Justiça nega pedido de Dilma para censurar a Veja

Gabriel Castro

Veja

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou nesta sexta-feira um pedido da campanha da presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) para censurar a reportagem de VEJA desta semana na qual o doleiro Alberto Youssef, pivô do megaesquema de lavagem de dinheiro desmontado pela Polícia Federal, afirma que Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sabiam dos desvios na Petrobras.

O pedido da coligação de Dilma para retirar a publicação do site de VEJA do ar e do perfil da revista no Facebook foi protocolado pelo PT nesta sexta-feira, sob o argumento de que a publicação desrespeita a legislação eleitoral. Mas o ministro Admar Gonzaga negou o pedido.

A lei citada pelo PT para tentar censurar VEJA é fruto da minirreforma eleitoral, mas não tem efeito sobre as eleições de 2014 porque entrou em vigor menos de um ano antes do pleito. “O dispositivo invocado para a suspensão da veiculação (§ 3º do art. 57-D da Lei nº 9.504/1997), consoante entendimento deste Tribunal Superior (Consulta nº 1000-75), não tem eficácia para o pleito de 2014”, afirmou o ministro.

11 thoughts on “Justiça nega pedido de Dilma para censurar a Veja

  1. Mentira ! É Filippi e não Felipe !
    • O doleiro preso disse que as provas desses e de outros pagamentos estão guardadas em um
    arquivo com mais de 10 000 notas fiscais que serão apresentadas por ele como evidências. Nesse
    tesouro do crime organizado, segundo Youssef, está a prova de uma das revelações mais
    extraordinárias prometidas por ele, sobre a qual já falou aos investigadores: o número das contas
    secretas do PT que ele operava em nome do partido em paraísos fiscais. Youssef se comprometeu
    a dar à PF a localização, o número e os valores das operações que teria feito por instrução da
    cúpula do PT.
    • Youssef dirá que um integrante da coor denação da campanha presidencial do PT que ele
    conhecia pelo nome de “Felipe” lhe telefonou para marcar um encontro pessoal e adiantou o
    assunto: repatriar 20 milhões de reais que seriam usados na cam panha presidencial de Dilma
    Rousseff. Depois de verificar a origem do telefonema, Youssef marcou o encontro que nunca se
    concretizou por ele ter se tornado hóspede da Polícia Federal em Curitiba.

  2. Dessa vez o bicho pegou nos criminosos.
    Todos os envolvidos desse caso da Petrobrás.
    Os dois criminosos que aceitaram a delação premiada sabem o que ocorreu com Marcos Valério .
    Por essa e outras a saída deles é contar a verdade e a verdade inclui Lula e Dilma.
    Inexoravelmente.

  3. Eu acho que a veja deveria ser fechada.,não me venham com essa história de liberdade de imprensa,aqueles jornalistas da revista são rancorosos,asquerosos e acima de tudo parciais.O ato que eles cometeram independente de que partido foi sem dúvida foi um ato que não conduz com a liberdade de imprensa nem com a democracia.

  4. Senhores,
    Por favor… admitam que se não houvesse a liberdade de imprensa, veículos de comunicação de massa, independentes, como a VEJA, da Editora Abril, com jornalismo investigativo de primeira linha, comprovado em toda sua história, não estaríamos conhecendo a metade dos malfeitos até agora praticados pelo Partido dos Trabalhadores.
    Sem a imprensa livre, o que poderia restar, seria exatamente o que estamos vendo até agora, o governo federal gastando montanhas de dinheiro em publicidade para calar a boca de jornais e televisões, e os jornalistas amestrados, que noticiem e digam o que o PT afirma ser sua verdade.
    Para os excessos, casos a serem entendidos como crimes de difamação ou calúnia, existe o Poder Judiciário, organismo indicado para apreciar e decidir sobre esse tipo de conflito.
    Inclusive, sobre o caso específico desta edição da VEJA, o STE não abrigou o recurso dos estampados e denunciados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *