Justiça prorroga investigação contra hackers para concluir análise do material apreendido

Charge do Adnael (humorpolitico.com.br)

Isabela Camargo
G1 / Globo News

A Justiça Federal de Brasília atendeu a um pedido da Polícia Federal e prorrogou por mais 90 dias o inquérito que investiga a invasão de celulares de diversas autoridades. Com a prorrogação, o prazo para a conclusão do inquérito foi estendido até janeiro de 2020.

Segundo integrantes da PF, a prorrogação do prazo é necessária para os agentes analisarem todo o material apreendido na primeira fase da Operação Spoofing, deflagrada em julho. Esta é a segunda vez que o prazo é prorrogado. Quando a operação foi deflagrada, a Polícia Federal prendeu quatro pessoas por suspeita de envolvimento na invasão dos celulares.

ACESSO A ARQUIVOS – Um dos presos, Walter Delgatti Neto, disse em depoimento ter acessado arquivos do procurador Deltan Dallagnol e repassado o material ao jornalista Glenn Greenwald sem edição e sem remuneração. Segundo a Polícia Federal, o grupo pode ter acessado os celulares de cerca de mil pessoas.

Três investigados na primeira etapa continuam presos: Walter Delgatti Neto, Gustavo Santos e Danilo Marques. Suelem de Oliveira, mulher de Gustavo Santos, foi solta no início deste mês por decisão do Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF-1). Os investigados podem responder por organização criminosa, interceptação telefônica ilegal e invasão de dispositivo eletrônico.

Outras duas pessoas foram presas na segunda etapa da investigação, em setembro. Os dois presos, Thiago Eliezer Martins dos Santos e Luiz Molição, foram interrogados novamente nesta semana.

2 thoughts on “Justiça prorroga investigação contra hackers para concluir análise do material apreendido

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *