Levando ao abismo

Vittorio Medioli
O Tempo

Nesta altura da campanha, os debates entre presidenciáveis atraem mais público que clássicos de futebol e colam na frente das telas uma plateia quase patologicamente fascinada. O ar é o mesmo que se respira numa luta até a última gota de sangue, aquelas em que é preciso ter estômago para assistir. As estocadas de um para outro levam a pensar: “A que ponto chegamos…”

Com o destino de 200 milhões de brasileiros em jogo, as acusações vertem sobre o rol de parentes empregados nos meandros da administração pública e de corruptos abrigados em partidos aliados. Uma disputa para saber quem tem menos pecados no uso das receitas arrancadas do contribuinte.

As urnas do primeiro turno comprovaram que, onde existe um gueto, o voto é facilmente fidelizado com pequenas ajudas do Estado, concedidas em nome do “partido”. Quer dizer que emancipar essa enorme massa de 13 milhões de famílias carentes pode colocar em risco ou mudar o quadro eleitoral? Claro que sim. A lógica leva a crer que o atraso precisa ser defendido para se ficar no poder. Cheguei a entender que o atraso é premiado com o voto, e o progresso se apresenta como um grave risco de perda do poder. Existe aí uma fábrica de voto que rende e pela lógica precisa ser preservada.

GOLPES BAIXOS

Ao vivo, um de frente para o outro, sem montagens, sem luvas nem capacete, os competidores duelam com golpes abaixo da linha da cintura, na nuca, onde for que seja, enfiando no adversário o rótulo de “mentiroso”.

O formato do debate, mais que para um público interessado no futuro do país, serve para animar torcidas como aquelas que vêm se formar em bares que oferecem telões para “curtir a pancadaria” entre “Excelências”. Os índices de audiência desbancam qualquer outro programa.

A expectativa do debate monopoliza as conversas entre amigos e grupos de discussão. O tema do momento por onde se passa é o mesmo: as denúncias, as respostas apimentadas, o espanto e as ironias que aparecem no semblante dos debatedores…

Aecistas escracham Dilma, e dilmistas dão o troco na mesma moeda.

O Brasil vem assim se dividindo em duas torcidas fanáticas que cantam as jogadas do seu craque e esquecem os bons lances do adversário.

ANULANDO O VOTO

Entretanto, existe um expressivo número de pessoas que não gostam de assistir a espetáculos “cruéis”, e exatamente esse contingente, anulado que foi seu interesse, anulará também seu voto. Ocorre que um razoável número de eleitores não concorda com tanta lama e deixará de votar.

Nessa circunstância quem tende a levar vantagem é a candidata Dilma. Simplesmente por contar com um eleitorado mais arraigado e refratário a escândalos depois de 12 anos em que os escândalos não pararam de rodear o Planalto. Esse eleitor que passou pelo “mensalão julgado pelo STF” e continua com Dilma mostra-se nitidamente refratário a denúncias de improbidade ou de qualquer crime. O voto dele é a favor do lulopetismo, assim como ele é e se consolidou em 12 anos de denúncias, escândalos e processos. Um pouco de denúncia a mais não faz diferença, não é razão para mudar o voto.

No caso de Aécio o efeito é mais destrutivo, já que o eleitor aecista, em sua maioria, é mais recente, ou menos fidelizado, mais sujeito a cortar o curto namoro, num ambiente de “vale-tudo” e de lama escorrendo para todo lado.

A baixaria, entende-se facilmente, favorece Dilma a partir do momento em que a migração para o nulo e branco atinge mais o adversário.

AGRESSIVIDADE

Explica-se assim a atitude agressiva de Dilma, apesar da posição de presidente em exercício, durante o debate. Chegou audaciosamente a questionar uma suposta propina para o falecido Sérgio Guerra (evidentemente paga como o consentimento ou ordem expressa de alguém do partido dela no governo Lula em 2009 quando Dilma ocupava a Casa Civil). Assim, o senador de Pernambuco, presidente do PSDB, teria recebido uma vultosa propina para desistir de uma investigação de roubalheiras na Petrobras.

Se as acusações reabrem o currículo do senador tucano, coloca-se a certeza de que o partido dela pagava propinas, até para encerrar investigações. Já se viu um presidente da República se lançar numa atitude kamikaze como essa? Assumir a corrupção ativa do seu lado visando respingar a passiva no adversário?

Óbvio que a pergunta foi meditada com um fim: a generalização da criminalidade política. Uma forma direta e contundente de descolar eleitores recentes do seu adversário e enviá-lo para o rol dos votos nulos e brancos.

Aécio deve ter feito provavelmente uma leitura confusa, aceitou a provocação lançada por Dilma, que confia num eleitorado tipo “craca de rochedo”, enquanto o do Aécio é vegetação recente, sem raiz, que pode se desprender com uma onda certeira. O eleitorado “fresco de Aécio” que se aproximou tem mais possibilidade de refluxo, enfim é um namoro recente, ditado pela vontade de mudança (ética). Frustrar esse sentimento ajuda Dilma.

Ela, muito bem orientada, arrastou o adversário para um abismo que a favorece. As pesquisa mostram que o crescimento de Aécio sofreu um arresto, perdeu um pouco de força. Nesse clima parece não haver espaço para uma proposta maior, para um compromisso com a nação que se espera de quem quer conduzir o destino do país.

4 thoughts on “Levando ao abismo

  1. CARA DE PAU!!!!

    DO POLIBIO BRAGA. Aqui: http://polibiobraga.blogspot.com.br/

    Conheça a história de nepotismo, jamais contada antes, da Agente X-26, a técnica da FEE, Dilma Roussef.

    A agente X-26 foi nomeada por Jair Soares a pedido do marido, com quem foi trabalhar depois com um a FGAL-9 na Assembléia do RS.

    Desde que chegou a Porto Alegre no final da década de 70, onde passou a viver com seu marido, o ex-deputado estadual Carlos Araújo, PDT, com quem teve uma filha, Paula, atual procuradora do MPT, a presidente Dilma Roussef passou a ser conhecida como ocupante de diferentes cargos públicos, entre os quais o de Assessora Superior da Assembléia do RS, Diretora Geral da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, Secretária Municipal da Fazenda e Secretária Estadual de Minas e Energia.

    . Ela serviu aos governos do PDT e do PT.

    . Os cargos que ocupou, todos de livre nomeação – CCs, FGs ou secretarias – foram por indicação do marido, inclusive na Assembléia, onde trabalhou diretamente sob as ordens do deputado Carlos Araújo, na Assessoria Superior da Bancada, percebendo ali a mais alta FG da Casa, calculada hoje em R$ 14 mil, sem contar vantagens.

    . O que muito pouca gente sabe é que Dilma começou sua vida como servidora pública na qualidade de CC nomeada pelo então governador Jair Soares, do PDS, a quem Carlos Araújo foi procurar em 1983 para pedir o emprego para a mulher. Dilma foi nomeada no âmbito da secretaria do Planejamento para a FEE (Fundação de Economia e Estatística). Lá ela consta da Folha até hoje. Como X-26, técnica X-26. Na época, o PDS era o Partido de sustentação do general João Batista Figueiredo, de quem Soares fou ministro da Previdência. Dilma e Araújo combateram ambos, Contra Jair, apoiaram Alceu Collares, PDT.

    . Nos casos da FEE e da Assembléia, Dilma Roussef foi beneficiada pela relação de parentesco, prática que no debate do SBT denunciou como “imoral” e “ilegal” na situação que teria enfrentado seu adversário Aécio Neves em Minas.

    . A presidente sabia perfeitamente que sua retaguarda estava a descoberto, mas mesmo assim resolveu acusar o adversário por um tipo de “crime” que “cometeu” várias vezes, muito tempo antes.

    . Nos seus 30 anos como empregada contratada, compareceu efetivamente ao trabalho menos de 5 anos. No restante do tempo esteve cedida. Seus salários como X-26 sempre foram pagos pela FEE

  2. Discordo do autor. Entre pares e conhecidos, ou seja socialmente, até comenta-se sobre a “baixaria” e “agressividade”, mas no fundo a grande maioria a aprecia e é altamente influenciáda por isso. Na arte da guerra política sempre sai na frente quem ataca. E para o “agredido” cada uma das agressões e ataques devem ser prontamente rebatidos, revidados e neutralizados, incutindo logo em seguida uma “nódoa” no agressor, mostrando, principalmente, sua hipocrisia e má-intenção. No caso específico desta eleição, o PT teve o monopólio do ataque em 90% das ocasiões, geralmente de baixíssimo nível, basta ver o que ocorreu com Marina (e oposição sempre se mantendo passiva). Então, Aécio começou a rebater os ataques (muito mais ele próprio, do que seus marqueteiros que pareciam estar dormindo) e começou a crescer no fim do primeiro turno. O penúltimo debate foi o em que se saiu melhor, devido principalmente a esse comportamento assertivo. Após, no último debate, resolveu esmorecer, principalmente devido a parte da imprensa que dizia estar havendo “baixarias dos dois lados”, o que se viu é que perdeu força de combate, apesar de ainda ter se saído melhor que Dilma. Acho uma desonestidade intelectual afirmar que há baixaria dos dois lados. Antes, no período de monopólio de ataque petista, esse pessoal não se manifestava. Agora que há uma reação (Aécio) a uma ação (sempre do lado do PT), querem ser “apaziguadores”. Se Aécio seguir reagindo ganha fácil, porém caso deixe-se influenciar por esse tipo de análise e esmorecer, pode ter certeza que não ganha (Alckmin e Serra sabem bem disso).

  3. QUE FIQUE REGISTRADO : A VITORIA DA BANDILMA SERÁ A AFIRMAÇÃO MAIS ELOQUENTE PARA O MUNDO INTEIRO QUE NO BRASIL O CRIME COMPENSA, TEMOS UM POVO CORROMPIDO QUE SE VENDE A TROCO DE ESMOLAS. VAI SER MAIS DO QUE NUNCA A TERRA DO VALE TUDO, A ÉTICA E A MORAL SERÃO ENTERRADAS. AONDE TUDO ISSO VAI ACABAR EU NÃO SEI, MAS FICAREI TORCENDO PRA QUE O DESTINO DE ALGUMA FORMA NOS LIVRE DESSA FIGURA ESCROTA QUE NÃO CONSEGUIRÁ GOVERNAR O PAÍS POR MAIS 4 ANOS NUMA BOA! ALGUMA COISA HÁ DE ACONTECER PARA NOS LIVRAR DESSE AUTENTICO LIXO MORAL QUE REPRESENTA ESSA FUGURA ESCABROSA, SEU CRIADOR E PRINCIPALMENTE ESSE PARTIDO DE MARGINAIS!!

  4. Calma, senhores eleitores… não levem muito em conta esses papagaios de pirata, que nos seus trololós de eruditos cientistas políticos, tentam nos convencer que o panorama visto da ponte é o descrito por eles… não é bem assim…
    Um caso típico, é este…
    A informação, correta, é esta:

    Aécio na Frente, e Levando até agora, a Eleição.

    Não levo fé em pesquisas de intenção de voto. Na minha modesta opinião, deveriam ser proibidas.
    Mas, até agora o foguetório seria a “virada” da candidata Dilma sobre o senhor Aécio, segundo consta, tanto pelo Data Folha, quanto pelo Ibope.
    Só estou entrando nessa seara é porque a picaretagem que está sendo feita para ajudar o resultado que virá da urna eletrônica, está demais da conta.. não somos a Bolívia!…

    ÚLTIMA PESQUISA – do Instituto Veritás, que goza da fama de ser um acertador, fornece o resultado da sua última pesquisa ( 7.700 eleitores, em 231 cidades , Regt º 011 44/2014), aponta o candidato Aécio Neves com 54,2% e Dilma Roussef com 45,8% dos votos válidos; pesquisa feita entre os dias 17 de 20 (ontem) divulgados hoje, com margem de erro de 1,4 o que descarta o empate técnico. Pesquisa encomendada pelo jornal Hoje em Dia.

    O round final acontecerá na 5a. feira, dia 23, no debate entre os dois na YV GLOBO…

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *