João Vicente Goulart, filho de Jango, quer reviver as “Reformas de Base”

João Goulart Filho, candidato a presidente pelo PPL (Foto: GloboNews/Reprodução)

João Vicente vai tentar resgatar o passado pré-64

José Carlos Werneck

Em Convenção Nacional, realizada neste domingo, o Partido Pátria Livre (PPL) lançou João Vicente Goulart como candidato à Presidência da República. Ele é filho do ex-presidente João Goulart, o Jango, que teve seu mandato presidencial, de 1961 a 1964, interrompido pelo Movimento Militar de 1964. É a primeira vez que João Vicente disputa o cargo. Leo Alves, professor da Universidade Católica de Brasília, compõe a chapa como candidato a vice.

Entre suas propostas está a redução drástica dos juros da dívida pública para dar condições ao Estado de investir no desenvolvimento social. “Assim, evidentemente, nós vamos ter recursos para saúde pública, educação e segurança que são áreas extremamente sensíveis”.

NACIONALISMO – Sua principal proposta é a retomada do nacionalismo e do desenvolvimentismo. “Nós tivemos um processo interrompido em 1964 em que as propostas tanto do trabalhismo como do nacionalismo brasileiro vinham sendo desenvolvidas. Estamos resgatando esse processo e temos a obrigação de resgatar a proposta daquele momento”.

Ele destacou o resgate da soberania, o controle das remessas de lucros das empresas estrangeiras e a revisão do conceito de segurança nacional. “Não podemos mais entregar nosso patrimônio, nosso subsolo, nossas faculdades, nossa educação, petróleo e geração elétrica para empresas multinacionais”.

REFORMAS DE BASE – João Vicente pretende abrir um diálogo com a sociedade para debater as Reformas Agrária, Urbana, Tributária e Educacional, revivendo as “Reformas de Base” propostas por seu pai.

João Vicente Goulart é poeta, filósofo, escritor e fundador do Instituto João Goulart, dedicado à pesquisa histórica e à reflexão sobre o processo político brasileiro. Foi deputado estadual no Rio Grande do Sul pelo PDT e é autor de “Jango e Eu: Memórias de um exílio sem volta”, indicado ao Prêmio Jabuti.

O candidato a vice Léo Alves foi procurador federal e atualmente, é professor da Universidade Católica de Brasília, professor-visitante de escolas de Governo, escolas de magistratura, de contas e academias de polícia em 21 estados.

42 thoughts on “João Vicente Goulart, filho de Jango, quer reviver as “Reformas de Base”

  1. Bom Dia Francisco Bendl,

    Assisti a entrevista do Bolsonaro na Globonews. Nem é preciso comentar a hostilidade que ele sofreu dos entrevistadores. A questão que se coloca é a seguinte: o candidato que tem o maior tempo de Tv e Rádio tem 5% de intenção de votos e 70% de rejeição. Espera utilizar o horário eleitoral para reverter tal situação. Estando Bolsonaro no segundo turno com este candidato, não está claro que essa mídia que o entrevistou vai hostilizá-lo o tempo inteiro em sua programação, mesmo que de forma indireta? O Rui Costa Pimenta, em sua análise semanal do último sábado 4/8, insuspeito de qualquer simpatia pelo Bolsonaro, disse que o verdadeiro perigo é a eleição do candidato do mercado, porque este representa a continuidade e o aprofundamento das medidas deste governo, que são extremamente impopulares.

    É muito claro que o Bolsonaro será atacado pela mídia, seja direta ou indiretamente.

    • Prezado Hipólito Borges.

      Precisei me ausentar desde cedo, então li o teu comentário minutos atrás.

      Escrevi que Bolsonaro é o inimigo a ser abatido pelos candidatos ao Planalto.

      O deputado, mesmo sendo egresso do meio deletério e abjeto, que é a política brasileira, mesmo assim representa o oposto de seus opositores, logo, que as fileiras sejam cerradas contra Bolsonaro.

      Não interessa o novo, o diferente, a chande de mudanças, pois o sistema deve permanecer imutável, proporcionado que o povo seja roubado e explorado como estamos sendo vítimas há décadas!!

      Mesmo havendo candidatos bem preparados em termos administrativos e econômicos, o nosso problema não é este, mas a corrupção, a mesmice de cada eleição, e a violência!

      Eu e tu já escrevemos juntos porque concordamos com esta questão que, se o próximo presidente não der a atenção devida e urgentemente a respeito do desemprego, ele sai do Planalto!

      Na razão direta que a crise aumentará ano que vem, logo, o desemprego baterá novos recordes, a situação ficará insustentável, haja vista que aumentará também os inadimplentes!!!

      O caos hoje se resume em três pilares:
      Desemprego, inadimplentes e violência.

      Se não houver medidas urgentes contra essas questões vitais para o Brasil, bye bye, seja ele quem for o chefe da Nação, afora o risco palpável de uma guerra civil!!

      Abraços.

  2. A gente entende o trauma dele de ter perdido o paí quando muito novo,etc,et,etc, o que justifica os equívocos , um pouco de ridículo, que jaozinho se presta com essa sua obsessão de reformas de base, coisa inviável na época do governo de Jango, pura demagogia ou delírio alcoólico de seu autor, que , como bom brasileiro, também era cheio de convicções e com isso sem humildade e sem condição para perceber a verdadeira realidade diante dos próprios olhos.

  3. Mais uma candidatura sem objetivo. Aliás, tem um único objetivo: uma negociação para um cargo público com quem for eleito. Isto, se acertar o acordo com quem vai ser o vencedor.

    Quem foi o filho do Jango na política brasileira nos últimos 20 anos?

  4. Mais uma atrás de um teta no erário. O ÂNIMO DO POVO PARA COM o golpismo ditatorial, o partidarismo eleitoral e seus tentáculos, velhaco$, está mais ou menos assim: “Um governo ilegítimo não trará prosperidade econômica, pois governará sob a espada da exasperação dos conflitos e da contestação. Um governo ilegítimo não trará a paz social que nunca houve. Um governo ilegítimo será a fagulha da grande fogueira de ódios e desavenças nos próximos anos. O povo está emitindo sinais de exaustão, de impaciência, acerca de sua condição trágica. Uma nova geração de líderes está nascendo. Líderes pouco dispostos a aceitar a brutalidade que as elites, o Judiciário, o Estado e o sistema perpetram contra o povo. A situação está chegando num ponto em que a indignação está deixando de ser calada e passiva. A crueldade contra o povo e suas misérias exigem que a indignação se transforme em fúria da mudança.” A.F.

      • O Alex Cardoso ontem colocou a estratégia do Lula para o PT ganhar as eleições dentro da LEI LEI LEI!!!

        Há furos nas nossas LEIS … e o PT pode se aproveitar de tais furos!!!

        E se for mesmo dentro da LEI LEI LEI … temos que aceitar, né???

        Porém, se Meirelles, Bolsonaro, Ciro, Alckimin, Marina etc for o vencedor … tem que todo mundo acabar com esse negócio de golpe!!!

        • O Alex Cardoso é um clone de ser humano. Ele não existe como pessoa. É mais um contratado para divulgar as mentiras do PT. Não existe lei que permita o Lula ser candidato, mas existe a que proíbe a candidatura dele. Por isto, Então, para o Lula ser candidato, só com um golpe na Constituição. Lembre-se que a Dilma foi constitucionalmente destituída da presidência.

          • Paulo2, meu caro … quando da renúncia de Bento XVI … cardeais apressados queriam iniciar o Conclave antes da data legal … o que complicaria a situação do novo papa … … … como sabia qual era o e-mail do atual emérito, enviei um pedindo para que Bento XVI mudasse a LEI LEI LEI …e fui atendido (é claro que quem leu foi algum assessor, né??? e faria as mudanças porque a pressão era enorme)!!!

            No caso atual do Lula, não há um Eduardo Cunha!!!

  5. ““Nós tivemos um processo interrompido em 1964 em que as propostas tanto do trabalhismo como do nacionalismo brasileiro vinham sendo desenvolvidas. Estamos resgatando esse processo e temos a obrigação de resgatar a proposta daquele momento”.”

    -Quer dizer que de 1964 até hoje NINGUÉM teve a iniciativa de “reiniciar” esse processo?
    -E onde estavam o PT, o PMDB e o PSDB durante todo esse tempo, que não fez o devido “resgate”?

  6. Um sobrenome não é o bastante para tornar alguém político, carismático ou líder.
    João Vicente não conheceu o pai, pelo menos não pessoalmente. As idéias e ideais do pai estão escritas e são ditas pela boca de quem com ele conviveu. É claro que com as cores dos olhos e corações dos autores.
    Não desejo fazer uma retrospectiva ou avaliação das causas de João Goulart.
    Detenho-me, portanto, somente no filho. Por tudo que vem dizendo, deve ter lido e ouvido, mais do que estudado.
    O país é outro, o povo é outro, os objetivos podem ser os mesmos, mas os componentes são outros.
    Mesmo assim, não se pode negar-se o direito e até algumas coerências.
    Lutar pelo que seu pai lutou não é ilógico. Interessante que os temas estão, embora décadas passadas, emergentes e sem respostas adequadas. Talvez não as tenha em melhor qualidade do que os demais candidatos, mas estão ai os problemas de cada um deles (os temas).
    Reforma agrária, longe está de completada ou de soluções definitivas.
    Saúde, segurança e educação (deve ser escolarização) são questões mal resolvidas, mal encaminhadas e com propostas, normalmente, esdrúxulas. A maioria falta, só fala e não dá encaminhamentos.
    Mas existe um ponto que é mais problemático e sobre o qual temos que nos debruçar.
    Nacionalismo e desenvolvimentismo.
    Neste dois pontos, entendendo estejam suas grandes confusões. Não vou aprofundar análises, pois seriam muito longas. mas resumo-as a dois aspectos.
    Nacionalismo: não temos mais! Todos os valores, mas todos mesmos, foram deixados de lados, perdidos, esquecidos pelas últimas gerações. Culpa? De todos nós!
    Desenvolvimentismo? O mundo mudou e mudou muito! A dependência de quase tudo (ter matérias primas já não bastam),empurrou a maioria dos países para os braços de uma dezena de nações.
    A falta de política de ensino com boa qualidade; a profissionalização de gerações com entrega de diplomas, mas sem formação sólida; a perda de milhares de brasileiros para mercados no exterior; uma queda gigantesca na educação (familiar); a desorganização da sociedade; a fragilização de TODAS AS INSTITUIÇÕES públicas; a corrupção em todos os modelos e espaços, soterraram boa parte do que a natureza ofereceu e oferece ao nosso país.

    Ninguém, em quatro anos, por melhores ideias, coragem e determinação, conseguirá modificar isto! Pode até deixar pilares, que facilmente serão demolidos pelo próximo. A descontinuidade e a passividade da sociedade tem garantido, mandatário após mandatário, o desmanche de projetos.

    Nossa democracia frágil, desorganizada e deturpada, não permite e nem garante a conclusão e a consolidação em mudanças que venham a ser realizadas hoje e nestas circunstâncias.

    Por onde sairemos?

    Nossa única saída é pela sociedade. Melhor dizendo, pela parcela da sociedade que ainda tem consciência e que consegue enxergar o que precisa ser feito.

    Fallavena

  7. Antonio Falavena, sem querer contreariá-lo João Vicente tinha seis anos quando o pai foi deposto. João ficou no exílio com o pai até sua morte. É boa pessoa, mas ao envolver-se com Vivaldo Barbosa expulso do PDT e só não foi confirmado em razão do falecimento de Brizola que o expulsara. (Porém ele ainda deveia passar pela “Comissão de Ética” e do partido), e um ex-presidente da AEPT não confiável perdeu a força que devia ter. Na fundação do PDT foi deputado estadual no RGS. Afastou-se da política e está voltando agora servindo de “esparro para dois malandros). Vivaldo chegou a criar dentro do PDT depois que Brizola morreu um tal “Movimento Bolivariano Leonel Brizola”. Mandaram até um professor de araque de nome Aurélio à Venezuela tentando tomar grana de Chaves.Eu protestei violentamente com Lupi que aceitara passivamente; ele então resolveu barrar o tal “movimento”. Lamentavelmente João está sendo usado. E demorou muito para lutar pelas ideias do pai que são atuais e estão aí a espera de alguém que levante a bandeira das reformas com suficiência ideológica.

    • Antonio Santos Aquino
      Agradeço teu comentário. Em momento algum desejo desmerecer a pessoa de João Vicente. Conheço pouco sua história. Comentei somente quanto as propostas.
      Buscarei conhecer melhor o ser humano.
      É um dos poucos que restou para ainda tentar resgatar o trabalhismo.
      tenha a certeza que, se tiver oportunidade, gostaria de conversar com ele e até, dentro do possível, contribuir nesta tarefa. Venho de uma familia de Vargas/Brizola/Jango e reconheço seus ideais.
      Abraço fraterno.
      Fallavena

    • E alguem tinha duvida???
      Me espanta muito esse tipo de questionamento que de fato não trara nenhuma solução para os podres de hoje, se nem os acordos tenebrosos atuais podemos acessar, para quem sabe não errarmos no futuro próximo os de 30 anos atras é só pra encher linguiça.

  8. Lionço Ramos Ferreira, você está perdendo tempo e energia mental com uma “platéia” em que 90% não entende nada de nada. Como diria Bertolt Brechet são “analfabetos políticos”. Quanto as ideologias representadas sebressaem o Fascismo e a Social Democracia. O comportamento falando em matar, discriminar o povo que em sua maioria esmagadora é mestiço e descende das três raças que deram formação ao povo brasileiro. Pior, ameaçando de intervenção militar e agora posando de patriotas. Patriotas são todos os brasileiros.Ninguém é mais patriota que ninguém. E ainda escondem do povo seu lado corrupto. “Tem gente até querendo proclamar novamente a República”. Estão procurando comprar um cavalo baio e uma espada para usar na nova proclamação. “Temos que rir para não chorar”.

    • Caro Aquino … considero que houve um “parar” em nosso Brasil … quando o Presidente Constitucional Jango Goulart fez uma comparação infeliz … colocou de um lado suas reformas, tão necessárias até hoje, e apoiadas na Doutrina Social da Igreja (como o senhor mesmo já nos ensinou tão bem por aqui) … e do outro lado colocou o Rosário (como se nós devotos de Mamãe fôssemos contra as reformas).

      É coisa muito atual … pois recentemente Francisco Pedro presenteou o Lula com um Terço!!! Porém, a reparação precisa ser por Presidente Constitucional!!!

  9. A maioria das candidaturas à Presidência são irrelevantes, não importa o nome.

    Simplesmente é prá dar dimensão nacional a nomes que sequer seriam eleitos vereados em suas cidades.

    E o pior é que desmoraliza e desvaloriza a política em geral.

    Em 2018, o candidato que tem mais tempo no horário eleitoral tem 5% da preferência popular nas pesquisas e 70% de rejeição.

    As eleições são apenas para dar alguma legitimidade, até mesmo perante a comunidade internacional, de um conjunto de medidas ultra-liberais que já começaram a ser aplicadas neste governo e que será continuado no próximo.

  10. Lionço, a história é que deve julgar as pessoas. Um detalhe não desmonta o que de bom você ou qualquer pessoa pode fazer na vida. João Goulart mesmo sem saber acertou quando falou em terço. “Referia-se as passeatas da família com deus pela liberdade promovidas pelo padre americano Peiton, que depois soube-se que era agente da CIA”..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *