Líder do PSDB diz que chegou a hora do impeachment

Pedro Venceslau
Estadão

Líder da bancada do PSDB, o deputado Carlos Sampaio (SP) é o maior defensor de um processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara. Para ele, o fato de o fato de Eduardo Cunha ter rompido oficialmente com o governo “é um agente facilitador” da eventual tramitação da matéria.

O tema do impeachment voltará para a agenda da Câmara na volta do recesso?

Volta totalmente. E, se comprovado o crime de responsabilidade, ou seja, que ela de fato falseou as contas nas pedaladas fiscais, esse terá um formato muito mais técnico. Irá além do inconformismo político generalizado. O dia 16 (data prevista de protestos) será um divisor de águas. Por isso decidimos convocar para as manifestações nas inserções do partido. Isso foi uma ideia do Aécio.

Como o rompimento oficial do Eduardo Cunha com o governo pode influenciar esse movimento?

Muda muito. Essa maioria (2/3 dos deputados) ainda não está garantida, mas o processo para alcançá-la está em formação. O fato de o Cunha ter rompido oficialmente com o governo é um agente facilitador para formarmos essa maioria. Antes ele fazia alguns acenos à oposição e agora ele está nela se contrapondo ao governo. Ele tem uma força para esse chamamento de outros partidos da base que ninguém tem. O Cunha pode trazer mais pessoas. O momento conspira a favor do impeachment, é ímpar.

Mas o Eduardo Cunha vive um momento delicado depois de ter sido acusado de exigir propina.

Pelas relações que ele construiu, não acho que Cunha sairá enfraquecido desse processo. Ele não ficará isolado em função da denúncia, que, por si só, não tem força condenatória.

A presidente Dilma Rousseff também não foi condenada.

Defendemos o afastamento nos termos da lei. A crítica à Dilma é de natureza política pelas mentiras que ela contou na campanha.

Como foi esse processo de defesa e de recuo do impedimento dentro da legenda?

O Aécio perguntou quem era a favor em uma reunião e maioria levantou a mão, mas não era um debate específico sobre isso. Depois, a coisa foi crescendo e 90% da bancada era favorável, mas eu concordo que o momento hoje é muito mais propício para o impeachment do que era antes. (O pedido) é a nossa bala de prata, que será a decisão do TCU (Tribunal de Contas da União, se aprova ou não as contas do governo de 2014). Eu acredito que hoje há uma maioria no órgão decidida a reprovar as contas.

Como é a sua relação com os grupos anti-Dilma?

Nós nos falamos quase que semanalmente. O Renan (Santos) e o Kim (Kataguiri), do Movimento Brasil Livre, ficaram muito próximos depois da caminhada deles a Brasília.

Mas o MBL criticou duramente o PSDB por ter recuado do pedido de impeachment.

A crítica deles foi mais ao Fernando Henrique Cardoso, Alckmin, Serra, Aloysio e Aécio do que ao PSDB. Foi pontual.

8 thoughts on “Líder do PSDB diz que chegou a hora do impeachment

  1. Não querendo ser pessimista: para mim o mundo político é um grande prostíbulo, onde a finalidade é poder e dinheiro, sendo os partidos políticos grandes facções criminosas, similares ao PCC. Quando o poder é retirado de uma ratazana, outra maior ocupa o seu lugar. Eu assisto tudo bastante desconfiado. Sinceramente não fico animado nem com o impeachment, nem como a permanência da presidência. Não vejo luz no fundo de túnel a curto médio prazo.

  2. O nobre deputadorzinho de merlin é um dos que está atolado nas Listas- da Lava Jato, e agora quer dar uma de Super-Herói-Brasileiro defensor dos fracos oprimidos e da moralidade e honestidade, ah vá….
    Por que cargas dáguas o nobrezinho deputadorzinho não olha no proprio rabo e vê o lamaçal de corrupção do seu Partidnho da E´tica que desde a (a) fundação está metido até o pescoço em roubalherias tanto nos inscritos nopartido como seus amiguinhos faisões franceses.
    Seu Partidinho da E´tica está acabando comoEstado de São Paulo de tanto roubar opovo brasileiro e paulista, será que sabedisso.???
    Estamos lascados e ainda tem gente que vota num verme desse

    • No lick acima encontra-se matéria onde aparece:
      O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) registra ainda a doação: deputado Marco Maia (PT-RS), senador Humberto Costa (PT-PE), senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), senador Ciro Nogueira (PP-PI), deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Carlos Sampaio (PSDB-SP) – resumo.
      Se é dinheiro ilegal, será que só o dep. Carlos Sampaio é corrupto? E os outros mencionados?

  3. Que ninguém fique animado com o que dependa dessa tucanada! Não se pode esperar muita coisa dessa turma que nunca soube sequer fazer oposição!

  4. Desde as declarações anacrônicas de FHC inocentando Dilma e recomendando que Lula não vá para a cadeia, até as maracutaias que estão descritas nos links acima que envolvem a prefeita de Sumaré, Cristina Carrara, e também o deputado (PSDB) Carlos Sampaio, além do aeroporto que Aécio construiu com dinheiro público em fazenda de sua família, e por aí vai, creio que até o mais refratário comentarista que confunde esquerda democrática com comunismo, ao fim, irá me dar razão quando digo que o PPS é a reserva moral da Nação. Ninguém do PPS foi sequer ventilado em boatos de escândalos e roubo de dinheiro público. O pessoal do PSB também está envolvido, é só ler o link. O próprio Eduardo Campos deixou a herança suspeita de receber dinheiro ilícito. Falando da oposição, o pessoal do DEM também está envolvido, como o senador Agripino Maia. O PTB e o PDT infelizmente acabaram virando quase a mesma coisa, e não podemos contar com eles. O Solidariedade, que é o partido do Paulinho da Força também é oposição ao PT, mas não sei o que este partido quer. O PP (de Paulo Maluf e Jair Bolsonaro) e o PMDB, bem como o PC do B estão envolvidos até o pescoço com a roubalheira dos governos Lula e Dilma. O PSD, de Kassab, é um partido aliado ao PT e que foi criado Deus sabe como, e só tem interesses fisiológicos.

    É claro que vamos ter de contar com os partidos de oposição para o impeachment de Dilma, inclusive do PMDB, já que a bancada o PPS é pequena e tem de se unir estrategicamente a eles para dar um fim no governo do PT. Mas penso, que se os senhores fizerem uma análise meticulosa, sem rancores, e honesta, até mesmo a direita mais empedernida vai acabar concordando comigo e irá votar no PPS nas próximas eleições. É o que sobrou de honesto na política brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *