Joaquim Barbosa critica imprensa por glorificar criminosos (leia-se mensaleiros)

Deu na Folha
O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, reagiu nesta segunda-feira (27) crtica do deputado Joo Paulo Cunha (PT-SP), publicada ontem na Folha, de que tem feito “pirotecnia” em relao a seu mandado de priso no esquema do mensalo.
“Esse senhor foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal, pelos 11 ministros do STF. Eu no tenho costume de dialogar com ru. Eu no falo com ru”, disse Barbosa, ao chegar a Londres. “No faz parte dos meus hbitos, nem dos meus mtodos de trabalho ficar de conversinha com ru”, ressaltou.

O ministro criticou a imprensa brasileira por dar espao a declaraes de condenados no esquema do mensalo. As crticas de Joo Paulo Cunha foram publicadas ontem em entrevista Folha. “Eu tenho algo a dizer: eu acho que a imprensa brasileira presta um grande desservio ao pas ao abrir suas pginas nobres a pessoas condenadas por corrupo. Pessoas condenadas por corrupo devem ficar no ostracismo. Faz parte da pena”, afirmou o presidente do Supremo.

ENTREVISTA

Na entrevista, o deputado Joo Paulo Cunha disse que falta “civilidade, humanidade e cortesia” ao presidente do STF. Barbosa decretou a priso do petista, mas viajou Europa sem assinar o mandado dele.

O ministro mostrou-se irritado com a entrevista de Cunha: “A imprensa tem de saber onde est o limite do interesse pblico. A pessoa quando condenada criminalmente perde uma boa parte dos seus direitos. Os seus direitos ficam em hibernao, at que ela cumpra a pena”.

“No Brasil, estamos assistindo glorificao de pessoas condenadas por corrupo medida em que os jornais abrem suas pginas a essas pessoas como se fossem verdadeiros heris”, afirmou.

Barbosa desembarcou em Londres depois de cinco dias em Paris para encontros oficiais. Ele fica at quarta-feira na capital britnica, onde tambm tem uma agenda de compromissos. Questionado, ele no quis dizer se assina semana que vem o mandado de priso de Joo Paulo Cunha.

###
NOTA DA REDAO DO BLOGJoaquim Barbosa vem usando com muita propriedade os espaos que a imprensa lhe abre. Est todo dia no noticirio, impressionante. E quanto mais o criticam, mais ele cresce. Tem tudo para sair candidato a presidente, e vai para a largada como um dos favoritos, podem apostar. O Planalto j mandou investigar a vida dele e no encontrou nada. Ele o cara. (C.N.)

35 thoughts on “Joaquim Barbosa critica imprensa por glorificar criminosos (leia-se mensaleiros)

  1. Joaquim Barbosa est coberto de razo! um absurdo constatarmos que uma boa parte da imprensa brasileira fica “dando conversa mole” aos mensaleiros condenados!

    E algo que acontece quase que diariamente! Parece at que essa parte da imprensa fica querendo espalhar polmicas e intrigas!

    como se a imprensa ficasse – a todo momento – pondo sob holofotes, e buscando entrevistas com diversos presos condenados, tais como: traficantes, estupradores, estelionatrios ou assassinos

    Tais atitudes no fazem sentido!

  2. Sr. Newton, sua NR, esclarece, se o JB, virar candidato, timo, pois, vai “balanar rede”, pelo jeito ser um “gol de placa”, lgico que o “governicho”, o investiga, o problema “implantar inverdades”, prximo as eleies, se ele virar candidato, essas implantaes, (Collor, Lula,TV Globo) no bloqueio da poupana, deu a vitria ao Collor, infelizmente, o povo alagoano ainda o elege para o Congresso, o que alis, est correto, pois o ninho da corrupo, de falsos representantes, com as devidas rarssimas excesses. O grande problema so as “urnas”, so fraudveis, em 2013, um garoto, mostrou a fraude; o Brasil o nico Pas que usa o sistema, e a grande imprensa,fica dormindo no “bero esplndido”, no trazendo publico, esse “crime de leso Cidadania”.
    A frase da charge, atribuda ao JB, incontestvel, os 3PS-pobre, preto e puta, so considerados “lixos”, com o nico direito de “VOTAR COMPULSORIAMENTE” na mo que lhe vai chicotear, o panorama no nos desmente:Corrupo desenfreada e irrestrita.
    Pobre Brasil, dia 05/10. dia “D”, “d meia volta”, ou vai cair no abismo!!!.

  3. O PT(Lula), pelo poder, capaz at de pisar no pescoo da me. No duvido,
    que a qualquer momento, vo arranjar um dossi contra o Ministro Joaquim Barbosa, aguardem.

  4. Caro Jornalista,

    O ministro mais til ao pas no Supremo do que na presidncia. Pelo menos no cargo atual no precisa negociar decises com o PMDB.

    • Francisco Vieira, meu xar, de Braslia-DF,
      Em comentrios anteriores escrevi que Joaquim Barbosa no seria um bom presidente – caso fosse eleito.
      A dana das negociaes, das alianas esprias, a distribuio dos ministrios aos partidos aliados, o loteamento das estatais com suas diretorias regiamente pagas, as seretarias de governo, as verbas milionrias aos partidos, os interesses e tendncias polticas pessoais, as influncias das velhas raposas no Congresso, no permitiriam que Barbosa adotasse o seu modo, que fosse honesto inclusive com ele prprio, razo pela qual no acredito na sua candidatura.
      E, como muito bem escreveu Laco Silva acima, Barbosa teria de enfrentar os corruptos financiadores de campanha que, certamente, impediriam a vitria do ministro, caso ele seja candidato presidncia.
      Assim, concordo contigo que ele mais til e necessrio no STF que aventurar-se em ser presidente, haja vista no Palanlto se para l conduzido, estaria sem leno e documento.
      Renunciaria ou seria deposto em seguida!

  5. Nlio Jacob, Isac Mariano e Theo Fernandes esto cobertos de razo em seus comentrios.
    no mnimo curioso que certos rgos da imprensa coloquem diariamente em manchetes entrevistas com os mensaleiros, como esto na priso, seus dias de “trabalho”, a preocupao com suas sades, tratando-os com especial ateno.
    Evidente que este outro setor brasileiro que pensa l adiante, ou seja, na eventualidade de o PT vencer as eleies para presidente ou a presidente Dilma se reeleger ou Lula for o candiadto em seu lugar, a imprensa quer estar bem com o poder, haja vista as fantsticas e inescrupulosas verbas gastas em publicidade que o governo petista gasta com propaganda sobre o seu governo.
    Ento, lgico que a mdia deseja abocanhar essa fortuna, e sabe que para ter acesso a este dinheiro no deve se indispor com o governo, no deve comentar mal sobre os “bons meninos mensaleiros”, a respeito da conduta “ilibada” dos petistas que foram “injustamente” condenados.
    A verdade que estamos sob a gide da hipocrisia, do cinismo, da falsidade, do engano, do engodo, da corrupo institucionalizada, da imoralidade e total falta de tica, que contaminam a todos, inclusive o segmento brasileiro que deveria se manter isento, imparcial, a imprensa.
    Ledo engano.
    Os interesses comerciais e financeiros suplantam qualquer problema de ordem moral e tica, conduzindo a mdia a se comportar com DESLEALDADE com relao ao cidado, verdade, realidade dos fatos.
    O que lemos mera opinio de um jornalista comprado ou interessado que a situao poltica e social permanea e que continuemos a ser comandados pelos mesmos, os tais formadores de opinio, que jamais so sinceros e francos, muito pelo contrrio.
    Desta forma, espaos democrticos como deste blog incomparvel so os locais disposio para debates e trocas de idias relativas situao brasileira de acordo com nossas observaes e constataes, informaes e correes sobre diversos assuntos.
    Ainda bem.

  6. Joaquim reclama da imprensa, mas mandou um reprter chafurdar no lixo. Diz que no fala com condenado, mas na verdade nenhum condenado, nem seus pares do STF, querem falar com Joaquim. Ningum do circulo laboral de Joaquim quer falar com ele. Isolado, usa a visibilidade que tem por ser presidente do STF para ostentar arrogncia. Joaquim s presidente do STF por que no tem eleio. Se tivesse eleio ningum votaria nele porque gritante a sua incapacidade como juiz. Joaquim um carnossauro que quer aparecer em cima da carcaa poltica dos mensaleiros. Joaquim representa a justia do capito do mato. Na poltica, um tigre de papel.

  7. O reprter a quem Joaquim mandou chafurdar no lixo j o faz. um chapa-branca, admirador dos mensaleiros: Felipe Recondo!

    Alis… Joaquim Barbosa, enviou um ofcio ao colega Lewandowski pedindo a este que reconsidere sua deciso de manter em seu gabinete a servidora Adriana Leineker Costa.
    Para Barbosa, o problema que Adriana casada com o reprter do jornal Estado de S. Paulo… Quem? Felipe Recondo, que cobre o Judicirio.

  8. O Lula respeita a trajetria de homens como a Joaquim que at o indicou para o Supremo.Joaquim e seu discurso bl,bl,bl nada faz para ajudar aqueles que tem raizes iguais a dele. Se Joaquim fosse americano, com certeza faria mais por aqueles que vivem sem justia social. Joaquim presidente da mais alta corte de justia brasileira, joaquim veio de famlia humilde, mas conquistou espao nobre na justia brasileira. Joaquim a prova que no Brasil as oportunidades tambm acontecem para os de origem humilde. Brizola j foi engraxate, mas se formou em engenharia. Quando teve oportunidade construiu escolas. Joaquim advogado bem que poderia ajudar os negros pobres que vivenm sem justia. Agora mesmo falta advogado para atender a justia gratuita para aqueles que no tm recurso. Cad o Joaquim para advogar pelos menos favorecidos ? Est na Frana, cuida da coluna na Alemanha, adora circular por Londres. Joaquim refora aquela mxima: A senzala no resiste ao perfume da casa grande.

    • Cuida, Renato Lima, que muitas vezes estamos trafegando em estradas escorregadias. Uma distrao que seja, o carro derrapa e nos joga para fora, podendo haver riscos de capotamento e vtimas fatais!
      A tua expresso final uma ode ao racismo.
      Pede desculpas e solicita que o Newton a delete. Ele far isso por ti, sem dvida.
      Mesmo eu discordando dos teus pensamentos na sua maioria, acredito que sejas uma boa pessoa, e deves ser chamado ateno para corrigires um erro involuntrio, creio, cometido na impulsividade ou de fechar o comentrio sem ter considerado a gravidade do que disseste e sua repercusso.
      Corre e conserta essa besteira abominvel, por favor!

  9. Meu caro francisco no sou racista e nem tive a inteno de ser racista. A senzala no resiste ao perfume da casa grande significa que o negro quando tem oportunidade se afasta da senzala, local smbolo da escravido, e se aproxima da casa grande, local smbolo do poder senhor de escravos. Potanto meu caro Francisco o senhor analisou errado. Nada a ver . No sei quem cunhou a frase,mas casa grande e senzala um famoso livro do Gilberto Freyre. Agora se achares que eu sou racista vai no google e escreve “A senzala no resiste ao perfume da casa grande e observe que este termo no racista parte da nossa realidade e miuitos comentarista usam este termo para exemplificar a nossa cultura subserviente.
    No foi s o negro que foi escravisado. Os eslavos foram escravos por sculos, da vem a palavra slave.

    • Obrigado, Renato Lima, pela explicao.
      No te chamei de racista, l bem o meu comentrio, mas a tua iniciativa em justificares a expresso usada j me deixa satisfeito, haja vista no ter o cunho que inicialmente poderia ter se interpretada diferente por um frequentador mais afoito.
      Mesmo assim importante que estejamos alerta para certos fatos do passado que ainda esto latentes na alma e coraes de muitos brasileiros, principalmente aqueles que foram to violentados em seus direitos e vtimas de determinaes preconceituosas e segregacionistas.
      Trazer tona esses deplorveis e lamentveis acontecimentos no de bom alvitre, a meu ver.

  10. Senhores,

    Me opondo “sntese” do carssimo Francisco Bendl, “me alongo” abaixo. O assunto no igual, mas parecido:

    A IMPRENSA E O ENDEUSAMENTO DE BANDIDOS

    O endeusamento de bandidos (principalmente traficantes) pela imprensa no de hoje.
    Os mais velhos ainda devem se lembrar da minissrie noturna “Bandidos da Falange”, nos idos do assaltante Fernando da Gata, em que uma emissora procurava justificar as aes de bandidos, assaltantes e traficantes cariocas; a minissrie causava a simpatia e a admirao dos expectadores pelos traficantes, mesmo “sem querer, querendo”, e levava o expectador a torcer contra a polcia, mostrando os bandidos sempre como “vtimas sociais”, pessoas de carter e leais aos seus princpios, e as foras do Estado sempre “jogando sujo” contra eles, sempre lutando contra as vtimas da sociedade.

    Eu mesmo fui um que torci pelos bandidos. Coisa de adolescente, acho eu!
    triste lembrar, mas na ocasio um pai atirou na prpria filha (que havia se levantando durante a madrugada para beber gua, sem ligar a luz) pensando que a sua silhueta fosse o pilantra, foragido da polcia na ocasio.

    Naquela mesma emissora, no programa de final da noite de domingo, j foram ao ar vrias entrevistas que procuraram trocar a repulsa do cidado ao delinquente pela admirao: j foram entrevistados ladres de carros e pedido que mostrassem a destreza criminosa abrindo vrios veculos em poucos segundos; o bandido ficou “cheio da moral” com os colegas! Ser que no existiria nenhum especialista que levasse a vida honestamente (industrial, policial, chaveiro ou fabricante de fechaduras) para tomar o lugar de pessoa to desprezvel? Nesse mesmo programa, assaltantes tambm j ensinaram ao cidado-assaltado-vtima-presa como se comportar durante um assalto para no atrapalhar a ao ou assustar o facnora-assaltante-predador, para no despertar a sua ira.

    BANDIDO SEM CULPA
    Aqui vale prestar a ateno nestes pontos:
    Sempre que algum morre em um assalto ou estupro, a primeira coisa que se pergunta ao homicida se a vtima reagiu: se reagiu, tudo bem! Estar perdoada – e justificada – a covardia deste pelo crime to vil e ftil e os nimos e repulsa do narrador do telejornal contra o bandido estaro apagados! Mesmo que o verme esteja mentindo, a sua palavra ser considerada verdadeira diante do reprter e justificar a morte da caa. Nem mesmo uma mulher estuprada e morta far o reprter abrir mo da pergunta: “Ela reagiu?”
    Se a reportagem for sobre uma rebelio carcerria, obrigatoriamente o reprter relatar se estava faltando vaga na cela ou no presdio, mesmo que a causa da confuso tenha sido uma briga por um cigarro de maconha, uma tentativa de fuga ou um acerto de contas entre iguais! No importa: o nmero de vagas ser computado como atenuante para os criminosos e justificativa para os piores crimes!

    PALHAO
    Lembro, ainda, que um traficante foi estrela naquele programa para retardados mentais apresentado das tardes de domingo: acompanhado por uns engravatados, o traficante dizia-se arrependido (et: s se arrependeu depois que foi preso, depois que “a casa caiu”, como dito no jargo do crime; se no fosse isso at hoje estaria aterrorizando no pedao!) e que tinha como grande sonho de infncia trabalhar como palhao (certamente se fosse uma pessoa de bem, se pagasse os impostos regularmente sem nunca ter recebido nada em troca, j estaria levando essa vida!). Durante o programa, chorou feito mamoeiro lanhado. E com direito a close oftalmolgico do cinegrafista nas lgrimas que lhe banhavam o rosto! Realmente emocionante para os incautos!
    No final do programa conseguiu o emprego que queria em um circo. Fica a dica para quem estiver desempregado: para conseguir emprego no Brasil, nada como virar bandido antes!
    Fico aqui matutando comigo mesmo: porque ser nunca o programa foi ao circo para ver como o seu pupilo estava progredindo? Ou ser que foi e as notcias que encontrou l no estavam com o acordo com o “alinhamento filosfico” da emissora e no daria uma boa reportagem?

    Mas a coisa no fica s por a: Quem no se lembra da entrevista de capa com o ladro goiano Leonardo Pareja?
    Concedida a uma revista semanal, ele procurou mostrar aos leitores (e aos jovens) que a vida deve ser medida pela largura (das emoes sentidas) e no pelo comprimento, mesmo que a sua ao resulte em morte, sofrimento e perdas materiais para as vtimas dessas emoes destrutivas. Ele se transformou em estrela to rapidamente que foi assassinado na cadeia pelos amigos, ofuscados de inveja com tanto brilho! Reportagem muito educativa para os jovens desnorteados!

    E OS TRAFICANTES?
    E os apelidos simpticos e carinhosos e o respeito demonstrado pela mdia na simples meno do nome desses criminosos? Deixam a impresso que tentam identificar uma pessoa cruel, assassina, torturadora e sem princpios como se fosse um parente nosso, algum que “entraria pela nossa cozinha”, que tem a nossa simpatia e que tratamos com nomes carinhosos, geralmente no diminutivo: Escadinha, Fernandinho, Marcinho, Nem, Coelho, Lindo, Ronaldinho, Marcelinho, Fofo, Fabinho, e por a vai! Se o bandido tiver nome feio, no cai no gosto da mdia.

    EX-DROGADOS. SER MESMO?
    Outra coisa curiosa o holofote dado s ESTRELAS de TV e pessoas que vivem da imagem e que so SCIAS desses bandidos. Todos ganham espao na imprensa e se intitulam, orgulhosamente, “ex-viciadas”, mesmo que tenham acabado de dar uma tragada no banheiro do estdio! A simples meno da palavra “ex-viciado” j garante a participao dessas pessoas em algum programa de entrevistas e, quem sabe, at em alguma novela; ao enaltecerem as virtudes do vcio, os seus pecados estaro perdoados! Um belo exemplo a ser seguido – e admirado – pelos jovens imaturos e/ou psicologicamente desequilibrados!
    Mas o entrevistador, em momento algum, pergunta se ele faz ideia de quantas crianas morreram (e de quantas autoridades foram corrompidas) no percurso efetuado pela sua fonte de prazer, desde a sada da Colmbia/Bolvia/Paraguai, passando pelos morros e favelas at a chegada ao seu fashion apartamento ou casa de praia! Pegaria mal! Seria politicamente incorreto ou diminuiria a audincia!
    Nunca, em programa algum, um ex-viciado teve a coragem de se submeter a um exame de sangue que realmente comprovasse a sua abstinncia. O melhor exemplo disso est acontecendo agora, em So Paulo, da Haddadolndia. Depois de torrar milhes, o prefeito dever mostrar algum “ex-viciado” dizendo que se livrou do vcio por conta de roupa de cama lavada e de R$15,00 por dia de trabalho. Mas eu duvido que tenha coragem de pedir um exame de sangue que comprove a abstinncia do cidado. Ora, se roupa lavada curasse esse tipo de doena, no existiria drogado na classe mdia!

    A desgraa do pas onde vivemos hoje, transformado em uma priso com 200.000.000 de prisioneiros, no foi construda de um dia para a noite, fortuitamente. Esse caos foi planejado, minuciosamente, por bandidos ou por seus simpatizantes que atuam alojados nos governos e nos meios de comunicao, muitos destes propriedade dos primeiros. Simbiose.

    Abraos.

    (ET: em 1980 ocorreram 8.710 homicdios no Brasil, produzidos por arma de fogo – 7,3 para cada 100 mil habitantes. Em trinta anos de democracia (2010), esse nmero atingiu 38.982 mortos, um aumento de 346,5% – 20,4 para cada 100 mil habitantes. Em 2014 j estamos nos 50.000 mortos. Fonte: Portal Terra e Defesanet)

    • Oportuno comentrio, Francisco, que complementa o tema abordado.
      Quando percebemos que certas reas do Pas esto mal atendidas porque faz parte de um plano do PT.
      No somente omisso e irresponsabilidade, mas estratgia, ttica, para uma finalidade de seu interesse e convenincia.
      E quando esta elaborao requisita o ser humano e seu sacrifcio involuntrio, haja vista desconhecer as reais intenes do governo para com ele, ento est escancarado o carter do Partido dos Trabalhadores – que irnoia! -, simplesmente cnico, hipcrita, mentiroso, enganador e de traio Ptria e descaso pela vida do povo brasileiro!

  11. No sou racista e pedir desculpas no me ofende. Mas de qualquer forma, aos que no me entenderam, esclareo educadamente, no sou racista ,sou brasileiro e conheo bem minhas razes. No me importo se o CN quiser tirar meu comentrio. Na averdade ser at bom para evitar dvidas como a do Francisco, prefiro que no me associem ao racismo, coisa que abomino como homem do bem.

    • No tive dvidas do teu carter, Renato Lima, a ponto de te pedir a retirada de uma expresso que julguei inadequada, justamente pela possibilidade de interpretaes distorcidas.
      Se eu no te considerasses uma boa pessoa, que sei que s mesmo no te conhecendo pessoalmente, eu no teria feito a observao.
      Assim, deixa o teu comentrio como est, pois explicaste e justificaste plenamente o uso da frase ao seu final.
      Sabemos que tu no s racista, por favor, e continua na defesa daquilo que acreditas, pois s importante para este blog, indubitavelmente.
      Um abrao.

  12. Infelizmente a escravido ainda no acabou,o pas sobejamente racista,negar isso uma hipocrisia,sendo descendente de avs de raa negra no posso deixar de concordar com algumas pessoas que dizem claramente que o maior racista o prprio negro.Mesmo tendo posies contrrias ao Ministro Joaquim,no posso deixar de enaltecer a sua luta para chegar aonde chegou,nem a coragem de Lula que o nomeio.Porm convenhamos muito pouco para um judicirio com milhares de funcionrios.Tenho certeza que o pas tem uma grande dvida com negro ,porm jamais ser paga.A casta enraizada neste pas no deixar que o negro assuma o seu lugar,que a igualdade de oportunidades em todas as camadas da sociedade e no somente no futebol e samba.

  13. O que muitos acima querem no um presidente, mas sim um salvador da ptria.

    Com certeza no ira acabar bem.

    Ningum, ningum mesmo, chega a mais alta corte do pas simplesmente pelo seu notvel saber jurdico.

  14. A maioria esmagadora dos “jornalistas” nesse fim de mundo que o Brasil visivelmente esquerdinhas.
    Ento, normal esses ataques quele que condenou seus comparsas.
    Quem no leu o que santayana, mino c. , Jnio de f. e outros do tipo escreveram, tanto na grande imprensa como na pequena?

  15. Mauro Jlio Vieira:
    Saudaes. J afirmei aqui, vrias vezes , que voc, com todo respeito, merece os meus respeitos.
    No tenho a sua tenacidade para escrever diariamente, mas louvo a sua imensa fidelidade aos princpios, aos valores.
    Um homem que no tem a grandeza de cotejar os seus princpios, o seu iderio, e comparar com os fatos, um mendigo, um pobre.
    Este a grande misria dos socialistas, muitos so bem intencionados, mas no tm a grandeza de rever conceitos, de serem honestos intelectualmente.

  16. Senhores,importantes

    O que deu na Folha, vai dar por muito tempo. A finalidade a distrao. Com esta astcia deixam de comentar o mais importante. Os crimes cometidos pela oposio. E vo malhando o governo. Ponto pela inteligncia da oposio. Acredite se quiser, mas o Joaquim vai livr-los da cadeia.

  17. Inmeros sectrios petistas adoravam e exaltavam Joaquim Barbosa nas redes sociais, h alguns anos atrs. Lembro-me muito bem disso! Aquele episdio do nobre ministro num acalorado bate-boca com Gilmar Mendes foi ento replicado milhares de vezes, nas redes sociais, por membros daquela turma. Quem no se lembra?!

    Mas veio ento o julgamento do mensalo, do qual Joaquim Barbosa foi relator. E ocorreram as condenaes, no s de petistas, obviamente.

    Depois disso instalou-se um dio mortal Joaquim Barbosa, na cpula petista. Afinal o relator foi muito eficiente na conduo dos trabalhos do tal julgamento.

    E inconformada, a cpula petista passou a disseminar – feito um vrus – esse dio mortal (por Joaquim Barbosa) a seus milhares de sectrios seguidores, atravs da imprensa, de redes sociais, de blogs sustentados pelo PT ou pelo governo, e de outras formas diversas. E teve sucesso nessa disseminao! O vrus do dio se espalhou!

    Hoje h um verdadeiro exrcito de sectrios petistas rastreando cada passo do ministro do STF, bem como o seu passado. Sempre procura de algo – falso ou verdadeiro – para ser usado em tentativas de denegrir sua imagem. E usam principalmente a internet como eficiente ferramenta para tal objetivo.

    Porm ficam – por vezes – to alucinados de dio ao ministro, que chegam a tentar denegr-lo usando de atitudes baixssimas, com at mesmo manifestaes de opinies que contm colocaes com sutis caracteres de discriminao social e racial, ainda que de maneiras bem “veladas”, ou bem “camufladas”.

    Por exemplo: questionam o porqu de Joaquim Barbosa tratar de sua sade na Alemanha; o porqu de ele ter adquirido um apartamento em Miami; ou ento o porqu de ele frequentar Paris j desde algumas dcadas atrs.

    Afinal ele um cidado brasileiro sem quaisquer dbitos com a justia brasileira. Alm do mais, ele construiu sua carreira, na rea jurdica, com seus prprios meios e esforos. E chegou ao cargo de ministro do STF por indicao (consciente e bem fundamentada) do ento presidente Lula, na poca. Sendo assim, um brasileiro com todo o direito at mesmo para frequentar cidades do exterior. Por que no?

  18. Amigos do Blog,

    Este Blog no tem anunciantes nem patrocinadores. Para se manter, necessita de contribuies voluntrias, No podemos deixar que o Blog pare de ser publicado.

    Faa sua contribuio nas seguintes contas:

    1) Em qualquer (Loteca) Caixa Econmica Federal (104); Agncia -0211; Conta Corrente -323-4; Titular – Carlos Newton Leito de Azevedo. CPF 100101497-91,

    2) No Banco Ita; Agncia 6136, Conta Corrente 12318-6; Titular – Carlos Newton Leito de Azevedo. CPF 100101497-91.

    ESTE BLOG LIVRE. CONTRIBUA PARA MANT-LO LIVRE.

  19. E agora Joaquim Barbosa resolveu ser editor

    E eis que Joaquim Barbosa agora decidiu ser editor. Ou professor de jornalismo. Em Londres, ele diz que a mdia no devia dar tanto espao aos condenados do Mensalo.

    Melhor: nenhum espao. Eles deviam ser condenados ao ostracismo. Faz parte da pena, segundo ele.

    E a imprensa comete o crime de glorificao dos condenados.

    Todo mundo tem cabea complicada, mas JB excede. Glorificar juzes pode?

    Temos ento dois tipos de glorificao segundo JB. Um, dos magnficos magistrados, permitido. Outro, dos condenados, no.

    O caso parece patolgico quando se examina a mdia acusada por JB? Onde ele ter visto glorificao? Ora, os condenados so chamados continuamente pela mdia de mensaleiros, petralhas e coisas do gnero. JB, em compensao, o menino pobre que mudou o Brasil. JB consegue ver glorificao onde existe, na realidade, demonizao.

    Algum pode chamar um psiquiatra para nos ajudar a entender este paradoxo? E o paradoxo de algum que diz que no vai ficar de conversinha com um ru, como explic-lo?

    Pausa para rir.

    Se quer ser editor, Joaquim Barbosa podia aprender com o maior dos jornalistas, Joseph Pulitzer. Pulitzer inventou, na segunda metade do sculo 19, a primeira pgina, tal como a conhecemos, com manchete e notcias de destaque com hierarquia clara. Antes, a primeira pginas era um amontoado de informaes.

    Pulitzer tinha a seguinte divisa: jornalista no tem amigo.

    Ele sabia que a amizade corrompe o jornalista. Como voc pode escrever com iseno sobre um amigo? Uma vez ele viu um poltico de grande influncia na redao de seu jornal. Teve um acesso de fria.

    Foi uma divisa que tomei para mim em toda a minha carreira, e procurei pass-la a todas as pessoas que trabalharam comigo: jornalista no tem amigo.

    Assim como o jornalista, juiz tambm no pode ter amigo. Mas os nossos tm, sobretudo entre os jornalistas. Quando a mdia e a justia so amigas a vtima o interesse pblico, j que uma deveria fiscalizar a outra.

    A amiga Globo deu ao filho de JB um emprego. Que iseno se pode esperar de JB se um dia um caso da Globo for decidido por ele?

    Pior ainda: que exemplo ele d a jovens juzes?

    JB, j que decidiu posar de editor, poderia ler Pulitzer. Tarde demais? Sejamos orimistas, como Epicuro: nunca cedo demais nem tarde demais para aprendermos alguma coisa.

    Como editor, JB tem o mesmo esprito que o caracterizou como juiz. Aos poderosos dada voz, e eles podem (e devem) ser glorificados.

    Aos que esto por baixo, o ostracismo, o silncio. E a perseguio, e at o terrorismo moral, como se tem visto to bem no caso Genoino.

    Absoluta coerncia entre o JB juiz e o JB editor. Dirio do centro do mundo—Paulo Nogueira

    Rir da misria humana melhor que chorar, ensinou Montaigne. Ento riamos. Riamos como deve estar rindo Joo Paulo Cunha ao ver o tamanho do estrago que sua tirada sobre o rolezinho europeu de JB provocou numa das maiores vaidades da Repblica, um sabe tudo que agora entende que pode dar lio aos jornalistas.

  20. Qualquer que entrar na presidncia tem que negociar com os bandidos dos partidos para distribuir cargos e ai ele acaba no fazendo o que melhor para o Brasil. Infelizmente os cargos so polticos e os partidos quem colocam as pessoas desonestas nos lugares indicados por eles. Para receber a “volta” em grana para suas contas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.