Jarbas Vasconcelos, o primeiro deputado do PMDB a anunciar voto contra Temer

Defesa de Temer não convenceu o parlamentar

Karla Gamba
O Globo

Peemedebista histórico, o deputado Jarbas Vasconcelos (PE) é o primeiro parlamentar do partido do presidente Michel Temer a se declarar publicamente favorável à admissibilidade da denúncia da PGR. O parlamentar, que anteriormente se declarava indeciso, tomou sua decisão após fazer a leitura da defesa.

Com isso, o placar apurado pelo Globo até a manhã desta quinta-feira é de 148 deputados a favor de denúncia da PGR, 59 contra e 93 indecisos. Outros 212 deputados não responderam. Apesar de haver mais deputados favoráveis à autorização, a oposição ainda precisa coletar muito mais votos que a base aliada para que o pedido seja aprovado na Câmara. Isso porque são necessários 342 votos – 196 a mais que os que já declararam apoio – favoráveis à denúncia.

DENÚNCIAS GRAVES – Vasconcelos alegou que não havia se posicionado antes pois gostaria de ler tanto a denúncia quanto às alegações da defesa. Após as leituras das duas peças, o parlamentar disse considerar denúncias graves e que possuía elementos para robustos para que o presidente fosse investigado.

– Em toda minha vida pública eu fui a favor que se investigue denúncias graves contra quem quer que seja. Fiz e faço isso ao longo de todos os cargos que ocupei. A denúncia contra o presidente é grave e possui elementos robustos. Sou do partido do presidente, mas voto com minha consciência. Por isso voto pra que se prossiga a investigação e para que defesa e acusação possam se colocar com propriedade – declarou o peemedebista.

TRAMITAÇÃO – Antes de ir ao plenário da Câmara, a denúncia passará pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde a matéria terá como relator o deputado Sérgio Zveiter (PMDB-RJ). Na enquete do Globo, o placar na CCJ, até o momento, é de 19 votos à favor da aceitação da denúncia e 6 votos contra. Ao todo são 66 membros titulares na comissão.

Da bancada do PMDB, 24 deputados disseram que pretendem votar contrários à denúncia no plenário. Entre quarta e quinta-feira cresceu a quantidade de deputados do PSDB, partido importante da base aliada do governo, favoráveis à denúncia da PGR. Dos 7 tucanos titulares na CCJ, 3 já se declararam abertamente pela admissibilidade. Na votação em plenário, 13 deputados se declararam à favor e 5 contra.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGJarbas Vasconcelos é sobrevivente da chamada ala dos “autênticos” do PMDB de Ulysses Guimarães e jamais se ligou aos caciques do partido. Sua posição contrária à Temer não é surpresa, apenas demonstra coerência. (C.N.)

6 thoughts on “Jarbas Vasconcelos, o primeiro deputado do PMDB a anunciar voto contra Temer

  1. Pois é! Numa democracia em que tudo tem obrigação de passar pelo partido, inclusive para ser candidato, mas quando chega numa situação destas, membros do próprio partido se dizem independentes e votam contra os interesses partidários, não é uma incoerência?
    Se estão num partido que tem alguém a quem discordam profundamente, não seria o mais razoável que abandonassem a sigla?
    Se o Michel Temer não serve para ser presidente, por questões morais, também não serve para ser peemedebista, sendo inclusive presidente licenciado do partido.
    Se o PMDB fechar questão, como ficarão os independentes? Até porque nestas circunstâncias o PT não vacilava, fechava questão e os que não se enquadravam, eram expulsos.
    Ficar no mesmo partido, em que outros membros são acusados de corrupção e nada fazer, é muita incoerência.

  2. Parece que a água não está fazendo nada, mas na verdade, ela vai desgastando as rochas para atingir seu objetivo.
    Não, se não concordamos com determinadas posições políticas de nossos companheiros; não vamos sair do partido por isto e sim lutar a boa luta; democraticamente.
    Quanto ao PT, bem, PT é isto que agora está escancarado.
    Abraço.

  3. Até o ponto que acompanho a política, Jarbas é um homem sério. Está no PMDB pelo passado e não pelo presente.
    E mais. Sair e ir para onde? Para casa?
    O deputado está com 75 anos (agosto), com alguns problemas de saúde e energias reduzidas.
    Certamente está dando últimos anos à política.
    Sua posição é lógica. A de vários outros, os inconstantes, saberemos nas votações.
    Fallavena

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *