José Serra: “Me preparei a vida toda para ser presidente”. Que se prepare agora para a segunda derrota e frustração. Pena que a única opção seja Dona Dilma

Com financiamento público de campanha, um candidato poderia aparecer na capa de uma revista nacional? (Embora ficando nas bancas cada vez mais tempo?). E além de fazer uma afirmação como essa, ainda surge com um decálogo que não identificaria nem o candidato a prefeito do município de Haraquiri.

Esses 10 itens que o ex-governador de São Paulo apresenta como alicerces dos seus palanques, são tão primários e primitivos, que não serão derrubados pelo cidadão-contribuinte-eleitor, pela razão muito simples e elementar, de que não existem.

Se José Serra cumprir isso que chama de decálogo, não terá executado o que podemos calcular como 0,00001 do que o país precisa, espera e necessita.

Esses pontos que Serra apresenta como cumprimento de idéias de um homem que “se preparou a vida inteira para ser presidente”, são ridículos, decepcionantes e até mesmo revoltantes.

Não quero repetir as tolices ou bobagens alinhavadas por ele, mas não posso deixar de me estarrecer com o que foi apresentado. No decálogo de José Serra, nenhuma ideia esperançosa, fica longe de projetos, compromissos, promessas. O que esperar de um homem que “se preparou a vida inteira para ser presidente”, e coloca como prioridade, GOVERNAR DESDE O PRIMEIRO DIA? Como ele não cumpriu o mandato de prefeito e de governador, deveria exigir de si mesmo o CUMPRIMENTO DO MANDATO inteiro.

Depois aparece com a idéia de que DEVE FORMAR UMA BOA EQUIPE? Ha!Ha!Ha! O que se espera de um presidente, que forme uma PÉSSIMA EQUIPE? O máximo de caminho que percorreu, não devia estar em nenhum mapa, ou melhor, deveria estar em todos: “GASTAR O DINHEIRO PÚBLICO COM AUSTERIDADE”. Isso é ÉTICA ou LAMENTO?

O resto é tão sem planejamento, tão sem profundidade, tão superficial, que deixo soterrado na mente e no coração do próprio José Serra. Nada fundamental para o desenvolvimento nacional. Os grandes problemas não mereceram um item sequer, nesses 10 que deixam ver e entrever a total incapacidade.

Infraestrutura, desenvolvimento, a rotina sempre abandonada de Educação, Saúde, Transporte, Habitação, até chegar aos grandes desafios da inflação, juros, e principalmente da DÍVIDA. Que a partir de janeiro de 201, precisará, no mínimo, no mínimo, de 200 BILHÕES ANUAIS, não para PAGÁ-LA e sim para AMORTIZÁ-LA.

Seu intimíssimo amigo FHC elevou esses juros a 44 por cento, transferiu para Lula em 25 por cento. Este deixará em 10 ou 11 por cento, também no mínimo.

***

PS – Que opção para o cidadão-contribuinte-eleitor. Tem que escolher entre a dona do PAC, que não saiu do papel, e o repetente de São Paulo, que não tem nada a oferecer para justificar o próprio papel.

PS2 – Em 2002 me fartei de dizer: “Serra não ganha agora e jamais será presidente”.

PS3 – Agora posso dizer o mesmo com a atualização do tempo: “Serra não ganha na segunda tentativa e jamais será presidente”.

PS4 – Podem me perguntar, já respondo antecipadamente que não sei quem será o presidente. Se são apenas dois candidatos, e não acredito em nenhum deles, o que acontecerá?

PS5 – Surgirá alguma coisa que não prevista ou presumível? Ou os fatos confirmarão que o risco é total para qualquer analista, não acreditar em dois candidatos quando são apenas dois.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *