Livre pensar é só pensar (Millôr Fernandes)

Capítulo VI

Nascendo já grande e prontinho, Adão não teve as famosas crises de identidade da adolescência, nunca ouviu falar em generation gap, embora também jamais pudesse pôr a culpa de tudo em cima das gerações anteriores. Sem falar que nunca precisou comprar presente no Dia das Mães.

P.S. A esta altura Adão ainda não usava folha de parreira, mas nós colocamos uma no desenho para agradar à Censura. O leitor poderá criticar também a nossa história, afirmando que a figura do Proto-Homem não está, decididamente, muito máscula. Lembramos, porém, que Eva não existia e que, por isso, ainda não havia a menor função para a masculinidade sobre a Terra.

Outro problema, quando se pinta Adão, é saber se ele tinha ou não tinha barba. Nas pinturas clássicas, ele, em geral, não tem barba quando está no Paraíso, e tem barba quando já saiu do Paraíso. A conclusão:


O castigo, por ter comido a maçã,
Foi fazer a barba, toda manhã.


Mas há ainda outros problemas metafísicos criados pelo TODO-PODEROSO. Aqui, neste mesmo esquema, devidamente numerado, temos quatro desses problemas fundamentais, para meditação do leitor:

1. Responda amigo;
Adão,
Tinha umbigo?

2. Responda irmão;
O pássaro
Já nasce com a canção?

3. O mistério não acaba;
Onde anda o bicho-de-goiaba
Quando não é tempo de goiaba?

4. Mestre, respeito o Senhor,
Mas não à sua Obra;
Que Paraíso é esse, que tem cobra?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *