Líder dos dólares na cueca comenta prisão de Dirceu

Deu no Estadão

O líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE), disse que a prisão do ex-ministro José Dirceu não foi mencionada na reunião do Conselho Político da presidente Dilma Rousseff na manhã desta segunda-feira. Guimarães, que é vice-presidente do PT, disse que caberá ao partido discutir o assunto em reunião esta terça-feira, e não o governo.

“A Lava-Jato pode continuar do jeito que está, mas o Brasil precisa funcionar. A Lava-Jato não pode paralisar o País”, comentou o petista. Guimarães disse que só interessa à oposição transformar “qualquer prisão” em um “fantasma de que o País vai paralisar”. “O Brasil vive um momento de desgaste para todo lado. A política no Brasil precisa ser refeita, a política não está bem e envolve todos os partidos”, afirmou.

Segundo o petista, o foco do encontro desta manhã foi a pauta do Congresso, após o fim do recesso parlamentar. Guimarães contou que a preocupação do Palácio do Planalto neste segundo semestre é com a aprovação de propostas que causem impacto nas finanças dos governos federal e estaduais.

 

EDUARDO CUNHA

Também foi feita uma análise da situação do presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que rompeu com o governo. Os aliados da presidente Dilma chegaram à conclusão de que é preciso procurá-lo para estabelecer uma relação “institucional e civilizada, preservando a independência dos Poderes”.

“O governo não aposta na tese de que ele vai ser instrumento da oposição. O governo aposta que ele manterá uma relação transparente com o governo e vamos dialogar. Quando tiver divergência, evidentemente a responsabilidade da base, que tem maioria, é votar contra”, declarou Guimarães.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGIrmão de José Genoino, o deputado José Guimarães é líder do Governo e vice-presidente do PT. Ficou nacionalmente conhecido como o deputado dos dólares na cueca. O que ele diz não se escreve. Dizer que o Conselho Político do governo não discutiu a prisão de Dirceu é um ato de primorosa desfaçatez, sem a menor dúvida. A quem este rapaz pensa enganar? (C.N.)

7 thoughts on “Líder dos dólares na cueca comenta prisão de Dirceu

  1. A Dilma é muito sem noção. Lula sabia o que estava fazendo quando escolheu a criatura, criatura essa que jamais representaria qualquer risco para o ex-presidente

  2. As cabeças boas que o PT teve antes do poder, já foram embora, faz tempo.
    Restou o lixo e o bando de imbecis.
    Na Câmara e no Senado as lideranças são dignas de Lulla/Dillma.
    Até porque, tem de ser muito idiota para servir poltrões.

  3. A HISTÓRIA É PROPULSORA DA SOCIEDADE, NÃO ESCUSOS FINS

    O ex-ministro José Dirceu foi pivô do rompimento de Leonel Brizola com o governo Lula, ainda antes da posse quando estiveram reunidos e o lulismo anunciou a entrega (palavra certa no lugar apropriado) do Banco Central para Henrique Meirelles, atendendo ao desejo do sistema financeiro. Brizola advertiu que não aceitaria concessões ao capital estrangeiro e a partir daquela atitude afloraram consequências desastrosas para o país, a exemplo da entrega (também termo exato) do Ministério das Comunicações para o preferido das Organizações Globo, Miro Teixeira, goela abaixo do PDT de Brizola.

    De ações políticas nefastas para a mistura de interesses particulares com o serviço público é um pulinho. Zé Dirceu deu um baita pulão. O amigo de face Marcos Azevedo lembra que foi Dirceu quem “inventou a história de chamar o Brizola de ‘El Raton’ e agora está pagando com suas falcatruas. Deus é justo. Quando Lula ganhou em 2002, nunca chamou o Brizola para conversar no Palácio do Planalto, dizem que o Dirceu que não queria, o ‘capitão do time’. Brizola era cotado para ser primeiro Ministro da Educação,depois Ministro da Agricultura, no final acabou no ostracismo imposto pela nossa mídia elitista e com seus interesses econômicos”.

    E isto foi muito bem lembrado, tanto que depois daquela primeira reunião relatada por mim, realizada entre a proclamação da vitória e a posse do novo governo, Brizola e Lula jamais se entenderam e nenhuma outro encontro ocorreu. Entraram em campo alguns emissários tentando reatar relações e quando o nome de Brizola era cogitado para o Ministério a resposta vinha em tom de deboche, inclusive sugerindo para ele a Embaixada no Uruguai.

    Outro amigo, Laerte Braga, não discorda porém chama “atenção para um post feito há dias pelo ex-deputado Milton Temer, amigo pelo qual tenho grande admiração, sobre José Dirceu. Paga o preço da lealdade incondicional. E está jogado às traças, por aqueles aos quais sempre foi leal”. Então, pondero que a lealdade incondicional ao lulismo não se confunde com a nossa, pelo Brasil e para os brasileiros. E ele arremata: “Vamos às ruas pela democracia, não por Dilma e Lula. Pela reforma agrária, pelas reformas de base, nunca por essas figuras, pelo Brasil”.

    Quanto a isto estamos de pleno acordo, como escrevo sempre, defendemos a presidente Dilma Rousseff porque entendemos o significado da LEGALIDADE e o que pretendem seus detratores. Minhas análises são políticas – como é possível verificar acima – sem o que também não se pode avaliar coerentemente questões jurídicas, todas. O nível de culpabilidade de Zé Dirceu pode ser discutível, não sua implicância nesses meios ou os fins que possam ser alegados.

  4. Diz o ditado que não se deve falar de “CORDA”, em casa de enforcado. Também seria de bom alvitre, não falar de CADEIA, em reunião petista. O motivo é o mesmo, as lembranças trazidas pelos objetos.
    Os deputados José Guimarães e Sibá Machado, estão suprindo com galhardia, a falta do ex senador Eduardo Suplicy. Quando terminar os mandatos de ambos, terão emprego garantido em algum circo. O picadeiro os
    espera.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *