Lições da Antiguidade que se perderam e se tornaram inúteis em países como o Brasil

Francis Bacon: “O conhecimento é em si mesmo um poder” | SuperFrancisco Bendl

A esposa de Hieron, rei de Siracusa, perguntou ao poeta Simônides o que valia mais: “Ser rico ou ser sábio?”. E o poeta respondeu: “Rico, pois vejo os sábios estarem sempre batendo nas portas dos ricos”. Mas, acrescentou: ”Isso é porque os sábios sabem de que precisam e, se os ricos não procuram os sábios , é porque não conhecem mais as suas necessidades”.

Se eu transferir para o mundo de hoje essa afirmação de mais de 2 mil anos atrás, teremos nada mais, nada menos que a ascensão do poder político, a grande expressão do poderio moderno.

Evidente que não estou inferiorizando os poderes militar e econômico, mas estes já não são suficientes, e passam a ser submetidos como instrumentos do poderio político.

PROTEGER A DEMOCRACIA – Quantas vezes que as Forças Armadas afirmaram que a função é proteger a “democracia”, logo, o sistema político, e por pior que este se apresente?! No Brasil, depois da devolução da democracia pelos militares, a política tomou de assalto o país e o poder.

Goethe, célebre poeta alemão, autor de Fausto, uma de suas obras-primas, encenada pela primeira vez em 1829, vinte anos depois de realizada, resumiu com perfeição o que aconteceria 120 anos depois:

O dr. Fausto, movido pela ambição de possuir todos os bens que pudesse conseguir, entregaria sua alma para o diabo. Seria o caso de perguntar o significado de se ter tudo, se a criatura humana perde a si mesma?

AMBIÇÃO AUTOFÁGICA – O trágico da ambição que se transforma em valor absoluto está exatamente nesse sentido. A ambição que se satisfaz com a pura ambição, pois em lugar de levar o ser humano a possuir, leva-o a ser possuído, e o homem não domina mais nada, mas é dominado por tudo; não dirige porque dirigido. A ambição, que se elege critério absoluto, é insatisfação insanável, permanentemente angustiante.

Dito isso, falta ao cidadão, à sociedade brasileira, necessariamente refletir muito bem sobre essa verdade de fato: na vida humana ou vivemos de acordo com o que pensamos ou acabamos pensando de acordo com o nosso modo de viver.

Exemplo? O próprio poder político!

BUSCA DE ENRIQUECIMENTO – Qual é a essência do pensamento político nacional? Aproveitar o tempo eleito para enriquecer, e tanto faz se lícita ou ilicitamente.

O parlamentar vira escravo da sua ambição, do seu modo de viver, pois está com o maior dos poderes nas mãos. E possui uma outra circunstância favorável ao seu modo de pensar: a impunidade, pois ele é quem legisla.

No século XVI, quase 500 anos atrás, Francis Bacon, considerado como o fundador da Ciência Moderna, em sua obra Novum Organon, já questionava: “De onde se deduzem os princípios que hoje nos servem de base?”

Respondo: no caso do povo, sobreviver; em se tratando do poder político, a ambição movida pela própria ambição.

PODER INOPERANTE – No Brasil, o poder político enreda-se em si mesmo, e deixa de ser útil à sociedade para se transformar em pária, pois nada produz, nada faz, nada resolve. O poder político satisfaz seus membros e permite condutas condenáveis, criticáveis, eivadas de má fé e más intenções, porém detentores do poderio moderno!

Cabe aqui lembrar outra curiosidade, advinda da notável e fundamental à humanidade, cultura grega: Dédalo, filho de Himetion, descendente de Erecteu, rei de Atenas, discípulo de Mercúrio, artista notável, construtor, estatuário, inventor, que construía estátuas movidas por mecanismos internos parecendo seres vivos – prestem atenção, por favor! –, matara seu sobrinho, e foi condenado à morte.

Fugiu para Creta, e ficou na Corte do rei Minos – sigam lendo com atenção, peço.

PERDIDO NO LABIRINTO – Lá, construiu o afamado Labirinto, construção tão repleta de intrincadas veredas, que quem ali entrasse não conseguiria sair. Dédalo foi a primeira vítima do seu próprio engenho. Minos, irritado com ele, manda prendê-lo no Labirinto com o seu filho Ícaro e o Minotauro. Para nós, o Poder é o Labirinto. Quem está lá dentro não sabe como sair. Se consegue, perdeu a si mesmo, e desfila perante a sociedade como corrupto e desonesto.

O comportamento antidemocrático é usado despudoradamente como natural pelo ambicioso, pois tem impunidade, julga-se acima dos demais porque compõe o poderio moderno, a política deletéria e deplorável.

Então o desespero, as trocas de partido, a deslealdade, os desvios de verbas destinadas à saúde popular, dinheiro sendo conduzido entre as nádegas, cuecas, caixas de uísque, helicópteros, pois é preciso atender à escravidão do poder que eles próprios elaboraram.

32 thoughts on “Lições da Antiguidade que se perderam e se tornaram inúteis em países como o Brasil

  1. Realmente a democracia está com uma doença grave. Talvez terminal. Solução: Impedir a reeleição em todos os níveis do executivo e do legislativo.
    Note que os caciques com vários mandatos formam suas tribos.
    Sempre os novatos iniciam com bons ideais, mas são ligo cooptados.

    • Ronaldo,

      Bom dia,

      O fim da reeleição em sequência ou espaçada, seria uma das medidas da reforma política.
      Precisamos é IMPOR limites aqueles que elegemos, e não o contrário como acontece hoje em dia.

      Nós que estamos presos de todos os lados, e eles leves, livres e soltos para roubar, explorar e manipular.

      Obrigado pela participação.

      Abraço.
      Saúde e paz.

  2. Pois é! Ultimamente o que mais se ouve neste nosso Brasil, são os corruptos gritando por democracia.
    Certamente o “estado de direito” que tanto apreciam, ampliado por decisões inconsequentes do congresso nacional e STF, tem o condão de torna-los felizes.
    Todos os direitos possíveis, condenação só após o supremo decidir, isto é, passando pelo ministro monocrático, pela turma e pelo plenário. Ai o caso dificilmente escapou da prescrição. O direito foi garantido, o ladrão ficou impune e a democracia cumpriu o seu papel.
    Democracia assim tão “democrática”, nunca se viu em qualquer lugar no mundo.

      • Marcos,

        Bom dia,

        O colega Luiz R. quis dizer que os corruptos querem mais liberdade de ação para roubar, explorar e manipular.

        Abraço.
        Saúde e paz.

      • Prezado Fernando Lima,

        Bom dia,

        Muito obrigado pela gentileza e participação.

        Olha, meu caro, acredito que está deplorável a situação brasileira, conforme escreveste mas, ao mesmo tempo, atingimos um estágio de total resignação e inércia com o que aí está, ou seja, alienamo-nos absolutamente do Brasil e de nós mesmos!

        Esse aspecto é o único que não perdoo no povo, e em mim mesmo:
        a nossa irresponsabilidade com o país, nossos familiares, parentes, amigos e com os desvalidos.

        Permitimos que façam o que bem entendem, logo, eis o resultado:
        Uma nação inviável, e com um povo abandonado, desprezado, tanto pelos dirigentes quanto por ele mesmo!

        Abração.
        Saúde e paz.

    • Luiz R.,

      Bom dia,

      Os corruptos usam a palavra democracia para ampliar a impunidade, a liberdade de prejudicarem o povo e país permanentemente.

      Se formos analisar a democracia em si, na verdade essa nossa, a brasileira, é um arremedo desse regime de governo.
      Ou nos sujeitamos à ditadura do Judiciário ou do Legislativo.
      E, sempre, somos subjugados pela incompetência do Executivo.

      O modelo que nos impuseram desde 1;985 é desonesto, corrupto, altamente prejudicial ao cidadão, ao trabalhador, ao contribuinte, ao aposentado … todos, enfim.
      O mais grave:
      Certamente eu e tu não saberíamos dizer quantos escândalos de corrupção o legislativo foi culpado nesses 35 anos de existência da “nova” democracia!

      Ora, quase 4 décadas, e não fizemos nada para impedir que esses roubos continuem?!
      Resultado:
      os caras tomaram conta do povo e desta republiqueta.

      Obrigado pela participação.

      Abraço.
      Saúde e paz.

  3. O capitalismo canibalesco, do qual somos sujeitos e objetos, ele nos impõe, o dinheiro, como contrapartida do esforço estimulado. Atualmente, atrair adesistas para uma causa, sem a perspectiva de auferir algum “ganho”, é muito difícil. O exemplo disso é o inchaço desenfreado das seitas, que apregoam a doutrina da prosperidade. Quer dizer: tornamo-nos cães de circo, que se esforçam para exibir um bom número, sob a expectativa de, ao final, serem recompensados por um bocado de ração.
    Ademais, nos idos em que brotaram esses valores, tanto na fase da consciência mítica, quanto na fase da consciência filosófica; não havia, sobretudo, na primeira, meios de divulgação massificantes. Outrossim, nalguns casos, os conhecimentos transitavam em circuitos fechados, não somente porque a leitura era prilégio duma elite, mas também porque os “sábios”, detinham o saber em instituições fechadas, nos moldes das sociedades secretas, tais como a Escola Pitagórica. Logo, se um saber se restringe apenas para uma escol, há de se convir que este não seja para esclarecer o vulgo, mas para dominá-lo! Esse modelo foi seguido por outro mais flexível, de cunho eclesiástico, na Idade Media, as Escolásticas.
    Mesmo se hoje houvesse uma tentativa de reeditar aquelas “lições”: por um lado, tendo as comunicações à velocidade da luz e; por outro, com o grau de “putrefação moral” que o ser humano atingiu, tudo se passaria como fake news, e seria diluído num período de meia-vida!

    • Paulo III,

      Bom dia,

      Obrigado pela participação, e excelente comentário, como tem sido sempre.

      Concordo plenamente contigo, pois esta é a realidade do momento, onde o povo foi separado das castas e elites, ficando sem acesso ao estudo, ao emprego qualificado, à saúde necessária, e à devida segurança da sua vida.

      Fomos muito bem conduzidos para um brete moral e espiritual por pessoas que perceberam que ganhar dinheiro seria muito fácil, desde que usassem as carências da maioria dos cidadãos em contribuições pecuniárias, em troca de uma vida faustosa ao lado do “Senhor”.

      Entre a constatação das dificuldades de se conseguir emergir para uma existência ao menos digna, sabe-se lá se “investir” numa vida além dessa não dará resultados, pois o líder religioso está afirmando.

      Mal sabe o fiel, que está participando de um movimento muito bem orquestrado para extirpá-lo do processo político, social e econômico, pois a salvação somente vem de Deus, e nas palavras de Seus representantes, os pastores, bispos, missionários, apóstolos … que cumprem o papel perante às castas e elites, incluindo o poder econômico, de concretizarem essa separação do povo com aqueles que já foram abençoados por Deus, pois estão … ricos!

      Logo, a pregação se volta para a prosperidade, evidentemente impossível, então doações às seitas pois, e se elas estiverem certas?!

      Em consequência, a pobreza e a miséria deixam de ser importantes, e almeja-se a riqueza, o sonho, o devaneio, ouro, patrimônio material, menos ética, moral, conhecimentos e senso de discernimento.
      O pobre e miserável, lá pelas tantas, pensam que as situações que se encontram é castigo divino, razão pela qual se amolda ao que lhe dizem.

      Na época do PT, a Teologia da Libertação era a igreja do momento, pois enaltecia o pobre de tal maneira, que Deus o perdoaria de roubar, assaltar, ser traficante …e viver naquela condição era … abençoado!

      Hoje mudou:
      o dinheiro, poder, patrimônio, contas em bancos, cartões de crédito, carros de luxo, viagens para o exterior, se tornaram os novos deuses a ser cultuados.

      Nesse vai prá lá, vem prá cá, o pobre e o miserável aumentam suas carências e necessidades.
      As castas, elites, os poderosos, agradecem.

      Abraço.
      Saúde e paz.

  4. Caro Bendl;
    Ainda não li esta tua matéria, mas você escreveu (paro o Ronaldo) algo muito importante.
    ” Cabe a nós impor limites à eles, e não o contrário “

    • Prezado Marins,

      Bom dia,

      Obrigado pela tua participação e observação.

      Houve um momento na nossa trajetória – vou descobrir! – que deixamos os poderes constituintes nos dominar plenamente.

      Nos enredaram de tal forma que não temos mais como nos soltar das amarras impostas, a menos que nos rebelemos.
      Mas, como temos sido apáticos, resignados, alienados, e as castas, elites e poderosos sabem disso, cada vez a situação para “eles” melhora, enquanto a nossa piora!

      Ou passemos a nos impor ou bye bye, tia Chica, o povo brasileiro já era!

      Abraço.
      Saúde e paz.

  5. Excelente Artigo do Sr. FRANCISCO BENDL no qual se pergunta? Por que o Poder Político no Brasil deixou de dar prioridade a “Promover o BEM COMUM”, e passou a dar prioridade ao seu enriquecimento Pessoal.

    No Brasil, o Poder Econômico, e o Poder Militar, que sempre foram Progressistas, Nacional-Desenvolvimentistas, INDUSTRIALISTAS, e sempre contribuíram muito para o aumento do Padrão de Vida do POVO, ( Tenentismo, Coluna PRESTES, Revolução de 30, Movimento Cívico-Militar de 64), agora parecem asfixiados pelo Poder das Castas Políticas.

    O POVO que é o Árbitro numa República Democrática Representativa e maior interessado na questão, está perplexo porque a Economia Política é como a Astronomia, “o que parece não é, e o que é, não parece. Parece que é o Sol que gira ao redor da Terra, mas na realidade é a Terra que gira ao redor do Sol”.
    Assim, CONSUMIR mais do que PRODUZIR pode nos levar a ganhar uma Eleição Presidencial, mas não é SUSTENTÁVEL, e causa terrível dano Econômico-Social ali na frente. Nossa Historia está cheia disso, e a da Argentina , mais ainda.

    Enriquecer é BOM, e deveria ser possível para TODOS que quisessem, que a nosso ver deve ser a grande Maioria, mas no BRASIL somos bloqueados por uma Mentalidade errada de que o LUCRO, motor do Enriquecimento é essencialmente MAU e EXPLORADOR dos Fracos e Oprimidos ( de novo parece que é o Sol que gira ao redor da Terra), e assim cria-se na SCIEDADE um IMPEDIMENTO PSICOLÓGICO à PRODUÇÃO, gravando-se, travando-se as EMPRESAS até onde se pode, e os Demagogos falando mal dos EMPRESÁRIOS, culpando-os sempre do alto Preço dos Produtos, de ganância exagerada, etc, etc.

    Dificultando-se assim o acesso a RIQUEZA por vias Legais e Honestas, sobra então o ESTADO onde quem consegue tenta aproveitar o que pode,
    Acrescente-se a isso, o alto Custo de manter Partidos Políticos, mais ainda das ELEIÇÕES, e o pior ainda JUDICIALIZAÇÃO DA POLÌTICA, ( se Processa Todo Político por qualquer Coisa o tempo Todo) e se o Político não tiver RECURSOS para se defender quase o tempo todo, TERMINA MUITO MAL.

    Não é que o Político Brasileiro seja diferente dos outros POVOS, seja corrompido por natureza, a nosso ver é o SISTEMA POLÌTICO NOSSO que induzem a esse mau comportamento.

    Enquanto o POVO não entender bem isso, Não mudar de MENTALIDADE ECONÔMICA dando prioridade a PRODUÇÃO, e não EXIGIR mudança para melhor do nosso SISTEMA POLÌTICO ( Voto Facultativo, Voto Distrital Puro, Recall de maus Representantes do Povo, Candidatos Independentes, etc, etc, e PRINCIPALMENTE FIM da JUDICIALIZAÇÃO da POLITICA, ( Processos só em casos JUSTOS e NECESSÁRIOS), não melhoraremos nosso Padrão de Vida Médio do POVO e a grande maioria de nossos POLITICOS não terão como Prioridade 01 o BEM PÚBLICO, mas naturalmente Enriquecer e salvar o próprio pelo nos Tribunais, o que CUSTA muito Dinheiro.

    Sei que muita Gente não vai gostar do que escrevemos e vão dizer: É obrigação de TODO MUNDO ser HONESTO. Então Tá. Só que a coisa não funciona assim NA PRÁTICA.

    • Mestre Bortolotto, meu amigo,

      Bom dia,

      Muito obrigado pela participação e comentário incisivo, contundente, pontual, como tem sido teu hábito nesse blog incomparável.

      Mestre, foste cirúrgico no que disseste:
      Se o povo vive ao redor do poder político, e não poderia ser diferente, mas este apodreceu, implodiu, tornou-se imoral, corrupto e antiético, que exemplos teremos para nossas vidas??!!

      “Ora, ora, o negócio é fazer o mesmo, se quisermos aproveitar algo do governo”, pensa a maioria.
      Mediante a realidade que nos esmaga porque somos roubados, explorados e manipulados, ainda há quem aspire ter o mesmo comportamento, então a dificuldade maior ainda de se almejar mudanças pois, para muitos, a situação está maravilhosa!

      Eu diria nem enriquecer, mestre, mas ter uns trocados, uma casa paga, carro, filhos em boas escolas, a família saudável, unida, deixou de ser o objetivo, a meta de muita gente.
      A ânsia é polo dinheiro, rápido, em grande quantidade, e pouco importa como obtê-lo.
      Não é dessa forma que nossas autoridades se locupletam?!
      Não é essa a conduta que transparecem?

      Sobre para o povo, mestre, o quê?!

      Sangue, suor, lágrimas e trabalho, mas o trabalho escravo, que nos leva mais da metade de um ano, seis, sete meses, onde repassamos ao governo TODO O NOSSO RENDIMENTO!!

      E para quê?
      Para isso que vemos.
      Roubo, exploração e manipulação.

      Nesse círculo vicioso, de corrermos atrás do próprio rabo, o parlamentar chega a usar as nádegas para levar dinheiro que desviou do seu objetivo, pois se corre atrás de si mesmo, que seja por … dinheiro!
      E nós atrás dele, querendo que caia uma que outra noto no chão e que seja nossa!

      Abração, meu caro mestre Bortolotto.
      Saúde e paz.

  6. Que maravilha!! Que bom poder acordar e ter a oportunidade de ler um texto desta magnitude.
    Mil vezes obrigado, Chicão!!

    P.S.1- A fome, a falta de saúde, de emprego é segurança, é o projeto que eles diuturnamente se debruçam pra nos oferecer. Trabalham incansavelmente pra literalmente nos MATAR, eliminar mesmo. Nos varrer do mapa!!
    Eles já perceberam que, (SOMOS UM POVO DE MERDA) adoramos ser violentados todos os dias.
    Já sabem que somos um povo fraco e egoísta, que temos preguiça de olhar pro futuro.
    Chicão, os caras estão cagando e andando pra nós.
    O negócio deles é tão fácil, que já nos roubam sem a menor parcimônia é na cara dura, é na mão grande!
    Tipo: toma distraído, você merece ser roubado nas tuas barbas, quem mandou ser otário?
    Simples assim.

    P.S.2- Concordo com o Sr. Ronaldo, não deveria ter reeleição em nenhum cargo. Nenhum!!

    Mas também tenho minha sugestão, que tal deixá-los à míngua sem vencimentos e benesses. Acho que seria dificil de achar alguém disposto a fazer política.
    Morei na Suiça e nos Cantões os representantes do povo que gostam de política não recebem um centavo sequer. E, se roubarem, é JAULA!!

    Um forte abraço e muita saúde pra aturar toda esta doença.
    JL

    • Espectro, meu guri,

      Bom dia,

      Muito obrigado pelas tuas palavras gentis e participação.

      Olha, meu caro, torna-se muito difícil, quase impossível, que vamos conseguir mudar esse estado de corrupção permanente, que foi instalada nos poderes constituídos.
      A desonestidade é um atalho para o mais importante hoje em dia, a riqueza.

      Na razão direta que o povo não pode ser desonesto PORQUE NADA TEM, e não tem como roubar dele mesmo por isso, as castas, elites e poderosos, que gozam as delícias do extremos, se lambuzam com o dinheiro fácil que nos roubam.

      O nosso grande problema, culpa, acusação que nos cabe, diz respeito à inércia à passividade, à irresponsabilidade nossa com relação aos crimes que são cometidos em nosso nome!
      Se elegemos os representantes do povo para o legislativo e executivo que administrarão a nação e cidadãos, porém, só assistimos roubos, saques, desvios de verbas, gastos perdulários, dinheiro levado entre as nádegas, e total destruição da moralidade e probidade exigíveis nessas funções, das duas uma:
      ou reclamamos com veemência, querendo mudanças urgentes ou vamos chorar na cama, onde o lugar é quente.

      Che, não entendo como torcidas de clube de futebol, pessoas do mesmo bairro, cidade, conhecidos e até amigos, se engalfinhem por uma partida, e até com mortes eventualmente aceitam, sem qualquer reação, que sejam humilhados, ofendidos, agredidos, roubados, explorados e manipulados, e fique por isso mesmo!!!

      Mas o que está acontecendo conosco?!
      Covardia?
      Acomodação?
      Isolamento cívico?

      Mas, o povo, se transformou no quê??!!
      Animais amestrados, como disseste?
      Fazemos nosso espetáculo a cada quatro anos nas urnas, e vamos para casa?
      O resto é com os eleitos?

      Meu, ando decepcionado, desanimado, frustrado.
      Jamais achei que o povo que ia às ruas antigamente, reclamava, exigia, que fez a Legalidade, Diretas Já, se tornasse essa massa disforme, inútil, que aceita a forma que lhe querem dar e, ainda por cima, agradece.

      Abração, Espectro.
      Saúde e paz.

  7. A política foi, talvez, a principal causa da sobrevivência e da ascensão do ser humano.
    Praticamos a política no dia a dia, mesmo sem nos apercebermos.

    No Brasil, o sistema político, formador do Estado, é exercido pelos poderes constitucionais formada pela União, os estados, os municípios e DF. O poder é exercido pelas instituições independentes (os chamados três poderes e mais um órgão fiscalizador o MP) que deveriam garantir o cumprimento das leis e da CF. Ao legislativo cabe também a elaboração de novas leis e alterações na CF.

    O nosso regime político é a democracia. Ela tem falhas, como qualquer democracia e até podemos dizer que elas são bem maiores, se comparadas às melhores do mundo.

    Porém, execrar os legisladores, como se eles fossem somente os responsáveis pelas falhas e mazelas da democracia no nosso país é demasiado. Eles formam apenas uma parte do poder político do nosso país.

    Sim, temos muito a melhorar, mas o melhor caminho ainda é a democracia. Qualquer outra forma será traumática e os resultados imprevisíveis. A melhoria contínua, sem rupturas, é a mais desejável.

    A gente tem a tendência de supervalorizar as coisas ruins, assim como subvalorizamos as boas. A paixão é da nossa natureza.
    Mas se analisarmos os fatos com a razão, colocando na balança o que é danoso e o que é bom, veremos que o desequilíbrio não é tão grande como imaginamos.

    Por exemplo, peguemos uma obra que dura muitos anos, passando por vários governos. O que mais valorizamos? É a conclusão. E para quem vão os louros? Para o executivo, desprezando indevidamente os demais poderes.

    As nossas maiores falhas na forma de governo que temos é a falta de participação, o desprezo e a apatia pela política. A maioria nem quer saber de discutir ou saber o mínimo, a fim de que as mudanças sejam mais profundas e rápidas. Pensa que a política deve ser coisa para políticos.

    Certamente a política ainda é o único caminho para mudanças. E a democracia, mesmo falha, é ainda o melhor sistema político.

    • Vidal, meu conterrâneo,

      Bom dia,

      Obrigado pela participação e comentário, um contraponto ao meu texto que, diga-se de passagem de qualidade, como tem sido o teu estilo.

      Escreveste um comentário sem levar em conta os problemas que os poderes constituídos se tornaram para o povo.
      Como se os danos e prejuízos que nos ocasionam fossem corriqueiros, nada que não possa ser assimilável.

      Muito menos abordaste as razões pelas quais o povo está pobre e mais miserável a cada ano que passa, em consequência, menos saudável e mais analfabeto, e tendo o desemprego como seu tormento diário.

      Temos debatido essa situação, Vidal, onde eu não penso dessa forma tua, que pode ser a correta, evidente.
      O meu modo de ver e de interpretar o momento político atual é que não nos serve para nada, pois rouba, explora e manipula.

      Convenhamos, o preço dessa democracia relativa existente é muito caro, impagável, e por uma mercadoria ruim, péssima, enganosa para o consumidor quando abre a embalagem.

      Não podemos mais esperar que esse processo se endireite por si mesmo.
      Não tem como e jamais o legislativo aceitará qualquer mudança no modo como opera, com a corrupção embaixo do braço ou entre as nádegas!

      De que vale a democracia, se a cada dia nos tornamos mais carentes e necessitados?
      De que valem os poderes constituídos, se nos transformaram em escravos?
      Que judiciário é esse, que solta bandidos, e alega ter cumprido a “lei”?
      Que sistema de governo é esse, que nos despreza, abandona, humilha, e ainda temos de lhe dar tempo para se corrigir??!!

      Absolutamente impossível calcular, nesses últimos 30 anos, a quantia que o legislativo gastou e roubou do cidadão brasileiro!
      Por baixo, eu diria que dois PIBs, algo em torno de cinco ou seis trilhões de DÓLARES, sem exagero.

      Só o roubo da Petrobrás atingiu bilhões de dólares, só na estatal.

      Diante disso, meu caro, chegou a hora de mudar, pois desse jeito não dá mais.
      Muita pobreza, miséria, desemprego, saúde ruim, educação deprimente, violência exacerbada, para fingirmos que vivemos em democracia e que o legislativo é importante nesse contexto.

      Tá eu até aceitaria mas, esse, o nosso?!

      Jamais escrevi que se fechasse o congresso para sempre.
      Tenho reiteradamente escrito que deveria ser “suspenso” por seis meses, tempo que se levaria para restruturar completamente, novas eleições, conformes limites impostos pela sociedade, e vida nova!

      Um forte abraço.
      Saúde e paz.

  8. Sensacional o artigo Bendl…Como sempre nos prestigiando com a sua invejável clareza de pensamentos, conseguindo atualizar certos conceitos, para muitos desconhecidos ou esquecidos, mas extremamente úteis e reveladores no nosso tempo. Parabéns amigo…Abraço.

    • Lemos, meu caro, da belíssima Belo Horizonte (até o nome é bonito),

      Obrigado pelo apoio e participação.

      Olha, parceiro, tento encontrar o fio da meada, pois perdemos o novelo ao longo do caminho que nos obrigam a seguir.

      Então usei a imagem do Labirinto, que seria o congresso, pois não tem mais como sair do antro que construiu.
      Então, se a coisa lá dentro só nos prejudica, o monstro que está lá aprisionado nos engole vivos, a mitologia grega – insuperável em seus simbolismos – fala em Teseu, nome que significa “forte por excelência”, pelo fato de a maior façanha deste cidadão foi o combate com o Minotauro.
      Nessa época, Atenas pagava um pesado tributo a Creta. Anualmente, Atenas enviava jovens que deveriam ser levados a Creta para serem colocados no labirinto e serem devorados pelo monstro, que era um homem com a cabeça de touro.

      Não te pareces a nossa situação absoluta?
      Teseu seria quem?
      O povo!
      Mas, nós como herói ateniense deixamos muito a desejar, então o Minotauro porque bem alimentado, comida tem à disposição, tá mais faceiro que lambari na sanga!

      E, nós, o povo pacato, simplório, passivo, entramos no labirinto para ser devorados porque essa é a nossa “missão”!!

      Mas nunca, meu!

      Vou até com cabo da vassoura, mas vou à luta.

      Abração, mineiro.
      Saúde e paz.

  9. Excelente artigo.
    A doença do pais, a alienação do povo, será corrigida no final do caminho que estamos percorrendo. A ambição dos políticos em olharem só para si e os seus, estão inviabilizando o país e desesperando a sociedade; como o brasileiro é pacífico, precisamos de mais disto que está aí para ‘aumentar’ o nível de desespero até que o que precisa que o povo faça, seja feito.

    • Prezado Pereira Filho,

      Bom dia,

      Obrigado pelo elogio e participação.

      Concordo plenamente contigo.
      Ou nosso desespero aumenta com relação a viver ou nada haverá de reação popular, pelo fato de o brasileiro não se importar politicamente, seu erro crasso.

      Agora, até chegarmos ao nível de mostrar efetivamente repúdio ao que acontece, milhões de pessoas ficarão pelo caminho.
      O confisco imposto pelo Collor foi traumatizante para a sociedade não só pelo fato de lhe tomar o dinheiro e a poupança, mas pelo tempo que levou para iniciar a devolvê-lo:
      18 meses.
      E, depois, mais 14 meses para integralizar o dinheiro e poupança tomados pela violência!

      Nesse meio tempo, quase três anos, quantos que morreram?
      Quanto de dinheiro que os bancos ficaram, pois muita gente guardava seus tostões ou em segredo ou por não ter mais ninguém?

      É o nosso caso com essa política deletéria e deplorável, que somente nos rouba, explora e manipula.
      Até onde vamos suportar, para o povo reagir?

      Um forte abraço.
      Saúde e paz.

  10. Mas, sem dúvida um país é o seu povo e quando o povo entender, acertaremos as contas e o rumo da nação.

  11. Com as forças armadas nas mãos, Bolsonaro, fosse inteligente, tivesse pelo menos alguma coisa de estadista e visão, estabeleceria, imediatamente, um canal de conversação com a RPL-PNBC-DD-ME, ou seja, com o Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, o novo caminho para o novo de verdade, porque evoluir é preciso, e com Ela faria a grande transformação que este país está necessitando há 130 anos, antes que a república caia de podre sobre todos, culpados e inocentes. e passaria para o história do Brasil como um Herói épico de verdade, antes que saia da presidência como um rato de esgoto, que é para onde está indo a coisa.

  12. Bora, viajar comigo, Brasil, por mares nunca dantes navegados ? TRANSATLÂNTICO CONSTRUIDO PELO LEÃO PARA O POVÃO X IATE DO HUCK. O fato é que dominado pelo medo, e sem se libertar do velho complexo de vira-lata, e da velha pobreza de espírito lambe bota$, o Brasil jamais conseguirá mudar de verdade, para melhor. Simples assim. O Brasil, por si só, é um gigante pela sua própria natureza, lindo e maravilhoso, mas, infelizmente, encontra-se embarcado numa mentalidade pequena demais, habitado por seres que, infelizmente, são praticamente obrigados a pensar pequeno demais, limitados ao pouco que podem ter e perder e não ao muito que podem ganhar, e que, por isso, dão mais importância para as coisas dos outros do que para as suas próprias coisas. E é nesse diapasão que se pode ver, p. ex., a importância que se dá à banheira do Luciano Huck, seu Iate particular, que, no caso em tela, representa o velho Brasil federativo, das elites dominantes, e, por outro lado, a importância nenhuma que se dá ao Transatlântico Público construído pelo Leão, à moda Noé brasileiro dos novos tempos, de última geração, de propriedade da população em geral, para ser usufruído pelo conjunto da sociedade, pobres, ricos e remediados, que representa o Novo Brasil Confederativo, com Democracia Direta e Meritocracia, com capacidade imediata para abrigar até mais de 2 bilhões de seres humanos, em boas condições de segurança e estabilidades, com a flora, fauna e ecossistemas preservados, com viagem garantida para os próximos 100 anos, podendo passar dos 500, como é o caso da RPL-PNBC-DD-ME, o megaprojeto novo e alternativo de política e de nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, como podem ser comparados, a titulo de exemplo, nos vídeos seguintes. https://globoplay.globo.com/v/7087939/ Pergunta do povo: “…tem lugar pra nós tb no seu Iate, Luciano” ? https://www.instagram.com/p/CGiKQ6KgLBG/

  13. Luiz Felipe,

    Boa tarde,

    Obrigado pelo comentário e participação.

    Escreveste que, se Bolsonaro fosse inteligente, estadista, tivesse visão …
    Che, tu tá sonhando!

    O dia que tivermos um presidente que seja “apenasmente” inteligente, o Brasil será outro!

    Abraço.
    Saúde e paz.

  14. Sem esgotar os temas, aplaudo o artigo e parabenizo o articulista pela rica exposição a qual, entre outros aspectos, estimula o necessário repensar acerca de concepções tais como “evolução” e “progresso”.
    Parabéns, Francisco Bendl!
    Paz e Bem!

  15. Prezado Christian Cardoso,

    Muito obrigado pelo comentário e participação.

    Reconheço que o teu texto me deixa orgulhoso, pelo fato de advir de uma das pessoas que muito admiro, respeito, e lamento tê-la eventualmente na TI.

    Na medida que a humanidade evoluiu através de suas próprias descobertas, invenções, criações, engenhosidades, ciência e tecnologia, a espécie humana negligenciou a si mesma.

    A mente ficou pelo caminho;
    ética e moral foram substituídos pelo imediatismo, pela ânsia do ter;
    honra e dignidade se tornaram perda de tempo;
    decência e honestidade se tornaram retrógrados, pois nada contribuem para o enriquecimento.

    Nossas vidas se tornaram dependentes de outras;
    pensamos como os outros pensam;
    somos aquilo que planejaram que fôssemos;
    aceitamos obedecer e outorgar poderes sem qualquer reivindicação ou condição.

    Resultado:
    Perdemos a nossa identidade como cidadão, como povo, e nos desvinculamos do país e de seus poderes constituídos.
    Essa atitude impensada nos saiu caro demais.
    O preço que pagamos pela alienação confortável, alheia aos acontecimentos que movem a nação, foi a perda de nossa dignidade, ausência de reação, e nos tornamos um ajuntamento de pessoas sem estrutura definida, sem rumo, sem norte, sem objetivo, sem meta.

    Vivemos o dia para sobreviver;
    trabalhamos para poder comprar alimentos;
    metade do ano somos escravos do governo, um novo regime feudal, autoritário, explorador.

    Encontramos nos fins de semanas no churrasquinho com amigos, no futebol, nas praças, as válvulas de escape necessárias sobre as pressões que sofremos.
    Muitos escolheram a trilha do crime, enquanto milhões foram condenados à miséria e à pobreza.

    Nossas castas vivem muito bem.
    Jamais, na História do Brasil, mesmo quando éramos império, a diferença entre os nobres e o povo foram tão acintosas como hoje.
    Diante de nossas necessidades tão imensas, poderosas, vitais à continuação da existência, as elites e castas, aliadas ao governo, condenaram milhões de brasileiros à miséria, e nos domesticaram com tamanha habilidade, que agradecemos a esmola como um gesto de caridade e consideração dos poderes para com o povo.

    Então o labirinto, Cardoso.

    A população está sendo devorada pelo Minotauro, o poder político, mas, em compensação, ele não consegue sair da sua própria obra, da sua caverna, do seu esconderijo.
    Se sair, morre à luz do sol, pois acostumou-se á escuridão, à podridão da sua toca, ao fedor que tem consigo.

    Um forte a caloroso abraço.
    Saúde e paz.

    • Caríssimo Bendl,

      Em relação às considerações do ilustre articulista quanto a este humilde escriba, pode-se então asseverar que a admiração é mútua, e a honra, recíproca!

      Agradeço por desenvolver os temas através do artigo e da discussão que se seguiu com comentaristas!

      Agradeço por nos permitir aprender contigo, um dos mestres da TI!

      Gratíssimo, Paz e Bem!
      Forte Abraço!

  16. E pensar que a derrota de 1950, apesar de dolorosa ainda foi uma derrota digna! Muito pior foi a derrota dos 7×1, um bando de jogadores muito pior do que frouxos, mas apáticos, que ganham milhões foram capazes de sofrer uma derrota que nem um time de varzea com jogadores amadores teria sofrido daquela forma. Na verdade a seleção de 2014 era a cara do Brasil, dos politIcos irresponsáveis e canalhas que nos desgovernavam e continuam nos desgovernando. Jogadores vagabundos que estão muito mais preocupados com seus marketings pessoais se assemalham em tudo aos politicos que lançaram o país na aventura de realizar uma copa do mundo e uma olimpiada, sem ao menos realizar o minimo de infra estrutura, somente fizeram esses 2 eventos para roubar e roubar muito, tanto nas obras como no governo e também nas estatais(lava jato que o diga).E hoje o energumeno que foi eleito para combater tudo isso, para se manter no poder após uma frustrada tentativa de golpe, come nas mãos do mesmo centrão que roubou e rolou nos governos petralhas! Goleiro Barbosa que injustamente pagou caro por ter sofrido apenas 2 gols num jogo de decisão, tinha muito mais diginidade que os milionários jogadores do vexame do 7×1 e muito mais diginidade do que os politicos vagabundos que estão no poder hoje só para roubar e fazer politicagem. E ainda comparar o presidente Getulio com essa caterva de hoje, não dá nem para começar . Em cima de um escandalo de corrupção(o mar de lama) no qual não teve a minima culpa foi tão pressionado e enxovalhado que preferiu tirar a própria vida. Imagine qualquer politico do centrão, petralha ou bolsonarista tendo alguma dignidade parecida. Nem em filme de ficção os canalhas de hoje seriam capazes disso, são pegos com grana nas cuecas e ainda culpam a policia por isso. BANDO DE VERMES! DEVERIAM IR PARA UM PELOTÃO DE FUZILAMENTO!

    • Prezado Sandoval,

      Boa noite,

      Obrigado pelo comentário apropriado, e participação.

      A Copa de 50 elegeu um culpado, o goleiro Barbosa, um homem digno, honrado.
      Seria mais fácil culpar o goalkeeper, que os demais jogadores da seleção.

      A copa de 2014, os invasores alemães nos humilharam, arrancaram de nossas mentes que éramos imbatíveis, os melhores do mundo, donos de técnicas insuperáveis.
      Cravaram sete, mas poderiam ter feitos mais, então tiveram piedade do derrotado, caído ao solo, arrasado, sem forças para qualquer reação.

      O governo tentou lucrar com os dois eventos:
      se o futebol nos desse a sexta taça, as Olimpíadas nos dariam um monte de medalhas de ouro.

      Lula, Dilma, o PT, seriam endeusados pelo povo e pelas demais nações no planeta.
      Mas, os escândalos da Petrobrás já haviam aparecido.
      Lula, sequer teve a coragem de ir a qualquer jogo do Brasil.

      Dilma foi muito mais corajosa e digna.
      Foi vaiada, ofendida, humilhada, mas se manteve firme, como somente a mulher consegue!

      Resultado:
      os planos petistas não deram em nada, pelo contrário, mostrou ao mundo um país que estava sendo dilapidado pela política, roubado pelo partido do governo, e com a permissão do presidente e da presidente, que o substituiu.

      Sim, faltou elã, garra, determinação, vontade, aos jogadores.
      faltou tática;
      faltou estratégia;
      faltou objetivo para vencer, e não para fulgurar nas manchetes de jornais e TVs.

      Bolsonaro não sabe o que significa uma esfera, quanto mais o que é futebol.
      A bola é dele, então escala quem ele quer no seu time.
      Mas, perna de pau, não sabe distinguir um drible de uma finta, defesa de um ataque, o que seria primeiro e segundo volante, um ala,
      um quarto zagueiro, um armador, o que é um líbero … jamais poderá compensar o vexame dessa competição internacional.

      Primeiro porque alega ser o fiasco da esquerda;
      segundo porque se não roubou como Lula e Dila, o presidente apresenta para as nações o aumento da fome, miséria e pobreza do brasileiro.

      Nessas alturas, que perdêssemos de 15, mas hoje tivéssemos um povo com bem menos necessidades e carências, então haveria como esquecer o passado!

      Assim, desse jeito, a cada presidente que elegemos e a lembrança será uma tragédia, um acontecimento que, dada a sua gravidade, nunca será esquecido.

      Resultado, Sandoval:
      A memória do povo só tem péssimas recordações;
      nada nos anima;
      nada queremos repetir;
      nada mais nos interessa!

      Abração.
      Saúde e paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *