Juristas da CPI preparam-se para apontar os crimes de Bolsonaro e dos outros envolvidos

Salo de Carvalho é o coordenador do grupo de juristas

Julia Affonso
Estadão

Convidados pela CPI da Covid para apresentar um estudo sobre crimes que podem ser imputados ao presidente Jair Bolsonaro por ações e omissões no combate à pandemia da covid-19, um grupo de juristas e pesquisadores se reuniu pela primeira vez nesta sexta-feira, 11, para estabelecer diretrizes de trabalho. O requerimento que possibilitou a criação desse núcleo foi aprovada pela CPI.

O professor adjunto de Direito Penal Salo de Carvalho, da Faculdade Nacional de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), vai liderar o grupo. Além dele, os outros juristas farão parte do time são os seguintes:

DAVI TANGERINO, professor de direito penal dos cursos de graduação da Faculdade de Direito da Fundação Getúlio Vargas em São Paulo (FGV Direito SP) e de graduação e pós-graduação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj)

SYLVIA STEINER, que atuou como juíza do Tribunal Penal Internacional de 2003 e 2016, além de ter sido desembargadora do Tribunal Regional Federal da 3.ª Região (TRF-3)

HELENA LOBO DA COSTA, advogada e professora livre-docente da Faculdade de Direito da USP

ANDRÉ NASCIMENTO, advogado e mestre em Ciências Penais

NILO BATISTA, professor Titular de Direito Penal da Universidade do Estado do Rio de Janeiro

DOCUMENTOS – O grupo vai se debruçar sobre documentos – atos administrativos e normativos do Ministério da Saúde e do governo, em geral – emitidos durante a pandemia. A previsão é de que haja encontros semanais e, ao final dos trabalhos, seja produzido um relatório para a CPI.

O requerimento que possibilitou a criação desse núcleo foi apresentado pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que é delegado de Polícia. “Precisamos de uma avaliação jurídica mais aprofundada sobre o enquadramento típico da conduta do presidente da República”, afirmou Vieira. “Até tenho minha opinião sobre os tipos legais que se aplicam, mas é oportuno buscar um respaldo maior”.

PROVAS SUFICIENTES – No começo do mês, a cúpula da CPI da Covid já avaliava ter provas suficientes de que o governo Bolsonaro não quis comprar vacinas para combater o novo coronavírus.

Em entrevista ao Estadão/Brodcast Político, o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), disse que, com pouco mais de 30 dias de funcionamento, o colegiado havia conseguido reunir evidências de que Bolsonaro seguia orientações de um “gabinete paralelo” ao Ministério da Saúde, agindo de forma “deliberada” para atrasar a compra dos imunizantes.

Na avaliação do senador, as ações de Bolsonaro  contrárias ao isolamento social e ao uso de máscara de proteção mostram que ele apostava na imunidade de rebanho e no tratamento precoce com medicamentos sem eficácia comprovada, como a cloroquina.

5 thoughts on “Juristas da CPI preparam-se para apontar os crimes de Bolsonaro e dos outros envolvidos

  1. Se alguém recorresse a um desses charlatães, dados a realizarem regressão a vidas passadas, e solicitasse a ele para verificar quem foi Jair Bolsonaro, na sua sucessão reencarnatória, certamente, o “paranormal” diria que o nosso presidente, em algum estágio, teria sido médico; talvez Joseph Mengele.
    A sua vocação para medicar não fica evidente, somente, na imposição da Cloroquina a uma nação inteira, mas em seus Projetos de governo que se resumem em apenas um: Plano Sagital; tem tudo a ver com anatomia humana, porque é esta que lhe interessa.
    Plano Sagital é a linha vertical que divide o corpo em dois segmentos: Direita e Esqueda.
    Na visão segregacionista de Bolsonaro, quem estiver à Direita, seja o diabo; este terá as benesses paradisíacas, que a Máquina Pública pode propiciar. Ao passo que, aqueles que se posicionarem à Esquerda de senhor Rei, esses serão demonizados e perseguidos por todos os instrumentos do Estado e mais a língua cancerígena do Capetão.

  2. Não votei no Capetão porém todas as acusações são subjetivas. Qualquer pretensão em transformar os comportamentos (péssimos) do presidente será um tentativa de golpe exatamente como fizeram com a Dilma qdo criaram uma palavra (pedalada fiscal) e atribuirão à está palavra mágica crimes horrendos!
    Gostemos ou não Bolsonaro tem um mandato e para se falar em crime não basta a opinião ou o convencimento. Precisa haver um fato, uma prova.

  3. A VERDADE SOBRE A PANDEMIA:

    Um cientista chamado Shiva Ayyardurai, que tem quatro PHDs e ficou mundialmente famoso por ter inventado o e-mail, resumiu todo o big esquema de interesses de poder por trás da pandemia global e o mega-negócio da vacinação – sua suposta solução midiaticamente vendida por uma pseudo-ciência (fake-Science). Ayyardurai chama atenção para o ataque frontal à liberdade individual com a imposição de gigantescas campanhas de vacinação e obrigação legal, legislativamente aprovada, de passaportes compulsórios para os vacinados – marginalizando quem não for ou não quiser ser. O Covidão e outros que já vieram ou virão são business e instrumento direto de controle do cidadão.

    Dr Ayyardurai denuncia e resume que a Big-Pharma (a indústria farmacêutica transnacional) foca seus lucros de trilhões de dólares na venda de vacinas e terapias com células para um público-alvo de 7,2 bilhões de habitantes do Planeta Terra. O cientista de verdade ressalta que tais negócios não precisam passar por um processo rigoroso de regulação. Todo o esquema é alimentado e sustentado por subvenções públicas obtidas pelas poderosas fundações Clinton Global Initiative, Bill & Melinda Gates e CDC, em parceria com a indústria médica-farmacêutica e organismos multilaterais como a OMS, ONU e Unicef. Todos se escondem atrás da tal “Aliança pelas Vacinas”. O Banco Mundial e outras instituições financeiras multilaterais bancam tais “empreendimentos” falsamente científicos.

    Dr. Shiva Ayyardurai destaca que tudo é coordenado por um consórcio transnacional liderado pelo IFPM (A Federação Internacional de Fabricantes Farmacêuticos). Suas empresas líderes são a Eli Lily, Shionigi e Roche. Eles patrocinam movimentos globais de marketing para que, todo ano, tenha uma demanda mundial por vacinas. Ayyardurai sustenta que a pandemia é um movimento orquestrado que nega outras formas consagradas de tratamento médico. A novidade da atual “fraudemia” é obrigar as pessoas, por imposição legal e pressão psicológica, a tomar vacinas e ostentar, se quiser manter “direitos básicos”, seus “Passaportes de Vacina”. Apenas por exemplo, o corrupto e idiotizado Senado brasileiro acaba de aprovar tal modelo, a toque de caixa e sem debates aprofundados com a sociedade. “Passaporte da Imunidade” é uma sacanagem! Triste e lamentável é ter gente no governo Bolsonaro apoiando tal sandice globalitária…

    O cientista Shiva Ayyardurai reclama que a imposição de regras de isolamento social e lockdowns afetam a saúde humana de maneira mais negativa que o coronavírus e desgraças semelhantes. Ayyardurai avalia que a ordem geral e autoritária do “fique em casa isolado”, além de fomentar infecção viral, também tem causado e agravado a incidência de câncer, doenças cardíacas, psicológicas e psiquiátricas, sobretudo a perigosa depressão. Dr Ayyardurai cita estudos do cientista Steven Cole comprovando que o isolamento social produz inflamações genéticas capazes de suprimir genes que atuam de modo anti-viral. Assim, ele conclui que isolamento social causa câncer e inúmeras outras doenças.

    Por isso, o tetra-PHD prega debate científico real, e não consenso pseudo-científico forçado. Segundo ele, o que sofremos hoje é puro “fascismo”, em um consenso científico que conduz à ficção e não à verdade objetiva dos fatos. Shiva Ayyardurai condena os manipuladores que aproveitam o caos da pandemia e promovem bem articuladas campanhas comerciais para posar de benfeitores e “salvadores do mundo”. O cientista chama atenção que os organizadores do caos ficam com boa imagem, dinheiro e o controle sobre a política. Enquanto isso, os indivíduos são submetidos a um processo de despersonalização, com medicina compulsória, via vacinação.

    A mensagem fundamental de Shiva Ayyardurai é que devemos resistir contra o Sistema e lutar pela Liberdade. Segundo ele, os inimigos precisam ser eliminados e obliterados, pois o que fazem é destruir a humanidade de maneira insana. O especialista chama atenção para o perigo do autoritarismo e abuso de poder estatal que nos obriga a tomar um medicamento diretamente em nossa veia. Ayyardurai insiste que pe preciso impedir que se consolidem “versões do Partido Comunista Chinês”, da medicina estatal por decreto, da classe acadêmica e da mídia controladas pelo mesmo esquema estatal. Todo esse esquema vai negar o que realmente seja a verdade.

    Resumindo o raciocínio de Shiva Ayyardurai, do prestigiado MIT: “A saída é ir para cima deles. Tem de ser um movimento de baixo para cima, da base até o topo. Não precisa agir com violência, mas com determinação. Este é o meu corpo e eu vou decidir o que vai pra dentro dele. O sol é um veículo maravilhoso que produz vitamina D e proteínas catalisadoras. Devemos consumir vegetais frescos sem pesticidas. Ar limpo, água pura, comida limpa. Se você olhar para a história das doenças infecciosas, se queremos realmente resolvê-las, não será através de vacinas ou intervenções médicas, mas através de infraestrutura, vitamina A, nutrição, saneamento, refrigeração, eliminação de trabalho infantil. A questão é de liberdade ou escravidão em nosso destino como seres humanos.

    J.SERRÃO

  4. Não entendo como alguém tem uma capacidade ridícula, idiota e imbecil, de publicar textos sem qualquer vínculo com a realidade!

    Como que postam um conjunto de tolices tão grande, se o povo – mais de 120 milhões de brasileiros – não tem acesso ao que seria “ideal” para combater a pandemia sem a vacina??!!

    “Não precisa agir com violência, mas com determinação. Este é o meu corpo e eu vou decidir o que vai pra dentro dele. O sol é um veículo maravilhoso que produz vitamina D e proteínas catalisadoras. Devemos consumir vegetais frescos sem pesticidas. Ar limpo, água pura, comida limpa. Se você olhar para a história das doenças infecciosas, se queremos realmente resolvê-las, não será através de vacinas ou intervenções médicas, mas através de infraestrutura, vitamina A, nutrição, saneamento, refrigeração, eliminação de trabalho infantil. A questão é de liberdade ou escravidão em nosso destino como seres humanos.”

    Desde quando que o brasileiro tem condições de consumir “vegetais frescos sem pesticidas. Ar limpo, água pura, comida limpa???!!!

    Sinceramente, mas só mesmo muito alienado ou mente fértil e ficcional para escrever esses disparates.
    Quer dizer que, esses 490 mil mortos que registramos vítimas da pandemia, morreram por que não comiam direito e não se expunham ao sol??!!

    Quase 4 milhões de mortos no mundo – 3.900.000 atualmente -, seus óbitos também foram por falta de comida saudável e não tomarem banho de sol??!!

    Quanta maluquice, meu Deus!
    E o cara ainda se diz dono de 4 PHD??!!

    Então devo ter mais de 32!!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *