Justia Eleitoral manda periciar urna que no computou votos

Andr Richter
Agncia Brasil

O Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC) decidiu periciar uma urna eletrnica usada no primeiro turno no municpio de Iara, aps o equipamento no computar 287 votos. Se os votos forem recuperados, o resultado da eleio para a Assembleia Legislativa do estado ser alterado.

O candidato Adilor Guglielmi (PSDB) poder entrar na vaga de Vicente Augusto Caropreso (PSDB), eleito com diferena de 38 votos. A percia ser feita em uma audincia pblica prevista para o dia 5 de novembro.

A falha tcnica foi detectada pela Justia Eleitoral no dia 5 de outubro, primeiro turno das eleies. Segundo o TRE, aps vrias tentativas, os votos no foram contabilizados. A tentativa de recuperar os votos ser feita durante a audincia pblica, por meio de um aplicativo de auditoria.

Se os tcnicos no conseguirem reativar os dados, o caso ser enviado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Somente o tribunal poder fazer a decriptografia dos votos, se considerar necessrio.

11 thoughts on “Justia Eleitoral manda periciar urna que no computou votos

  1. Por mim essa urna pode at usar criptografia quntica para garantir a segurana dos dados, mas se um cidado comum, sem nenhum conhecimento especial de informtica, no tem condies nem mesmo em princpo de verificar os votos, esse sistema inconstitucional.

  2. Mais cedo ou mais tarde o Brasil vai adotar o papelzinho impresso para as urnas eletrnicas. Como o Brizola foi o primeiro a recomendar o comprovante impresso, sugiro batizar o citado papelzinho com o nome de Brizolinha. O Leonel merece !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  3. medida que cada novo escroque vai-se sucedendo, fica mais patente e irrefutvel a constatao de que, no Brasil, o que no presta mesmo uma maioria da populao, em torno de 53%. Os polticos so apenas ervas daninhas adubados por essa parcela de estrume social.
    Ora, futilmente, muito se debate o financiamento pblico das campanhas eleitorais. Para que tamanho lengalenga, se o finaciamento pblico de campanha j est em voga: o famigerado Bolsa Famlia. Por enquanto, trata-se de um privilgio que s comtempla o PT. Dinheiro pblico arrancado do otrio produtivo (fica subentendido, o trabalhdor), para enfiar no fiof de sanguessugas inteis, em forma de aliciamento eleitoreiro. Na recm-realizada eleio, esse pacto silecioso, entre a galera do Bolsa Famlia e o Partido dos Trabalhadores, mostrou eficcia: membros petistas poderiam roubar vontade, em troca do Bolsa Famlia, contariam com a cumplicidade e o perdo do eleitotado “bolsista”. E assim aconrteceu! Afin, nis non condena o pulico qui rba, mi aquele cabra qui rba e non sorta um mucadn-u pra nis. Visse Seu minhino? Ps intonce, oxent, meu rei!

  4. As urnas eletrnicas brasileiras so uma aberrao… valem menos que um jogo de loteria…

    A garantia para os resultados das eleies, fica e morre com o apangio dos excelentssimos doutores do Supremo Tribunal Eleitoral, do seu DOM de proclamarem os vencedores.

    Na loteria, para receber o seu prmio entre milhes de apostadores, o cidado s bota a mo no prmio, se tiver o comprovante do jogo jogado.

    Sem maiores delongas, ao inverso de um jogo de loteria, o VOTO dos brasileiros nessa urna um faz-de-conta, que s prolonga personagens de uma DEMOCRADURA, que precisa ser extirpada do nosso processo eleitoral, e da Nao.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.