Levy finge que manda na economia, a gente finge que acredita

Joaquim Levy faz de conta que tem autonomia total

Carlos Newton

O engenheiro naval Joaquim Levy enfim foi declarado “ministro” da Fazenda, a ser empossado sabe-se lá quando, e avisa que já está no comando e o Titanic desta vez não vai naufragar. Abrindo os braços na proa, tal qual Leonardo de Capri  no filme famoso, Levy garante que logo no primeiro ano vai conseguir superávit primário e ganhar o Oscar de coadjuvante.

Em sua primeira entrevista antes de ser empossado, o recém-quase-nomeado fez questão de dizer que conquistou autonomia para conduzir a economia brasileira, como se alguém fosse acreditar. Todos sabem que é tudo uma pantomima, a presidente Dilma Rousseff não admite dar autonomia a ninguém, os 39 ministérios estão garantidos, a máquina administrativa não será enxugada, nenhum petista perderá sua “boquinha”, nada de novo no front. O novo-quase-futuro ministro da Fazenda que se vire.

Detrás daqueles óculos fundo de garrafa, Levy não enxerga que está entrando numa canoa furada e sem remos. Indagado pelo jornalistas sobre a proposta de o Congresso alterar a meta fiscal para facilitar a maquiagem das contas negativas do governo federal este ano, fingiu que não ouviu a pergunta e saiu de banda.

SALVADOR DA PÁTRIA

Levy insiste em se apresentar perante o respeitável público como se fosse uma espécie de primeiro-ministro, salvador da pátria e encarregado de gerir a economia com plenos poderes, mas na verdade até agora só teve um encontro frente a frente com a czarina Dilma Rousseff, supostamente doutorada pela Unicamp e que se julga merecedora do Nobel de Economia.

A união de Dilma e Levy está destinada ao fracasso. Ela não entende de economia, mas finge ser especialista e quer mandar em tudo. Ele não tem nem terá autonomia, mas finge que está no comando.

Mesmo assim la nave va, porque o Brasil é muito maior do que a dupla Dilma/Levy e acabará passando por cima de tudo, no rumo de um futuro grandioso. Conforme já dissemos aqui na Tribuna da Internet, os políticos atrapalham muito, mas o país está destinado a seguir em frente nesse clima de permanente caos democrático, que é ruim, porém muito melhor do que o regime militar.

 

 

 

 

 

 

14 thoughts on “Levy finge que manda na economia, a gente finge que acredita

  1. ENGENHEIRO NAVAL como ministro da Fazenda?!
    Definitivamente estamos afundando, então.
    Pelo andar da carroça, será muito interessante observar as profissões dos próximos ministros e cargos designados, que deverão ser da Marinha, diante do encalhe do navio Brasil e casco rompido com o choque, diante da quantidade de água entrando pelos porões e que nos fará ir a pique!
    Nessas alturas, será uma grande diversão adivinhar as especialidades dos ministros dos Transportes, Saúde, Segurança, Agricultura …
    A presidente Dilma não nos havia apresentado na sua primeira gestão o seu lado humorístico.
    Preocupa-me o fato de que, séria, compenetrada, como deixou transparecer no seu último mandato, e que nos deixou muito mal economicamente, imagino então alegre, a situação que estaremos no final da sua nova administração!
    Que a Nossa Senhora dos Navegantes nos salve desta catástrofe!

  2. Se o Ministro Joaquim Levy tiver mesmo autonomia e quiser acabar com
    um dos maiores males das contas públicas, deverá pedir a Presidente para
    diminuir o números de Ministérios, acabar com as boquinhas dos petistas,
    e aliados, isto é, enxugara a máquina pública. Duvido que a Presidente
    atenderá.

  3. Será que este novo Ministro vai mandar a Presidente acabar com metade dos ministérios? São 39 ministérios que comem muito dinheiro. Vamos ver se ele vai ter a coragem de dizer para ela que tem que diminuir o número grande de ministérios. Vamos aguardar. Vamos aguardar este novo governo com cara de velho governo….Vamos ver no que vai dar.

  4. Um diretor de banco ( segundo ou terceiro escalão ) terá autonomia para dirigir a Pasta da Fazenda ?? Me poupe !! É obvio que não. Senhores, façam suas apostas, até quanto tempo dura o Levy na Fazenda ? Meu palpite é seis meses.

  5. Como o senhor Levy sabe quais pepinos e abacaxis terá de descascar para aplainar a economia do país, eu gostaria de saber quais benefícios financeiros e de satisfação pessoal ele irá receber do governo Dilma para assumir o Ministério da Fazendo.

  6. Como bem discorreu CN, ao que tudo indica, esse ministério será mais uma farsa.
    No fim das contas, os miseráveis ficarão ainda mais miseráveis.

    PS. E a falácia do progresso social deste governo, que não passou de um vôo de galinha com as vantagens obtidas por compras baratas da China e venda de nossa comodities em alta para esta mesma China , o que fez a mineração e o agro-negócio criar muitos empregos diretos e milhares de indiretos, acabou. E pior, sobrou os empregos que este governo arranjou para seu bando na máquina pública para onerá-la ainda mais.

  7. A complicada questão econômica

    O governo de Dilma/PT, até agora tem mantido nossa economia em estado de pleno emprego. Grande façanha econômica, principalmente, se comparada ao gigantesco desemprego do primeiro mundo, sem solução a vista, desde final de 2008. Porém, temos que reconhecer que continuar mantendo a economia do Brasil fora da grande crise mundial do capitalismo não coisa simples. Para agravar, temos Dona Tecnologia fazendo milhares de desempregados em todas as áreas da produção de riquezas, substituindo com grande sucesso, operários braçais e intelectuais. Além disso, os crônicos e insolúveis problemas sistema, dentre eles, a maldita antiquíssima corrupção, que somada com a traição à Pátria, são capazes de gigantescas destruições na economia.

    Inseridas nesse contexto, temos a turma de preto, a conhecida informação paralela, sem nenhum temor a Deus pelos trágicos feitos dos tempos da ditadura militar, agora, fazendo de tudo para empurrar o Brasil para o desmonte econômico. Descontente com a Comissão da Verdade, tentaram inviabilizar a reeleição da presidente Dilma/PT, a qualquer custo. Essa conhecida turma de preto, presente em todos os espaços, públicos e privados, disponíveis para coisas inconfessáveis, não satisfeitas com as gigantescas badernas promovidas, resolveram focar a velha grande corrupção. Até que, denunciar a maldita corrupção seria muito bem vinda se o intuito fosse de combater a corrupção na Petrobras.

    Nessa empreitada, o grande capital, rapidamente percebeu a oportunidade de ouro nas intenções da turma de preto. Em conjunto, estão apresentando a importantíssima Petrobras como exemplo da grande corrupção, em persistentes desmoralizações de contínuas reportagens por toda a grande mídia “livre”, expondo a muito antiga, conhecida e gigante roubalheira, fazendo a cabeça do povão, com claros objetivos: privatização da Petrobras junto com as suas fantásticas reservas de petróleo existentes no Pré Sal.

    Se Aécio/PSDB ganha, junto com FHC, tudo leva a acreditar que a Petrobras e sua sideral riqueza em petróleo existente no Pré Sal seriam privatizados, leiloados a preços de bananas como no governo FHC/PSDB, especialmente, a importantíssima CVRD (hoje Vale) privatizada a preços ínfimos e ridículos. Assim, dariam início a um novo ciclo de privatizações, com outras privatizações em seguida, Banco do Brasil, Caixa Econômica, CEDAE, SABESP, etc.

    Não podemos esquecer que as malditas privatizações FHC/PSDB destroçou nossa economia. Jogou o trabalhador num grande desespero, nunca antes vistos. Por todo o Brasil, só ruas desertas, portas arriadas e milhares de placas “Vende” e “Aluga”. Grande parte da população ficou desempregada. No Rio de Janeiro, em pleno horário de trabalho, os ônibus e metrô circulavam quase que vazios. O centro era um deserto, com pouca gente transitando. Se computando os prejuízos a valores de hoje decorrentes das privatizações FHC/PSDB, passam de R$ 10 trilhões. Dez trilhões de reais. Sideral impune roubalheira.

    Por outro lado, diante do sério quadro geral decorrente da Operação Lava-Jato, a sociedade organizada deveria recolher assinaturas para elaboração de eficiente lei contra a corrupção, sugerida pelo povão há muitas décadas atrás: total transparência tributária e bancária de todas as pessoas, sem exceção alguma.

    Por conta da já demonstrada competência e integridade, essa transparência poderia ficar a cargo da Polícia Federal – PF dotada de todos os meios e recursos, necessários para efetuar contínua fiscalização bancária, tributária e de registros de imóveis, de todo cidadão, pessoa física e jurídica, em permanentemente varredura das contas bancárias e registros de imóveis buscando indicação de inconsistências.

    Semelhantes providências, somadas as outras, reduziria muito a destrutiva corrupção. Com certeza. O grande obstáculo na implantação de qualquer tipo de ratoeira viria da própria elite, nada interessada. Apesar disso, não podemos deixar passar o atual momento para implantar eficientes meios de estancar a velha corrupção, pai e mãe da traição a Pátria, da injustiça, da miséria e da pobreza. Acorda, Brasil.

  8. Finge nada. Estamos diante de mais um troca-troca entre banqueiros e governo. Isso acontece desde 1822. Dillma entrega a política econômica aos banqueiros em troca de seu pescoço. Os banqueiros têm garantido os juros da dívida, os juros e as tarifas escorchantes que cobram do povo. E o PT ganha mais 4 anos para roubar. Simples assim. E lembrem-se: Banqueiros não se importam com Liberdade, Democracia e Justiça. Eles se preocupam apenas com Lucros…PS.: Quem é mais FDP??? Petista ou Banqueiro??

  9. Newton, a dilma não é nem supostamente doutorada nem mestre. É também uma nem-nem.
    Depois da fraude do Lattes, ela corrigiu, mas a emenda ficou pior que o soneto.
    Veja os dados oficiais:

    “1998 interrompida
    Doutorado interrompido em 1999 em Ciência Econômica (Conceito CAPES 5).
    Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
    Título: –,
    Orientador: João Manoel Cardoso de Mello.
    Ano de interrupção: 1999
    Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Economia / Subárea: Economia Monetária e Fiscal / Especialidade: Teoria Monetária e Financeira.

    1978 interrompida
    Mestrado interrompido em 1983 em Ciência Econômica (Conceito CAPES 5).
    Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
    Título: —-,Orientador: —-.
    Ano de interrupção: 1983”

    E o mestrado interrompido não tem nem orientador nem título, uma coisa “extraordinária” como diria lula.
    Ela é apenas graduada em economia.

    • Conheço muito bem a história pessoal e política da nulidade humana e farsante Dilma Ruimself,no Rio Grande do Sul.

      Dilma,sempre foi uma carreirista de carteirinha.
      Por onde atuou deixou um rastro de desestabilização,inviabilidade e destruição (principalmente como secretária de Minas e Energia do RS).

      Dilma não tem atributos para ser prefeita numa cidade de 20.000 habitantes.
      Imagine presidente da República?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *