Kalil, novo prefeito de BH, sugere juízo a vereadores e manda cortar 2.800 cargos

Resultado de imagem para posse de alexandre kalil

Alexandre Kalil diz que vai governar para quem precisa

Luiza Muzzi

O novo prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS), deu início a sua gestão determinando cortes na máquina pública. Neste domingo, durante solenidade de transmissão de cargo, o vice-prefeito Paulo Lamac (Rede) anunciou que cerca de 2.800 cargos comissionados da prefeitura serão cortados, com publicação da decisão prevista para a edição desta segunda-feira (2) do “Diário Oficial do Município”.

Segundo Lamac, que não detalhou o impacto financeiro dos cortes, o primeiro projeto de lei de autoria do novo Executivo será de uma reforma administrativa, visando à economia nos cofres públicos.

Para o vice-prefeito, muito mais do que economia, o corte nos cargos comissionados e a reforma administrativa serão “significativos”. “É a demonstração de que essa administração pretende fazer essa economia”, afirmou ele, esclarecendo que o impacto ainda está sendo calculado. “Estamos fazendo o primeiro corte, de cerca de 2.800 servidores. Certamente vamos ter que recompor parte desse corte, mas o impacto final, assim que enviarmos para a Câmara Municipal o projeto de reforma administrativa, já estará lá”.

MAIS CORTESQuestionado se poderá haver mais cortes além dos anunciados neste domingo, Lamac não deu detalhes. “Vamos estudar. É possível que exista, sim, se formos considerar a administração indireta”, disse.

Já Alexandre Kalil não falou sobre os cortes no discurso de posse, mas enviou um recado claro aos 41 vereadores eleitos de que não vai negociar cargos na estrutura municipal. Na cerimônia realizada pela Câmara Municipal no Teatro Francisco Nunes, no Parque Municipal, ele fez questão de ressaltar que fará um governo sem gastos desnecessários e recomendou “muito juízo” aos vereadores: “Todo dinheiro dessa prefeitura não será canalizado para troca de favores, não será canalizado para empregos desnecessários, não será canalizado para coisas que não têm a menor significância. Então, senhores vereadores, muito juízo nesse momento. Todos nós precisamos de muito juízo nesse momento”.

O prefeito agradeceu os votos que recebeu na eleição e destacou a resposta das urnas, que elegeram “um prefeito que nunca participou de uma eleição e reformando uma Câmara Municipal em 60%”. Para Kalil, o resultado da eleição demonstra “o início de uma resposta”. Ele afirmou que tem certeza de que conseguirá governar para quem precisa.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Começa bem o novo prefeito de BH, que não é político profissional (era presidente do Clube Atlético Mineiro e seu partido é o PHS). Tudo indica que será boicotado pela Câmara. Logo iremos saber se os vereadores têm juízo. (C.N.)

One thought on “Kalil, novo prefeito de BH, sugere juízo a vereadores e manda cortar 2.800 cargos

  1. Um amigo ganhou a eleição para prefeito em uma cidade do interior e por ser honesto, começou impondo linha dura.
    Dizia ele que ficou assustado, logo após a posse, com a investida dos representantes das empresas que queriam vender para a prefeitura.
    A oferta de comissões era ampla, geral e irrestrita.
    Mas diante da recusa que fazia a todos, um dia, disse ele, um vendedor saiu do sério e disse a ele, que o procedimento dele, era coisa de prefeito novo e como a carroça de melancias, com o andar elas se ajeitariam.
    Ele, pelos menos a mim, garantiu que nunca se corrompeu, no que eu acreditei, até porque amigo meu não tem defeitos, mas inimigo, senão tiver, eu boto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *