Justo ou injusto, o insulto a governantes e autoridades é um direito natural dos povos

Resultado de imagem para lysander spooner frasesLuís Francisco Carvalho Filho

O pensamento radical e anarquista do escritor Lysander Spooner (1808-1887), pouco conhecido no Brasil, parece irresponsável, frágil e politicamente incorreto. Além de defender a abolição da escravatura, combater o monopólio postal, negar legitimidade à sagrada Constituição dos Estados Unidos da América (aliás, de todas constituições, votadas ou impostas, autoritárias ou democráticas), Spooner define os governos como associações de “ladrões e assassinos”. É, talvez, sua maior contribuição intelectual.

A associação figurada de criminosos para governar engloba agentes de todas as esferas de poder (Executivo, Legislativo e Judiciário), mas a tradução de seu livro “No Treason “” The Constitution of no Authority” (1870) seria editada na França e em Portugal sob os títulos “Outrage à Chefs d’État” e “Insultos a Chefes de Estado”.

UMA COMPENSAÇÃO – Independentemente de ideologias, governantes e autoridades existem também para serem afrontados, de forma justa ou injusta, com ou sem exageros. É direito natural. Compensa os confiscos de liberdade que a vida em sociedade impõe ao cidadão.

Governantes cretinos, como Jair Bolsonaro, seus filhos, ministros de Estado e gurus filosóficos, militantes patéticos de causas contrárias à evolução humanitária, tornam mais prazerosa e útil a prática do insulto e do xingamento.

O Supremo Tribunal Federal desperdiça tempo precioso investigando ultrajes lançados ultimamente contra a instituição e seus juízes. O ataque a magistrados é do jogo institucional e, com efeito, não são incomuns ofensas verbais (como o uso do adjetivo “cretino”) desferidas do plenário da própria corte.

HÁ EXCEÇÕES, CLARO – Limite ao exercício da liberdade de expressão só é aceitável quando a fala ou o escrito descamba para a ameaça ou para o risco concreto de dano, com estímulo a linchamento, agressão, constrangimento ilegal, depredação patrimonial.

O presidente da República pode ser ofendido, vaiado, ter seus percursos interrompidos ou perturbados, mas ninguém tem o direito da aproximação física perigosa ou de quebrar ovos de galinha na sua cabeça. É legítimo protestar contra a impunidade do torturador da época da ditadura militar, mas a casa de sua família é inviolável, não pode ser escrachada. Deputado não cospe em deputado.

É normal atacar ministros do Supremo na imprensa e em redes sociais, mas eles não devem ser incomodados em aviões, em restaurantes e nas ruas por cretinos que posam de indignados, corajosos e honestos, mas que, provavelmente, sonegam impostos e desrespeitam faixas de pedestre. Esta modalidade de esculacho, que já atingiu Bolsonaro e petistas, não é liberdade de manifestação. É estupidez.

GRANDE IMPULSO – A revolução dos cretinos não é privilégio da direita, mas ganha poderoso impulso com a ascensão de Jair Bolsonaro. Congrega políticos e milicianos, religiosos e carolas, gente truculenta e gente comum. É fácil identificá-los.

Sorriem quando escutam referências ao assassinato de Marielle Franco. Comemoram violência policial, abusos da Lava Jato e prisões arbitrárias, como a de Michel Temer. Têm medo de comunistas. Acreditam que as administrações do PT foram de esquerda e são responsáveis pelas mazelas nacionais. Olham feio para Maduro mas enxergam virtude em Pinochet. Metem Deus em tudo. Desprezam a história. Defendem a proliferação de armas. Conspiram contra o conhecimento, a ciência e as artes. E, agora, advogam o fim do Supremo Tribunal Federal.

34 thoughts on “Justo ou injusto, o insulto a governantes e autoridades é um direito natural dos povos

  1. Perfeito o texto, quem nomeou mais da metade dos atuais membros do STF??? É só ver os Atos e Fatos dessa gente e ver os males que causaram ao Brasil e ao seu Povo, ou será que Tofolli apagou de que foi Advogado e Membro Ativo do PT (Orcrim que destruiu o Brasil com seus desmandos) e ainda participante ativo junto com Zé Dirceu(que tá solto por patrocínio da lei toffoli de proteção aos amigos) e Lula (preso e com eles do stf doidos para soltarem e novamente ele comandar a baderna e os desmandos no Brasil) ? Simples, ninguém ataca ninguém que não mereça, eles e seus nomeadores nada mais fizeram do que uma sociedade de impunidades que empurrou a Nação para sua destruição Econômica, Financeira, Moral, Ética, Administrativa e Social, ou será que foram os ETs que fizeram isso com o Brasil senhores das Togas ??? Vocês são íntimos dessa gente e foram apoiados, indicados e nomeados por esses seus Amigos Criminosos de Lesa Pátria, é mentira Terta ????

  2. Os Três poderes se alçaram na condição de intocáveis, infalíveis, inatingíveis.

    As reações populares de insatisfação devem ser coibidas.
    As autoridades exigem respeito, reverência, caso contrário processos, condenações e prisões nos aguardam de braços abertos.

    O problema é que as autoridades não se dão o respeito!
    Tem cabimento os bate-bocas entre Suas Excelências, os ministros do STF, entre eles mesmos?!

    As ofensas pessoais, as ilações, as provocações, as acusações, tendenciosidade e parcialidade verificadas em muitas decisões?!

    O parlamento deplora a si próprio, se desmerece, se diminui, se apequena, e se mostra mesmo venal, corrupto, vagabundo, perdulário, ladrão e incompetente!

    O Executivo é o mesmo.
    Entra e sai governo, os tais famigerados planos e reformas são elaborados para sugar mais ainda o sangue do cidadão.

    A Previdência, deficitária, impulsionou o atual presidente em também comer a nossa carne, um aperfeiçoamento da Eucaristia quando Cristo fez alusão ao vinho e pão, agora, trata-se do sangue e carne nossa, de seres vivos!

    E querem respeito?!
    Não desejam receber críticas?
    Querem processar e condenar quem se mostra insatisfeito com o comportamento do Supremo?
    E como a Alta Corte explica as suas decisões quando concede HC para declarados ladrões do erário e do povo?!
    Zé Dirceu e outros bandidos da pior espécie estão soltos porque assim foram as vontades de Sua Excelência, o ministro Toffoli e de seu colega, Sua Excelência, o ministro Gilmar Mendes!
    Entenderam que fizeram justiça ou quiseram demonstrar o quanto podem, o quanto são poderosos e incontestáveis??!!

    O STF quer erguer a ditadura do Judiciário?
    Quer mandar prender e soltar, quem quer?
    A Constituição serve apenas para enfeitar suas mesas?!
    Ora, bolas, em plenário, Suas Excelências arrotam várias vezes a expressão Estado Democrático de Direito.
    Certamente nas interpretações infalíveis de Suas Excelências, deve significar para o cidadão brasileiro, CALA A BOCA E FICA QUIETO!

    Vivemos em democracia, afirmam os ministros, só não completam as suas conclusões porque a democracia propalada é entre eles!

    Para o povo, sua existência quer dizer para Suas Excelências, OBEDECER E OUTORGAR PODERES!

    Como dizia uma célebre e famosa propaganda:
    “Como é bom dividir delicados com você”.
    P esperto ficava com dois doces e dava um para o irmão menor!

    Suas Excelências precisam descer urgentemente do Olimpo imaginado, e colocarem seus bem cuidados pés e unhas cortadas, calos lixados, neste Planeta, por mais que neguem suas condições humanas!

    Saibam, Suas Excelências, que não possuem asas, e não foram ainda canonizados por igreja alguma!

      • Espectro, meu amigo,

        Mais uma vez obrigado pelas tuas palavras de incentivo.

        Diante do momento que nos encontramos, faz-se necessário que nossas opiniões sejam as mais próximas possíveis da verdade, do bom senso, da crítica procedente.

        Abração.
        Saúde, meu caro.

    • Ferraz, meu caro,

      Grato pelas palavras que me incentivam, e me impulsionam a seguir em frente.

      Claro, sei que preciso postar não só a minha verdade, mas a verdade conforme os fatos, a realidade, então meus esforços neste sentido.

      Abração.
      Saúde, Ferraz.

  3. Gilbert Keith Chesterton apresentou, no seu livro “O Homem que foi Quinta-Feira” uma objeção muito simples e drástica ao anarquismo:

    “Você tem essa eterna idéia idiota de que, se a anarquia viesse, viria dos pobres. Por que deveria? Os pobres foram rebeldes, mas nunca foram anarquistas; eles têm mais interesse do que qualquer outra pessoa em ter algum governo decente. O homem pobre realmente tem uma participação no país. O homem rico não tem; ele pode ir para a Nova Guiné em um iate. Os pobres às vezes se opõem a ser mal governados; os ricos sempre se opuseram a ser governados. Aristocratas sempre foram anarquistas.”
    https://www.goodreads.com/quotes/696806-you-ve-got-that-eternal-idiotic-idea-that-if-anarchy-came
    Já Bakunin era um príncipe rico, e enquanto odiava o Czar, não sentia nenhum problema em tiranizar sua própria família, como mostrou Edmund Wilson no “Rumo à Estação Finlândia”.

    Quem mais “anarquista” em nossas terras que o Joesley Batista, que ajudou a corromper todo o espectro político nacional para receber bilhões do governo e depois quase conseguiu transferir seu império montado com nosso dinheiro para a Irlanda, a fim de pagar menos impostos?

    • Vivendo em uma sociedade estratificada, hierarquizada; estamos apenas reproduzindo uma das inúmeras fases do ordenamento, que o universo impõe a todos os universais: micro, mini, meso e macrossistemas a ele subordinados. Lá do “altíssimo” veio-nos, como se fosse um arquétipo (Pai, Filho e Espirito Santo), para o Triunvirato terreno: Legislativo, Executivo e Judiciário. Teoricamente, o Trio se diz equipendente.

  4. “Governantes cretinos, como Jair Bolsonaro, seus filhos, ministros de Estado e gurus filosóficos, militantes patéticos de causas contrárias à evolução humanitária, tornam mais prazerosa e útil a prática do insulto e do xingamento”.

    Cruz Credo!

  5. Carlos Marchi (via Facebook)

    JAIR E O ABISMO

    Jair não quer fazer – nunca quis – a Reforma da Previdência. Acha que ela lhe roubaria popularidade.

    Para livrar-se desse incômodo, montou uma estratégia perversa.

    Mandou o projeto de Paulo Guedes para o Congresso e disse: “Agora é com os parlamentares”.

    Não é. Não pode ser. Um projeto polêmico do Executivo só passa no Congresso se o presidente se empenhar pessoalmente por ele.

    Jair sabe muito bem disso, pois viveu 28 anos na Câmara. Mas, mesmo sabendo, ele joga tudo pra cima do Congresso.

    A reforma não passa ou será desfigurada. Ele virá a público com pose de herói e dirá: “Eu cumpri minha parte. A culpa do Congresso.”

    Mentira. Ele poderia fazer muito mais – abraçar o projeto, convencer os parlamentares a votá-lo.

    O passo seguinte será desmoralizar o Congresso, que ficaria mal com a opinião pública e com o empresariado.

    Com o Congresso enfraquecido perante a opinião pública, Jair pretende reinar.

    A estratégia é perversa, mas é esperta.

    Só tem um pequeno senão: a economia vai desabar num abismo sem fundo.

    Paulo Guedes, muito provavelmente, vai pedir demissão, pois não terá nada mais a fazer no governo.

    Mas isso Jair só vai pensar lá na frente, enquanto estiver despencando no abismo, gritando “Après moi, le déluge!”.

  6. Carlos Marchi (via Facebook)

    O populismo é uma desonestidade primária da política.

    O capo vocifera:

    “Herança maldita”.

    A manada sai repetindo, até consagrar o bordão.

    Ou então:

    “Velha política “.

    A manada vai junto. Não pára pra perguntar se quem fala é da velha ou da “nova”.

    Se espremer, não dá uma gota de sumo. Não é nada, não é nada, não é nada mesmo.

    Mas a manada nunca percebe. Afinal, a principal característica da manada é repetir sem pensar.

  7. Certa vez, o Sr. Ernesto vendeu um objeto fiado a Valdevino. De tanto cobrar sem receber, o credor perdeu a cabeça: na duodécima vez que foi à casa do caloteiro, soltou um murro sobre a mesa e ameaçou: “Seu filho duma égua, ou você me paga hoje, ou então lhe crivo de peixeira já!”
    No momento em Ernesto socou a mesa, ele liberou, extravasou um sentimento vulgar, o qual encontrava-se dentro de si, comprimido igual a uma mola. Esse pontencial pugnaz poderia ter rebentado por outras vias: através do cano duma arma, por exemplo. Mas o que Ernesto queria era dar vazão a sua “pilha”; seja lá por qual canal fosse. Na psicologia, a esse mecanismo de descompressão dá-se o nome de SUBLIMAÇÃO. Não o confundir com a passagem da água do estado sólido ao gasoso.
    Logo, se todos os gestores sabem que governar, significa também produzir dissabores e sofrimentos; se a intenção deles não é provocar no povo uma reação violenta, para pretextar uma contra-reação ainda mais violenta, o menos mau é se deixar xingar e satirizar. -“Pode espernear, Zé Povinho, minha estrutura de poder é autodefensiva e inexpugnável para ti, mané!”. Presúria é atitude massiva de povo belicoso; brasileiro tá fora!
    Inferência: A liberdade de imprensa também é uma alternativa tolerável à luta sagrenta! É uma opção “civilizada”, pra não dizer covarde, a quem quer apenas “alvejar”, o encarnado, deixando-o ileso sem mancha encarnada.
    PS1: Depois me passem o nome da mãe de Lula, assim como a graça da genitora do Bolsonaro!
    PS2: Valdevino também quer dizer, estroina, vadio, traficante……..
    PS3: Encarnado = Vermelho ou dotado de carne.

  8. Tu que te julgas muito sábio, autossuficiente; então não te preparas para virar cãozinho-de-coleira.
    Sabes o que está vindo aí? Entrelaçamento Quântico, aplicado à Inteligência Artificial. A China está na vanguarda do conhecimento prático-teórico e teórico-prático!
    -Maldita herança de Max Planck!

  9. EIS A MATRIZ DE QUASE TODAS AS DESGRAÇAS DA ATUALIDADE: SUPERPOPULAÇÃO!

    A Teoria Neomalthusiana ou Neomalthusianismo é uma teoria demográfica desenvolvida a partir da reelaboração das ideias do pensador inglês Thomas Malthus (1736-1834). Essa perspectiva, em linhas gerais, preconiza a difusão de medidas governamentais para intensificar o controle do crescimento da população, principalmente em países considerados subdesenvolvidos ou periféricos.

    Thomas Malthus, em sua obra Ensaio Geral sobre a População, argumentava que a relação entre a quantidade de habitantes no mundo era desproporcional à quantidade de alimentos e recursos naturais disponíveis, de modo que o crescimento populacional seria muito mais intenso que o crescimento produtivo. No entanto, Malthus não defendia o controle populacional comandado pelo Estado e, muito menos, por meio da adoção de métodos contraceptivos, em uma perspectiva conhecida……….

    https://www.google.com/amp/s/m.mundoeducacao.bol.uol.com.br/amp/geografia/teoria-neomalthusiana.htm

    • Superpopulação NÃO É PROBLEMA!
      Vem aí a velocidade de banda 5.0 direto no saco e nos ovários da galera!
      Nem precisa chamar o DDDrim ou o agente laranja!
      Vamos todos (os remanescentes) virar guzulas com demencia e deformações geneticas!

      Apesar de ter ouvido falar em celulares com nivel baixíssimo de radiação SAR, não é para isso que a 5.0 vêm aí…..

      PS: 4.5 non ecziste, só no Brasil essa piada?

      • 1) O médium Chico Xavier, em sua última entrevista, publicada postumamente declarou há tempos:

        2) Vai começar a nascer um monte de gente com deformações e outros adquirirão estas…

        3) Brasil, o paraíso dos agrotóxicos e afins…

        • Por isso que eu sempre invoco a atitude de pendurar Lula, Dilma bolada e o Mantega em praça publica!

          Já o Blairo Maggi, esse tinha que deixar pelado, untar de melado e colocar em cima do maior sauveiro que pudermos encontrar…

          E prender o bozó na coleira, assistindo bem de perto pra cair a ficha…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *