Jucá desiste e retira a emenda que apresentara para blindar Eunício e Maia

Jucá e Eunício tiveram de fazer uma retirada estratégica

Deu na Veja

Menos de três horas após protocolar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 03/2017, que impede que membros da linha sucessória da Presidência da República sejam investigados por atos anteriores ao mandato, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) divulgou nota afirmando que vai retirar o projeto de tramitação. De acordo com a nota do líder do governo Temer no Congresso, a decisão foi tomada após pedido do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE). A proposta beneficiaria diretamente os presidentes do Senado e da Câmara, Eunício e Rodrigo Maia (DEM-RJ), que fazem parte da linha sucessória e, embora não sejam investigados, são citados na Operação Lava Jato.

Além disso, em acordo interno no PMDB, ficou definido que Jucá seria o próximo indicado à presidência do Senado – desta forma, ele também poderia se beneficiar da medida. Jucá é investigado em oito inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF).

No total, 29 senadores de nove partidos manifestaram apoio para que a PEC pudesse tramitar no Senado, todos da base do governo Temer. Após a divulgação do texto, entretanto, alguns senadores desistiram de apoiar o projeto e pediram a retirada de seus nomes da lista.

APOIO “DEMOCRÁTICO” – Metade da bancada do PSDB apoiou a PEC. Porém, após repercussão negativa do projeto, o partido divulgou uma nota em que afirma que os senadores não possuíam qualquer compromisso com o mérito da matéria e que assinaram o apoiaram de forma “democrática”, para permitir que o texto fosse discutido.

Eunício declarou que não tinha conhecimento da proposta do correligionário até ser protocolada na Mesa Diretora da Casa e afirmou que Jucá ficou “contrariado” com o seu apelo para desistir da proposta e. Durante a conversa, Jucá teria dito que não comunicou Eunício sobre a sua intenção de apresentar a proposta porque os senadores não têm obrigação de comunicar o presidente sobre esse tipo de iniciativa.

Questionado se a falta de apoio ao projeto teria colaborado para a desistência, já que pelo menos dois senadores pediram para retirar as assinaturas do documento após a repercussão negativa na imprensa, Eunício negou. Ele afirmou que Jucá estava, inclusive, reunindo as assinaturas de outros parlamentares. O presidente insistiu que a desistência ocorreu exclusivamente por causa do seu “apelo”.

LISTA DA ODEBRECHT – A tentativa de blindar os presidentes do Senado e Câmara ocorreu em seguida à homologação das delações de 77 executivos e ex-executivos da Odebrecht e na iminência de quebra de sigilo de parte das investigações. Maia aparece como ‘Botafogo” – referência ao time de futebol para o qual torce – na lista de pagamentos suspeitos a políticos pela Odebrecht. O nome e o apelido dele constam na delação feita pelo ex-diretor de relações institucionais da empreiteira Claudio Mello Filho.

Na mesma delação, Eunício aparece como “Índio”, também suspeito de recebimento de dinheiro ilegal. Maia também aparece em relatório da Polícia Federal suspeito de ter atuado a favor da OAS em projetos do Congresso e dela ter recebido R$ 1 milhão. Tanto Maia quanto Eunício negam irregularidades e dizem ter recebido apenas contribuições ilegais. (Com Estadão Conteúdo)

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
– Esse apelo de Eunício é conversa fiada e foi combinado com Jucá, para diminuir a vergonheira. Alguém acredita que Eunício não sabia que Jucá ia apresentar essa emenda? Só pode ser Piada do Ano. Como poderiam imaginar que uma proposta indecente como essa iria ser aceita e aprovada por três quintos do Congresso? O fato concreto é que a reação foi muito forte e dois senadores logo retiraram as assinaturas, inviabilizando a tramitação da emenda de Jucá (codinome: “Caju” na lista da Odebrecht). (C.N.)

32 thoughts on “Jucá desiste e retira a emenda que apresentara para blindar Eunício e Maia

  1. Os grandes ( só em tamanho ) partidos estão monitorando as redes sociais direto. Só fazem balões de ensaio , jogam o assunto no ar , se pegar muito mal retiram , ainda bem que a pretensa paternidade fica registrada…

  2. Na verdade, além de ladrões são COVARDES!

    Jucá não teve apoio porque os senadores sabem que retesaram a corda em demasia.

    Os olhos da imprensa nacional pousaram sobre a Casa do Ladrão, e de lá não sairá por muito tempo.

    Jucá, o inescrupuloso, tem conhecimento que, por mais atos escabrosos ou não, a imagem do parlamento não irá mudar, portanto, morto por ter cão, morto por não tê-lo, resultado:

    O negócio é meter o pé na jaca!

    Errou o pontapé poque lhe tiraram a fruta na hora do chute, mas o abjeto e deletério senador voltará à carga, trata-se de uma questão de tempo.

  3. De novo cometi outro engano (quando abordo o parlamento, escrevo com raiva, confesso):

    Segundo parágrafo, quando escrevo, ” e de lá não SAIRÁ … ”

    por favor, o correto é … SAIRÃO.

    Grato pela compreensão e meu perdão, ao mesmo tempo.

  4. — 44% acham que Temer é contra a Lava Jato;

    — 26,4% acham que Temer apoia a Lava Jato;

    — 23,9% acham que Temer “não apoia, nem é contra” contra a Lava Jato.

    Como ainda tem inocentes…

  5. O honorable senador deveria ter ao menos desconfiado que a trapaça era muito sórdida para passar despercebida. Mas é a esse ponto que chegamos pela inação do STF: o corrupto é denunciado, mas o processo dorme por anos na gaveta lustrosa do excelência togado – e muito bem pago. Ao STF cabe, portanto, a responsabilidade final pelo abuso que assistimos constantemente – os cães permanecem soltos sem leash e sem medo por causa de uma dezena de inúteis.

  6. O Brasil está completamente dominado por políticos bandidos, cuja única missão é enganar, trapacear e roubar.

    Esbofeteiam diariamente o povo brasileiro.

    O STF, conivente, covarde, é o maior responsável por esta situação vergonhosa e absurda, ao permitir que estes canalhas, vampiros, apátridas, continuem a comandar em proveito próprio, nosso país, enquanto o povo sofre aos milhões.

    Quando o povo molenga vai reagir?

  7. Além de querer proteger Maia (Botafogo) e Eunício (Índio), Jucá (Caju) já se protegia por antecipação, pois está sacramentado que daqui a 2 anos ele será o presidente do Senado. Esperemos que até lá já tenha sido processado, condenado e preso. Até no Parlamento brasileiro bandidagem tem limite.

  8. Vai que cola…Esses caras tem um arsenal ilimitado de canalhice. “Eita” povinho ignorante e acomodado esse nosso. Talvez essa acomodação seja fruto da ignorância dá maioria. Não é a toa que a maioria das redações do ENEN tem resultados pífios. Ensinar ideologias é mais importante do que educar a população acerca de seus direitos e deveres.. É isto não é teoria da conspiração…..

  9. Jucá sabia: “quem não arrisca não petisca “.;
    Tentou. Poderia passar. Se fosse numa sessão da madrugada, melhor ainda.

    A cada episódio destes, mais me sinto resignado com a certeza de fazer parte de um povinho de terceira categoria.

    Conversei com várias pessoas. A cada explicação ou posição lembrava do meu “pé de cabra”.

    Talvez seja a ferramenta melhor, no caso de conserto de cérebro.
    Tento explicar, duas, tres vezes e desenhar. Mesmo assim alguns não entendem e até não se preocupam.

    Também estou concluindo que vivo num local ruim, cercado de gente tacanha.

    Vez por outra, alguem que entendeu diz que começou a prestar mais a atenção.

    Seria bom, muito bom que descobrissem vacina contra imbecilidade!
    Fallavena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *