federal, envolvendo o presidente e o ex-assessor no chamado Decreto dos Portos.

Se Temer não fosse protegido pelo foro privilegiado, o procurador Janot teria pedido a prisão temporária dele junto com Loures, e o ministro-relator Fachin iria deferir, na forma da lei. É justamente por isso que o foro privilegiado precisa ser extinto, com a máxima urgência. A Constituição, em suas cláusulas pétreas (art. 5º, caput), determina que “todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza”. Mas não é isso que se vê na prática.

Não era por mera coincidência que Ruy Barbosa já dizia que “a regra da igualdade é tratar desigualmente os desiguais na medida em que se desigualam”.  Mas quem se interessa?

4 thoughts on “Janot só não pediu a prisão de Temer junto com Loures devido ao foro privilegiado

  1. …todos são iguais perante a lei; Ruy Barbosa já dizia que “a regra da igualdade é tratar desigualmente os desiguais na medida em que se desigualam”.> alguns são mais iguais do que outros…

  2. Perguntaram a Bias, o filósofo, qual o mais perigoso animal, respondeu: dos bravos o tirano, dos mansos o bajulador.
    Temer em toda sua vida, foi sempre um rematado puxa-saco. Sem liderança, sem voto, sem carisma, sem nada de nada, foi conquistando posições sempre como subserviente. No teatro da vida sempre foi um mosquito no palco.
    O Brasil tem hoje um bajulador na Presidência da República

  3. A frouxidão do rato fenício, Temer, ao lidar com esta armação, poderá custar-lhe o mandato. Em vez de atacar energicamente a ilegalidade flagrante de Janot e Fachin que transformou um grampo obtido ilicitamente em prova válida para acusar o presidente, caiu da armadilha de contestar a autenticidade do grampo, ou seja, entregou o seu destino nas mãos dos petistas ressentidos da Lava Jato. Faltou-lhe firmeza para liquidar com Janot e Fachin manobrando a base aliada para: 1) imediatamente convocar Janot e Fachin para dar esclarecimentos no Congresso; 2) Encaminhar o pedido de ‘impeachment’ do PGR e 3) Deixar o pedido de ‘impeachment’ de Fachin em banho maria.
    Entre os motivos para impedimento do PGR e de ministro do STF, temos:
    – ser patentemente desidioso no cumprimento de suas atribuições;
    – proceder de modo incompatível com a dignidade e o decôro do cargo.

    Alguém, em sã consciência, considera que a admissão de gravação não autorizada pela justiça, para derrubar um presidente, não seja um ato “patentemente desidioso”?

  4. No episódio da gravação do Temer, por enquanto, o que ficou claro e evidente foram os crimes cometidos pela JBS e a pena do presidente Joesley e do irmão Wesley Batista seria tão grande, que poderia considerar-se como prisão perpétua.
    Não estou aqui a defender o péssimo governo Temer, que junto ao Meirellis, governam em favor dos banqueiros e das multinacionais e arrocham o povo. Não há dúvidas que o Joesley foi muito bem orientado: gravou o temer, que lhe disse; o Loures é homem de minha confiança. Logo depois o enviado do Joesley oferece R$ 500 mil ao Loures e filma. acoplando a gravação do Temer a entrega do dinheiro ao Loures.
    Joesley, esta livre, sem risco prisão, vivendo nos EUA com sua riqueza, oriunda de dinheiro público através de corrupção.
    De alguma forma o Temer tem que deixar a presidência e os irmãos Batista deveriam ser processados e penalizados pelos inúmeros crime cometidos, que confessaram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *