Justificativa da priso foi Joesley e Saud terem omitido informaes, diz Fachin

Resultado de imagem para fachin

Fachin aceitou a tese da omisso de informaes

Deu no G1, Braslia

O ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou na deciso ter decretado a priso do empresrio Joesley Batista e do diretor da J&F Ricardo Saud porque, segundo ele, os dois omitiram informaes que eram obrigados a prestar no acordo de delao premiada. No mesmo despacho, o magistrado destacou que as omisses dos delatores acarretaram na suspenso provisria de parte dos benefcios previstos na colaborao premiada, que garantiu imunidade penal aos executivos da J&F.

Fachin destacou ainda que h elementos de que Joesley e Saud poderiam, em liberdade, esconder ou eliminar parte das provas que eles haviam se comprometido a entregar s autoridades em troca de no serem presos nem mesmo denunciados pelo Ministrio Pblico.

SUSPENSO DOS BENEFCIOS – De acordo com o relator da Lava Jato, tudo indica que os delatores entregaram as provas De forma parcial e seletiva. Cabvel, portanto, nos termos pleiteados pelo MPF, a parcial suspenso cautelar da eficcia dos benefcios acordados entre o Procurador-Geral da Repblica e os colaboradores, afirmou Edson Fachin.

Ao justificar a deciso de prender Joesley e Saud, Fachin afirma tambm que os dois integram uma organizao voltada prtica sistemtica de delitos contra a administrao pblica e lavagem de dinheiro.

Fachin retirou neste domingo (10) o sigilo do despacho que autorizou a priso temporria de Joesley e Saud. A deciso foi tomada a partir do pedido de priso apresentado, na ltima sexta (8), pelo procurador-geral da Repblica, Rodrigo Janot.

O CASO DE MILLER – Ao encaminhar o pedido de priso de Joesley e Saud, a Procuradoria-Geral da Repblica tambm havia solicitado a priso do ex-procurador Marcello Miller. No documento divulgado neste domingo, Fachin justificou o motivo de ter negado o pedido de priso do ex-procurador da Repblica. Segundo o ministro, no so “consistentes” os indcios de que Miller tenha sido “cooptado” por organizao criminosa.

Fachin retirou neste domingo (dia 10) o sigilo do despacho que autorizou a priso temporria de Joesley e Saud. A deciso foi tomada a partir do pedido de priso apresentado, na ltima sexta (dia 8), pelo procurador-geral da Repblica, Rodrigo Janot.

O despacho de Fachin traz os argumentos apresentados por Rodrigo Janot para embasar o pedido de priso. O procurador-geral da Repblica afirma que a omisso da ajuda prestada por Marcelo Miller aos delatores motivo para resciso do acordo de delao.

ARGUMENTOS DE JANOT – A priso, justificou Janot, medida que se impe a averiguar de forma mais segura possveis omisses de informaes relativas a crimes conhecidos pelos colaboradores e sonegadas quando da formalizao da avena, bem como subministrar meios para que se possa decidir sobre a resciso dos acordos.

H indcios de m-f por parte dos colaboradores ao deixarem de narrar, no momento da celebrao do acordo, que estavam sendo orientados por Marcello Miller, que ainda estava no exerccio do cargo, a respeito de como proceder quando das negociaes, inclusive no que diz respeito a auxlio prestado para manipular fatos e provas, filtrar informaes e ajustar depoimentos, descreveu o procurador-geral.

Para a PGR, levando em conta a gravao da conversa entre Joesley e Saud, a atitude de Marcello Miller, se enquadraria nos crimes de participao em organizao criminosa, obstruo s investigaes e explorao de prestgio.

###
NOTA DA REDAO DO BLOGA deciso de Fachin fala apenas em “suspenso temporria dos benefcios”, para justificar as prises, tambm temporrias. Em termos jurdicos, procurador e relator fizeram uma salada mista to confusa que ningum consegue saber os ingredientes. Os estudantes de Direito devem estar perplexos, porque uma coisa contradiz e a outra e fica tudo por isso mesmo, como se dizia antigamente. (C.N.)

8 thoughts on “Justificativa da priso foi Joesley e Saud terem omitido informaes, diz Fachin

  1. ACREDITE SE QUISER, Meirelle$, guru do Lula e do Temer, FHC e CIA, o maior 171, travestido de poltico, que j surgiu na repblica 171 do partidarismo-eleitoral, do golpismo-ditatorial e dos seus tentculos, velhaco$. Levou no bico at mesmo as foras armadas, ao que parece, mortas para a realidade das coisas, dos fatos, da verdade, do bom senso, da Justia e do bem comum. o que mais faturou at hoje, em tudo e por tudo. E, no obstante tudo, agora, usando mequetrefes sem discernimento pleno dos fatos ou sem corao, socando o ferro pra valer na populao, inclusive asfixiando-a financeiramente, elle est tentando unir o til ao agradvel, para elle, claro, enchendo as burra$ da sua trupe de banqueiros, agiotas, empresrios bandidos e afins, como nunca antes visto na histria deste pas com os juros mais bandidos da histria do planeta durante anos consecutivos, e, de quebra, apostando na quinta ressurreio do R$ com vistas s prximas eleies em 2018. Porm, com uma insensibilidade humana tpica de psicopatas ataca de avestruz, finge que no v que, desta feita, a populao que j foi levada loucura face a tantos desatinos polticos e econmicos, agora j est quase morta, no aguenta mais um novo 171 eleitoral em 2018. Alis, nas condies que ai esto impostas pela economia e poltica dementes a populao talvez no consiga nem mesmo chegar a 2018, acuada por impostos, taxas, tarifas, alugueis, esquemas, contas, credores implacveis, e juros bandidos, impagveis at mesmo mediante a velha forao de barra do $istema falido podre que, com o estado e o mercado manipulados por bandidos, na verdade, caminha no sentido da gerao do maior genocdio j visto em terras luso-tupiniquins. E eu sei do que estou falando, pois fui eu que sugeri a FHC, ento ministro da fazenda de Itamar, o plano da moeda forte, que deveria ser usada apenas como um meio para se conseguir algum flego para que pudssemos chegar um gran finale que deveria ser a travessia proposta pelo Projeto Novo e Alternativo de Poltica e de Nao (RPL-PNBC-DD-ME), mas que at hoje, h mais de 20 anos, infelizmente, ainda aguarda na fila de espera dos me$mo$, que usaram e continuam usando a suposta moeda forte, que veio luz com o nome de real (colonialismo portugus), apenas como um fim eleitoral em si mesmo como instrumento das suas prprias vaidades, interesses e ambies pessoais, falcatruas, enriquecimentos pessoais e vitrias eleitorais mantenedoras do velho continusmo da mesmice do establishment bandido que, em s conscincia, ningum aguenta mais, exceto elle$ que, no obstante tudo, continuam nadando de braada na grana, nos esquemas, nas vantagens e nos privilgios, sem limite$, enquanto a populao morre mingua. E por tudo isso que eu grito. Basta. Chega dos me$mo$. Fora todo$. Democracia Direta J, com Meritocracia Eleitoral, porque evoluir preciso. ” Liberdade, liberdade, abre as asas sobre ns.” https://www.brasil247.com/pt/247/economia/316395/Golpe-reduz-investimentos-ao-menor-n%C3%ADvel-em-10-anos.htm

  2. Os delatores, Joesley e Saud, vo ter a suspenso de “parte” dos benefcios, ( mole, ou quer mais) e ainda a priso temporria, assim sendo, pode muito em breve estarem soltos.
    As delaes devem seguir valendo, mas isso no implica que a justia deva ser benevolente com esse delatores, que corromperam, quase 2000 polticos e causaram um prejuzo enorme ao pas.
    O mais sensato, o ideal, seria eles fazerem novas delaes, mas presos, se quisessem ter benefcios iguais aos outros delatores, muitas
    verdades iriam surgir.
    Detalhe: se apresentaram voluntariamente para serem presos, na maior tranquilidade.

  3. Este site s saber falar do Molusco, como se o PT fosse a causa de todos os males do pas. Fazem isto para desviar o foco, pois todos sabemos que os petralhas abusaram, mas tudo isto acontece, aconteceu em governos anteriores e vai continuar se o sistema no mudar. O sistema proteger estes bandidos.

    • No adianta, cara, o PT est na mesma situao de prostituta de bairro pequeno: todo mundo conhece a sua m fama.
      Vamos enterrar logo o PT e esquecer o defunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.