Líder do governo Lula também era ligado aos empreiteiros

O líder Cândido Vaccarezza prestava serviços aos empreiteiros

Estelita Hass Carazzai e Flávio Ferreira
Folha

Em depoimento de delação premiada, o empresário Ricardo Pessoa, da UTC, relatou que procurou o ex-deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) para pedir que uma obra fosse excluída de uma “lista suja” feita pela Câmara dos Deputados, em 2010. Na época, Vaccarezza era líder do governo do presidente Lula (PT), e tinha, segundo o empreiteiro, poder de influência na Câmara.

O rol de obras “sujas”, feito pelo COI (Comitê de Obras com Irregularidades), impede o repasse de recursos do governo federal a esses projetos. Quem envia a lista para os deputados é o TCU (Tribunal de Contas da União). Os parlamentares analisam os pedidos, mantendo ou excluindo as obras.

O contrato de interesse de Pessoa era a ampliação e modernização da Repar (Refinaria Getúlio Vargas), no Paraná –uma obra bilionária, orçada em US$ 5,4 bilhões.

A UTC fazia parte do consórcio contratado pela Petrobras, junto com Odebrecht e OAS, também investigadas na Operação Lava Jato. O TCU apontou que havia deficiências no projeto básico, além de restrições de competitividade na licitação, sobrepreço e orçamento incompleto ou desatualizado.

ENORME PREJUÍZO

Pessoa relatou às autoridades da Lava Jato que a inclusão da obra no relatório do COI traria um enorme prejuízo à empreiteira e que, por isso, pediu a Vaccarezza que ele interferisse para impedir essa situação.

No final do ano, a obra da Repar foi excluída do relatório aprovado pela Câmara. O empreiteiro diz não saber se a atuação do parlamentar foi fundamental para que isso ocorresse. Também afirmou que o ex-deputado nunca lhe sugeriu que pudesse fazer algo nesse sentido.

Ainda naquele ano, porém, Vaccarezza procurou Pessoa pedindo doações à sua campanha eleitoral. A UTC deu R$ 200 mil em 2010, e outros R$ 150 mil em 2014, tudo em doações oficiais.

One thought on “Líder do governo Lula também era ligado aos empreiteiros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *