Livre pensar é só pensar (Millôr Fernandes)

Capítulo I

Um dia…

…o Todo-Poderoso se levantou naquela imensidão desolada em que vivia, convocou os anjos, os arcanjos e os querubins, e disse: – “Meus amigos, vamos ter uma semana cheia. Resolvi criar o Universo e dentro dele, a Terra e o Paraíso. Além da terra farei o Sol, a Floresta, os animais, os minerais, a Lua, as estrelas, o Homem e a Mulher. E devemos fazer tudo isso muito depressa, pois temos que descansar no Domingo. E no Sábado, depois do meio-dia.”

A maior dificuldade de todas, embora pareça incrível, foi lançar a Pedra Fundamental. Os anjinhos ficaram com aquela estrutura imensa na mão, suando enquanto o criador hesitava, diante da opção total de um espaço infinito. Afinal Ele decidiu mesmo lançar o mundo ao acaso, e o mundo ficou por aí, girando, num lugar mais ou menos instável, uma rotação pra lá, uma translação pra lá, por conta própria.

P.S. Não é erro do desenhista não. A terra era assim, mesmo, quadrada, os antigos estavam certos. Séculos de rotação é que a fizeram redonda. E para os que estão achando nossos anjos completamente desproporcionais em relação ao tamanho da terra, esclarecemos: vocês precisavam ver o tamanho desses anjos! Além do que é preciso esclarecer, a proporção, nessa época, ainda não existia. Só seria descoberta pelos geômetras gregos milhares de anos depois.

Trabalhar no escuro era muito difícil. Deus então murmurou “Fiat Lux”. E a luz foi feita.

P.S. Até hoje ainda há uma grande discussão para saber se Deus falava latim ou hebraico.

E fez, em seguida, a Lua e as estrelas. E dividiu a Noite e o Dia.

E DEPOIS DIZEM QUE O NADA NÃO GERA NADA.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *