Lava Jato avança e apura o maior escândalo da Petrobras, a importação de combustíveis

Resultado de imagem para lava jato charges"

Charge do Bonifácio (Arquivo Google)

Carlos Newton

A importantíssima notícia passou despercebida pela grande imprensa.  Apenas o site G1 registrou que o Ministério Público da Suíça cumpriu na quarta-feira passada (dia 20) mandados de busca e apreensão em Genebra pela 68ª fase da operação Lava Jato. A informação foi divulgada na quinta-feira pelo Ministério Público Federal e o os alvos foram endereços ligados às empresas Vitol e Trafigura, que atuam no mercado de commodities de petróleo e derivados.

Diz o G1 que, de acordo com o Procuradoria-Geral da República, a ação foi realizada partir de um pedido de cooperação internacional feito pela força-tarefa da Lava Jato no Paraná. 

DUAS EMPRESAS – As investigações revelaram envolvimento de integrantes das empresas Vitol e Trafigura em um esquema de pagamento de propinas a funcionários da Petrobras, em troca de facilidades na estatal brasileira, como contratos e preços mais vantajosos.

De acordo com as investigações da Lava Jato, a Vitol realizou negócios com a Petrobras, sobretudo operações de compra e venda de petróleo e derivados, em valor total superior a US$ 14 bilhões entre 2004 e 2015.

Já a Trafigura, ainda conforme o G1, realizou negócios com a Petrobras em valor superior a US$ 9 bilhões, também em operações de compra e venda de petróleo e derivados e no mesmo período.

FALTOU DIZER – Em tradução simultânea, faltou dizer na reportagem do G1 que enfim a Lava Jato está chegando ao maior escândalo da Petrobras, que envolve a compra de combustíveis no exterior.

É um gigantesco foco de corrupção, que existe praticamente desde a criação da empresa e tem feito a fortuna de grande número de dirigentes, com destaque para o advogado Shigeaki Ueki, que deixou de ser ministro de Minas e Energia e preferiu assumir a presidência da Petrobras, onde reinou soberano de março de 1979 até o final de agosto de 1984, no governo João Figueiredo.

Com os recursos desviados da Petrobras, Ueki se instalou no Texas, comprou grandes extensões de terra e se tornou produtor rural e explorador de petróleo, acumulando uma fortuna de fazer inveja à família Bush.

ESQUEMA DE CORRUPÇÃO – Ueki foi o primeiro presidente civil da Petrobras. Na época, o esquema de corrupção era simples – bastava cobrar alguns cents por barril, a fortuna estava garantida, porque o Brasil era grande importador de petróleo e derivados.

O “japonezinho do Geisel”, como era conhecido, fugiu para os Estados Unidos, mas deixou seguidores dentro da Petrobras, que tiveram de ir aperfeiçoando o esquema, à medida em que o país aumentava a produção até se tornar autossuficiente.

Sem dúvida, o maior crime que se comete contra o Brasil. O que é mais incrível é que se trata de um esquema feito às claras e que exige cumplicidade de diversos setores da empresa – como as áreas de comercio internacional, abastecimento e refino.

PRODUTIVIDADE – Para manter a necessidade das importações de óleo diesel, por exemplo, as refinarias brasileiras só trabalham em apenas 75% de sua capacidade, um percentual que não é praticado na indústria do petróleo.

A justificativa é que o Brasil tem de importar petróleo leve para misturar ao pesado e produzir diesel, o que é verdadeiro, embora seja inexplicável o fato das refinarias jamais terem sido adaptadas ao petróleo pesado, como ocorre na Venezuela e no Canadá.

O falso argumento dos seguidores de Ueki também se desfaz pelo fato de o país ter passado a importar altas quantidades de diesel, ao invés de adquirir petróleo leve para fazer a mistura e aproveitar a capacidade ociosa das refinarias.

SEM EXPLICAÇÃO – O fato concreto é que a política da Petrobras se tornou inexplicável. Com o Brasil se tornando superprodutor de grão, não se explica a falta de incentivo ao biodiesel.

Da mesma forma, o programa do Proálcool, foi abandonado, nossas usinas estão sendo desnacionalizadas e o Brasil passou a ser importador de etanol dos Estados Unidos, que se tornou o maior produtor mundial devido aos altos subsídios que o governo garante.

Em resumo, a atual política energética do Brail é uma piada de mau gosto. O atual ministro, almirante Bento Albuquerque, se mostra inteiramente omisso, nem se ouve falar nele, enquanto a Petrobras segue dominada por falsos brasileiros, que sonham em morar em Miami e esquecer o Brasil, esta é a verdade.   

###
P.S. 1 –
Desse jeito, é melhor chamar novamente Shigeaki Ueki e lhe devolver o Ministério de Minas e Energia. Ele é ladrão, mas sua política na pasta foi absolutamente nacionalista e criou o Proálcool. Sem dúvida, é preferível um ladrão nacionalista do que um almirante entreguista.

P.S. 2 – Outra maluquice é o preço dos combustíveis. Ao invés de ter como partida o custo da produção do petróleo brasileiro, que no Pré-Sal é um dos menores do mundo (8 dólares o barril), o preço cobrado nas refinarias da Petrobras é o resultado da soma do preço de venda nas refinarias no Golfo do México, adicionado ao custo do transporte do Golfo do México até o Brasil, mais os gastos portuários, além do custo de seguro para cobrir eventuais gastos com oscilações de câmbio e preços. Você sabia? Pois essa é a política energética do governo de Jair Bolsonaro, um presidente que nada entende de energia e é embromado de todo jeito. (C.N.)

22 thoughts on “Lava Jato avança e apura o maior escândalo da Petrobras, a importação de combustíveis

  1. Se vender ao preço de custo acontecerá outra PDVSA (estatal venezuelana) aqui no país.
    Entretanto, temos de corrigir os hiper salários e mega benefícios dos funcionários da Petrobrás.
    Outras maiores como Exxon e Shell trabalham com apenas um terço dos funcionários que a Petrobrás beneficia em detrimento dos acionistas.

  2. A matéria comenta que a lava-jato descobriu falcatruas principalmente relativas ao período de 2004 a 2015 (parece que era o PT que governava, né…). Cita o conhecido Ueki, contumaz e histórico corrupto da década de 70. Mas depois joga todo o ônus no governo atual que está há 10 meses no poder.
    E os coronéis Sarney e Collor fizeram o quê?
    E FHC fez o quê?
    E o PT fez o quê?
    A lava-jato é a prova cabal da corrupção sistêmica que quase liquidou a Petrobras. Apontar caminhos que este governo não está vendo, ou não quer ou não o deixam ver, é fundamental.
    Mas por que não apontar os últimos responsáveis por este estado e coisas, tais como Dilma que foi ministra igual o japonezinho? Afinal os altos cargos na Petrobras foram promoções e indicações do governo anterior.
    A desratização será longa. Mas parece que o modelo globo-acusa impera. Mostrar os problemas pretéritos e no final culpar apenas o governo recém nascido.

      • CN, suas matérias são ótimas. Denunciam e contam fatos que a mídia em geral ignora, ou esconde. Só acho que fazer o jogo dos ativistas, tipo globo-folha, acusando o governo de tudo é tiro no pé. O governo foi eleito para desratizar o estado obeso e corrupto que sempre tivemos. Se o veneno que usa é tóxico e está se autointoxicando é bom avisar e denunciar. Este caminho de crítica construtiva perdemos, pois o PT e assemelhados só querem voltar ao poder e para eles quanto pior melhor. O PT quer “prender” o Moro, veja só que delírium tremens. O cara mais popular do país até em pesquisas datafolha. Coisa de stalinistas. Minha crítica à matéria é apenas propor não entrarmos nesta senda improdutiva.

        • Fique tranquilo, Aranha, jamais entraremos nessa seara. Apoiamos o governo em várias atitudes, como o fim dos conselhos inúteis e a maior facilidade (ainda não alcançada) para que o cidadão possa ter uma arma para defesa. Mas já se passou um ano e o governo tem pouco a mostrar, pois a Reforma da Previdência preservou as altíssimas aposentadorias da nomenklatura.
          Vamos em frente.

          Abs.

          CN

    • Sr. José Augusto Aranha,

      os coronéis Sarney e Collor, FHC e o PT , e agora a dupla Paulo Guedes- Bolsonaro fizeram (e os últimos dois citados estão fazendo , talvez por ignorância de Bolsonaro, assinalada no artigo, mas certamento com o know-how de Paulo Guedes que entende bem do assunto, a continuação do “trabalho” que Shigeaki Ueki começou a fazer contra a nossa Petrobras no tempo da Ditadura Militar. Apenas isso !

  3. Senhor Aranha, é incrível a tentativa de culpar o atual governo e a sua política energética.
    Então. Desde 1979 se pratica essa política e o culpado e o Bolsonaro?
    Há algo tendencioso no ar.

  4. Tenho batido nessa tecla, não importa se mula manca, temos que meter a espora no governo Bolsonaro.
    Tenho lido artigos enormes, diatribes e saltos carpados, adjetivações mil e firulas retóricas para que no fim do gargarejo, no ultimo apagar das luzes, no ultimo minuto, na ultima frase façam como o Flamengo fez no River, dois gols que liquidaram a fatura.
    Bolsonaro é o culpado, réu confesso que não entende de economia!
    Só que essa sentença ainda não foi transitada em jugado.
    Ele vai fazer tanta ‘besteira’ ainda que por fim será eleito novamente.

  5. Parabéns Carlos Newton! Perfeitas as suas observações. Infelizmente o presidente Bolsonaro vai sendo mesmo embromado e vão detonando aos poucos (entregando – comendo pelas beiradas) os patrimônios mais valiosos do povo brasileiro. O Paulo Guedes já deixou claro que pretende vender / entregar tudo (até nossos Bancos). Colocaram na Petrobrás uma Diretoria para solapar a empresa (entregar por partes).
    São todos canalhas, entreguistas e traidores da nação.
    Vejam adiante sobre a venda da NTS e a TAG, transportadoras de gás do sudeste e do nordeste:
    NOTÍCIA SOBRE DESESTATIZAÇÃO / PRIVATIZAÇÃO

    https://www.viomundo.com.br/politica/em-18-meses-petrobras-vai-gastar-em-aluguel-tudo-o-que-ganhou-vendendo-transportadora-de-gas.html

    Advogada explica no Senado o engodo da venda da TAG

    Da Federação Nacional dos Petroleiros, via AEPET

    Na última quarta (19), A Comissão de Desenvolvimento Regional do Senado realizou uma Audiência Pública sobre a venda da Transportadora Associada de Gás (TAG) pela Petrobrás.

    Os cafetões do gás

    Para termos ideia do prejuízo dessas vendas, no caso da NTS a própria Petrobrás, em relatórios trimestrais, aponta o aumento nos custos logísticos por conta dessas transações para o pagamento de tarifas a terceiros, a partir de 2016.

    O absurdo é que em menos de 18 meses a Petrobrás vai ter pago de aluguel todo o dinheiro obtido com venda da malha da própria NTS.

    Isso só mostra que esse negócio da NTS foi um grande prejuízo, da mesma forma que será com a TAG.

    Se quiserem saber mais, vá no Google e coloquem: Petrobrás: vende e aluga.

  6. Embora eu nunca tenha tido qualquer simpatia pela Ditadura Militar instalada em 1964 , a notícia me surpreendeu, ao saber que além da arbitrariedade, das prisões de opositores em masmorras, de torturas, estupros e assassinatos , eu não sabia que também foi na Ditadura Militar, tão elogiada por Jair Bolsonaro, com elogios ao torturador Brilhante Ustra e a Pinochet (do Chile) , foi onde começou o roubo contra a Petrobrás, criada por Getúlio Vargas. Se eu já tinha horror da Ditadura Militar, agora passei a ter nojo, ao saber , segundo informa nosso Editor, que:

    “Em tradução simultânea, faltou dizer na reportagem do G1 que enfim a Lava Jato está chegando ao maior escândalo da Petrobras, que envolve a compra de combustíveis no exterior.

    É um gigantesco foco de corrupção, que existe praticamente desde a criação da empresa e tem feito a fortuna de grande número de dirigentes, com destaque para o advogado Shigeaki Ueki, que deixou de ser ministro de Minas e Energia e preferiu assumir a presidência da Petrobras, onde reinou soberano de março de 1979 até o final de agosto de 1984, no governo João Figueiredo.

    Com os recursos desviados da Petrobras, Ueki se instalou no Texas, comprou grandes extensões de terra e se tornou produtor rural e explorador de petróleo, acumulando uma fortuna de fazer inveja à família Bush”

    Malditos sejam para sempre !.

  7. Quando terminarem de vender tudo irão encher o Brasil de distritos da luz vermelha, os conhecidos bordéis onde uma parcela da população, a ativa, poderá passivamente vender-se ao trabalho semi-escravo.
    A outra parcela, jovens e idosos, virarão salsicha numa fabrica de processamento da Kraft, que toda essa gente sem ter mais nada será imprestável até ao sistema escravagista chino-colonial que nos aguarda.

    Um povo que vende tudo, nao sobra nada, é ou nao é a mesma coisa que um regime comunista onde o povo nada têm?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *