Líder do PSB acusa Pessoa de tentar abafar a CPI

Delgado quer acelerar a convocação de Pessoa

Paula Pacheco
Do iG

O deputado federal Júlio Delgado (PSB-MG) acusa Ricardo Pessoa, dono da construtora UTC, de usar a delação premiada para tentar enfraquecer o trabalho da Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga casos de propina envolvendo a Petrobras. O nome do parlamentar, que integra a CPI da Petrobras, foi apontado pelo empresário como um dos envolvidos em operações de doação ilegal de campanha.

Para Delgado, a acusação seria uma forma de intimidar a CPI da Petrobras. “Ao fazer uma acusação contra mim, que faço parte da CPI, Ricardo Pessoa tenta abafar, desmoralizar o trabalho da comissão. Ao me desqualificar, ele tenta tumultuar o ambiente e mostrar que todos os dirigentes partidários são iguais e assim enterrar a CPI.”

Assim que a CPI da Petrobras foi criada, em fevereiro passado, Delgado pediu a convocação de Pessoa. Como o empresário ainda não havia assinado a delação premiada, sua ida à CPI foi protelada, apesar de aprovada.

CONVOCAÇÃO

Nesta terça-feira (30), quando a comissão tem mais uma reunião, o parlamentar vai pedir que a convocação seja feita com urgência. “Agora que Ricardo Pessoa já fez o acordo de delação não há razão para que ele não vá até a CPI.”

Além de pedir pressa na convocação do empresário, Delgado tenta ter acesso aos termos do acordo de delação premiada assinado por Pessoa. “Quero saber o que foi acertado nessa delação”, diz o parlamentar.

Segundo depoimento que teria sido dado por Ricardo Pessoa à Justiça Federal em delação premiada na Operacão Lava Jato, que investiga casos de corrupção entre empreiteiras, políticos e a Petrobras, a UTC teria ajudado a bancar a campanha eleitoral de políticos de vários partidos por meio de caixa dois. Júlio Delgado foi um dos acusados de receber repasse de caixa dois. Seria, segundo Pessoa, um total de R$ 150 mil. De acordo com o parlamentar, toda a doação para campanha foi lícita e repassada a candidatos a deputado federal e estadual. Eles receberam valores entre R$ 3 mil e R$ 30 mil, conforme recibos apresentados por Delgado.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A delação de Ricardo Pessoa reacendeu a chama da Lava Jato, que virou labareda. E ontem mais um investigado, Milton Pascowitch, fechou acordo de delação premiada e pode destruir o que resta de José Dirceu. É grave a crise. Quanto ao líder do PSB Júlio Delgado, terá oportunidade de discutir, cara a cara, com Pessoa na CPI. (C.N.)

6 thoughts on “Líder do PSB acusa Pessoa de tentar abafar a CPI

  1. E desde quando uma CPI parlamentar serviu para alguma coisa, além de gastar o dinheiro público? Claro, que o objetivo sempre foi o de encobrir as falcatruas dos próprios parlamentares, até mesmo porque os depoentes nunca precisam falar.
    Bem, as reuniões, terminam sempre em um bom restaurante em Brasília com as despesas também pagas com o dinheiro público.

  2. Não estou acusando o deputado federal Julio Delgado (PSB-MG) de ter recebido dinheiro ilícito porque falta provar, mas o nome dele aparece em delação premiada do empresário da UTC. Vejam que nesta lama toda não aparece sequer um nome do PPS. Acho o PSB um partido sem ideologia consistente, uma biruta de aeroporto, que quando os ventos são favoráveis fazem base de apoio ao governo do PT, quando a coisa fica feia para o governo do PT, como agora, voltam-se timidamente para a oposição. Por isso sou contra a fusão do PPS com o PSB. O PPS sempre teve opinião firme, diretrizes firmes, sabe o que quer, é oposição a Lula desde 2003 e nunca brigou para ter uma boquinha no governo federal. Vejam que o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) foi denunciado pelo dono da UTC. Onde há fumaça há fogo ! Temos portanto uma oposição de merda, onde a meu ver só se salva o PPS, reserva moral da política brasileira ! O PPS não pode misturar-se ao PSB sob pena de perder sua identidade. Fica aqui o meu protesto contra aqueles que querem esta fusão !

    • Edinei
      Permita-me dizer que sua avaliação é perfeita.
      Se o Julio está preocupado, imagine os cidadãos conscientes!
      CPI não encaminha nada\, faz tempo.
      Quanto ao PPS, talvez, reitero, talvez possa servir como embrião de uma oposição séria. Tem alguns (poucos) nomes que podem puxar uma reação ética a tudo que ocorre. Precisa ser fortalecido com filiações de pessoas boas, corretas e competentes. Somente um dou outro predicado desses não é o bastante. Tem de ter todos.
      A coisa está tão louca que é o PPS falando em “parlamentarismo” e o PSDB nem está ai.
      Sou e defendo o parlamentarismo também.
      Vamos acompanhar os próximos passos e vermos em que direção o incêndio seguirpa.
      Abraço

      • Abraços, Antonio Carlos Fallavena. O PPS tem trazido a proposta do Parlamentarismo, a única solução civilizada e eficiente para governar o Brasil. Se o regime fosse parlamentarista, Dilma já teria caído e teríamos novas eleições, dando oportunidade também de melhorarmos esta corja de maus parlamentares que infestam o Congresso Nacional. O voto é um aprendizado. Ressalto os valores éticos do PPS que não se mete em falcatruas. E tem programa de governo. Não é como o saco de ratos que é o PMDB, não é um partido de aluguel, não faz alianças espúrias e não é o já superado PSDB, que não sabe o que quer. Misturar o PPS com a biruta de aeroporto que é o PSB seria perder a identidade do PPS. Os demais partidos que temos não representam nada. Não têm programa, não têm consistência e estão sempre atrás das boquinhas ou de alugar seus espaços na televisão por quem paga mais. Imagine-se, por exemplo, o PR, cuja máxima expressão é o deputado federal Tiririca, um deboche com a população brasileira. Abraços.

  3. Claro que o deputado federal Júlio Delgado (PSB-MG) vai tentar por todos os meios desclassificar o dono da construtora UTC.

    Principalmente depois que a revista Veja publicou a planilha que Pessoa apresentou ao Juiz Moro, como tendo o nobre deputado recebido R$ 150.000,00 da construtora UTC.

    Mais detalhes leia: http://carlosnewton.com.br/105192/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *