José Roberto Arruda e Paulo Octávio se tornam réus em processo criminal

José Carlos Werneck

O juiz da 7ª Vara Criminal de Brasília, Atalá Correia, aceitou a denúncia feita pelo Ministério Público do Distrito Federal contra 19 acusados de envolvimento com um esquema investigado pela Operação Caixa de Pandora, no chamado Mensalão do DEM. Pela decisão do magistrado, o ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda e o ex-vice-governador Paulo Octávio, entre outros acusados, responderão a processos criminais.

Em sua decisão, Atalá Correia destacou: “A denúncia não é inepta. A peça acusatória apresenta a exposição do fato criminoso, com todas as suas circunstâncias, em descrição compreensível, bem como a qualificação dos acusados e os esclarecimentos pelos quais se possa identificá-los. Estão presentes, ainda, a classificação dos crimes e o rol das testemunhas. Não há que se falar de ausência de justa causa para o início da ação penal diante de lastro probatório minimamente coligido na fase inquisitorial”.

O esquema de corrupção foi desvendado quando a Polícia Federal deflagrou, em novembro de 2009, a operação Caixa de Pandora, para investigar o envolvimento de deputados distritais, integrantes do governo do Distrito Federal, além do então governador José Roberto Arruda e de seu vice, Paulo Octávio, que sempre negaram qualquer envolvimento com o suposto esquema de propina.

O ex-governador José Roberto Arruda chegou a ser preso, abandonou o DEM para evitar a expulsão e foi cassado pela Justiça Eleitoral. Seu vice Paulo Octávio renunciou ao cargo para defender-se das acusações.

5 thoughts on “José Roberto Arruda e Paulo Octávio se tornam réus em processo criminal

  1. O incrível dessa novela Arruda é o personagem negar o fato, a sua imagem em um vídeo….
    Igual a um outro corrupto embolsando a grana, quando no inquérito,na Polícia Federal. À luz das imagens, os artistas flagrados reagiram do mesmo modo insólito, na maior cara de pau: – Não! esse? não sou eu…
    De fato,a única diferença entre os dois casos é onde a grana ficou guardada.
    O primeiro, do Correios, a grana foi para o bolso do paletó. Arruda que também se faz de inocente, guardou a grana num saco. Chegou a ser preso, foi cassado e, agora, tentou voltar à política. A Justiça embargou. Agora, o MP garante que vão responder a outros processos criminais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *