Joo Paulo II defendeu o contato com os espritos

Jos Reis Chaves

O saudoso pastor presbiteriano e escritor Nehemias Marien, do Rio, um dos maiores biblistas brasileiros de todos os tempos, disse que a Bblia um manual de psicografia do princpio ao fim, ao que acrescento: e tambm de psicofonia. Ele ganhou o concurso promovido pela antiga TV Tupi, sobre a Bblia, no programa O Cu o Limite, de J. Silvestre. Nehemias Marien concorreu com vrios padres e pastores doutores em Bblia.

A Igreja, at meados do sculo XX, condenou muito o espiritismo e at excomungava os espritas. Mas hoje no faz mais isso. E como os pastores tm herdado os erros da Igreja do passado, eles ainda atacam o espiritismo, uma parte deles mais por no ver seu dzimo diminudo.

Moiss probe o contato com os espritos (Deuteronmio captulo 18), mas as 613 leis mosaicas no devem ser confundidas com as leis divinas. Estas, sim, valem para sempre. As mosaicas so temporrias e, s vezes, so at contrrias s leis divinas do Declogo. Uma mosaica at manda matar a pedradas os filhos rebeldes (Deuteronmio 21: 21).

Moiss proibiu o contato com os espritos dos mortos por causa da ignorncia do povo que nada conhecia de mediunidade para exercer essa prtica de contato com os espritos. Alis, at hoje, isso um assunto pouco conhecido.

PRECISO ESTUDAR

Para entender bem de mediunidade, a pessoa tem que estudar uns cinco anos, um estudo, pois, equivalente ao de uma faculdade. Em outra passagem, Moiss at elogia Eldade e Medade, que estavam recebendo espritos e profetizando (Nmeros 11: 24 a 30).

Um texto de uma clareza meridiana sobre o contato com os espritos nos ensinada por Joo Evangelista (1 Joo 4: 1). Ele nos pede que examinemos os espritos para sabermos se so de Deus ou do mal, para que, como se diz, no tomemos gato por lebre. Observe-se que a palavra espritos est no plural e tambm em grego (pneumata), espritos esses que, no texto, podem ser maus ou bons.

E os evanglicos querem teimar em dizer que so incondicionalmente maus todos os espritos que se manifestam, com exceo do Esprito Santo trinitrio dogmtico, que respeitamos e muito, mas que no bblico. Inclusive, a Igreja Ortodoxa Oriental, conhecida pela sua fidelidade aos princpios bblicos do cristianismo nascente, discorda tambm do cristianismo ocidental em algumas questes trinitrias.

ESPRITO SANTO

E podemos dizer que Deus , por excelncia, o Esprito Santo, pois no h outro esprito mais santo do que Ele, que o Pai (o chefo) dos espritos (Hebreus 12: 9). O Esprito de Deus descendo como pomba, chamado de Esprito Santo e tido como Deus (Mateus 3: 16). Mas o Esprito Santo na Bblia mesmo o conjunto de todos os espritos, pois cada um de ns um Esprito Santo. Nosso corpo santurio do (dum) Esprito Santo (1 Corntios 6: 19). Ele a nossa alma que habita em nosso corpo, dando-lhe vida. O esprito de Daniel um dos deuses santos (Daniel 4: 8).

Deuses so espritos humanos encarnados ou desencarnados. Vs sois deuses (Salmo 82: 6; e Joo 10: 34). E eis o que disse so Joo Paulo II na Baslica de So Pedro, em novembro de 1983: O dilogo com os mortos no deve ser interrompido, pois, na realidade, a vida no est limitada pelos horizontes do mundo (Veja, edio 1.899, de 6 de abril de 2005, pgina 93).

Recomendo o livro Os Espritos se Comunicam na Igreja Catlica, de Paulo Neto, GEEC Publicaes, Divinpolis, MG.

47 thoughts on “Joo Paulo II defendeu o contato com os espritos

  1. Caros CN e Antonio Rocha … Bom Natal!

    Primeiramente … elevemos nossa mente e nosso corao s Alturas … e l est Jesus a nos abenoar!

    Aproveitemos para nos alegrar com mais um aniversrio dEle!

    Parabns … Jesus Cristo … por mais um ano de Mestrado … estamos nos esforando para AMAR … aguardamos sua Volta!!! !!! !!!

  2. Sr. Jos Reis, o Velho Testamento, lido ( no estudado) ao p da letra, comete “crimes desumanos”, e Jesus, no alerta, quando ele afirma: NO VIM DESTRUIR LEI, MAS CUMPRIR, ESSA LEI, SO OS 1O MANDAMENTOS, SENDO OS 3 PRIMEIROS ESPIRITUALISANTES, E OS 7 DISCIPLINARES, POIS, O QUE ELE PREGOU E EXEMPLIFICOU, RESUMIU:
    “AME DEUS SOBRE TODAS AS COISAS, AO PRXIMO COM O A S MESMO, A ESTO TODAS AS LEIS E OS PROFETAS.
    Infelizmente, 2 mil anos so passados, hoje, se comemora a data de seu natalcio, e o menos homenageado E’LE, pois, materializaram seus ensinos com Papai Noel, fazendo-O o maior vendedor comercial do Mundo, em detrimento dos ‘VALORES ESPIRITUAIS”, o resultado est a: CAOS MORAL DA HUMANIDADE DA COMUNIDADE CHAMADA CRIST, QUE NO EXISTIRIA, SE TIVESSEMOS OBSERVADO PELO SCULOS PS “CRISTO” SEU EVANGELHO (CDIGO DA VIDA) DE AMOR AMOR FRATERNO.
    RESUMINDO: A DOR QUE NOS VISITA FRUTO DE NOSSA INCRIA MILENAR, ALIMENTADA PELO EGOSMO.

  3. Caro Antonio Rocha … continuemos nosso dilogo ecumnico e inter-religioso … coloquei no post anterior do senhor Sylo Costa um comentrio sobre o que o senhor escreveu sobre CV = Cristo Voltar … onde est afirmao da av do escritor israelense Ams Oz sobre o Messias:
    1 – para cristos … j veio e Jesus;
    2 – para judeus … ainda esto esperando.
    … … …
    No incio dos Evangelhos, est l:
    “1. Tendo, pois, Jesus nascido em Belm de Jud, no tempo do rei Herodes, eis que magos vieram do oriente a Jerusalm. 2. Perguntaram eles: Onde est o rei dos judeus que acaba de nascer? Vimos a sua estrela no oriente e viemos ador-lo. (Mt 2)

    Os magos do oriente reconhecem o Nascimento do Rei dos Judeus!!!
    … … …
    No fim dos Evangelhos, est l:
    “1. Levantou-se a sesso e conduziram Jesus diante de Pilatos, 2. e puseram-se a acus-lo: Temos encontrado este homem excitando o povo revolta, proibindo pagar imposto ao imperador e dizendo-se Messias e rei. 3. Pilatos perguntou-lhe: s tu o rei dos judeus? Jesus respondeu: Sim. 4. Declarou Pilatos aos prncipes dos sacerdotes e ao povo: Eu no acho neste homem culpa alguma. (Lc 23)

    Jesus se reconhece Rei dos Judeus!!!
    … … …
    “28. Da casa de Caifs conduziram Jesus ao pretrio. Era de manh cedo. Mas os judeus no entraram no pretrio, para no se contaminarem e poderem comer a Pscoa. 29. Saiu, por isso, Pilatos para ter com eles, e perguntou: Que acusao trazeis contra este homem? 30. Responderam-lhe: Se este no fosse malfeitor, no o teramos entregue a ti. 31. Disse, ento, Pilatos: Tomai-o e julgai-o vs mesmos segundo a vossa lei. Responderam-lhe os judeus: No nos permitido matar ningum. 32. Assim se cumpria a palavra com a qual Jesus indicou de que gnero de morte havia de morrer (Mt 20,19). 33. Pilatos entrou no pretrio, chamou Jesus e perguntou-lhe: s tu o rei dos judeus? 34. Jesus respondeu: Dizes isso por ti mesmo, ou foram outros que to disseram de mim? 35. Disse Pilatos: Acaso sou eu judeu? A tua nao e os sumos sacerdotes entregaram-te a mim. Que fizeste? 36. Respondeu Jesus: O meu Reino no deste mundo. Se o meu Reino fosse deste mundo, os meus sditos certamente teriam pelejado para que eu no fosse entregue aos judeus. Mas o meu Reino no deste mundo. 37. Perguntou-lhe ento Pilatos: s, portanto, rei? Respondeu Jesus: Sim, eu sou rei. para dar testemunho da verdade que nasci e vim ao mundo. Todo o que da verdade ouve a minha voz. 38. Disse-lhe Pilatos: Que a verdade?… Falando isso, saiu de novo, foi ter com os judeus e disse-lhes: No acho nele crime algum. (Jo 18)

    Joo, em seu evangelho, d mais detalhes … Jesus aproveita para uma rpida evangelizao de Pilatos – se interessa em saber se o Evangelho chegara aos ouvidos de Pilatos – e anuncia o que incomoda a muitos: a VERDADE (demostrando que veio trazer a Salvao necessria, aps o Pai da MENTIRA ter seduzido nossa me Eva) … e d uma dica – meu Reino no deste mundo … … … e o que MUNDO para Jesus???

    “7. Entretanto, digo-vos a verdade: convm a vs que eu v! Porque, se eu no for, o Parclito no vir a vs; mas se eu for, vo-lo enviarei. 8. E, quando ele vier, convencer o mundo a respeito do pecado, da justia e do juzo. 9. Convencer o mundo a respeito do pecado, que consiste em no crer em mim. 10. Ele o convencer a respeito da justia, porque eu me vou para junto do meu Pai e vs j no me vereis; 11. ele o convencer a respeito do juzo, que consiste em que o prncipe deste mundo j est julgado e condenado. (Jo 16) … … … para Jesus – no crer nEle, nisto consiste o pecado do mundo!!! !!! !!!

  4. E continua o dilogo sobre o Reinado de Jesus:

    “1. Pilatos mandou ento flagelar Jesus. 2. Os soldados teceram de espinhos uma coroa e puseram-lha sobre a cabea e cobriram-no com um manto de prpura. 3. Aproximavam-se dele e diziam: Salve, rei dos judeus! E davam-lhe bofetadas.

    4. Pilatos saiu outra vez e disse-lhes: Eis que vo-lo trago fora, para que saibais que no acho nele nenhum motivo de acusao. 5. Apareceu ento Jesus, trazendo a coroa de espinhos e o manto de prpura. Pilatos disse: Eis o homem!

    12. Desde ento Pilatos procurava solt-lo. Mas os judeus gritavam: Se o soltares, no s amigo do imperador, porque todo o que se faz rei se declara contra o imperador. 13. Ouvindo estas palavras, Pilatos trouxe Jesus para fora e sentou-se no tribunal, no lugar chamado Lajeado, em hebraico Gbata. 14. (Era a Preparao para a Pscoa, cerca da hora sexta.) Pilatos disse aos judeus: Eis o vosso rei! 15. Mas eles clamavam: Fora com ele! Fora com ele! Crucifica-o! Pilatos perguntou-lhes: Hei de crucificar o vosso rei? Os sumos sacerdotes responderam: No temos outro rei seno Csar! 16. Entregou-o ento a eles para que fosse crucificado. (Jo 19)

  5. Os judeus fazem uma opo HISTRICA e PROFTICA:

    1 – “1. Ento Moiss e os israelitas entoaram em honra do Senhor o seguinte cntico: Cantarei ao Senhor, porque ele manifestou sua glria. Precipitou no mar cavalos e cavaleiros. 2. O Senhor a minha fora e o objeto do meu cntico; foi ele quem me salvou. Ele o meu Deus eu o celebrarei; o Deus de meu pai eu o exaltarei. 3. O Senhor o heri dos combates, seu nome Jav. … 18. O Senhor rei para sempre, sem fim! (Ex 15) … … … Moiss, aps a Libertao, no se proclama rei!!!

    2 – “4. Todos os ancios de Israel vieram em grupo ter com Samuel em Ram, 5. e disseram-lhe: Ests velho e teus filhos no seguem as tuas pisadas. D-nos um rei que nos governe, como o tm todas as naes. … 7. O Senhor disse-lhe: Ouve a voz do povo em tudo o que te disseram. No a ti que eles rejeitam, mas a mim, pois j no querem que eu reine sobre eles. 8. Fazem contigo como sempre o tm feito comigo, desde o dia em que os tirei do Egito at o presente: abandonam-me para servir a deuses estranhos. 9. Atende-os, agora; mas declara-lhes solenemente, dando-lhes a conhecer os direitos do rei que reinar sobre eles. … 18. E no dia em que clamardes ao Senhor por causa do rei, que vs mesmos escolhestes, o Senhor no vos ouvir. 19. O povo recusou ouvir a voz de Samuel. No, disseram eles; preciso que tenhamos um rei! … 22. E respondeu-lhe o Senhor: Ouve-os; d-lhes um rei. Samuel disse aos israelitas: Volte cada um para a sua cidade”. (1Sm 8) … Israel quer ter rei!!! e o que diz a Escritura???

    “14. Quando tiveres entrado na terra que o Senhor, teu Deus, te d, e tiveres tomado posse dela, e nela te estabeleceres, se disseres: quero ter um rei sobre mim, como o tm todas as naes que me cercam -, 15. elegers aquele rei que o Senhor, teu Deus, tiver escolhido, e este ser um dos teus irmos: no poders escolher para rei de Israel um estrangeiro que no seja teu irmo. (Dt 17)

    Ao escolher Csar como Rei … os sumos sacerdotes no seguiram a Escritura!!! e at hoje esto sem REI!!!

  6. Caro Antonio Rocha … a PROFECIA clarssima:

    18. E no dia em que clamardes ao Senhor por causa do rei, que vs mesmos escolhestes, o Senhor no vos ouvir.

    O nico rei escolhido sem ter sigo UNGIDO = CSAR!!! !!! !!!

    Se no foi ungido … no foi por escolha do Senhor!!! e assim termina a GENEALOGIA Davdica em JESUS!!!

    E como comeou a genealogia davdica???

  7. Terminemos a meditao sobre Jesus … rei dos judeus!!! depois, voltamos dinastia davdica!!!
    … … …
    “Por cima de sua cabea penduraram um escrito trazendo o motivo de sua crucificao: Este Jesus, o rei dos judeus”. (Mt 27,37) … “A inscrio que motivava a sua condenao dizia: O rei dos judeus”. (Mc 15,26) … “34. E Jesus dizia: Pai, perdoa-lhes; porque no sabem o que fazem. Eles dividiram as suas vestes e as sortearam. 35. A multido conservava-se l e observava. Os prncipes dos sacerdotes escarneciam de Jesus, dizendo: Salvou a outros, que se salve a si prprio, se o Cristo, o escolhido de Deus! 36. Do mesmo modo zombavam dele os soldados. Aproximavam-se dele, ofereciam-lhe vinagre e diziam: 37. Se s o rei dos judeus, salva-te a ti mesmo. 38. Por cima de sua cabea pendia esta inscrio: Este o rei dos judeus. (Lc 23) … … … “19. Pilatos redigiu tambm uma inscrio e a fixou por cima da cruz. Nela estava escrito: Jesus de Nazar, rei dos judeus. 20. Muitos dos judeus leram essa inscrio, porque Jesus foi crucificado perto da cidade e a inscrio era redigida em hebraico, em latim e em grego. 21. Os sumos sacerdotes dos judeus disseram a Pilatos: No escrevas: Rei dos judeus, mas sim: Este homem disse ser o rei dos judeus. 22. Respondeu Pilatos: O que escrevi, escrevi. (Jo 19)
    … … …
    E Pilatos reconhece que Jesus Rei dos Judeus!!! !!! !!!
    … … …
    O Evangelho comea com os Magos do Oriente reconhecendo Jesus como Rei dos Judeus!!! e termina com Pilatos da Roma do Ocidente tambm reconhecendo Jesus como Rei dos Judeus!!! !!! !!!

    • Liono, sou imensamente grato pelos seus textos. Escreva sempre. Presenteio vc agora com uma nota de Huberto Rohden, ex-jesuta gacho e professor de Filosofia, que foi colega de Einstein na Universidade de Nova York. Rohden traduziu do texto original grego, com as variantes da Vulgata, o Novo Testamento completo, 526 pginas, esta edio foi publicada em 1935, uma raridade…

      Diz a nota=presente de Natal: “Nenhum homem viu a Deus em sua divindade; mas o Homem-Deus nos veio dar notcias do Pai Eterno”.

      Abrao !

  8. Curiosa a postura do sr. Jos Reis Chaves ao invocar, presumo eu, a autoridade do Papa Joo Paulo II, para tentar “convalidar” sua tese de “contato” com os “espritos”… ptreo na Doutrina Catlica, desde sempre, meditada e sistematizada pela Patrstica, pelos Doutores da Igreja, (tambm vivenciada pelos msticos/msticas elevados honra dos altares) e sempre reafirmada pelo Magistrio que no h, a partir da Revelao neotestamentria “contato e/ou comunicao” entres pessoas vivas e “espritos”, seja as almas de pessoas falecidas, seja seres etreos (arcanjos, arcanjos e quejandos). O que afirmada como matria de f, para os catlicos so as “aparies” de Maria as quais ocasionam milagres. Os milagres so explicitados luz da doutrina Catlica como sendo fenmenos, no fatos, que possuem “efeitos” manifestos e “causas” ocultas, ou seja, que no so desvelados e, por se darem num contexto religioso (re-ligare) so por isso dignos de f. Quanto aos textos joaneus, os mesmos foram escritos no contexto da cultura helnica de ento, da serem permeados pela dialtica: transcendncia/imanncia; luz/trevas; verdade/mentira… Na Teologia Catlica h autores que lembram que possvel eventualidade de So Joo Evangelista ao ter escrito seu evangelho, o fez como contraponto e defesa da Revelao do Divino Mestre ante a seduo da Gnose, que alis foi a primeira da heresias que a Igreja se deparou ao longo da Histria… At mesmo a parnese sobre o mau rico e o pobre Lzaro (cf. Lc 16,19-29) no tem contedo mistaggico; tem somente carter de admoestao moral (tica). No h pontos de contato entre a Doutrina de f da Igreja (Catlica Romana) e o Espiritismo. admirvel e digno de louvor, a prtica da caridade crist daqueles que professam sinceramente a Doutrina Esprita. Em termos prticos, convergem no campo tico (fazer), mas no h convergncia quanto a Moral (costumes e subjetividade).

  9. A descendncia davdica de Jesus realada em Mateus:

    “1. Genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abrao. … 5. Salmon gerou Booz, de Raab. Booz gerou Obed, de Rute. Obed gerou Jess. Jess gerou o rei Davi. 6. O rei Davi gerou Salomo, daquela que fora mulher de Urias. … 16. Jac gerou Jos, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que chamado Cristo. 17. Portanto, as geraes, desde Abrao at Davi, so quatorze. Desde Davi at o cativeiro de Babilnia, quatorze geraes. E, depois do cativeiro at Cristo, quatorze geraes. Nascimento de Jesus … 20. Enquanto assim pensava, eis que um anjo do Senhor lhe apareceu em sonhos e lhe disse: Jos, filho de Davi, no temas receber Maria por esposa, pois o que nela foi concebido vem do Esprito Santo. (Mt 1)

    Enquanto o judeu Mateus reala Jesus como filho de Abrao e como rei dos filhos de Abrao … … … o gentio Lucas reala Jesus em sua Humanidade ao ir at Ado e passando por No!!!

    “23. Quando Jesus comeou o seu ministrio, tinha cerca de trinta anos, e era tido por filho de Jos, filho de Heli, filho de Matat, … 31. filho de Melia, filho de Mena, filho de Matata, filho de Nat, filho de Davi, … 34. filho de Jac, filho de Isaac, filho de Abrao, filho de Tar, filho de Nacor, … 36. filho de Cain, filho de Arfaxad, filho de Sem, filho de No, filho de Lamec, … 38. filho de Hens, filho de Set, filho de Ado, filho de Deus”. (Lc 3)

    “1. Eis os filhos que a Davi nasceram no tempo em que estava em Hebron: o primognito Amnon, filho de Aquino de Jezrael; o segundo, Daniel, de Abigail, de Carmelo; … 5. Eis os que lhe nasceram em Jerusalm:
    6. Simaa, Sobab, Nat, Salomo, quatro filhos de Betsu, filha de Amniel; (1Cr 3)
    … … …
    Depois continuamos sobre a Dinastia Davdica … Governo Mundial … NOM … e o desejo de Netanyahu de declarar o atual Israel como terra dos judeus!!! a ligao dos EUA com Israel!!! e o caso do Brasil, terra de mais de 40.000.000 filhos de Sara!!! !!! !!!

  10. Religio um negcio to curioso e intrigante que leva as pessoas at a dissertar e debater sobre leis elaboradas h 3.500 anos, como se elas estivessem prestes a ser aprovadas pelo Congresso…

  11. Religies um bom negcio para enriquecimento sem produzir nada.
    Para atrair mais adeptos, nos programas religiosos de televiso, aparece
    filas dirias de pessoas dando testemunho de curas, de que estava falido
    e aps entrar para igreja ficou muito bem de vida, com carros do ano uma
    bela casa, casa de campo etc, sem dvida que isso atrai mais adeptos, e
    consequentemente mais dzimos.
    Existe uma lista enorme de espritas aqui no Brasil que realmente fizeram curas operando
    os pacientes com instrumentos rudes sem anestesia e, sem que o doente
    sentisse dor. Outros mdios faziam operaes sem cortes (operao invisvel).
    No se pode negar a existncia do esprito e evidentemente do espiritismo.

  12. Jesus chamado de “filho de Davi”:

    1 – “Partindo Jesus dali, dois cegos o seguiram, gritando: Filho de Davi, tem piedade de ns!” (Mt 9,27)

    2 – “A multido, admirada, dizia: No ser este o filho de Davi?” (Mt 12,23)

    3 – “E eis que uma canania, originria daquela terra, gritava: Senhor, filho de Davi, tem piedade de mim! Minha filha est cruelmente atormentada por um demnio”. (Mt 15,22)

    4 – “30. Dois cegos, sentados beira do caminho, ouvindo dizer que Jesus passava, comearam a gritar: Senhor, filho de Davi, tem piedade de ns! 31. A multido, porm, os repreendia para que se calassem. Mas eles gritavam ainda mais forte: Senhor, filho de Davi, tem piedade de ns! (Mt 20)

    5 – “9. E toda aquela multido, que o precedia e que o seguia, clamava: Hosana ao filho de Davi! Bendito seja aquele que vem em nome do Senhor! Hosana no mais alto dos cus! 14. Os cegos e os coxos vieram a ele no templo e ele os curou, 15. com grande indignao dos prncipes dos sacerdotes e dos escribas que assistiam a seus milagres e ouviam os meninos gritar no templo: Hosana ao filho de Davi! 16. Disseram-lhe eles: Ouves o que dizem eles? Perfeitamente, respondeu-lhes Jesus. Nunca lestes estas palavras: Da boca dos meninos e das crianas de peito tirastes o vosso louvor (Sl 8,3)? (Mt 21)
    … … …
    6 – “35. Continuava Jesus a ensinar no templo e props esta questo: Como dizem os escribas que Cristo o filho de Davi? 36. Pois o mesmo Davi diz, inspirado pelo Esprito Santo: Disse o Senhor a meu Senhor: senta-te minha direita, at que eu ponha os teus inimigos sob os teus ps (Sal 109,1). 37. Ora, se o prprio Davi o chama Senhor, como ento ele seu filho? E a grande multido ouvia-o com satisfao. (Mc 12)

    7 – “41. Jesus perguntou-lhes: Como se pode dizer que Cristo filho de Davi? 42. Pois o prprio Davi, no livro dos Salmos, diz: Disse o Senhor a meu Senhor: Senta-te minha direita, 43. at que eu ponha os teus inimigos por escabelo dos teus ps (Sl 109,1). 44. Portanto, Davi o chama de Senhor! Como, pois, ele seu filho? (Lc 20)
    … … …
    Vejamos agora porque Davi to importante no CUMPRIR PROFTICO!!!

  13. http://tribunadainternet.com.br/projeto-da-equipe-economica-depende-da-estabilidade-politica/ tem pesquisa bblica sobre NOM – Nova Ordem Mundial!!!

    http://tribunadainternet.com.br/o-alvo-e-a-petrobras/#comments tem outra pesquisa sobre como se consegue formar um Governo Mundial!!!
    … … …
    E com o Rei Davi que se estabelece Nova Ordem Mundial … ao se tornar vencedor de todos seus inimigos:

    “1. Ora, tendo o rei Davi acabado de instalar-se em sua residncia, e tendo-lhe o Senhor dado paz, livrando-o de todos os inimigos que o cercavam, 2. disse ele ao profeta Nat: V: eu moro num palcio de cedro, e a arca de Deus est alojada numa tenda! … 4. Mas a palavra do Senhor foi dirigida a Nat naquela mesma noite, e dizia: 5. Vai e dize ao meu servo Davi: eis o que diz o Senhor: No s tu quem me edificar uma casa para eu habitar. 6. Desde que tirei da terra do Egito os filhos de Israel at o dia de hoje, no habitei casa alguma, mas, qual um viandante, tenho-me alojado sob a tenda e sob um tabernculo improvisado. 7. E em todo esse tempo que andei no meio dos israelitas, falei eu porventura a algum dos chefes de Israel que encarreguei de apascentar o meu povo: por que no me edificas uma casa de cedro? 8. Dirs, pois, ao meu servo Davi: eis o que diz o Senhor dos exrcitos: eu te tirei das pastagens onde guardavas tuas ovelhas para fazer de ti o chefe de meu povo de Israel. 9. Estive contigo em toda parte por onde andaste; exterminei diante de ti todos os teus inimigos, e fiz o teu nome comparvel ao dos grandes da terra. 10. Designei um lugar para o meu povo de Israel: plantei-o nele, e ali ele mora, sem ser inquietado, e os maus no o oprimiro mais como outrora, 11. no tempo em que eu estabelecia juzes sobre o meu povo. Concedo-te uma vida tranqila, livrando-te de todos os teus inimigos. O Senhor anuncia-te que quer fazer-te uma casa. 12. Quando chegar o fim de teus dias e repousares com os teus pais, ento suscitarei depois de ti a tua posteridade, aquele que sair de tuas entranhas, e firmarei o seu reino. 13. Ele me construir um templo, e firmarei para sempre o seu trono real. 14. Eu serei para ele um pai e ele ser para mim um filho. Se ele cometer alguma falta, castig-lo-ei com vara de homens, e com aoites de homens, 15. mas no lhe tirarei a minha graa, como a retirei de Saul, a quem afastei de ti. 16. Tua casa e teu reino esto estabelecidos para sempre diante de mim, e o teu trono est firme para sempre. 17. Nat comunicou a Davi todas as palavras dessa revelao. (2Sm 7)
    … … …
    O Senhor promete uma Casa Real a Davi … afirma que o Filho de Davi quem construir o Templo que Davi pretendera edificar … … … ora, Salomo realmente construiu o Templo do Monte Sio em Jerusalm … porm, o Templo foi destrudo por Nabucodonosor … e Israel e Jud deixaram de ter reis … … … ento, era esperana de Israel que em algum dia se restabelecesse a Casa Davdica!!! !!! !!!

  14. Vou repetir o comentrio que fiz em outro post desse cidado:

    Trata-se de uma forao de barra daquelas. O espiritismo, uma seita que no resiste mais elementar anlise basta ler Kardec e constatar -, manipulando dados e textos bblicos para se escorar no prestgio judaico-cristo.

    Vocs j foram mais criativos, quando criavam mitos como Chico Xavier.

  15. “3. Davi derrotou em seguida Hadadezer, filho de Roob, rei de Soba, quando este foi restabelecer o seu exrcito junto do rio. (2Sm 8) … “15. Os arameus, vendo-se batidos pelos israelitas, reuniram-se em massa. 16. Hadadezer enviou ento um delegado para mobilizar os arameus de alm do rio, e estes vieram para Helo, tendo sua frente Sobac, general de Hadadezer. 17. Davi, informado disso, reuniu todo o Israel, passou o Jordo e foi contra o Helo. Houve uma dura batalha entre os arameus e Davi, 18. mas os arameus fugiram diante de Israel; Davi matou-lhes setecentos cavalos de carros e quarenta mil homens. Feriu tambm o seu general Sobac, que morreu naquele mesmo lugar. 19. Todos os reis que eram vassalos de Hadadezer, vendo-se vencidos pelos israelitas, fizeram paz com eles e tornaram-se seus tributrios. Da por diante os arameus no ousaram mais dar socorro aos amonitas”. (2Sm 10)

    “3. Davi venceu, em seguida, Adarezer, rei de Soba, em Hamat, quando estava a caminho para estabelecer seu domnio sobre as margens do Eufrates. (1Cr 18)
    … … …
    E temos Davi reinando desde a fronteira do Egito at as margens do rio Eufrates!!!

  16. No tendo mais inimigos a vencer … o rei Davi:

    1 – “1. A clera do Senhor se inflamou novamente contra Israel e excitou Davi contra eles, dizendo-lhe: Vai recensear Israel e Jud. 2. Disse, pois, o rei a Joab e aos chefes do exrcito que estavam com ele: Percorrei todas as tribos de Israel, desde D at Bersabia, e recenseai o povo, de maneira que eu saiba o seu nmero. 3. Joab disse ao rei: Que o Senhor, teu Deus, multiplique o povo cem vezes mais do que agora, aos olhos do rei, meu senhor. Mas que pretende o rei, meu senhor, com isso? 4. A ordem do rei, no entanto, prevaleceu sobre a opinio de Joab e dos chefes do exrcito. Eles deixaram o rei e foram fazer o recenseamento do povo de Israel. 5. Passaram o Jordo e comearam por Aroer e a cidade situada no meio do vale, indo em seguida por Gad at Jaser. 6. Foram depois a Galaad e terra dos hiteus, em Cades, e chegaram at D. Dali se dirigiram para Sidon. 7. Atingiram a fortaleza de Tiro e passaram em todas as cidades dos heveus e dos cananeus, chegando at o Negeb de Jud, em Bersabia. 8. Percorreram assim toda a terra e voltaram a Jerusalm ao cabo de nove meses e vinte dias. 9. Joab entregou ao rei o resultado do recenseamento do povo: havia em Israel oitocentos mil homens de guerra, que manejavam a espada; e, em Jud, quinhentos mil homens. 10. Depois que foi recenseado o povo, Davi sentiu remorsos e disse ao Senhor: Cometi um grande pecado, fazendo isso. Mas agora apagai, Senhor, a culpa de vosso servo, porque procedi nesciamente. (2Sm 24)
    … … …
    “1. Levantou-se Sat contra Israel, e excitou Davi a fazer o recenseamento de Israel. 2. Disse Davi a Joab e aos chefes do povo: Ide, fazei o recenseamento dos israelitas desde Bersabia at D e fazei-me um relatrio, para que eu saiba o nmero deles. 3. Respondeu Joab: O Senhor multiplique seu povo cem vezes mais! No so todos eles, rei, meu senhor, os servos de meu senhor? Por que, no entanto, exige meu senhor isso? Por que sobrecarregar Israel de um pecado? 4. Mas o rei persistiu na ordem que dera a Joab. Joab partiu e percorreu todo o Israel, depois retornou a Jerusalm. 5. E entregou a Davi a lista do recenseamento do povo: havia em todo o Israel um milho e cem mil homens aptos para o manejo da espada, e, em Jud, quatrocentos e setenta mil. 6. No fez o recenseamento da tribo de Levi nem de Benjamim, porque a ordem do rei lhe repugnava. 7. Deus no viu isso com bons olhos e feriu Israel. 8. Davi disse a Deus: Pequei gravemente agindo de tal maneira. Agora dignai-vos perdoar a iniqidade de vosso servo, porque agi em completa insensatez. (1Cr 21)
    … … …
    Por que o General Joab custa a cumprir a determinao real??? ??? ??? e por que Davi reconhece ter pecado??? ??? ???

  17. Pingback: Joo Paulo II defendeu o contato com os espritos | Debates Culturais – Liberdade de Idias e Opinies

  18. Caros CN e Ricardo Froes … Bom dia!

    http://tribunadainternet.com.br/a-morte-anunciada-do-dia-das-maes-e-do-dia-dos-pais-em-sao-paulo/#comment-161041 tem:

    “Meditei meditei MEDITEI!!! !!! !!! e o resumo est acima. Nas 8 partes anteriores est o desenvolvimento completo do que j meditei e escrevi at hoje. Apresento esta parte 9 tentando me adaptar Cincia, pesquisando textos da Wikipdia. Assim que puder, apresentarei a Parte 9b.

    Fiquem com Deus. Lencio Ramos Ferreira (Batismo) Liono Ramos Ferreira (Civil) Lionco Ramos Ferreira (Informtica) kkk KKK KAKAAKAAA, chegamais, papagaio repetidor dor dor das doutrinas de YAHWEH YESHUA RUAHHH HHH HHH



    Tenho comentado colocando pesquisas que fao … claro que pedi autorizao ao nosso incansvel Carlos Newton!!! algumas j as finalizei … outras esto em andamento … quanto pesquisa atual, relativa aos momentos em que vivemos e sua relao quanto Volta de Cristo … antes teremos Apostasia – Falso Profeta – AntiCristo – sem esquecermos da Queda da Babilnia que levar NOM – Nova Ordem Mundial … … … pesquisa semelhante do Jose Guilherme schssland … est atualizada ao momento atual … … … estou dando uma parada – no pretendo avanar o CUMPRIR PROFTICO!!! !!! !!!

    Abrao do Liono ex-papagaio chegamais

    • Caro Jos Guilherme … minhas meditaes so de fundamento catlico … e baseadas nas Escrituras Judaicas e Crists … so essencialmente ESCATOLGICAS – atualmente estou meditando sobre CV = Cristo Voltar, conforme nosso amigo Antonio Rocha colocou!!!
      Ricardo Froes nos convidou a meditar sobre a BENIGNIDADE de Pap … Francisco Bendl deu uma bela resposta … … … e estou meditando como esta BENIGNIDADE sucede(u) na histria dos judeus … estou comentando usando os Livros dos Macabeus, que registram a Nova Ordem Mundial Grega com Alexandre Magno e seus sucessores … e o surgimento da Ordem Mundial Romana definitiva!!!

      • Tambm esta pgina acima reclama semelhante a ns:

        http://www.rainhamaria.com.br/Pagina/17322/ATENCAO-Novamente-nao-estou-recebendo-as-mensagens-enviadas-atraves-do-formulario-do-Fale-Conosco com:

        ATENO: Novamente no estou recebendo as mensagens enviadas atravs do formulrio do Fale Conosco
        28.12.2014 – Nota de http://www.rainhamaria.com.br
        Por Dilson Kutscher
        Peo desculpas, mas caso tenham enviado mensagens pelo formulrio do “Fale Conosco”, e ainda no tenham recebido resposta, por causa novamente de uma falha “desconhecida” no sistema, as mensagens no esto sendo enviadas para mim. Achei muito estranho, no receber as dezenas de mensagens que sempre recebo diariamente.
        Conforme j disse, este site vem sofrendo fortes ataques de hackers, visando destruir essa “trincheira de combate” contra a apostasia, a Sodoma Moderna que se instalou nesta sociedade, que se rebelou contra as Leis e preceitos do Altissimo. a rebelio final a DEUS, destes homens dominados pelas foras das trevas. uma guerra de fato, do pequeno Davi contra Golias. Uma batalha que lutamos na proporo de 10 soldados da Luz…para 1000 do inimigo servindo as trevas.
        Pois…DISSE O REI JESUS… “A messe grande, mas os operrios so poucos”. (So Mateus 9, 37)
        Enviem mensagens, por enquanto, diretamente para… rainha.maria@uol.com.br

      • Minha posio de respeito e obedincia a qualquer Papa, conforme: “31. Simo, Simo, eis que Satans vos reclamou para vos peneirar como o trigo; 32. mas eu roguei por ti, para que a tua confiana no desfalea; e tu, por tua vez, confirma os teus irmos. (Lc 22)”
        … … …
        Est Francisco Pedro se sentindo na peneira??? Oremos por ele!!! porque at Jesus rogou por Pedro para que este no perdesse a f … e ainda, confiante em que Sua orao teria efeito, colocou Francisco Pedro como confirmador dos irmos!!! Pap … fortalea a F de Francisco Pedro … obrigado, por Jesus!!!
        … … …
        Est l: http://fratresinunum.com/2014/11/29/obediencia-respeito-nao-vamos-tolerar-nenhuma-licao-de-moral-daqueles-que-moralmente-assassinaram-bento-xvi/#comment-100510

        Liono Ramos Ferreira
        29 novembro, 2014 s 2:25 pm
        0 0 Rate This
        Para os admiradores do Emrito Bento XVI:
        1 Nas audincias das 4s feiras, magistralmente Papa Ratzinger historiou didaticamente toda a Teologia confirmando a Doutrina!!!
        2 Paralelamente ia aperfeioando a Legislao Vaticana em relao aos crimes praticados pelo Clero principalmente os de pedofilia e de m gesto financeira.
        3 Era a pessoa mais indicada para este aggiornamento das leis; pois, como Cardeal s podia aplicar a legislao vigente (principalmente, a deixada por So Joo XXIII).
        4 Ao tornar as leis mais rigorosas (tornando os eclesisticos iguais aos civis) foi incomodando os lobos (que se infiltraram na Igreja tambm porque a legislao era brandssima para os crimes eclesisticos).
        5 Tambm finalizou a Profecia ao informar que estamos no tempo de Governo Mundial.
        6 Como Testamento deixou: o verdadeiro profeta catlico obedece somente a Deus quem no quiser obedecer, tem que se assumir PROFETA!!! !!! !!!”

  19. Caro Ricardo Froes … uma rpida pesquisa sobre o momento religioso atual … apresento ao senhor porque tenho lido vrios comentrios seus sobre religio … est l:

    “4. Eis o que diz o Senhor meu Deus: 5. Apascenta estas ovelhas destinadas ao matadouro, que so compradas e degoladas impunemente, cujos vendedores dizem: Bendito seja o Senhor! Eis que estou rico! – sem que nenhum pastor tenha compaixo delas. 6. Por minha vez, no pouparei mais os habitantes desta terra – orculo do Senhor. Entregarei os homens uns aos outros e nas mos de seu rei; devastaro o pas e no livrarei ningum de sua mo. 7. Pus-me ento a apascentar as ovelhas destinadas ao matadouro, as mais miserveis do rebanho. Escolhi dois cajados, aos quais chamei respectivamente Benignidade e Liame, e comecei a apascentar o rebanho. 8. Despedi os trs pastores desde o primeiro ms: eu estava cansado deles, e eles estavam desgostados de mim. 9. Eu declarei: No quero mais saber do ofcio de pastor. Perea o que perecer, morra o que morrer! Os que restarem, que se devorem uns aos outros. 10. Tomando ento Benignidade, meu cajado, quebrei-o, rompendo assim o pacto concludo com todos os povos. 11. Ele foi quebrado naquele dia e os mercadores de animais que me observavam, perceberam que aquilo indicava um orculo do Senhor. 12. Eu disse-lhes: Dai-me o meu salrio, se o julgais bem, ou ento retende-o! Eles pagaram-me apenas trinta moedas de prata pelo meu salrio. 13. O Senhor disse-me: Lana esse dinheiro no tesouro, esta bela soma, na qual estimaram os teus servios. Tomei as trinta moedas de prata e lancei-as no tesouro da casa do Senhor. 14. Depois tomei o meu cajado Liame e quebrei-o, rompendo assim o pacto de fraternidade entre Jud e Israel. 15. O Senhor disse-me: Aparelha-te agora como um mau pastor. 16. Estou pronto a suscitar nesta terra um pastor que no ter cuidado das ovelhas que perecem, no buscar as que se desgarram, no curar a que for ferida, nem alimentar a s; mas comer a carne das melhores e lhes arrancar as unhas. 17. Ai do mau pastor que abandona o seu rebanho! Que a espada fira o seu brao e o seu olho direito! Que seque seu brao e seja coberto de trevas o seu olho direito!” (Zc 11)

    H os que se enriquecem s custas do trabalho alheio – a chamada concentrao de renda = Babilnia!!!
    Escolhe 2 cajados – quando um s o usual para um pastor!!!
    Despede os 3 pastores (Pai Filho Esprito Santo) – indicando Apostasia!!!
    Quebra o cajado Benignidade!!!
    Quebra o cajado Liame!!!
    Aparelha o mau pastor!!!

    So 2 Papas de cajado quebrado … um renuncia sem foras … outro detecta 15 doenas e se chama por Bispo de Roma!!! e o mau pastor??? ??? ???

  20. Por falar em benignidade, eu gosto muito dessa passagem do Deuteronmio, que mostra o quanto Deus benigno:

    Deuteronmio 28:15-68

    Ser, porm, que, se no deres ouvidos voz do Senhor teu Deus, para no cuidares em cumprir todos os seus mandamentos e os seus estatutos, que hoje te ordeno, ento viro sobre ti todas estas maldies, e te alcanaro:
    Maldito sers tu na cidade, e maldito sers no campo.
    Maldito o teu cesto e a tua amassadeira.
    Maldito o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, e as crias das tuas vacas, e das tuas ovelhas.
    Maldito sers ao entrares, e maldito sers ao sares.
    O Senhor mandar sobre ti a maldio; a confuso e a derrota em tudo em que puseres a mo para fazer; at que sejas destrudo, e at que repentinamente pereas, por causa da maldade das tuas obras, pelas quais me deixaste.
    O Senhor far pegar em ti a pestilncia, at que te consuma da terra a que passas a possuir.
    O Senhor te ferir com a tsica e com a febre, e com a inflamao, e com o calor ardente, e com a secura, e com crestamento e com ferrugem; e te perseguiro at que pereas.
    E os teus cus, que esto sobre a cabea, sero de bronze; e a terra que est debaixo de ti, ser de ferro.
    O Senhor dar por chuva sobre a tua terra, p e poeira; dos cus descer sobre ti, at que pereas.
    O Senhor te far cair diante dos teus inimigos; por um caminho sairs contra eles, e por sete caminhos fugirs de diante deles, e sers espalhado por todos os reinos da terra.
    E o teu cadver servir de comida a todas as aves dos cus, e aos animais da terra; e ningum os espantar.
    O Senhor te ferir com as lceras do Egito, com tumores, e com sarna, e com coceira, de que no possas curar-te;
    O Senhor te ferir com loucura, e com cegueira, e com pasmo de corao;
    E apalpars ao meio-dia, como o cego apalpa na escurido, e no prosperars nos teus caminhos; porm somente sers oprimido e roubado todos os dias, e no haver quem te salve.
    Desposar-te-s com uma mulher, porm outro homem dormir com ela; edificars uma casa, porm no morars nela; plantars uma vinha, porm no aproveitars o seu fruto.
    O teu boi ser morto aos teus olhos, porm dele no comers; o teu jumento ser roubado diante de ti, e no voltar a ti; as tuas ovelhas sero dadas aos teus inimigos, e no haver quem te salve.
    Teus filhos e tuas filhas sero dados a outro povo, os teus olhos o vero, e por eles desfalecero todo o dia; porm no haver poder na tua mo.
    O fruto da tua terra e todo o teu trabalho, comer um povo que nunca conheceste; e tu sers oprimido e quebrantado todos os dias.
    E enlouquecers com o que vires com os teus olhos.
    O Senhor te ferir com lceras malignas nos joelhos e nas pernas, de que no possas sarar, desde a planta do teu p at ao alto da cabea.
    O Senhor te levar a ti e a teu rei, que tiveres posto sobre ti, a uma nao que no conheceste, nem tu nem teus pais; e ali servirs a outros deuses, ao pau e pedra.
    E sers por pasmo, por ditado, e por fbula, entre todos os povos a que o Senhor te levar.
    Lanars muita semente ao campo; porm colhers pouco, porque o gafanhoto a consumir.
    Plantars vinhas, e cultivars; porm no bebers vinho, nem colhers as uvas; porque o bicho as colher.
    Em todos os termos ters oliveiras; porm no te ungirs com azeite; porque a azeitona cair da tua oliveira.
    Filhos e filhas gerars; porm no sero para ti; porque iro em cativeiro.
    Todo o teu arvoredo e o fruto da tua terra consumir a lagarta.
    O estrangeiro, que est no meio de ti, se elevar muito sobre ti, e tu mais baixo descers;
    Ele te emprestar a ti, porm tu no emprestars a ele; ele ser por cabea, e tu sers por cauda.
    E todas estas maldies viro sobre ti, e te perseguiro, e te alcanaro, at que sejas destrudo; porquanto no ouviste voz do Senhor teu Deus, para guardares os seus mandamentos, e os seus estatutos, que te tem ordenado;
    E sero entre ti por sinal e por maravilha, como tambm entre a tua descendncia para sempre.
    Porquanto no serviste ao Senhor teu Deus com alegria e bondade de corao, pela abundncia de tudo.
    Assim servirs aos teus inimigos, que o Senhor enviar contra ti, com fome e com sede, e com nudez, e com falta de tudo; e sobre o teu pescoo por um jugo de ferro, at que te tenha destrudo.
    O Senhor levantar contra ti uma nao de longe, da extremidade da terra, que voa como a guia, nao cuja lngua no entenders;
    Nao feroz de rosto, que no respeitar o rosto do velho, nem se apiedar do moo;
    E comer o fruto dos teus animais, e o fruto da tua terra, at que sejas destrudo; e no te deixar gro, mosto, nem azeite, nem crias das tuas vacas, nem das tuas ovelhas, at que te haja consumido;
    E sitiar-te- em todas as tuas portas, at que venham a cair os teus altos e fortes muros, em que confiavas em toda a tua terra; e te sitiar em todas as tuas portas, em toda a tua terra que te tem dado o Senhor teu Deus.
    E comers o fruto do teu ventre, a carne de teus filhos e de tuas filhas, que te der o Senhor teu Deus, no cerco e no aperto com que os teus inimigos te apertaro.
    Quanto ao homem mais mimoso e delicado no meio de ti, o seu olho ser maligno para com o seu irmo, e para com a mulher do seu regao, e para com os demais de seus filhos que ainda lhe ficarem;
    De sorte que no dar a nenhum deles da carne de seus filhos, que ele comer; porquanto nada lhe ficou de resto no cerco e no aperto, com que o teu inimigo te apertar em todas as tuas portas.
    E quanto mulher mais mimosa e delicada no meio de ti, que de mimo e delicadeza nunca tentou pr a planta de seu p sobre a terra, ser maligno o seu olho contra o homem de seu regao, e contra seu filho, e contra sua filha;
    E isto por causa de suas preas, que sarem dentre os seus ps, e para com os seus filhos que tiver, porque os comer s escondidas pela falta de tudo, no cerco e no aperto, com que o teu inimigo te apertar nas tuas portas.
    Se no tiveres cuidado de guardar todas as palavras desta lei, que esto escritas neste livro, para temeres este nome glorioso e temvel, o SENHOR TEU DEUS,
    Ento o Senhor far espantosas as tuas pragas, e as pragas de tua descendncia, grandes e permanentes pragas, e enfermidades malignas e duradouras;
    E far tornar sobre ti todos os males do Egito, de que tu tiveste temor, e se apegaro a ti.
    Tambm o Senhor far vir sobre ti toda a enfermidade e toda a praga, que no est escrita no livro desta lei, at que sejas destrudo.
    E ficareis poucos em nmero, em lugar de haverem sido como as estrelas dos cus em multido; porquanto no destes ouvidos voz do Senhor teu Deus.
    E ser que, assim como o Senhor se deleitava em vs, em fazer-vos bem e multiplicar-vos, assim o Senhor se deleitar em destruir-vos e consumir-vos; e desarraigados sereis da terra a qual passais a possuir.
    E o Senhor vos espalhar entre todos os povos, desde uma extremidade da terra at outra; e ali servireis a outros deuses que no conheceste, nem tu nem teus pais; ao pau e pedra.
    E nem ainda entre estas naes descansars, nem a planta de teu p ter repouso; porquanto o Senhor ali te dar corao agitado, e desfalecimento de olhos, e desmaio da alma.
    E a tua vida, como em suspenso, estar diante de ti; e estremecers de noite e de dia, e no crers na tua prpria vida.
    Pela manh dirs: Ah! quem me dera ver a noite! E tarde dirs: ah! quem me dera ver a manh! pelo pasmo de teu corao, que sentirs, e pelo que vers com os teus olhos.
    E o Senhor te far voltar ao Egito em navios, pelo caminho de que te tenho dito; nunca jamais o vers; e ali sereis vendidos como escravos e escravas aos vossos inimigos; mas no haver quem vos compre.

  21. Caro Fres,
    Certamente a Bblia se lida de forma “ipsis litteris” ser uma coleo de livros contraditrios.
    Mas isso tu sabes.
    A questo se podemos traar um paralelo entre o Velho e o Novo Testamento.
    Nos meus parcos conhecimentos e limitada capacidade de interpretao, digo que no.
    Apesar de a Religio Catlica usar o Velho Testamento em ordem cronolgica diferente da apresentada no Tor, esta parte da Bblia judaica.
    Se, para quem cristo e no judeu, a prpria definio de Novo Testamento significa, a meu ver, diferentes meios de se professar a f em um nico Deus, os catlicos veem em Cristo o Filho deste Deus e, os judeus, apenas como um profeta.
    A partir desta distncia estabelecida pela diferena de ambas as crenas, mesmo havendo um nico Deus, porm para os catlicos h a Santssima Trindade, a ciso est estipulada.
    Desta forma, quando apresentas um texto do Velho Testamento – olho por olho, dente por dente – e nfase desobedincia, lembro que o Deus judaico havia perdido a pacincia com o homem em vrias ocasies:
    Ao expulsar Ado do Paraso;
    O Dilvio;
    Sodoma e Gomorra.
    O “Velho” arrasa com os humanos sem d nem piedade!
    Muito diferente de Cristo, seu filho, que veio com a mensagem maravilhosa do Perdo, acrescida da mxima “amai-vos como eu vos amei”.
    Entretanto, podemos observar no Velho Testamento algumas passagens verdadeiramente picas entre Deus e o homem, quando Deus concedia este privilgio para muito poucos.
    Para mim, Fres, aquela que nos faz reconhecer o quanto somos pequenos, apesar de ambiciosos, aquela entre Deus e J, quando o homem justo questiona os critrios divinos quanto sua sorte, mesmo sendo um obediente servo do Senhor.
    Olha s os questionamentos de Deus ao humano J:

    J 38

    O Senhor fala

    1Ento foi a vez do Senhor responder a Job num redemoinho:

    2 Porque que usas a tua ignorncia para negar a minha providncia?
    3 Agora, portanto, prepara-te porque
    vou fazer-te algumas perguntas e ters de me responder.
    4 Onde estavas tu quando eu fundava a terra?
    Responde-me, se tens sabedoria para isso.
    5 Sabes quem lhe determinou as dimenses e quem lhe fez o plano?
    6/7 Sobre o qu, que esto apoiadas as suas bases,
    e quem foi que assentou a sua pedra fundamental,
    quando as estrelas produziam harmonias juntamente
    e todos os anjos gritavam de alegria?
    8 Quem foi que ps limites aos mares,
    quando eles se agitam e transbordam das suas profundidades?
    9/11 Quem os revestiu de nuvens e de espessas trevas,
    e os encerrou nas paredes dos oceanos, dizendo-lhes:
    At aqui, e no mais adiante; aqui rebentaro as vossas vagas alterosas?
    12/13 Alguma vez pudeste tu mandar manh que aparecesse,
    e alvorada que se levantasse l para os lados do nascente?
    Alguma vez foste capaz de dizer luz do dia
    que se espalhasse at s extremidades da Terra,
    para pr fim maldade da noite?
    14/15 Ento a Terra se apresenta grandiosa
    como as dobras de um belo manto colorido,
    ou perturbar o refgio dos malvados,
    ou suspender um brao que se ergue, decidido a atacar?
    16 J alguma vez conseguiste explorar as fontes donde vm os mares,
    ou andado sobre os seus profundos abismos?
    17 Foram-te j alguma vez reveladas as portas da morte?
    18 Dar-te-s conta da verdadeira extenso da Terra?
    Responde-me a isto, se fores capaz!
    19/20 Donde vem a luz, como a alcanas?
    Fala-me sobre as trevas. Donde vm elas?
    Ters tu possibilidade de encontrar os seus limites,
    ou de chegar sua origem?
    21 Mas se calhar sabes isto tudo!
    Porque nasceste antes que tudo tivesse sido criado, no?
    E como s to experiente …
    22 J pudeste conhecer os segredos da neve,
    ou ver onde o granizo feito e armazenado?
    23 Porque o reservei para quando precisar dele, para o dia da peleja.
    24 Sabes como se difunde a luz?
    E por onde que o vento oriental invade a Terra?
    25 Quem foi que cavou as gargantas, entre as montanhas,
    por onde correm os ribeiros formados pelas chuvas?
    Quem abriu o caminho ao relmpago,
    26 que faz com que a chuva caia sobre as terras desertas,
    27 para que os terrenos secos e ridos fiquem saciados de gua,
    e se renove a erva tenra?
    28 Ter a chuva um pai? Donde vem o orvalho?
    29 Quem fez aparecer o gelo e a geada?
    30 Porque a gua torna-se em gelo e fica como uma rocha dura.
    31 Sers tu capaz de fazer reter as estrelas?
    Ou de impedir o avano do Oron ou das Pliades?
    32 Poderias controlar a sequncia das constelaes,
    ou determinar, tua responsabilidade,
    a deslocao da constelao da Ursa Maior,
    e da Ursa Menor, atravs dos cus?
    33 Sabes tu as leis do universo,
    e de que maneira os cus influenciam a Terra?
    34 Poderias tu gritar para as nuvens
    e fazeres-te inundar por torrenciais aguaceiros?
    35 Serias capaz de dar ordens aos raios,
    e eles dizerem-te: Pronto, aqui estamos!
    36 Quem estabeleceu a cincia que faz a chuva cair das nuvens
    e o nevoeiro subir da terra?
    37/38 Quem ter sabedoria suficiente para saber a quantidade das nuvens?
    Quem que inclina os cntaros do cu, para que chova,
    quando tudo se encontra seco e o p se acumula em montes?
    39/40 s tu capaz de caar uma presa, tal como o faz a leoa,
    para satisfazer o apetite dos filhotes que esto na toca,
    ou que esperam no meio da selva?
    41 Quem que fornece alimento aos corvos,
    quando os filhos gritam a Deus
    e desfalecem nos ninhos por no terem que comer?

    Cristo veio com esta humildade, este reconhecimento que somos mesmo diminutos diante da grandeza do Pai, e que podemos facilmente transferir para nossos filhos quando a autoridade paterna questionada, pois antes de eles virem ao mundo por onde estavam?
    A Bblia inimitvel por essas variaes que apresenta para interpretaes, que mudam de pessoa para pessoa, situao financeira, momento psicolgico, cultura, tradio, modos e costumes, experincia de vida, se a pessoa casada ou solteira, se nova ou velha, alta e baixa, magro ou gorda, feio ou bonito.
    Para cada um de ns ler a Bblia e interpret-la surgiro verses as mais curiosas, hilrias, srias e absurdas definies, porm, sendo escrito de forma cabal, absoluta, sem direitos a interpretaes, que h um Deus para todos, e no cada um com o seu Deus, de acordo com a sua convenincia e interesse, lgico.
    Para certas pessoas, faz-se necessrio o controle;
    Para outras, a responsabilidade sempre estar presente em suas atitudes;
    Pois, para cada uma delas, Deus saber julgar conforme a vida que tiveram, e at onde entenderam o mistrio da criao do homem, de onde viemos, para onde vamos e estamos aqui para qu?!
    Um abrao, Fres.

  22. “12. Suplico aos que lerem este livro, que no se deixem abater por esses tristes acontecimentos, mas que considerem que esses castigos tiveram em mira no a runa, mas a correo de nossa raa; 13. porque sinal de uma grande benevolncia a seu respeito o fato de no suportar por muito tempo os maus e de, ao contrrio, castig-los sem tardana. 14. Quanto s outras naes, o Senhor espera pacientemente, antes de puni-las, que tenham enchido a medida de suas iniqidades; a ns, porm, ele prefere no nos tratar assim, 15. com receio de ter que nos punir mais tarde, quando tivermos pecado demasiadamente. 16. Assim, no nos retire ele jamais a sua misericrdia e no abandone seu povo, no momento em que o corrige pela adversidade! 17. Mas que tudo isso seja dito apenas a ttulo de lembrana, e, com estas palavras, voltemos narrao. (2Mc 6)

  23. Caros CN e Ricardo Froes … Bom dia!

    O acesso est esquisito!!! s vezes, s consigo trocando tribunadainternet por carlosnewton.
    … … …
    Est l em Deuteronmio 28:36 – “O Senhor te levar a ti e a teu rei, que tiveres posto sobre ti, a uma nao que no conheceste, nem tu nem teus pais; e ali servirs a outros deuses, ao pau e pedra.” … 14. Quando tiveres entrado na terra que o Senhor, teu Deus, te d, e tiveres tomado posse dela, e nela te estabeleceres, se disseres: quero ter um rei sobre mim, como o tm todas as naes que me cercam -, 15. elegers aquele rei que o Senhor, teu Deus, tiver escolhido, e este ser um dos teus irmos: no poders escolher para rei de Israel um estrangeiro que no seja teu irmo. (Dt 17)

    Vejamos como acontece(u) isto???

    Saudaes!

  24. As citaes acima no se aplicam ao fim dos Reinos Antigos … pois tanto o Reino de Israel, conquistado pela Assria … quanto o Reino de Jud, conquistado por Nabucodonosor da Babilnia … tinham reis filhos de Abrao, Isaque e Jac!!!

    Em Daniel temos dissertao sobre as Novas Ordens Mundiais, que se sucederiam aps Babilnia!!! que foi conquistada pelos Medos e Persas, dos quais era rei Ciro!!!

    Est l:

    “1. Ora, aconteceu que, j senhor da Grcia, Alexandre, filho de Filipe da Macednia, oriundo da terra de Cetim, derrotou tambm Dario, rei dos persas e dos medos e reinou em seu lugar. 6. Enfim, adoeceu e viu que a morte se aproximava. 7. Convocou ento os mais considerados dentre os seus cortesos, companheiros desde sua juventude, e, ainda em vida, repartiu entre eles o imprio. 8. Alexandre havia reinado doze anos ao morrer. 9. Seus familiares receberam cada qual seu prprio reino. 10. Puseram todos o diadema depois de sua morte, e, aps eles, seus filhos durante muitos anos; e males em quantidade multiplicaram-se sobre a terra. 11. Desses reis originou-se uma raiz de pecado: Antoco Epfanes, filho do rei Antoco, que havia estado em Roma, como refm, e que reinou no ano cento e trinta e sete do reino dos gregos. (1Mc 1)
    … … …
    Temos a medos e persas … gregos … romanos!!!

  25. interessante ler o captulo inteiro … o domnio dos sucessores de Alexandre est no auge … porm, Roma est fazendo admiradores:

    1. Pela voz da fama soube Judas que os romanos eram extremamente poderosos, que se mostravam benevolentes para com seus aliados, e que a todos os que recorriam a eles ofereciam sua amizade, porque eram verdadeiramente potentes.
    2. Contaram-lhe tambm seus combates, suas faanhas junto aos gauleses, aos quais haviam vencido e subjugado;
    3. como haviam chegado Espanha para se apoderar das minas de prata e de ouro que ali existem e, como, por sua sabedoria e longanimidade, eles haviam conciliado todo o pas,
    4. por mais que ele fosse afastado deles; como haviam derrotado reis que haviam surgido contra eles das extremidades da terra, e os haviam aniquilado devidamente, enquanto outros lhes pagavam o tributo anual.
    5. Filipe Perseu, rei dos ceteus, e outros se haviam insurgido contra eles, mas tinham sido derrotados e subjugados.
    6. Antoco, o Grande, rei da sia, lhes tinha movido guerra com cento e vinte elefantes, cavalaria, carros e um numeroso exrcito, mas havia sido aniquilado por eles.
    7. Eles o haviam tomado vivo e haviam imposto a ele e aos seus sucessores um grande tributo, a entrega de refns e a cesso de um territrio,
    8. arrebatando-lhe a ndia, a Mdia, a Ldia e suas melhores regies que eles deram ao rei Eumenes.
    9. Os gregos haviam querido atac-los para extermin-los, mas eles o souberam
    10. e enviaram um general que os atacou, levando a perecer um grande nmero, arrastou ao cativeiro suas mulheres e seus filhos, saqueou e tornou-se senhor do pas, destruiu suas praas fortes e os reduziu servido, que ainda durava.
    11. Haviam eles igualmente arruinado e subjugado ao seu domnio os outros reinos e as ilhas, que lhes haviam resistido.
    12. Por outro lado, conservavam sua proteo a seus amigos e aliados, estendiam seu poder sobre os reinos vizinhos ou distantes e todos os que ouviam pronunciar seu nome, temiam-nos.
    13. Aqueles que eles queriam auxiliar e ver reinar, reinavam com efeito, mas os que eles no queriam, eram exilados. Engrandeciam-nos muito.
    14. Apesar de tudo isso, ningum deles trazia diadema, nem se envolvia com prpura, para se engrandecer.
    15. Eles tinham estabelecido entre si um conselho supremo onde, cada dia, trezentos e vinte conselheiros discutiam assuntos do povo, para govern-lo bem.
    16. Cada ano confiavam a autoridade suprema a um s homem, que comandava em todo o territrio e todos obedeciam a um s, sem haver ali entre eles nem inveja nem cime.
    17. Escolheu Judas a Eupolemo, filho de Joo, filho de Acos, e Jaso, filho de Eleazar, e enviou-os a Roma, para estabelecer amizade e aliana com eles,
    18. pedindo-lhes que os libertasse do jugo que os gregos, como estavam vendo, faziam pesar sobre Israel, reduzindo-o escravido.
    19. Dirigiram-se eles a Roma, apesar da durao da viagem, e entraram no Senado, onde disseram:
    20. Judas Macabeu, seus irmos e todo o povo de Israel nos enviaram a vs, para concluir aliana e paz, e para que nos conteis entre vossos amigos e aliados.
    21. Essa linguagem agradou aos romanos e
    22. eis a cpia da carta que os romanos mandaram gravar sobre tabuletas de bronze e enviaram a Jerusalm, para ali ficar como memorial da paz e da amizade de sua parte:
    23. Felicidade para sempre aos romanos e ao povo judeu, por terra e por mar! Longe deles esteja a espada e o inimigo!
    24. Se sobrevier uma guerra contra os romanos ou contra um de seus aliados em todo imprio,
    25. o povo judeu tome as armas por sua vez, conforme o permitirem as circunstncias e isso de boa vontade.
    26. No fornecero aos adversrios nem trigo, nem armas, nem dinheiro, nem navios, segundo a vontade dos romanos. Os judeus observaro esses contratos sem receber nada.
    27. Por outro lado, se for o povo judeu o atacado, os romanos tomaro armas voluntariamente por eles conforme as circunstncias o indicarem.
    28. E no ser fornecido aos combatentes nem trigo, nem armas, nem dinheiro, nem navios, conforme a vontade de Roma, e esses contratos sero observados sem fraude.
    29. Por essas palavras os romanos aliaram-se com os judeus.
    30. Se uns ou outros contratantes quiserem ajuntar ou subtrair e essas clusulas, faro a proposta, e o que for acrescentado ou tirado ser ratificado.
    31. Pelo que toca aos danos causados pelo rei Demtrio, eis o que ns lhe escrevemos: Por que fizestes pesar vosso jugo sobre os judeus, nossos amigos e aliados?
    32. Se, pois, eles vierem a ns outra vez contra vs, ns lhes faremos justia e vos combateremos, por terra e mar.
    (1Mc 8)

  26. “17. O combate tornou-se mais encarniado, e, tanto de um como de outro lado, caram muitos feridos. 18. Judas mesmo caiu morto, e ento todos os outros fugiram. … 28. Reuniram-se todos os amigos de Judas e disseram a Jnatas: 29. Aps a morte de Judas, teu irmo, no h mais ningum como ele, para opor-se a nossos inimigos, a Bquides e aos que odeiam nossa raa. 30. Por isso, ns te escolhemos hoje por chefe, para nos conduzires ao combate. 31. A partir dessa hora, Jnatas tomou o comando e assumiu o lugar de seu irmo Judas. (1Mc 9)

    E a Bblia vai registrando uma NOM – Nova Ordem Mundial – a ROMANA!!!
    “1. Jnatas aproveitou-se das circunstncias favorveis e escolheu alguns homens, que enviou a confirmar e renovar a amizade com os romanos. 2. Com este mesmo objetivo enviou cartas tambm aos espartanos e a outros pases. 3. Os embaixadores chegaram a Roma e dirigiram-se ao Senado, onde disseram: O sumo sacerdote Jnatas e o povo judeu enviaram-nos a vs para a renovao da amizade e da aliana com eles como outrora. 4. E deram-lhes, para as autoridades locais, um salvo-conduto, recomendando que os deixassem voltar sos e salvos Judia.

    5. Eis a cpia da carta que Jnatas escreveu aos espartanos: 6. Jnatas, sumo sacerdote, o conselho da nao, os sacerdotes e todo o povo judeu, a seus irmos espartanos, sade!
    7. Outrora, Onias, sumo sacerdote, recebeu de Areu, vosso rei, uma mensagem em que se dizia que reis nossos irmos, como o comprova a cpia, aqui anexa.
    8. Onias acolheu o enviado com honra e aceitou a carta, na qual havia referncias aliana e amizade.
    9. Por nosso lado, embora no tenhamos necessidade dessas vantagens, tendo para nossa consolao os livros santos, que esto em nossas mos,
    10. resolvemos renovar os laos de fraternidade e de amizade convosco, com receio de que nos tornssemos estranhos a vs, porque j decorreu muito tempo aps vossa passagem junto a ns.
    11. Sem cessar, em toda ocasio, nas grandes festas e em outros dias solenes, ns nos lembramos de vs, nos sacrifcios que oferecemos e nas nossas preces, como justo e conveniente pensar nos irmos.
    12. Alegramo-nos com o que ouvimos dizer de vs.
    13. Quanto a ns, vivemos entre tribulaes e guerras incontveis: todos os reis que nos cercam nos tm combatido.
    14. Em todas essas guerras no quisemos, todavia, ser pesados, nem a vs, nem aos outros aliados e amigos,
    15. porque temos por auxlio o socorro do cu; com isso pudemos escapar aos nossos inimigos, os quais foram humilhados.
    16. Escolhemos, pois, a Numnio, filho de Antoco, e Antpatro, filho de Jaso, e ns os enviamos a renovar, com os romanos, a amizade e a aliana de outrora.
    17. Do mesmo modo encarregamo-los de ir-vos saudar e de entregar-vos, de nossa parte, esta carta, que visa a reavivar nossa fraternidade.
    18. Teramos muito prazer em receber uma resposta vossa sobre esse assunto.
    19. Eis a cpia da carta enviada outrora:
    20. Areu, rei dos espartanos, ao sumo sacerdote Onias, sade!
    21. Achou-se, num escrito sobre os espartanos e os judeus, que estes povos so irmos e descendem de Abrao.
    22. Agora que sabemos isto, fareis bem em nos escrever, se gozais de paz;
    23. ns tambm escrever-vos-emos. Vossos rebanhos e vossos haveres so nossos e os nossos so vossos. Enviamo-vos esta mensagem para que sejais informados disso.
    24. Soube Jnatas que os generais de Demtrio haviam voltado com tropas muito mais numerosas que anteriormente, para guerre-lo.
    25. Saiu, pois, ele de Jerusalm e foi ao seu encontro no pas de Amatis, sem lhes deixar tempo para invadir seu prprio pas.
    26. Mandou espies ao acampamento dos inimigos; esses regressaram e lhe contaram que os inimigos se preparavam para lanar-se sobre eles durante a noite.
    27. Ao pr-do-sol, ordenou Jnatas aos seus que velassem e empunhassem as armas, prontos para o combate, durante toda a noite, enquanto ele postava sentinelas ao redor de todo o acampamento.
    28. Ouvindo falar que Jnatas e seus soldados estavam prontos para o combate, os inimigos ficaram tomados de sobressalto e de pavor, e retiraram-se, acendendo fogueiras em seu acampamento.
    29. Jnatas e seus companheiros viram queimar os fogos, e no perceberam nada at de manh;
    30. puseram-se ento a persegui-los, mas no os apanharam, porque eles haviam atravessado o rio Eleutrio.
    31. Voltou-se ento Jnatas contra os rabes, chamados zabadeus, abateu-os e carregou seus despojos.
    32. Em seguida, reuniu seu exrcito, alcanou Damasco e percorreu toda aquela regio.
    33. Por seu lado, Simo investiu at Ascalon, e at as fortalezas vizinhas. De l dirigiu-se a Jope e ocupou-a,
    34. porque ouvira falar que os habitantes tinham a inteno de entregar a cidadela s tropas de Demtrio. Ele colocou, pois, ali, uma guarnio para defend-la.
    35. De volta a Jerusalm, Jnatas convocou os ancios do povo e tomou com eles a deciso de edificar fortalezas na Judia,
    36. de erguer muralhas em Jerusalm, e de construir um muro elevado entre a cidadela e a cidade, para separ-la desta, isol-la completamente e impedir que ali se vendesse ou comprasse alguma coisa.
    37. Formaram-se grupos para reconstruir a cidade, os quais ergueram de novo o muro da torrente do lado leste, e restauraram a parte cognominada Cafenata.
    38. Simo edificou Adida, em Sefela, e a muniu de portas e ferrolhos.
    39. No entanto, Trifon planejava reinar sobre a sia, tomar o diadema, e levantar a mo contra o rei Antoco.
    40. Mas receava que Jnatas no o permitisse e combatesse seus esforos; por isso, procurou apoderar-se dele, para dar-lhe um fim. Partiu, pois, para Bets.
    41. Jnatas saiu ao seu encontro e atacou Bets com um exrcito de quarenta mil homens de escol.
    42. Vendo que ele se aproximava com um numeroso exrcito, Trifon, receou lanar-lhe a mo.
    43. Recebeu-o com grande honra, apresentou-o a todos os seus amigos, ofereceu-lhe presentes, e ordenou s suas tropas que lhe obedecessem, como a ele mesmo.
    44. Depois disse a Jnatas: Por que fatigaste todo este povo, uma vez que no estamos em guerra?
    45. Envia-os de volta a suas casas e escolhe alguns para ficarem contigo. Aps isso, acompanhar-me-s a Ptolemaida e entregarte-ei a cidade, todas as outras fortalezas, as outras tropas e todos os funcionrios; feito isto, retirar-me-ei, porque foi para isso que vim.
    46. Jnatas confiou, fez o que ele dizia, e reenviou as tropas, que regressaram terra de Jud.
    47. Reteve todavia trs mil homens, dos quais enviou dois mil Galilia e conservou consigo mil.
    48. Mal penetrara Jnatas em Ptolemaida, os habitantes fecharam as portas, prenderam-no, e passaram a fio da espada todos os que estavam com ele.
    49. Por sua vez, Trifon enviou Galilia e grande plancie um exrcito e cavaleiros, para esmagar os que Jnatas para l enviara.
    50. Mas estes, ouvindo dizer que Jnatas fora morto com todos os seus companheiros, encorajaram-se mutuamente e marcharam em boa ordem, prontos para o combate.
    51. Seus perseguidores viram que eles queriam defender sua vida, e regressaram,
    52. enquanto os judeus entravam de novo, sos e salvos, na terra de Jud. Choraram Jnatas e os seus e foram tomados de grande inquietude, e todo o povo caiu na desolao.
    53. Todos os povos circunvizinhos procuraram oprimi-los, dizendo entre si:
    54. Eles no tm ningum para comand-los nem para socorr-los: o momento de atac-los e destruir sua lembrana dentre os homens”.
    (1Mc 12)

  27. Caros CN e Ricardo Froes … Bom dia!

    Desculpas por o captulo 12 ter ido inteiro … at bom … pois os livros dos Macabeus no constam em vrias Bblias!!!

    Continuemos a mostrar como Roma vai se tornando Governo Mundial – interessante constatar que Roma valoriza muitssimo sua amizade com os judeus … e que estes tambm valorizam a FRATERNIDADE com os espartanos!!! So pactos e renovao de pactos QUE VALEM AT HOJE … pois so BBLICOS!!! !!! !!!

    s lembrar que Francisco Pedro (Roma) convidou Bartolomeu I (Grcia) para as preces comuns Israel (judeus) – Palestina (que disputa a terra, ou parte dela)!!! !!! !!!
    … … …
    “8. e todos responderam, gritando: Tu s nosso chefe em lugar de Judas e de Jnatas, teu irmo; 9. combate por ns e ns faremos tudo o que disseres. 10. Ento Simo reuniu todos os que podiam lutar, apressou-se em terminar os muros de Jerusalm e fortificou o recinto.
    … … …
    41. Foi no ano cento e setenta que o jugo dos gentios foi afastado de Israel, 42. e que o povo comeou a datar os atos e os contratos do primeiro ano de Simo, sumo sacerdote, chefe do exrcito e governador dos judeus. (1Mc 13)

  28. “4. Na Judia reinou a paz, enquanto viveu Simo. Procurou o bem-estar de seu povo, e este se agradou do seu poder e reputao. … 12. Cada um podia assentar-se sob sua parreira ou figueira sem recear o inimigo. … 16. A morte de Jnatas foi bem depressa conhecida em Roma e at em Esparta, provocando grandes pesares. 17. Mas, logo que os romanos e os espartanos souberam que seu irmo Simo se tinha tornado sumo sacerdote em seu lugar e governava o pas com as cidades que ali se achavam, 18. escreveram-lhe em tabuletas de bronze para renovar a amizade e a aliana, outrora concluda com seus irmos Judas e Jnatas. 19. Essas mensagens foram lidas diante da assemblia em Jerusalm e eis a cpia daquela que enviaram os espartanos: 20. Os arcontes da cidade de Esparta ao sumo sacerdote Simo, aos ancios, aos sacerdotes e ao povo judeu, seu irmo, sade! 21. Os mensageiros que enviastes ao nosso povo contaram-nos vossa celebridade e glria, e ns nos regozijamos com sua chegada. 22. Ns consignamos, como segue, a proposta que eles fizeram s deliberaes do povo: Numnio, filho de Antoco, e Antpatro, filho de Jaso, vieram a ns, da parte dos judeus, para renovar sua amizade conosco. 23. Pareceu bem ao povo receb-los com honra e depositar uma cpia de suas palavras nos arquivos pblicos, para que ficasse na memria do povo de Esparta; e sobre isso enviamos um cpia a Simo, sumo sacerdote.

    24. Em seguida, Simo enviou Numnio a Roma, com um grande escudo de ouro, que pesava mil minas, para confirmao da aliana com os romanos. 25. Quando o povo foi informado disso tudo, disse: Que sinal de reconhecimento daremos a Simo e a seus filhos? 26. Ele mesmo, seus irmos e a casa de seu pai mostraram-se valorosos, venceram os inimigos de Israel e asseguraram-lhe a liberdade. Gravaram, pois, uma inscrio em tbuas de bronze e colocaram-nas entre as estelas conservadas no monte Sio. 27. Eis a cpia dessa inscrio: No dia dezoito do ms de Elul, do ano cento e setenta e dois, o terceiro ano do pontificado de Simo, em Asaramel, 28. na grande assemblia dos sacerdotes, do povo, dos chefes da nao e dos ancios do pas, foi declarado isto: No momento em que as guerras renasciam sem cessar no pas, … 38. Depois disso o rei Demtrio confirmou Simo no cargo de sumo sacerdote, 39. contou-o no nmero de seus amigos e demonstrou-lhe uma grande considerao. 40. Com efeito, ele soube que os romanos davam aos judeus o nome de irmos, de amigos e de aliados e que haviam recebido com honras os enviados de Simo. 41. Soube tambm que os judeus e seus sacerdotes haviam consentido que Simo se tornasse seu chefe e sumo sacerdote, perpetuamente, at a vinda de um profeta fiel, 42. que tomasse o comando do exrcito, cuidasse do culto, designasse superintendentes para os trabalhos, as regies, os armamentos e as fortificaes; 43. que se ocupasse do culto e fosse obedecido por todos; que, no pas, todos os atos fossem escritos em seu nome; e que andasse vestido de prpura e trouxesse fivelas de ouro. 44. No seria permitido a ningum do povo ou dos sacerdotes rejeitar uma s de suas disposies, contradizer suas ordens, convocar uma assemblia no pas sem o seu assentimento, vestir-se com prpura ou usar uma fivela de ouro. 45. Quem quer que agisse contra essas decises ou violasse uma, seria culpado. 46. Aprouve ao povo permitir a Simo agir conforme essas disposies. 47. Simo aceitou. Prontificou-se a ser sumo pontfice, chefe do exrcito, governador dos judeus e dos sacerdotes e exercer autoridade sobre todos. (1Mc 14)
    … … …
    J coloquei que Israel fez amizade com Babilnia … e acabou dominado por quem???
    Estou colocando que os judeus fazem amizade com Roma … e dar em qu???
    Atualmente, os amigos de Israel so os EUA!!!

  29. Destaco do captulo 14 acima: “41. Soube tambm que os judeus e seus sacerdotes haviam consentido que Simo se tornasse seu chefe e sumo sacerdote, perpetuamente, at a vinda de um profeta fiel,” … … … confirma que os judeus estavam esperando a VINDA DO PROFETA FIEL!!! !!! !!!
    … … …
    “15. Nessa ocasio, Numnio e seus companheiros voltaram de Roma com cartas dirigidas aos reis e aos povos. Eis o contedo: 16. Lcio, cnsul romano ao rei Ptolomeu, sade! 17. Os embaixadores enviados por Simo, sumo sacerdote, e pelo povo judeu, como amigos e aliados vieram a ns para renovar a amizade e a aliana de outrora. 18. Trouxeram eles um escudo de ouro de mil minas. 19. Ns resolvemos ento pedir aos reis e aos pases, que no lhes causem mal, nem lhes faam guerra, a eles, s suas cidades, e aos seus campos, e nem se aliem a seus inimigos. 20. Aprouve-nos aceitar seu escudo. 21. Se judeus apstatas se refugiaram junto a vs, entregai-os ao sumo sacerdote Simo, para que ele os castigue segundo sua lei.

    22. A mesma carta foi enviada ao rei Demtrio, a talo, a Ariarates, a Arsaces 23. e a todos os pases: a Sampsamo, aos espartanos, a Delos, a Mindo, Sicinia, Cria, a Samos, Panflia, Lcia, a Halicarnasso, a Rodes, a Faslides, a Cs, a Siden, a Arado, a Gortine, a Gnido, a Chipre e a Cirene. 24. A cpia dela foi enviada ao sumo sacerdote, Simo. (1Mc 15)
    … … …
    Roma j est podendo … hein!!!

  30. “1. Subindo de Gazara a Jerusalm, veio Joo anunciar a seu pai os atos de Cendebeu; 2. mandou ento Simo vir seus dois filhos mais velhos, Joo e Judas, e lhes disse: Eu, meus irmos e a casa de meu pai temos resistido aos inimigos de Israel desde nossa juventude at o dia de hoje, e, muitas vezes, conseguimos libertar a nao. 3. Mas j estou velho, enquanto que vs, graas a Deus, tendes a idade necessria. Tomai, pois, o meu lugar e o de meu irmo; ide combater por nossa raa, e que o socorro do cu esteja convosco. 4. Joo recrutou no pas vinte mil combatentes e cavaleiros. Foram eles contra Cendebeu e acamparam em Modin. … 23. As outras palavras de Joo, suas guerras e os seus feitos que realizou com valentia, como construiu as muralhas, 24. tudo isso est narrado nos anais de seu pontificado, desde o momento em que ele se tornou sumo sacerdote depois de seu pai”. (1Mc 16)
    … … …
    A termina 1 Macabeus … em 2 Macabeus tambm h referncias ao subir romano:

    “Apesar dos privilgios obtidos do poder real por Joo, o pai de Eupolemo, que foi enviado aos romanos para concluir um pacto de aliana e de amizade, ele introduziu mpios costumes, desdenhando as leis nacionais”. (2Mc 4,11)

    6. Jaso massacrou sem piedade seus prprios concidados, esquecendo-se de que uma vitria ganha sobre compatriotas a maior das desgraas, e agiu como se alcanasse um trofu dos seus inimigos e no dos seus congneres. 7. Todavia, no lhe foi possvel conquistar o poder, e s recolhendo de sua maquinao a vergonha, fugiu de novo para a terra dos amonitas. 8. Pereceu, enfim, miseravelmente, porque, acusado junto de Aretas, rei dos rabes, fugiu de cidade em cidade e, perseguido por todos, detestado como violador de leis, desprezado como carrasco de sua ptria e de seus concidados, foi levado para o Egito. 9. Aquele que tinha lanado fora de sua ptria tanta gente pereceu numa terra estrangeira, tendo ido para junto dos espartanos, com a esperana de ali encontrar refgio, por causa de uma origem comum 10. e, aps ter lanado por terra tantos homens, sem sepult-los, no foi chorado por ningum, no recebeu as honras dos funerais e nem um lugar no tmulo de seus pais. (2Mc 5)

    “10. Nicanor esperava obter, com a venda dos judeus que fossem aprisionados, os dois mil talentos que o rei devia como tributo aos romanos. … 36. E ele, que tinha prometido pagar o tributo aos romanos com o dinheiro que tiraria da venda dos cativos de Jerusalm, publicou que os judeus possuam um protetor e que se tornavam invulnerveis quando observavam as leis estabelecidas por ele”. (2Mc 8)

    “15. Dizia ele que tornaria iguais aos atenienses todos os judeus que havia julgado indignos de sepultura e bons para serem atirados com seus filhos s aves do cu e aos animais selvagens como pasto. (2Mc 9)

    “16. Eis em que termos Lsias escreveu aos judeus: 17. Lsias ao povo judeu, sade. Joo e Absalo, vossos mensageiros, entregaram-me vossas propostas e rogaram-me que as cumprisse. 18. Expus, portanto, ao rei tudo o que devia comunicar-lhe, e ele anuiu a tudo o que era possvel. 19. Se vs, pois, permanecerdes nessas boas disposies para com o Estado, continuarei doravante a obter-vos favores. 20. Eu incumbi vossos mensageiros e os meus de tratarem convosco as clusulas da proposta e os pormenores. 21. Passai bem. Ano cento e quarenta e oito, aos vinte e quatro do ms de Discoro.
    22. Era este o contedo da carta do rei: O rei Antoco a seu irmo Lsias, sade! 23. Tendo partido nosso pai para junto dos deuses, desejamos que os povos que pertencem ao nosso reino possam dedicar-se tranqilamente aos seus negcios. 24. Soubemos, no entanto, que os judeus resistem em adotar os costumes helnicos, conforme a deciso de nosso pai; preferem conservar suas tradies e pedem que lhes deixemos seus costumes. 25. Querendo, pois, que esse povo viva igualmente em paz, decretamos que o templo lhes seja restitudo e que possam viver segundo as leis de seus antepassados. 26. Fars bem em lhes mandar mensageiros, para concluir a paz com eles, de modo que, conhecendo nossas intenes, fiquem tranqilos e voltem sem receio a seus afazeres.
    27. Eis a carta do rei ao povo judeu: O rei Antoco ao conselho dos ancios e aos demais judeus, sade! 28. Fazemos votos de que estejais passando bem; ns estamos com boa sade! 29. Contou-nos Menelau que desejais retornar aos vossos negcios. 30. A todos os que vierem para o meio deles at o dia trinta do ms de Xntico, eu estenderei a mo. 31. Permito tambm aos judeus que usem dos seus alimentos e dos seus costumes, como outrora; e ningum dentre eles ser molestado por transgresses passadas. 32. Incumbi Menelau de ir tranqilizar-vos. 33. Passai bem. Ano cento e quarenta e oito no dia quinze do ms de Xntico.
    34. Do mesmo modo, os romanos enviaram aos judeus uma carta nestes termos: Quinto Mnio, Tito Mnio, legados romanos, ao povo judeu, sade! 35. Damos nosso assentimento a tudo o que Lsias, parente do rei, vos outorgou. 36. Quanto ao que ele julgou necessrio submeter ao rei, enviai-nos algum sem demora, a fim de que, aps um exame, possamos falar-lhe de modo mais vantajoso para vs, porque vamos para Antioquia. 37. Apressai-vos, pois, em nos enviar mensageiros, para que saibamos bem quais so vossos desejos. 38. Passai bem! Ano cento e quarenta e oito no dia quinze do ms de Xntico”. (2Mc 11)

  31. Caro Ricardo Froes … saudaes!

    Com Joo (Hircano), os idumeus so obrigados ao judasmo (acabando a briga dos irmos Esa x Jac) … e a Idumia some da histria!!! no sem dar reis – Dinastia Herodiana sucedendo Asmonia dos Macabeus!!! e a Dinastia Davdica no era esquecida!!!

    Pelo menos, Asmoneus eram judeus filhos de Abrao, Isaac e Jac … e Herodianos eram filhos de Abrao, Isaac e Esa!!!

    Csar no tinha nenhuma vinculao com Abrao … e a a trplice profecia se cumpre at hoje!!! !!! !!!

    Os judeus e herodianos acabam sendo conquistados pelos romanos … s que observe bem a PROFECIA:
    “Deuteronmio 28:36 O Senhor te levar a ti e a teu rei, que tiveres posto sobre ti, a uma nao que no conheceste” … “18. E no dia em que clamardes ao Senhor por causa do rei, que vs mesmos escolhestes, o Senhor no vos ouvir. (1Sm 8)” … “15. elegers aquele rei que o Senhor, teu Deus, tiver escolhido, e este ser um dos teus irmos: no poders escolher para rei de Israel um estrangeiro que no seja teu irmo. (Dt 17)” … … … no se aplica s aos judeus … tambm vale para o rei no judeu escolhido!!! !!! !!!

  32. Vejamos como a PROFECIA acontece(u):

    1 – ao se rebelarem contra os romanos … Deus no houve os apelos na destruio do Templo e na mudana de nome de Judia para Palestina!!! etc etc etc … conforme 18. E no dia em que clamardes ao Senhor por causa do rei, que vs mesmos escolhestes, o Senhor no vos ouvir. (1Sm 8) … no so Csar os que fazem tais coisas contra os judeus??? ??? ???
    2 – s que tem tambm para Csar: quem acaba com o Imprio Romano do Ocidente so os brbaros, nao no conhecida pelos judeus!!! wikipedia: Aps a morte de Teodsio I em 395, o imprio foi dividido pela ltima vez.6 O Imprio Romano do Ocidente acabou em 476, quando Rmulo Augusto foi forado a se render ao chefe militar germnico Odoacro.7
    3 – wikipedia: O Imprio Romano do Oriente (conhecido como Imprio Bizantino) chegou ao fim em 1453, com a morte de Constantino XI Palelogo e com a invaso da cidade de Constantinopla pelos turcos otomanos, liderados por Maom II, o Conquistador.8 … os turcos tambm – nao no conhecida pelos judeus!!!
    … … …
    S que h um porm … os Csares eram Pontifex Maximus!!! !!! !!!

  33. wikipedia: “Na Roma Antiga, a expresso latina pontifex maximus (literalmente “mximo construtor de pontes” ou “supremo construtor de pontes”) designava o sacerdote supremo do colgio dos sacerdotes, a mais alta dignidade na religio romana. 1 Inicialmente somente os patrcios podiam ocup-lo, at um plebeu ser designado para o cargo em 254 a.C.. De incio um posto religioso durante a repblica, foi gradualmente politizado at ser incorporado pelo imperador, a partir de Augusto. A ltima referncia do uso do ttulo pelos imperadores foi por Graciano,2 imperador de 375-383, que, no entanto, decidiu omitir as palavras “pontifex maximus” de seu ttulo3 4″ … … … Lista incompleta …
    753 a.C. – 712 a.C. – Reis de Roma

    63 a.C. – Jlio Csar
    44 a.C. – Lpido
    12 a.C. – Augusto
    12 a.C. a 376 d.C. – Imperadores romanos
    A partir do sculo XV, o ttulo de pontifex maximus passou a ser aplicado para os papas19 (ver restantes papas).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.