Jesus Cristo e Marx

Paulo Solon:
“Helio, tudo começou com Jesus Cristo, que mandou os ricos darem dinheiro aos pobres. Marx e Engels apenas codificaram. Mao Tse Tung também ensinou o método de trabalho e crescimento”.

Comentário de Helio Fernandes:
Perfeito, Solon, Jesus Cristo foi o maior líder social que o mundo já conheceu, e isso partindo do ano zero, que passou a se chamar DC. (Depois de Cristo). Teve tanta importância que Julio César (um dos 3 maiores generais da história), que morrera há 74 anos, sem ter nada com isso, ganhou um adendo: “Julio César morreu há 74 anos AC”. (Antes de Cristo).

Quanto ao fato de “Marx ter CODIFICADO o que Jesus pregara”, mais ou menos. No “O Capital” e depois no “Manifesto Marxista” de 1848, não há dúvida que ele “sugou” o que podia da pregação de Jesus Cristo, não pelo prazer de copiar, mas porque com o talento e a formidável capacidade de pensar, analisar e refletir, viu que Jesus Cristo já havia defendido “tudo”, muito antes.

Também dizem que Marx, no plano econômico, tirou o que podia de Adam Smith, considerado até então como “o pai da economia moderna”. Pode ser, pode ser, nenhuma realidade verdadeira, apenas alguma semelhança. E Marx na época e até hoje, ainda é tão avançado, que praticamente foi o único “marxista”, da História. Ainda é discutidíssimo, pode ser dito que o mundo caminha a favor de Marx, ou se organiza e se arregimenta contra ele.

A Igreja Católica explorou e explora Jesus Cristo até hoje, tentando transformá-lo num milagreiro vulgar. Apesar da formidável organização da Igreja Católica, não conseguiram anular ou eliminar o grande líder social que foi Jesus Cristo. Invadindo o terreno que você domina tão bem: apesar da proliferação das crenças, (ou das “crenças” muito bem remuneradas) com os nomes mais variados, não existe religião e sim a FÉ. Sem FÉ, qualquer que seja o Poder da palavra, não há religião.

Sumarizando Marx: ele acertou em quase tudo. Principalmente, quando afirmou que a “REVOLUÇÃO MARXISTA, (textual) não resistiria se ficasse localizada apenas num país”. Em 1942, quando o carrasco Stalin acabou com o KOMINTERN (internacional) e criou o KOMINFORM (nacional), a União Soviética estava condenada a desaparecer. Como aconteceu, com a ajuda poderosa dos dólares falsos do Plano Marshall.

Para interromper Marx por instantes, ou ficaríamos meses e anos, suas previsões sobre um país com sistema marxista. (Que tentavam chamar de comunista, e até Lênin e Trotsky vetaram). Marx sonhava que esse sistema de Poder surgisse na sua amada Alemanha. Mas tinha todas as dúvidas sobre isso.

Acreditava que o primeiro país a se organizar nesse sistema, fosse a Inglaterra, por causa da Revolução Industrial de 1780, que pela primeira vez impulsionou o mundo naquela época, multiplicando a produção (e logicamente o consumo) por três ou quatro vezes.

Se estivesse vivo quando essa Revolução foi implantada na Rússia, em 1918/19, teria morrido de susto e decepção. Pois o que ele exigia, acima e antes de tudo, era uma classe trabalhadora consciente, organizada e reivindicadora.

Essa Rússia, (como chamavam “as Rússias”) vivia há 300 anos sob o domínio dos Romanoff, num atraso inimaginável. Por causa disso e por muitos e diversos fatores, durou até mais do que devia. Quando Lênin morreu e Stalin expulsou e perseguiu Trotsky até a morte, a União Soviética deixou de existir. Durou mais um pouco, mas não era nem de longe o que Marx imaginara e divulgara.

Os líderes americanos e soviéticos não perceberam nada e ainda levaram muitos anos, assustando o mundo. Os americanos divulgando que “o comunismo dominaria o mundo, principalmente a América do Sul”. E os soviéticos acreditando que isso fosse verdade.

Quanto a Mao Tse Tung, tratemos hoje, ligeiramente. Quando começou o que se chamou de “Grande Marcha”, (em 1949) o mundo sentiu que estava diante de um fato EXTRAORDINÁRIO. Em 1970, 11 anos depois, Mao, (antes do seu famoso “Livro Vermelho”), fez uma análise insuperável, irrefutável e indescritível: “Peguei a China no Século X e ela já está praticamente no Século XX, isso só se consegue com muita obstinação”. Era verdade.

Superado pela idade e pelo excesso de abuso do Poder, Mao foi colocado na parede (como sempre em fotos), e se transformou num líder adorado e odiado. Surgiram personagens mais preparados para a administração e contato com o mundo.

Mao Tse Tung foi retirado de todos os lugares, tentaram tudo para ofuscá-lo. Mas ele já estava ofuscado pela ausência do Poder, é este que ilumina a todos. Mas não podem retirá-lo da História. Até mesmo para amaldiçoá-lo.

O mesmo aconteceu com Stalin na União Soviética. Durante a reunião do 22º Congresso do Partido, Kruschev, (uma espécie de Lula de lá, com os mesmos “atributos” ou falta deles) providenciou o fim do “mito” Stalin, promovido por ele mesmo. Estátuas foram derrubadas, fotos retiradas, seu nome deixou de existir. Ninguém defendeu Stalin do libelo Kruschev.

Agora, quase 60 anos depois de sua morte, foram liberados livros sobre Stalin, que se pensava, acreditava ou admitia ser apenas 1 por cento da realidade.

PS – Na Constituinte de 1787, os Fundadores da República hesitavam no nome, mesmo depois da Convenção da Filadélfia. Afinal decidiram que tudo deveria constar e cabe no título. A definição política, administrativa e até geográfica. Ficou então: “Confederação dos Estados Unidos da América do Norte”. O que seria estados unidos, se transformou em ESTADOS UNIDOS, parecido mas muito diferente.

PS2 – Lênin e Trotsky enfrentaram o mesmo problema quando chegaram ao Poder depois da Segunda Guerra Mundial e a fantástica e espantosa guerra civil. Como os EUA, decidiram: “UNIÃO DAS REPÚBLICAS SOCIALISTAS SOVIÉTICAS”. Que na verdade era o que pretendiam. O regime era SOVIÉTICO, o SOCIALISMO deveria ser conquistado, no final da luta.

PS3 – Recusaram a palavra COMUNISMO, que alguns defendiam, e nem consideraram incorporar MARXISMO. De qualquer maneira, Marx é um nome e uma preocupação.

PS4 – Jesus Cristo é ETERNO, IMORTAL E DURADOURO, mesmo sacrificado pela apropriação da Igreja Católica. Esta se subdividiu ou se multifacetou, Jesus Cristo foi canonizado para servir a poucos, ele queria servir a todos, salvar o mundo.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

One thought on “Jesus Cristo e Marx

  1. Nossa!
    Isso que se chama “desinformação”. E, não, não o estou chamando de burro. Talvez seja um pouco ignorante (talvez a leitura do livro Como a Igreja Católica Construiu a Civilização Ocidental, do renomado Dr. Thomas Woods Jr., resolva o problema; e também dar uma olhada na Coleção História da Igreja, obra premiada de Daniel-Rops), porém, o que mais chama a atenção é a astúcia do texto. Fazer essa confusão na cabeça das pessoas é muito peculiar de quem tem uma tendência incubada mas prefere passar a ideia de que está analisando a coisa de cima.
    Intelectuais desse tipo a esquerda produz de montes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *