Juiz suspende a nomeação/blindagem de Moreira Franco e a AGU vai recorrer

Blindagem de Moreira se tornou uma disputa jurídica

Carolina Brígido
O Globo

O juiz Eduardo Rocha Penteado, da 14ª Vara Federal de Brasília, suspendeu, por decisão liminar, a nomeação de Moreira Franco para o cargo de ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República. Ao decidir, o magistrado ressaltou que Moreira Franco foi mencionado na delação premiada da Odebrecht, que foi homologada três dias antes da nomeação. A informação foi antecipada pelo blog Lauro Jardim no site do GLOBO. A Advocacia Geral da União informou que vai recorrer o mais “rápido possível” da liminar.

Para o juiz, a posse de Moreira Franco ocorreu apenas para dar foro privilegiado a um possível investigado. Se houver pedido de abertura de inquérito contra o ministro, ele não será investigado na primeira instância do Judiciário, mas no Supremo Tribunal Federal (STF), por conta do foro privilegiado.

“Com efeito, o princípio republicano estabelece os próprios contornos da governabilidade presidencial e, ao fazê-lo, não convive, por menor que seja o espaço de tempo, com o apoderamento de instituições públicas para finalidades que se chocam com o padrão objetivo de moralidade socialmente esperado dos governantes”, escreveu Rocha Penteado.

DECISÃO ANTERIOR – O juiz citou decisão do ano passado do ministro Gilmar Mendes, do STF, que suspendeu a validade da nomeação de Luiz Inácio Lula da Silva para o cargo de ministro da Casa Civil. Para o ministro, o ato serviu apenas para dar foro privilegiado a Lula, que é investigado Na Lava-Jato.

Para o juiz, ao cancelar a nomeação, o Judiciário não está interferindo em atribuições do Executivo. “É importante destacar que o referido precedente simboliza o reconhecimento pelo Supremo Tribunal Federal de que o afastamento de Ministro de Estado nomeado diante de tais circunstâncias não representa, sob as lentes da separação dos poderes, interferência indevida do Judiciário sobre o Executivo”, escreveu.

A decisão, que foi tomada a pedido de três cidadãos comuns, pode ser ainda questionada no Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região. Existem duas ações no STF, ajuizadas pelo Psol e pela Rede, questionando a nomeação de Moreira Franco.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGÉ o que dá agir por subterfúgios. Agora foi criada uma disputa jurídica que vai acabar no Supremo e Gilmar Mendes, que se diz amigo de Temer há mais de 30 anos, não vai se declarar impedido. E ninguém vai levantar a suspeição de Gilmar, que tranquilamente vai mudar o voto e aprovar a nomeação de Moreira Franco. (C.N.)

17 thoughts on “Juiz suspende a nomeação/blindagem de Moreira Franco e a AGU vai recorrer

  1. E ninguém vai levantar a suspeição de Gilmar, que tranquilamente vai mudar o voto e aprovar a nomeação de Moreira Franco. (C.N.)

    Antes não podia, agora pode…
    E Viva a Constituição Cidadã da Dona janaina….
    Ora pois

  2. A Advocacia-Geral da União (AGU) é a instituição responsável pela representação, fiscalização e controle jurídicos da União e da República Federativa do Brasil, bem como pela proteção do patrimônio público contra terceiros ou contra os ocupantes do Governo e mais.
    Bem, não entendo bem porque a AGU tem que defender Moreira Franco, é coisa de louco este país.

  3. Concordo plenamente com a decisão liminar do juiz federal. Entretanto, uma única decisão monocrática liminar, em sede de mandado de segurança, não pode ser considerada jurisprudência, a qual é composta por um conjunto expressivo de decisões judiciais reiteradamente adotadas num determinado sentido. Como consequência disso, os Tribunais Superiores editam as Súmulas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *